31 dezembro 2007

DIVERSÃO EM FAMÍLIA - *<|:-) ViLa NaTaL *<|:-)

O Natal começou mais cedo em Óbidos e vai terminar apenas no dia 6 JAN (dia de Reis).

A VILA NATAL é um lugar especial, repleto de magia natalícia. Não falta nada, desde neve e bonecos de neve, a pista de patinagem e rampa de gelo, discoteca de duendes, carrossel mágico, póneis que proporcionam passeio “a cavalo” pelo espaço, oficinas de Natal, lojas alusivas ao tema, música ambiente e concertos, contos de natal, exposições de árvores enfeitadas e presépios, insuflável para a pequenada dar pinotes, e pinturas faciais. Uma mini mini mini EuroDisney.



Nem os mais crescidos resistem a este lugar acolhedor em que as personagens da VILA NATAL representam os seus papéis na perfeição, fazendo a alegria das nossas crianças.










Ver estas festas de Óbidos dá orgulho em ser Português. Há que aplaudir as iniciativas desta excelente qualidade e a inteligência da autarquia em conseguir chamar população para lugares algo distantes da Capital.



Óbidos, tem um calendário de eventos invejável. O Castelo não morreu com a história do local. Mantém-se vivo através destes eventos temáticos muito apelativos e de grande afluência de público (por vezes até demais).

Desde 8 DEZ que Óbidos celebra a época natalícia com a implementação da VILA NATAL no interior das muralhas. http://www.obidosvilanatal.pt/

De 7 SET a 7 OUT, celebrou, o 2º aniversário do FESTIVAL DE TEATRO, MÚSICA E DANÇA.

Na primeira quinzena de AGO, ecoavam as vozes dos cantores líricos na 4ª Edição do FESTIVAL DE ÓPERA.


De 12 a 22 JUL, reviveu-se o passado, através do VI – MERCADO MEDIEVAL DE ÓBIDOS. Esta festa conta com espectáculos de rua, característicos daquela época como danças, música e representações. Quanto à comida , são churrascadas medievais e os pedaços de carne são servidos em pequenas tábuas (temos de comer com as mãos). Não há guardanapos, só papel pardo para limpar a boca.
http://mercadomedieval.wordpress.com/

E em NOV 2007 deveria ter acontecido o Festival mais esperado de todos, mas em virtude de terem aumentado os festivais em Óbidos, reorganizou-se o calendário de eventos, alterando o VI – FESTIVAL INTERNACIONAL DO CHOCOLATE para dia 14 FEV 2008 (até 24 FEV), por forma a cobrir o dia dos namorados que provavelmente vai servir de temática (digo eu!).

Óbidos fica a 1 hora de Lisboa. Resolvi visitar a Vila Natal no dia 31 DEZ à tarde. Correu muito bem. Não apanhei trânsito nenhum na auto-estrada (A8) e lá, no Castelo, foi relativamente fácil estacionar, uma vez que existem vários parques de estacionamento gratuitos. A visita decorreu nas calmas apesar de haver algum movimento de pessoas. Nada de incomodo. O ingresso é de 5 euros para adultos e 3 euros para crianças até aos 11 anos.

08 dezembro 2007

12:08 A ESTE DE BUCARESTE

A Roménia foi quase o último dos regimes comunistas do leste europeu a cair. Os eventos de Dez de 89 continuam em discussão e geram ainda hoje controvérsias:

Houve ou não houve revolução? Quando e onde, é que a FSN – Frente de Salvação Nacional (composta inteiramente de figuras do regime anterior) começou a organizar-se e em que grau?

A 21/Dez/89,

a reunião no Edifício CC em Bucareste transforma-se em caos e termina em tumulto.

Ceausescu esconde-se no Edifício CC após perder o controle sobre os seus próprios "apoiantes".

Na manhã do dia seguinte é anunciado que o general do exército Vasile Milea suicidou-se.

As pessoas começam a cercar o Edifício CC, enquanto que a Securitate (a polícia política secreta) nada faz para ajudar Ceausescu que foge num helicóptero pelo telhado do Edifício CC, apenas para se ver abandonado em Targoviste, onde foi finalmente julgado e fuzilado por um tribunal ilegal e irregular a 25 de Dez.

