15 março 2009

BATATA DE SEQUEIRO OU DE CEDO continuação...

Desde o dia 10 de Janeiro, altura em que semeei as batatas, que nunca mais lá tinha ido à aldeia.

Soube por um vizinho que vai lá de 15 em 15 dias que estávam a despontar e que em principio tinham resistido ao mau tempo e ao gelo. Mas ao vir este calor intenso, fiquei receosa que morressem de sede pois não foram regadas por mão humana durante estes 2 meses!!

Não imaginam a minha alegria, quando deparei com o campo de cultivo todo verdejante, repleto de plantas fortes e saudáveis que a mãe natureza cuidou para mim.

Neste solo, parádo há muitos e muitos anos, não foi aplicado qualquer fertilizante ou herbicida. Dai que foi necessário, eu ir lá, agora, retirar as ervas com uma pequena enchada e aliviar a terra à volta das plantas para arejar a terra e torná-la fôfa.

Era capaz de estar ali um dia inteiro a cavar, repleta de felicidade, mas como fui e vim no mesmo dia e levei uma criança e uma idosa comigo, tive de me despachar e ficou metade da terra por tratar :-((

No entanto, reguei suavemente a plantação toda com um regador, com água de aproveitamento da chuva dum enorme tanque que o meu vizinho tem.

Mas achei interessante o que me foi dito por lá: - Não regue muito porque essa batata não se pode habituar à rega. Ela tem de esperar pela chuva. Deixe-a ganhar resistência à seca.

A natureza apaixona-me por completo. Vim de lá muito triste por vir embora. A tristeza piorou assim que comecei a deixar de ver verde e deparei-me com o cinzento da cidade. Enfim... mais cedo ou mais tarde, hei-de voltar lá. Desta vez deve de ser para levantar a batata do chão.

Pelos vistos aquilo vai dar!!!! Alguém quer comprar batata biológica :-)))))

23 comentários:

  1. que saudades que tenho do quintal da minha avó,agora só mesmo em vasos que o meu sogro semeia,jinhos querida

    ResponderEliminar
  2. Vendo agora a diferença entre as imagens anteriores e estas com as batatas a florirem, vê-se que valeu a pena o esforço!
    E quando as fores apanhar, vais fazer tanta ginástica, que nessa noite, dormes como um anjo! :)

    ResponderEliminar
  3. É uma sensação única ver crescer o que semeámos. Aposto que vão sair daí umas batatas deliciosas.
    Já sei onde é que vamos acabar daqui as uns anitos...eu antes de ti...

    ResponderEliminar
  4. Belinha,

    vasos também tenho aqui na cidade. O estágio foi aqui na horta de varanda. Mas é divinal ver uma imensa extensão de terreno toda cultivada.
    É emocionante! Amo cada plantinha daquelas.
    ___________________________________
    Mary,

    por falares em florir... apenas descobri hoje que a planta da batata dá flôr!

    Estive a ler um livro ao serão, sobre cultivar legumes, e foi uma surpresa para esta rapariga de cidade supor que as suas batatas vão dar flôr! AMASING!
    ___________________________________
    Borboleta,

    agora é que disseste uma grande verdade!! O campo espera por mim a cada dia que pássa.

    E se calhar enganaste. Se calhar vou eu para o campo antes de ti. A única diferença é que já tens lá casa e eu não. O resto são pormenores contornáveis. Basta querer (com convicção) para ter!

    Falta-me coragem para virar "a mesa"...

    ResponderEliminar
  5. Oi, Rute!

    Depois de um tempinho, consegui voltar ao meu cantinho e às minhas visitas :) Sinto falta dessa troca.

    O jeito com que você narra sua relação com a natureza é apaixonante! Ver tamanha realização em uma empreitada que algumas pessoas considerariam simples e sem importância. Meus parabéns, sempre, por cada uma de suas vitórias, que para mim são surpreendentes e muito importantes.

    Depois quero só ver mais quais receitas deliciosas vão surgir com essas batatas!

    Olhe, muito obrigada pelo comentário carinhoso lá no blog. O projeto do livro tá a todo vapor, tenho pessoas muito boas ao meu lado, e estou confiante de que vai dar tudo certo =) Vai ser uma alegria lhe enviar uma cópia!

    Beijinhos de além-mar!

    ResponderEliminar
  6. Quando venderes as batatas diz, que eu quero!!! (desde que não sejamos de muito longe uma da outra...)

    Beijinhos
    Isabel
    (do blog "A Escola É Bela", conheci-vos através do blog "Momentos mágicos" que me conheceu através da entrevista que dei para o centro vegetariano, como mãe vegetariana com filhos vegetarianos! :) )

    ResponderEliminar
  7. Também sinto a sua falta Milena.

    E vou sentir saudades dos seus textos. Mas compreendo que até publicar o livro, você não possa dar a conhecer os textos.

    Fico aguardando com ansiedade o livro de Milena Paixão com origem no blog "para catar-se". Mas agora reparo...você publicou ontem um texto! Que bom, vou ler.

    Obrigada por suas palavras.
    1 Beijinho bem português. Musicado com fado :-))
    ___________________________________

    Isabel!!! adorei o teu blog. Já está no blogroll.

