31 março 2009

Os 6 R´s - Artigo do jornal Ágora sobre o 6º R (RECICLAR) - Rubrica SOS Terra

Para ler o artigo basta clickar em cima da imagem.
Este é o artigo de MAR 09, escrito por mim e publicado no Jornal Ágora do Centro Comunitário de Carcavelos. Sou colaboradora voluntária nesta instituição.


Quem estiver interessado em ler os artigos anteriores, desta rubrica, procure na coluna direita do blog a etiqueta Ecologia. Ao clickar, aparecerão, no texto central, todos os artigos pertencentes a este tema.

12 comentários:

  1. olá Rute!
    Olhando bem para a foto diz tudo..nós tentamos educar os miúdos com a reciclagem, principalmente no Vidrão..mas no meu bairro alem de os "caixotes" serem muito altos ainda fizeram o favor de os colocar em cima de um passeio, estreito que até a mim me custa por lá o que quer que seja!
    há muitos anos vi em Espanha este tipo de reciclagem que só ficava +ou-50 cm fora da terra o restante era subterrâneo!
    Mas ainda não desisti....ponho no carro e ponho num sitio mais fácil!
    Beijinhos....

    ResponderEliminar
  2. Está giro o artigo e elucidativo!
    O meu filho interessa-se muito por reciclagem e a minha filha mais valha costuma representar em teatro infantil e uma das peças é sobre o aquecimento global e a reciclagem, o Alexandre adora vê-la a representar. A peça está muito engraçada, com canções lindas e muito apelativa, nunca tinha visto crianças prestarem tanta atenção durante uma hora inteirinha...

    Quanto ao comentário que suscitou a foto, é bem verdade, mas há boas notícias, embora a velocidade seja lenta de mais, daqui a uns tempos o concelho de Cascais vai ter dos tais ecopontos enterrados por todo o lado.Começaram no centro histórico de Cascais e vão alargando o raio de implementação desses contentores, por fases, até atingir todo o concelho (pelo menos é essa a intenção, soube hoje (coincidência!) precisamente por estar numa obra a pensar no reposicionamento de uns contentores destes enormes e a dada altura perguntar ao meu chefe "Então e a EMAC não podia substituir já estes por uns enterrados?"...

    Beijinhos
    Isabel

    ResponderEliminar
  3. É verdade, Rute, a foto em cima, no artigo, é tua?

    ResponderEliminar
  4. Eu sempre fui adepta da recilcagem, ainda estava em casa dos meus pais quando pus toda a gente a reciclar papel e vidro (na altura eram os únicos ecopontos que existiam), hoje os meus filhos poupam água e até tenho um ecoponto em casa, mas tenho uma dificuldade - é o Oleão não existe por aqui, já juntei óleo num garrafão para reciclar e depois não tive nenhum sitio para o colocar ou entregar. Há muita vontade das pessoas e principalmente das crianças que aprendem na escola e educam muitos pais, no entanto falta ainda muitos locais de recolha acessíveis. É claro que também conheço muitas pessoas que não querem saber de reciclagem, acho a tua divulgação muito importante! Bjs

    ResponderEliminar
  5. Olá Marina,

    tens toda a razão na "reclamação" que apresentas. Os contentores são altos demais para os miúdos e além do mais, aquela portinhola de entrada não ajuda nada.

    Tal e qual como a Isabel referiu, já vi desses subterraneos em várias zonas, parecem melhores e maiores. A ver vamos se não têm outras dificuldades.

    Não faço ideia se são fáceis de despejar e há sempre o problema de necessitar de uma obra para serem colocados no chão. Isto do ponto de vista da Câmara (q tb há q pensar neles "Estado").

    Tudo o que for mais dispendioso para a Câmara, no fundo, é do nosso bolso que sai. São os nossos impostos que págam.
    ___________________________________

    Isabel,

    Por acaso a peça que a tua filha representa não é a peça "Eu amo reciclar" que esteve em exibição em Lisboa, dos ArtyAplausos? É que sou eu que alimento o blog da ArtyAplausos... Foi criado por mim e sempre que eles precisam de publicar noticias, pedem-me.