Às “12:08 A este de Bucareste” numa cidade, perto da Capital da Roménia, a multidão também invade a praça para gritar LIBERDADE, Abaixo Ceausescu. Mas a questão permanece, houve comemoração pela queda do regime ou houve revolução para fazer cair o regime?

Esta primeira longa-metragem de Corneliu Porumboiu, fez-me lembrar os filmes de KUSTURICA. Nem faltou a banda filarmónica nem nada :-). Um humor muito especial, muitas vezes conseguido apenas através das expressões silenciosas dos actores. Personagens muito cómicas que levam uma plateia às lágrimas de tanto rir. É como se uma febre se espalhasse pela sala, os espectadores riem por ouvir rir, riem porque o ridículo das imagens é ininterrupto.

A primeira parte do filme mostra-nos a vida de 3 homens no seio das suas famílias, momentos antes de irem a um programa de televisão local falarem sobre a Revolução de 1989 que comemora naquele ano o seu 16º aniversário após a queda do comunismo.

A segunda parte do filme é basicamente a entrevista numa estação de televisão local. E é aqui que surge a pergunta: Onde esteve você a 22 de Dezembro de 1989? (é claro que lembrei-me logo da frase célebre: Mas afinal…onde estavas tu no 25 de Abril?).

E assim se desenrola o debate sobre o tema, entre chamadas telefónicas de telespectadores do mais absurdo possível, para provarem se houve ou não revolução naquela pequena cidade a este de Bucareste. O pormenor das horas (12:08) é precioso.
Os convidados são pouco credíveis. Os “heróis” de ontem que são os bêbados de hoje. O entrevistador, muito menos. Um “jornalista” que era industrial de têxtil na altura do comunismo e que actualmente acorda todos os dias encharcado em álcool e leva uma vida dupla entre a mulher e a amante. Etc etc… (dá para imaginar, não dá?).

Que mais posso dizer… Recomendo. É 5 estrelas. Estou fã de cinema Romeno.

06 novembro 2007

European Film Festival Estoril


Vai nascer no dia 8 de Novembro de 2007 um novo festival de cinema europeu. Paulo Branco da Madragoa Filmes é quem dirige este festival que tem como espaço geográfico primordial a Europa, embora seja também uma janela para o que se faz de melhor da 7ª arte em todo o mundo.

O Festival exibirá 14 filmes em competição:
…A Bude Hur
Petr Nikolaev
República Checa , 2007, 86’

Garage
Leonard Abrahamson
Irlanda, 2007, 85’

Gegenüber
Jan Bonny
Alemanha, 2007, 100’

Madonnen Maria Speth
Alemanha, Suíça, Bélgica, 2007, 125’

Gruz 200 Aleksei Balabanov

Russia, 2007, 89’

La Linea Recta José María de Orbe
Espanha, 2006, 95’



Nu Te Supara, Dar…
Adina-Elena Pintilie
Roménia, 2007, 50’


Miehen Työ Aleksi Salmenperä
Finlândia, 2007, 100’


Yumurta Semih Kaplanoğlu
Turquia, Grecia, 2007, 97’



Sügisball
Veiko Õunpuu
Estónia, 2007, 123’




Tussenstand
Mijke de Jong
Holanda, 2007, 80’



Tueur Cédric Anger (Antestreia Mundial)
França, 2007, 90’
Actrices Valeria Bruni Tedeschi
França, 2007, 107’
L'Été Indien Alain Raoust (Antestreia Mundial)
França, 2007, 100’


Assim como exibirá 15 filmes Fora de Competição, entre os quais "4 meses, 3 semanas e 2 dias" um filme Romeno que ganhou a Palma de Ouro 2007 no Festival de Cannes em Maio deste ano. O director desta longa-metragem, revelou, durante a premiação que até há poucas semanas atrás não tinha dinheiro para lançar o filme e que este prémio serve de incentivo a todos os pequenos cineastas do mundo, porque veio mostrar que não é preciso ter muito dinheiro para fazer um bom filme.

