24 julho 2007

OS PORQUÊS DE SER VEGETARIANO

Há quem diga que não passa de uma moda .
Os motivos que outros afirmam, prendem-se com os direitos dos animais. E com muita razão! Pois o ser humano comete crimes muito graves. Trata os animais sem respeito. Levando-os muitas vezes à extinção.
Muitos são os que, tal e qual como eu, temem a cultura intensiva das espécies, por uma questão de saúde e por uma questão ecológica. Quer os animais, quer as plantas são estimuladas com químicos para crescerem mais rápido, são tratadas com antibióticos para que nenhuma praga/vírus os/as ataque.
É curioso como a maioria das pessoas interpreta a alimentação vegetariana como fraca ou pobre. Segundo tantos, comer carne e peixe é que é um bom regime alimentar. Mas depois, quando analisamos o que comem, reparamos que variam pouco, comem essencialmente um bife com batatas fritas e arroz, ou um peixe com legumes cozidos que se resume à batata, cenoura e cebola, e pouco mais. Ocasionalmente, lá fazem uma saladinha de alface com tomate, e é isto, dia após dia. Entopem o fígado de proteína em excesso que o organismo não consegue absorver por ser em demasia. Ficam enfartados, demoram horas a fazer a digestão e dificultam a actividade dos intestinos que não trabalham com regularidade por lhe faltar a fibra e a água. Esquecem a importância dos produtos integrais e bebem refrigerantes com fartura. Este é o quadro tipico do costume alimentar do nosso país. Embora haja excepções à regra. No caso dos Vegetarianos há uma preocupação superior em saber o que se come, em evitar o desperdício de resíduos orgânicos (como é o caso da casca), em combinar os alimentos, em variar a alimentação incluindo algas, outros cereais para além do Trigo, soja e derivados, etc. Preocupam-se com o ambiente, com o impacto dos seus actos no futuro, com a extinção dos recursos das gerações vindouras. Optam por produtos biológicos, por soluções ecológicas, sustentáveis. É uma alimentação mais consciente. Um estilo de vida em comunhão com a natureza.
Desafio todos a usarem de criatividade na cozinha. Mesmo não sendo vegetarianos, usem alguns dos produtos característicos deste tipo de alimentação. Em vez de comerem carne ou peixe todos os dias, alternem com soja ou seitan. Substituam o arroz por quinoa, ou comprem massas de outras farinhas, como esparguete de soja, ou espiral de milho... Aposto que vão achar as refeições vegetarianas muito leves, vão-se sentir mais alerta, menos sonolentos, menos irritados, mais tranquilos, bem dispostos. E estes estímulos novos nos hábitos diários vão dar mais prazer na altura de desempenhar tarefas como a elaboração das refeições. Fazer da cozinha um laboratório de experiências é entusiasmante.