    Quanto à foto, sim é minha! Com esse sorriso cheio de dentes :-) É meu.
    ___________________________________

    Suzi,

    a questão do Oleão também já me atormentou. Antes de ter a Actifry, ia guardando todo o óleo que utilizava nas poucas frituras que faço.

    Em 2 anos, enchi 1 garrafão de 5 litros. Sempre à espera de encontrar um oleão. Pesquisei imenso na net até que encontrei 1 oleão no Casal de São Marcos. Fui lá de proposito despejar o garrafão.

    Actualmente já não tenho óleos de fritos. Na Actifry não há sobras e utiliza pouco óleo para fritar.

    De qq das maneiras, no centro comunitário eles fazem recolha dos óleos, se quiseres podes entregar lá. Vai guardando, e um dia que a gente se encontre, dás-me o teu óleo e eu entrego no centro. Boa!?

    Beijinhos às 3, Marina, Isabel e Suzi.

    ResponderEliminar
  6. Olá Rute!

    Um dos problemas qu existe nos contentores de reciclagem é muitas vezes ficarem cheios, e as pessoas começarem a colocar o lixo para reciclar à volta dos contentores. Resultado: aquilo que era para fazer o bem, acaba por fazer mal, pois o lixo fica todo no meio da rua...

    Origem do problema?
    Não sei se é a regularidade com que fazem a recolha, sinceramente não sei..
    Ou será que um contentor para uma rua inteira não é suficinte??

    Para já, da minha parte o que faço, é antes de ir fazer a reciclagem, espreitar pela janela, a ver se ainda não há lixo há volta, e ainda cabe lá dentro :)

    Mas ne toda a gente pensa assim, quer é tirar o lixo de casa, como se a rua não fosse também a casa deles...

    Gostava de um dia ir visitar um centro onde eles tratam da reciclagem. Às vezes surgem dúvidas pequenas. Eu e o Nuno andamos sempre à volta com isso :) Eu não quero pôr as embalagens sujas na reciclagem, passo-as sempre por água. O Nuno diz que eles devem fazer isso :) Papel sujo tb não... e os agrafos? o que fazem se nós colocarmos uma revista para reciclar com agrafos? Só mesmo eu é que os tiro concerteza :)

    Pois é! E que tal juntar um gruoinho para ir fazer uma visita a uma destas empresas? Tipo visita de estudo :) Também nós estamos ainda em tempo de escola :) Aqui fica a sugestão! Se alguém tiver algum contacto, podemos avançar com a ideia.

    Beijos
    Carla

    ResponderEliminar
  7. Carla,

    ainda não arranjei tempo para te responder em condições! E ainda não é desta vez. Mas não queria deixar de agradecer as tuas perguntas pertinentes.

    Volto noutro dia e depois reencaminho-te a resposta.

    Beijinhos.

    ResponderEliminar
  8. Rute, a peça chama-se "Os Pólos da nossa Terra" e é do Espaço Cativar. Há duas versões, a original e uma, a que tem mais conteúdo sobre a reciclagem, que foi adaptada por encomenda da EMAC (a Empresa Municipal do Ambiente de Cascais).

    E apeteceu-me explicar à Carla um bocadinho do que eu sei como funciona isso dos contentores para a reciclagem, mas demora um bocadinho de tempo e agora não dá, depois volto aqui...

    Beijinhos
    Isabel

    ResponderEliminar
  9. Carla, voltei,

    Os contentores cheios são um tormento, e não falo apenas nos contentores da reciclagem. Nunca entendi porque é que as pessoas em dias festivos como natal e fim de ano, ou mesmo, em dias de greve dos trabalhadores do lixo, enchem os contentores até mais não, e depois prosseguem para o chão em redor do contentor!

    Se soubesses o que me "corta" o coração ver os contentores de lixo normal no Natal cheios de papeis de embrulho, caixas, esferovites e etc! Custa-me por vários motivos:

    1) Os papeis de embrulho deviam ser dobrados para ocupar menos espaço e depositados no papelão;

    2) As crianças não precisam de tantos brinquedos. É irracional oferecer tantos brinquedos, um consumismo prejudicial para quem dá e para quem recebe;

    3) Não haver consciência que se o lixo não cabe, então, é melhor guardá-lo em casa até o caixote do lixo estar mais vazio.