Destaca-se ainda o filme Paranoid Park do norte americano Gus Van Sant que ganhou o Prémio Especial do 60º aniversário do Festival de Cannes 2007, nesta rúbrica Fora de Competição.
Mas o festival não fica por aqui !! Teremos ainda uma Homenagem a Almodover com a mostra de 16 filmes do cineasta, 5 dos quais em que ele entra como actor:

2006 - Volver (Volver, Esp.)
2004 - A Má Educação (La Mala Educación, Esp.)
2002 - Fale com Ela (Hable con Ella, Esp., Fra.)
1999 - Tudo Sobre Minha Mãe (Todo sobre mi madre, Esp., Fra.)
1997 - Carne Trêmula (Carne trémula, Esp., Fra.)
1995 - A Flor do Meu Segredo (La flor de mi secreto, Esp., Fra.)
1993 - Kika (Kika, Esp., Fra.)
1991 - De Salto Alto (Tacones lejanos, Esp., Fra.)
1990 - Ata-me! (¡Átame!, Esp.)
1988 - Mulheres à Beira de um Ataque de Nervos (Mujeres al borde de un ataque de nervios, Esp.)
1987 - A Lei do Desejo (La Ley del deseo, Esp.)
1986 - Matador (Matador, Esp.)
1984 - ¿Qué he hecho yo para merecer esto?
1983 - Maus Hábitos (Entre tinieblas, Esp.)
1982 - Labirinto de Paixões (Laberinto de pasiones, Esp.)
1980 - Pepi, Luci, Bom y otras chicas del montón

Por fim, teremos, igualmente, uma retrospectiva da obra completa de David Lynch, vencedor do Leão de Ouro de Carreira no Festival de Veneza 2006. + Informações http://www.europeanfilmfestivalestoril.com/

O Festival termina a 17 de Novembro. Os filmes serão exibidos no Casino do Estoril e no CascaisVilla. Há uma diferença no preço dos bilhetes. No Casino do Estoril um bilhete custará 6 euros, no CascaisVilla, apenas 4 euros. Os concertos serão gratuitos, limitados ao número de lugares disponiveis.

04 novembro 2007

SICKO - Sistema Nacional de Saúde vs Sistema Privado de Saúde



Conhece este senhor de nome Michael Moore? Se não conhece, devia conhecer. Não pelo seu carácter anti-americano ou pelo sensacionalismo com que realiza os seus filmes, mas por dizer com toda a frontalidade o que pensa. Possuidor de um humor bastante ácido consegue fazer-nos reflectir sobre assuntos pertinentes.

Se é uma daquelas pessoas que os acontecimentos dos EUA não lhe interessam, então adapte apenas, a Portugal, estas questões de assistência médica levantadas por Michael Moore no seu último filme: SICKO.

Estreou no passado dia 1 de Novembro. Foi um dos filmes exibidos no doclisboa 2007 porém, agora, é possivel ter nova oportunidade de vê-lo no Nimas e nas Amoreiras em plena Lisboa. É o 3º filme mais lucrativo da história dos documentários, depois de Fahrenheit 9/11, e de A Marcha dos Pinguins.

SICKO expõe o Sistema de Saúde Norte-Americano e mostra-nos os problemas resultantes de não existir um Sistema Nacional de Saúde. Ser Americano impõe ter um seguro de saúde ou pagar do seu bolso as despesas decorrentes de cuidados preventivos, curativos e paliativos.

Aliás, se costuma viajar para os EUA, não esqueça, por favor, de contractar um seguro de cobertura internacional antes de ir. Uma vez que o azar pode bater-lhe à porta e as suas férias ou viagens de negócios podem sair-lhe tão dispendiosas que terá, provavelmente, de pedir um empréstimo avultado para liquidar as despesas de saúde em solo norte-americano.
Isto fez-me pensar:
Há muita gente que ainda não entendeu a mecânica do sistema de taxas e impostos, assim como não percebeu como estes servem para manter os padrões de fornecimento dos serviços e das utilidades públicas grátis.


O Sistema Nacional de Saúde "alimenta-se" dos impostos cobrados aos contribuintes, as contribuições para a Segurança Social (e não só).

Quando a sociedade portuguesa se queixa de um mau serviço público de saúde onde se espera meses por uma consulta de especialidade e anos por uma operação, eu até concordo.

