10 janeiro 2008

MADONAS - Estreia 10 JAN 2008


ESTEVE PRESENTE:

EUROPEAN FILM FESTIVAL ESTORIL (em Competição) - Nov 07

57º BERLINALE - BERLIN INTERN. FILM FEST (categoria FÓRUM) - Fev 07

Título original: MADONNEN
Género: DRAMA
Origem: ALEMANHA/SUIÇA/BÉLGICA
Ano: 2007

COMENTÁRIOS DA REALIZADORA - MARIA SPETH:

"Toda a gente parece saber o que uma mãe deve fazer. E se ela não desempenha o papel que a sociedade espera, sofrerá, em consequência disso, pesadas sanções morais.

Ao contrário dos pais nas mesmas circunstâncias. Mas a realidade social está repleta de mães que não desempenham o seu papel da forma como a sociedade espera.

Este foi o meu ponto de partida. Mas o meu objectivo era descrever uma pessoa específica e singular e não um protótipo social.

Este é o retrato de uma mulher que afirma que a sua mãe nunca foi uma mãe para ela. E por sua vez, ela tem vários filhos mas impinge-os à sua mãe, forçando-a a desempenhar o papel que negou à filha.

Queria que a história de Rita reflectisse os problemas das gerações passadas e futuras. E perguntar se a filha mais velha de Rita poderia dizer um dia: «Ela nunca foi uma mãe para mim»."










SINOPSE:

Rita foge para a Bélgica com o seu bébé por ser procurada por roubo e outros crimes na Alemanha. Sente-se perdida e procura referências. Parte à procura do seu pai biológico que nunca conheceu. Este já tem mulher e filhos e o aparecimento de Rita dá origem a problemas na familia. É presa pela policia Belga e deportada para a Alemanha onde cumpre uma longa pena.

Entretanto os outros quatro filhos vivem com Isabela, a sua mãe. Esta gere um restaurante e tem pouco tempo para as crianças. Assim como teve pouco tempo para criar Rita e ser uma mãe, no pleno sentido da palavra, para ela. Fanny a filha mais velha de Rita tem de tomar conta dos irmãos.
Quando Rita sai da prisão retoma a guarda dos seus filhos. No seu universo rocambolesco, Rita encontra companhia e animação junto dos militares americanos estacionados na Alemanha e acaba por se apaixonar por um deles.

Com a ajuda de Marc - um soldado americano - desenvolve-se uma vida familiar quase normal. Mas Rita não confia nos sentimentos de Marc e retoma ao seu estilo de vida anterior quando este anuncia que vai ser recolocado nos EUA. Encontra-se com outros homens e recomeça a roubar com uma amiga. Desiquilibra-se por completo.
COMENTÁRIO DA DISTRIBUIDORA - ATALANTA:

"Madonnen é uma primeira longa metragem de uma jovem realizadora que conta com os desempenhos magníficos de actores experientes e confirmados (Olivier Gourmet, Susanne Lothar) e de uma jovem grande promessa do cinema europeu (Sandra Huller), quem sabe até a mais jovenzita (Luisa Sappelt) virá a ser também uma surpresa nas telas após este início de carreira. Conta também com a fotografia de tons naturais, contrastada e seguramente certa de Reinhold Vorschneider. Tudo é harmonioso e incisivo neste filme, das cores aos desempenhos, no nosso ponto de vista. "

1 comentário:

  1. Esta é uma história comovente. Um drama doloroso sobre vidas errantes. Sobre pessoas que nunca encontram o seu lugar no mundo, ou que nunca se encontram a si próprias.

    Considero o desfecho final da história sensacional. Tantas mensagens escondidas no silêncio das imagens.

    Maria Speth, realizadora e argumentista, conseguiu mostrar-nos que todos nós precisamos de referências, de carinho, de saber que nos amam e que podemos contar com essas pessoas. O mundo que nos rodeia pode modificar-nos, desprover-nos de sentimentos.

    Embora tenha ficado em aberto o futuro da Fanny, consigo imaginar a pessoa que será. Esta jovem Luisa Sappelt consegue mostrar-nos um rosto onde não nasce um sorriso e nem sequer, cai uma lágrima. É fonte que secou depois de lhe serem roubadas todas as ilusões de criança. Fanny, a personagem, irá provavelmente vir a ser outra Rita, insensivel, desiquilibrada e muitas vezes irracional nas suas atitudes.

    ResponderEliminar