06 outubro 2007

SELECÇÃO Drama da 8ª Festa

Exibição Sáb, 6 de Out, pelas 22.00, Cinema S. Jorge.

NUE PROPRIÉTÉ é uma co-produção Bélgica-Luxemburgo-França. O Realizador é o belga Joachim Lafosse, de 37 anos e este é o seu 4º filme que entrou na competição em Veneza, na 63ª Mostra em 2006 (embora não tenha ganho nenhum prémio). Estreou em França em FEV/2007.

"Divorciada e com dois filhos, Pascale encontra um novo companheiro e tem a chance de seguir com a própria vida. Moradora de uma antiga fazenda, ela pretende deixar tudo para traz para abrir uma pousada. Só que a notícia de que pretende vender a propriedade causa ira em Francois e Thierry (os dois filhos gêmeos - jovens adultos incapazes de tomar conta de si próprios) e uma briga violenta acontece pois os filhos não querem assumir uma vida de adultos. Sufocada, ela decide fugir de casa, facto que provoca um verdadeiro caos na restante da família."


O nome do filme sugere algo mais, mas isto sou eu a especular... Traduzindo o titulo do fime dá a sensação que a tal fazenda que Pascale quer vender é uma propriedade muito particular. Nue propriété é um terreno ou imovel que pertence a alguém mas do qual o usufruto pretence a outra pessoa. É o direito de propriedade versus o direito de usufruto.

A actriz principal é Isabelle Huppert, uma actriz consagrada. Recebeu o prémio de melhor actriz no Festival de Cannes em 2001 com o filme A Pianista.

A Pianista é um filme forte de uma intensidade emocional brutal. Quem não viu devia de ver. É a história de uma pianista de 40 anos, solteira e virgem, que vive com uma mãe tirana e opressora que lhe restringe a liberdade e a incapacita de ter a autonomia de uma adulta.

Não tenho qualquer informação sobre a distribuição de Nue Propriété em Portugal. Pode ser que a Atalanta Filmes tenha adquirido os direitos uma vez que a Lusomundo não vem referida. Se não estrear no grande ecran, estrea de certeza no video club (fique atento).

1 comentário:

  1. Vou deixar aqui a minha humilde opinião em relação a este filme:

    Inicialmente achei o filme um pouco cansativo devido à lentidão em que tudo acontece e à repetição dos mesmos momentos embora com acontecimentos diferentes, como é o caso das refeições em familia.

    Também me pareceu um filme inacabado sem um termo de conclusão... Mas... aos poucos fui digerindo e interpretando de maneira diferente este filme de história simples mas com entrelinhas complexas.

    Retrata de facto a deterioração das relações entre pais e filhos, e entre irmãos. Até que ponto a proximidade entre as pessoas pode dar origem a faltas de respeito?

    ResponderEliminar