Agora... quando apontam o dedo para França que ocupa o 1º lugar no Ranking de Sistemas de Saúde a nivel mundial, há que olhar, igualmente, para as suas taxas de impostos, por forma a ser uma comparação justa.

Pelo que o filme relata, além de outros textos relacionados, França é um paraíso médico. E já agora, desculpem a pergunta: Qual é a taxa de segurança social que os franceses págam?

TABELA COMPARATIVA DE TAXAS SEG. SOCIAL:
  • PORTUGAL - Empregado 11%, Entidade Patronal 23,75%
  • FRANÇA - Empregado de 14% a 20%, Entidade Pat de 35% a 45%
  • EUA - Empregado 7,65%, Entidade Patronal 15,30%

Espero que tenha feito click nessas cabeças todas que vieram ler o artigo.

E que tal um referendo?

Os Portugueses querem passar a descontar 14% a 20% para a Segurança Social, em vez dos actuais 11%?
As Empresas Portuguesas estão dispostas a pagar de encargos patronais, não 23,75% mas sim 35% a 45% para a Seg Social, por cada um dos seus empregados?

E perdoem-me por não falar dos trabalhadores independentes e dos seus descontos.

Em Portugal o que muitas empresas optam por fazer é darem Seguros de Saúde aos seus funcionários para além do obrigatório Seguro de Acidentes de Trabalho. Portanto descontar para o serviço nacional de saúde é obrigatório mas cada um pode ter ainda um seguro de saúde.

Também podiamos perguntar de outro modo:

Os Portugueses preferem baixar os seus descontos de seg. social para 7,65% e deixar de ter Sistema Nacional de Saúde?

As Empresas preferem baixar os seus encargos patronais para 15,30% e darem aos seus empregados um seguro de saúde?

Aqui entra a Solidariedade Social:

Então e os que estão desempregados, os que não podem trabalhar, as crianças, os velhos, os sem-abrigo, os doentes??????? Esses não tem dinheiro para um seguro de saúde!!!! Se deixar de existir um Serviço de Saúde Pública, então estes individuos mais desfavorecidos podem morrer sem tratamento (Isto é o que acontece na América!!).

E logo de seguida surge a problemática dos seguros de saúde:

O seguro não cobre uma lista infindável de doenças. Especialmente doenças congénitas. As Seguradoras visam o lucro (como é óbvio).

O Estado não visa o lucro, visa o equilibrio social, a diminuição da mortalidade e o aumento da esperança de vida em condições dignas.


Um tema bem próximo deste são as reformas. As quais dependem igualmente desta taxa de seg. social. Talvez um dia eu fale disto...

30 outubro 2007

Graffiti - Cultura Urbana

Domingo, dia 28, último dia do doclisboa, assisti a um óptimo documentário (BOMB IT) sobre os Graffitis em várias partes do mundo.

O Graffiti nasceu nos EUA na década de 70 e apresentou-se como uma forma de chamar à atenção. Os writters assinavam constantemente o seu nome ou um nick nas paredes da cidade para serem conhecidos e respeitados. O graffiti está intimamente ligado aos bandos urbanos e a prática de pintar paredes é igualada a uma guerra de bombas de tinta.

Mais tarde, o Graffiti adquire outras qualidades. É uma reacção ao poder politico, é uma reacção às desigualdades, às discriminações raciais, a vários outros problemas sociais. Idêntico ao movimento Hip Hop e ao Rap.

Pinta-se em todo lado, e quanto mais radicais os locais melhor, quanto mais ilegal melhor. Os writters saem à noite, escalam edificios, invadem estações de comboio e de metro, deixam a sua marca de acordo com o seu estado de espirito momentâneo. As cores utilizadas transmitem muita da sua raiva, da sua depressão, do seu desespero ou então são explosões de vida e de alegria.
Surgem formas de combater esta "arte" urbana:
Em certos países opta-se por multar este vandalismo, colocar câmaras de video, formar equipas de detectives para descobrirem, através das tags (assinaturas), quem é o writter.


Noutros países, recuperam-se alguns desses "artistas" de rua que formam as equipas de limpeza noturna. Também saem à rua durante a noite, mas para limpar. Em troca, concedem-lhes espaços públicos próprios para pintar.
Na Austrália, por exemplo, já há quem pague a estes "artistas" para pintarem o muro da sua garagem. E na Holanda já há galerias de arte que vendem telas caríssimas de graffitis !

