06 outubro 2008

Machine Men, with Machine Minds and Machine Hearts

Let´s be humans, Not machines!


"O caminho da vida pode ser o da liberdade e da beleza, porém perdemo-nos. A cobiça envenenou a alma dos homens... levantou no mundo as muralhas do ódio... e tem-nos feito marchar a passo de ganso para a miséria e os morticínios. Criamos a época da velocidade, mas sentimo-nos enclausurados dentro dela. A máquina, que produz abundância, tem-nos deixado na penúria. Nossos conhecimentos fizeram-nos cépticos. Nossa inteligência, empedernidos e cruéis. Pensamos de mais e sentimos de menos. Mais do que de máquinas, precisamos de humanidade. Mais do que de inteligência, precisamos de afeição e doçura. Sem essas virtudes, a vida será de violência e tudo será perdido."

Este é o 1ºfilme falado de Charlie Chaplin, uma afronta a Adolf Hitler e ao Nazismo que reinava na época. Foi filmado nos Estados Unidos um ano antes da entrada do país na Guerra. O papel de Chaplin era duplo: o de Adenoid Hynkel, clara alusão ao nome de Hitler, e de um barbeiro judeu. Hitler era um grande fã de filmes, e sabe-se que viu "The Great Dictator" duas vezes (segundo registos do seu cinema particular). Após o descobrimento do Holocausto, Charlie informou que não conseguiria brincar com o regime nazista conforme fez, se soubesse da extensão do problema.

2 comentários:

  1. Obrigada Rute pela dica. Este homem era realmente brilhante! quanto a este excerto do "Grade Ditador" vai para o meu blog. Tem realmente tudo a ver com a temática do "Avatar" e é tudo em que eu acredito.
    bjo

    ResponderEliminar
  2. Seja como for, o trabalho de Chaplin foi exemplar para abrir os olhos à Humanidade.

    Um beijo pela partilha, amiga!
    Jorge

    ResponderEliminar