    Eu não espreito pela janela mas já tenho voltado para casa com o mesmo lixo outra vez. Não cabe, não se deita fora. No caso dos reciclados, se não cabe, volta para dentro do meu carro.

    Para mim é relativamente fácil andar com o lixo reciclado no carro porque como lavo todas as embalagens, o lixo não cheira mal.

    Também é bastante fácil voltar com o lixo normal para casa porque eu só deito 1 saco de lixo normal fora por SEMANA! Verdade, verdadinha! Saco pequeno daqueles de supermercado.

    Motivo: Separo todo o lixo, e faço alguma compostagem na varanda. No meu lixo ninguém encontra nem carne nem peixe, logo não cheira mal.

    Voltando um pouco mais ao teu comentário:
    Retirar agrafos, confesso que não retiro, mas também não compro revistas. Consulto tudo na internet. Mas qdo acontece ter alguma revista, não retiro os agrafos.

    Organizar um grupinho para visitar locais: lixeiras e fabricas de reciclagem. ADORAVA!!! Tenho essa ideia em mente faz muitissimo tempo, desde que vi num programa do concelho de Setúbal que a câmara organizava visitas abertas à população para sensibilizar e consciencializar o cidadão comum para o lixo que faz.

    Talvez a Isabel nos possa dar uma ajudinha. Pode ser que ela saiba como organizar essa visita de estudo aqui em Cascais.

    E é tudo minha querida amiga.
    És um exemplo a seguir. Bem hajas!

    ResponderEliminar
  10. Rute, a Câmara desde há uns tempos que não trata directamente da recolha do lixo. Entrega o trabalho a uma empresa (até há uns tempos era a SUMA agora a é a EMAC); a EMAC está com uma postura mais interveniente, tem feito um grande trabalho de sensibilização para a reciclagem, sobretudo nas escolas e também, não sei se viram, algumas vezes em vários centros comerciais do concelho (foi nesse âmbito que contrataram a Cativar para a parte ludico-educativa). Têm até um site sobre reciclagem destinado as crianças.

    Talvez contactando directamente a EMAC se possa pedir uma visita, mas eles apenas recolhem, o tratamento é feito por outra empresa. Posso recolher mais dados sobre isso.

    Quanto ao estarem muitas vezes os contentores cheios: bem, na altura do Natal é um pouco compreensível, mas quando isso acontece regularmente numa zona é por dimensionamento mal feito. Normalmente considera-se numa determinada zona o nº de fogos (casas) existentes e calcula-se o nº de contentores mediante uma estimativa por fogo do volume de lixo para determinado período de recolha; mas isso funciona um pouco melhor, quando se tratam de urbanizações novas, em que se sabe exactamente quantos fogos estão previstos e se faz o estudo logo à partida e, considerando ainda, que no concelho de Cascais só há meia dúzia de anos é que se começaram a fazer essas contas, logo na altura da aprovação dos projectos das urbanizações, bem, estão a ver o planeamento que não existia. Fora isso, o dimensionamento é feito por alto, como se costuma dizer, não foi feito antecipadamente, previsto em projecto e então há locais em que os contentores nunca enchem e outros onde não existem suficientes, mas com um pouco de planeamento à posteriori também podem ir afinando isso, o problema até agora é que as empresas iam sempre mudando, não dava tempo para estudos de fundo. Pode ser que agora esta se mantenha mais tempo.

    Eu tenho sempre tendência para pensar que as coisas vão melhorar com a participação de todos! :)

    Beijinhos
    Isabel

    ResponderEliminar
  11. Ah isso eu também Isabel, optimismo acima de tudo!

    Quanto à EMAC temos de os contactar Carla! Já me dou por satisfeita em relação a visitar um local de recolha, uma vez que em principio teremos direito a umas explicaçõezinhas.

    No entanto não somos nós que precisamos de estar mais conscientes. Tenho a certeza que as pessoas que deitam tudo para o lixo normal são as menos a par deste funcionamento e das consequencias dos seus actos.

    ResponderEliminar
  12. Eles têm feito umas campanhas de sensibilização, podemos sempre oferecer-nos para ajudar de alguma forma! :)

    ResponderEliminar