Muitos Graffiters não concordam com esta descaracterização do Graffiti. Dizem: - Assim, já não faz sentido. Onde fica o caracter radical? Se o Graffiti perder a prespectiva ilegal perde identidade.

Graffiti, Arte ou Vandalismo? Eis a questão.

28 outubro 2007

O ESCAFANDRO E A BORBOLETA

Quem não conseguiu assistir ao filme ESCAFANDRO E A BORBOLETA durante a 8ª Festa do Cinema Francês, pode agora, a um preço superior (5,40 €), disfrutar deste maravilhoso filme nas salas de cinema nacionais.

Estreou na passada 5ª feira, dia 25, este Drama baseado na história real de Jean-Dominique Bauby.

Jean-Dominique Bauby era um jornalista Francês, autor e editor da revista ELLE que 2 anos antes da sua morte sofreu um acidente cardio-vascular que o deixou quase totalmente paralizado embora perfeitamente consciente do seu estado.


O livro que deu origem a este filme, foi "escrito" pelo próprio com a ajuda de um interlocutor que recepcionava letra a letra as palavras que formaram os textos. Bauby apenas conseguia mexer o olho esquerdo e com ele, piscava uma ou duas vezes para exprimir o SIM ou o NÃO. Dois dias após a publicação do livro, em Março de 1997, Bauby morreu, aos 45 anos, com uma paragem cardiaca.

Transcrevo aqui umas passagens do livro que ilustram bem o porquê da escolha deste título:


"Doem-me os calcanhares, sinto a cabeça apertada num torno, e todo o meu corpo está encerrado numa espécie de escafandro. (...) Não preciso de reflectir durante longo tempo para saber onde me encontro e recordar-me de que a minha vida sofreu uma reviravolta naquela sexta-feira, dia 8 de Dezembro do ano passado. (...) Naquele dia descobri abruptamente essa peça fundamental do nosso computador de bordo, passagem obrigatória entre o cérebro e os terminais nervosos, quando um acidente cardio-vascular me deixou o dito tronco fora do circuito. (...) mergulha-se naquilo que a medicina anglo-saxónica baptizou muito justamente com o nome de locked-in-syndrome: paralisado da cabeça aos pés, o paciente fica encerrado dentro de si próprio, com o espírito intacto e os batimentos da pálpebra esquerda como único meio de comunicação.


(...) Para lutar contra o anquilosamente, desencadeio um movimento reflexo de alongamento que faz mover os braços e as pernas alguns milímetros. Tanto basta, por vezes, para aliviar um membro dorido.
O escafandro torna-se menos opressivo e o espírito pode vagabundear, como uma borboleta. Há tanta coisa a fazer. É possível elevar-me no espaço ou no tempo, partir a voar para a Terra do Fogo ou para a corte do rei Midas. É possível ir visitar a mulher amada, deslizar junto dela e acariciar o seu rosto, ainda adormecido. É possível construir castelos no ar, conquistar o Tosão de Ouro, descobrir a Atlântida, realizar os sonhos de criança e os sonhos de adulto.



(...) Basta de dispersão. É sobretudo necessário que eu componha o início deste diário de viagem imóvel, para estar pronto quando o enviado do meu editor vier recolher este ditado feito letra a letra. Na minha cabeça, mastigo dez vezes cada frase, corto uma palavra, acrescento um adjectivo, e decoro o meu texto, parágrafo a parágrafo."


Caso prefira há sempre a hipotese de comprá-lo noutra língua, os títulos traduzidos são:
  • Le Scaphandre et le Papillon (em Francês)
  • The Diving Bell and the Butterfly (em Inglês)

Critica Internacional:


"O realizador Julian Schnabel e o argumentista Ronald Harwood conseguiram um pequeno milagre com esta adaptação ao grande ecrã da autobiografia de Jean-Dominique Bauby.” – Hollywood Reporter


“Fascinante e ambicioso pela forma como recria a experiência da paralisia no grande ecrã (…)” – Variety


"O realizador capta a metamorfose e a tentação espiritual de Jean-Dominique Bauby que recorda a sua vida assaltado por recordações de uma felicidade perdida, arrependimento e remorsos, e que escrevia: Estaria eu cego e surdo, ou será necessariamente precisa a luz da desgraça para mostrar um homem à sua verdadeira luz?" - La Croix



O Escafandro e a Borboleta foi apresentado no Festival de Cannes de 2007, tendo sido reconhecido com o prémio para Melhor Realizador.

