14 agosto 2008

A TRILOGIA DA VINGANÇA de Park Chan-Wook

A vingança é como um veneno que é depositado em nós por quem nos prejudica de forma bastante lesiva. Funciona como uma intoxicação, minando todo o nosso pensamento, instigando a comportamentos irracionais.

Embora muitos aspectos da vingança possam lembrar o conceito de igualdade, na verdade a vingança, em geral, tem um objetivo mais destrutivo do que construtivo. Quem busca vingança deseja forçar o outro lado a passar pelo que passou e/ou garantir que esse outro não seja capaz de repetir.

É um dos sentimentos humanos mais fortes. Geralmente a pessoa lesada só descansa quando consegue deitar para fora todo o veneno através da retribuição exacta ou exagerada, à pessoa que o lesou, ou a familiares próximos que constituam alvos de dor consideravelmente mais intensos.

"Os homens apressam-se mais a retribuir um dano do que um benefício, porque a gratidão é um peso e a vingança, um prazer". -
Tácito

"A vingança agrada a todos os corações ofendidos; [...] uns preferem-na cruel, outros generosa". -
Pierre Marivaux

Park Chan-Wook é um Realizador e Escritor de filmes, Sul Coreano. Dissertou sobre Vingança através duma Trilogia de filmes apresentada nos anos 2002, 2003 e 2005. Estes filmes embora sejam extremamente violentos (bem ao estilo asiático) são preciosas obras de arte, quer pela sua imagem, pelas tramas complexas, cheias de reviravoltas, muito surpreendentes, e pelas bandas sonoras.

2002 - Sympathy for Mr.Vengeance (Simpatia pelo Sr.Vingança)


Dificil de encontrar em algum clube de video, é para mim o mais fraco da trilogia. Portanto, não aconselho a começar por aqui. Se não gostar dos outros dois, então desista de o procurar no mercado de DVD português.

No entanto, tem algumas cenas inesquecíveis. A cena que achei mais criativa é aquela em que o rapaz surdo-mudo está a conversar com a namorada, lado a lado na cama, ambos virados para um espelho. A camara de filmar está atrás do espelho e consegue apanhar ambos personagens a comunicar por gestos numa amena "cavaqueira".

Este filme traz a lume o dramático problema da venda de orgãos na Ásia e das desigualdades sociais.

Sinopse:

Ryu, um jovem surdo-mudo, vê a sua irmã mais velha, a cada dia que pássa, mais e mais doente. O hospital não tem um rim para fazer o transplante e é provavel que a irmã de Ryu morra em breve. Desesperado Ryu tenta uma primeira solução que o deixa sem dinheiro e sedento de vingança por quem o roubou. Pelo que opta por uma segunda solução, pouco ética que acaba mal, sem solucionar nada, terminando também ele por ser alvo da vingança de alguém.

2003 - Old Boy (Velho Amigo) - Grande Prémio - Cannes 2004



Este filme violento (carregado de sangue) segue a estranha história de Dae-Su que está preso, incomunicável, há 15 anos, num quarto sem porta nem janela que lhe proporcione saída, sem saber porque motivo e quem é o seu raptor. Quando finalmente é libertado, não lhe é dada nenhuma explicação. Dae-Su inicia então uma busca por respostas e também por vingança. A sua sede de vingança encontrará então como resposta, a vingança de outro, no meio duma teia de conspiração montada à sua volta.

2005 - Sympathy for Lady Vengeance (Vingança Planeada)



Estranhamente e contrária à opinião dos criticos, este é o melhor filme da Trilogia, no meu entender.


Dizem ser um filme para senhoras, uma vez que aqui a personagem principal é uma Lady :-)) Mas não é por isso que a vingança é um prato que se serve menos frio!
Concordo que não temos rios de sangue, nem violência explicita. Mas ela está lá, a violência, mas não é visivel, é imaginada. Eu prefiro assim.


Comecei logo por adorar o genérico de abertura do filme, de uma beleza... As cores do genérico estão carregadas de simbolismo. O branco da igualdade e da paz, raiado de sangue da vingança e da guerra. Aliás, o branco, o vermelho e o preto são uma constante durante todo o filme.

Apreciem lá o genérico:


Sinopse:

Lee Geum-ja é inocente. Foi acusada de assassinato dum pequeno rapaz. Ela não cometeu este crime mas cumpre pena na prisão.

Quando sai, tem já um plano montado para se vingar do verdadeiro assassino que a tramou. Mas para isso precisa da ajuda das suas companheiras de cela que foram libertadas antes dela.

Uma a uma vamos conhecendo as histórias de cada uma das presidiárias e de como estas estão em dívida perante Lee, não podendo recusar ajudá-la.

A vingança é cumprida mas o tempo de espera foi demasiado, Lee foi consumida pelo ódio, a vingança destruiu-a também a ela.

Destaque:

Uma das partes mais marcantes para mim, é quando Lee reune os pais de todas as crianças que o verdadeiro assassino matou e mostra-lhes a forma brutal como os seus filhos morreram. A fome de vingança é nesse momento colectiva e Lee Geum-ja permite-lhes que façam justiça pelas próprias mãos, sem Lee Geum-ja sujar as suas. A sua vingança será através daquelas pessoas lesadas. Brilhante!!


Por tudo isto, é um filme a não perder. Duro e muito forte porém, para mim, é uma obra prima. A banda sonora é de Vivaldi (musica barroca, instrumentos barrocos).

Curiosidade:
Existem 2 versões deste filme. A versão standard e a versão "a desbotar em preto e branco". Ambos começam a cores mas a versão "a desbotar P&B", tal como o nome indica, vai perdendo a côr até terminar completamente em Preto e Branco. De extrema importância para as cenas finais do filme. Mais simbolismo que isto é impossivel. Todo o filme tem predominância de vermelho (dor, ódio, raiva) e perder a côr no final quase que indica alivio, descanso da guerreira, mas também perda de vida e vitalidade, porque todas as cores desapareceram juntamente com o vermelho.

1 comentário:

  1. Estreia na Cineteka de novo filme de Chan-wook Park:

    http://www.cineteka.com/index.php?op=Movie&id=010825

    Pode ainda aceder a todos os filmes de Chan-wook Park e alugar online em:

    http://www.cineteka.com/index.php?op=MovieSearch&realizador=Chan-wook+Park

    Relacionado com as curtas "3...extremos" ver este link para a longa metragem que surgiu da curta "Preciosa Iguaria":

    http://publicarparapartilhar.blogspot.com/2008/03/as-coisas-que-tu-sabes-e-eu-respondo-as.html

    ResponderEliminar