    Desconhecia o livro Papalagui. Vem bem a proposito desta minha necessidade de cultivar a terra e fugir da cidade.

    Obrigada pelo comentário.
    Não vou esquecer de ti quando levantar as batatas do chão ;-)
    Beijinhos.

    ResponderEliminar
  8. Que giro! Estive este fim de semana a tirar fotos da terra pronta para semear a batata... Depois vês... Não há dúvida que essas batatas têm outro sabor... que eu bem sei... Nem eu sabia que havia tanta gente a gostar de trabalhar a terra... Vai tudo para os Centros Comerciais... E a minha sorte é que a quinta fica a poucos kms de casa... Beijinhos

    ResponderEliminar
  9. Suzi fico à espera das tuas fotos.

    Mas não me parece que haja assim tanta gente interessada em cultivar a terra... tens sorte de conhecer várias pessoas assim. Dentro do meu circulo de amigas nenhuma quer cavar e etc...
    ___________________________________
    Sandrinha,

    se aquilo der, já estão guardadas para ti ;-) Mas antes tenho de prová-las para ter confiança no produto. Senão prestar nada feito.

    Mas aposto que vão ser um espetáculo de batatas!! Porém parece-me que vamos ter de esperar mais 1 a 2 meses porque em janeiro as marotas estiveram a dormir. E segundo os entendidos na matéria só se pode levantar do chão com 100 dias.

    ResponderEliminar
  10. É de louvar todas as pessoas que gostam de trabalhar na terra, já que é daí que vem a maioria dos nossos alimentos.

    Eu não tenho jeito nenhum, mas tenho a felicidade dos meus sogros ainda poderem cultivar o terreno que têm ao lado da casa. Assim, batatas, cebolas, verduras é tudo caseiro e sem quaisquer químicos!

    Beijinhos!

    ResponderEliminar
  11. É uma grande sorte Claudia. Para ti que tens os produtos e para os teus sogros que têm o terreno à porta de casa para se entreterem a cultivar.

    Eu tenho de fazer muitos kms para chegar aos meu paraíso :-(

    ResponderEliminar
  12. devias pedir ajuda ao metralhinha.
    pois ele alem de perceber de contabilidade tambem percebe de agricultura.

    ResponderEliminar
  13. :-D

    Eu sabia que o mano metralhinha percebia de contabilidade e de culinária...agora de agricultura é uma novidade! Tá no sangue, tá visto!

    ResponderEliminar
  14. PARABÉNS

    Estão bem bonitas. É espera que o escaravelho não tenha a mesma opinião e resolva habitá-las hehehe

    Por cá... comecei uma horta... uma horta do tamanho de uma porta. Com o tempo, há-de ficar tb linda.
    bjs

    ResponderEliminar
  15. Ó gente, quem é este anónimo/a?

    Onde é essa horta do tamanho duma porta, "por cá" :-))

    Bjs

    ResponderEliminar
  16. Mano metralha, está na altura de largar a contabilidade um fim de semana e ajudar a irmã na horta. Alem de ser salutar ajudar os irmãos, ajudava-te a diminuir a barriguinha.
    hihihihihi
    uma boa noite para todos

    ResponderEliminar
  17. Contabilidade ao fim de semana! Livra!!! O mano "droga-se"!

    As batatas estão à espera de mão-de-obra. Tenho ajuda ou não para principios de Maio???

    ResponderEliminar
  18. Esta na hora de alguem oferecer um sacho ao mano metralha.
    :o))

    ResponderEliminar
  19. Ora aí está uma boa ideia! Prenda de Páscoa, um sacho. Mas a mulher do mano metralha também não se livra.

    Estar em contacto com a terra é terapeutico. Alivia o stress causado pelo POC e pelas NIC´s :-D. Acreditem em mim!

    »»Faz favor de assinarem os comentários. Senão não sei com quem estou a "falar"««

    ResponderEliminar
  20. È isso mesmo, vamos oferecer um sacho ao mano metralha para o fim de semana, já que durante a semana, na contabilidade ele utiliza mais o martelo.
    hihihih
    Estou a brincar, o metralhinha é um contabilista muito certinho, e com ele nada de "ajustes" nas contas. E nem lhe falem de justo valor, que fica logo com os cabelos em pé.

    um boa noite para todos

    ResponderEliminar
  21. Mana, não vás na conversa do anónimo, pois para além de me dar trabalho na empresa, ainda quer que eu trabalhe na agricultura. Livra, mais vale uma mão enchada do que uma enchada na mão.
    ihihihih
    bj - Metralha

    ResponderEliminar
  22. Bem me parecia que havia aqui algo de estranho!

    A principio pensava que era a Xana que publicava estes comentários mas depois a falta de assinatura nos mesmos fez-me desconfiar.

    Bom mas mais vale comentar em anonimato do que visitar e não deixar linhas de texto nenhumas. Com isto esse anónimo conseguiu que pela 1ªvez o meu irmão "disse-se" alguma coisa no blog. Obrigada.

    Só acho mal trabalhares ao fim de semana. Não sabes que a nossa religião não permite!!!!

    Beijokas Metralha.

    ResponderEliminar