22 outubro 2007

doclisboa 2007


Ainda me arrisco a uma OVERDOSE de cinema!!

Começou no dia 18 o DocLisboa, os bilhetes estão à venda nas bilheteiras da Culturgest, Cinema Londres e Cinema São Jorge. No Cinema Londres e no Cinema S.Jorge o preço dos bilhetes será de 2,5 euros. Na Culturgest dependendo se o filme é exibido no Pequeno ou no Grande Auditório, custará 2 euros e 2,5 euros, respectivamente.

A vasta programação está disponivel em http://www.doclisboa.org/pt_programa.htm.

O cinema documental pode mudar a nossa vida e a nossa visão das coisas. O doclisboa propõe-nos uma maratona de documentários que nos permite dar a volta ao mundo em apenas 11 dias.

Para além dos filmes exibidos, o público poderá visionar um conjunto de filmes (cerca de mil títulos, entre longas e curtas metragens) enviados para a selecção do festival. A videoteca SONY é um espaço de acesso público das 11h às 21h, na Culturgest (em frente ao grande auditório).

Existe ainda um espaço (o Fórum), junto ao grande auditório, para encontros e debates com os realizadores e outros profissionais do cinema documental (produtores, distribuidores, programadores, críticos,...).

Aproveito também, para recomendar a compra da revista docs.pt, uma revista semestral bilingue (português e inglês), de âmbito internacional, distribuida em todo o mundo. Mais informações em http://www.apordoc.org/

19 outubro 2007

SELECÇÃO Músical da 8ª Festa

Pas sur la bouche est un film français, musical et chantant d'Alain Resnais, adapté d'une opérette d'André Barde et Maurice. Sorti en France le 3 décembre 2003. Durée 115 min.

Lors d'un séjour aux États-Unis, Gilberte a été mariée en premières noces à un Américain, Eric Thomson. Son mariage a été un échec. Mais cette union n'ayant pas été légalisée par le consul de France, elle n'est, de fait, pas reconnue en France. Revenue à Paris, Gilberte a épousé Georges Valandray, riche métallurgiste. Celui-ci, qui croit à la félicité conjugale dès lors que l'on est le premier amant de sa femme, est soigneusement tenu dans l'ignorance de l'union avec Eric Thomson. Seule la sœur de Gilberte, Arlette Poumaillac, toujours célibataire, connaît le secret. Mais, par pure coïncidence, Georges Valandray entre en relations d'affaires avec cet Eric Thomson et se prend d'amitié pour lui.

Pas sur la bouche constitue le troisième film de Resnais dans le genre de la comédie musicale, après La vie est un roman et On connaît la chanson. C'est aussi un hommage au théâtre comme Mélo, avec des jeux de scène où les acteurs prennent à témoin le spectateur (en l'occurrence la caméra) et des mouvements de rideaux apparents.
Le caractère désuet et charmant de l'intrigue est harmonieusement compensé par la modernité de certaines tirades, comme celle sur la suffisance des Américains ou l'intemporalité des situations et leur traitement, qui évoquent à la fois Musset, Marivaux ou les comédies musicales.

Alain Resnais a tenu à ce que ses acteurs chantent les chansons du film et ne soient pas doublés.
Il déclare : « Mon grand plaisir au théâtre musical, que ce soit à Broadway, Londres ou Paris, c'est d'avoir en face de moi des acteurs qui chantent, et non des chanteurs qui jouent. Ce qui m'intéressait, c'était de voir si on pouvait prendre des acteurs français et n'en doubler aucun. Lambert Wilson est chanteur professionnel, les autres non. Ils se sont prêtés au jeu avec gourmandise. Je m'étais dit d'emblée : tant pis si ça n'est pas impeccable du point de vue du chant, du moment que les voix sont vraies. »

L'opérette fut créée le 17 février 1925. Elle fut adaptée une première fois au cinéma en 1931.

06 outubro 2007

2ª MOSTRA DE CINEMA BRASILEIRO

Quem anda na rua... tropeça nos acontecimentos...
Ontem, ao chegar ao S.Jorge para assistir ao MAUVAISE FOI fiquei a saber que no dia 19 de Outubro (até dia 21 do mesmo mês) temos mais uma festa no Cinema S.Jorge. Desta vez a festa é de cinema brasileiro.

A 8ª Festa do Cinema Francês é organizada pelo Instituto Franco-Português. A 2ª Mostra de Cinema Brasileiro é organizada pela Fundação Luso-Brasileira com o objectivo de apresentar o cinema brasileiro contemporâneo ao público português e à comunidade brasileira residente em Portugal. Vão ser exibidos 11 filmes. A iniciativa conta ainda com 2 mesas redondas, nas quais participam personalidades conhecidas do cinema brasileiro e português.
Programa:
Dia 19 (dedicado ao trabalho de Jorge Furtado)
  • 16h30 – “Houve uma vez dois Verões”

  • 18h00 – “Meu tio matou um cara”

  • 19h30 – “Homem que copiava”

  • 21h00 – Mesa redonda com Jorge Furtado, Ilda Santiago e Breno Silveira

  • 22h00 – “Saneamento Básico”

Dia 20 (dedicado ao trabalho de Daniel Filho e Glória Pires)

  • 18h00 – “ A Partilha”
  • 19h30 – “Se eu fosse você”

  • 21h00 – Mesa redonda com Daniel Filho e Glória Pires

  • 22h00 – “O Primo Basílio”

Dia 21

  • 16h00 – “Proibido proibir”, de Jorge Dúran

  • 18h00 – “ O Céu de Suely”, de Karim Aïnouz

  • 19h30 – “Dois Filhos de Francisco”, de Breno Silveira

  • 22h00 – “O ano em que meus pais partiram de férias”, de Cao Hamburguer

O preço dos bilhetes mantém-se. Serão os mesmos 3,50 euros com desconto para menores de 25 e maiores de 65.



SELECÇÃO Drama da 8ª Festa

Exibição Sáb, 6 de Out, pelas 22.00, Cinema S. Jorge.

NUE PROPRIÉTÉ é uma co-produção Bélgica-Luxemburgo-França. O Realizador é o belga Joachim Lafosse, de 37 anos e este é o seu 4º filme que entrou na competição em Veneza, na 63ª Mostra em 2006 (embora não tenha ganho nenhum prémio). Estreou em França em FEV/2007.

"Divorciada e com dois filhos, Pascale encontra um novo companheiro e tem a chance de seguir com a própria vida. Moradora de uma antiga fazenda, ela pretende deixar tudo para traz para abrir uma pousada. Só que a notícia de que pretende vender a propriedade causa ira em Francois e Thierry (os dois filhos gêmeos - jovens adultos incapazes de tomar conta de si próprios) e uma briga violenta acontece pois os filhos não querem assumir uma vida de adultos. Sufocada, ela decide fugir de casa, facto que provoca um verdadeiro caos na restante da família."


O nome do filme sugere algo mais, mas isto sou eu a especular... Traduzindo o titulo do fime dá a sensação que a tal fazenda que Pascale quer vender é uma propriedade muito particular. Nue propriété é um terreno ou imovel que pertence a alguém mas do qual o usufruto pretence a outra pessoa. É o direito de propriedade versus o direito de usufruto.

A actriz principal é Isabelle Huppert, uma actriz consagrada. Recebeu o prémio de melhor actriz no Festival de Cannes em 2001 com o filme A Pianista.

A Pianista é um filme forte de uma intensidade emocional brutal. Quem não viu devia de ver. É a história de uma pianista de 40 anos, solteira e virgem, que vive com uma mãe tirana e opressora que lhe restringe a liberdade e a incapacita de ter a autonomia de uma adulta.

Não tenho qualquer informação sobre a distribuição de Nue Propriété em Portugal. Pode ser que a Atalanta Filmes tenha adquirido os direitos uma vez que a Lusomundo não vem referida. Se não estrear no grande ecran, estrea de certeza no video club (fique atento).