09 junho 2009

FALSA LASANHA DE 3 MOLHOS (CRUDIVORA)

Já não quero outra coisa! RAW FOOD forever!

Tal e qual como diz a
Borboleta, a gastronomia crudivora faz lembrar as nossas brincadeiras de criança, no "jogo" do faz-de-conta, onde tudo é possivel e há que puxar pela imaginação para obter o mesmo resultado visual (e de paladar).

O crudivorismo tem várias vantagens mas uma, realmente notória, prende-se com a pouca loiça que se suja e a facilidade com que tudo se lava por não ter quase gordura nenhuma. Já quando passei para o vegetarianismo senti uma grande diferença na minha cozinha. Passei a ter uma cozinha óptima de limpar, desde azulejos, fogão, forno... tudo se limpa só com água e detergente da loiça. Desengordurante? O que é isso?

Recordo-me que a minha mãe tinha uma máquina a vapor para limpar os azulejos da cozinha. E fazia grandes limpezas anuais com vapor, água a ferver e sonasol verde!! Na minha casa nada disso é necessário. Não há gorduras entranhadas. A cozinha é o espelho do nosso organismo, se os vossos azulejos são gordurosos, imaginem as vossas artérias :-((

INGREDIENTES:

1 Courgette grande biologica (abóbrinha em brasileiro);

Molho de tomate confeccionado neste
link;
Molho branco: Cajús crús, água, óleo de linhaça, sal e pimenta;
Molho verde: Acelgas crúas, vinagre ameixa, pimento verde, iogurte de martini, óleo de linhaça e sal;
Azeitonas para decorar.
CONFECÇÃO:
Retire a casca à courgette e corte-a em lascas com o descascador de cenouras. Lascas compridas e finas. Tempere de sal fino. Reserve.
Num copo misturador coloque os cajús em água durante uns minutos: 1 punhado de cajús com 1/2 copo de água. Com a varinha mágica triture até obter um creme. Junte 1 fio de óleo linhaça, sal, pimenta e volte a triturar. Se estiver muito liquido junte mais cajús.
Noutro copo coloque as acelgas cortadas às tirinhas a marinar no vinagre (enquanto trata do molho anterior). Entretanto escorra o vinagre, junte o pimento verde crú (1 tira) e o iogurte (o meu era de martini). Tempere e triture. Junte óleo e levedura de cerveja. Volte a triturar.
Por fim é montar o prato. Dispor fatias de courgette em camadas alternadas com os molhos. Comecei com molho de tomate, camada de courgette, molho verde, camada de courgette, molho branco, camada de courgette e assim sucessivamente. Termine como está na foto.
Destes 3, o bechamel crudivoro é o meu preferido. Ficou tão bom, tão bom, tão bom que aconselho a colocarem em qualquer lasanha. É divinal e surpreendente! Como é que cajús e água dão algo tão delicioso?

14 comentários:

  1. Rute és fantástica, estou cheia de curiosidade em experimenta essas tuas receitas crudivoras, gosto muito de ser vegetariana, só ganhei com isso, em todos os sentidos e até na cozinha se sente isso, não há gordura. Não como muitos alimentos crus, gostava de comer mais, por isso assim que puder vou experimentar as tuas receitas.
    Bjs.

    ResponderEliminar
  2. Bechamel de cajus!!!!
    Vou fazer! Vou fazer!
    Vou fazer! :) :)

    Adorei.

    Fico apavorada com a metáfora entre a gordura dos azulejos e as minhas artérias...
    Ainda bem que tenho uma bimby e assim não sujo os azulejos! Ah, ah, ah!
    Olhos que não vêm, coração que não engordura.
    Brincadeirinha, eu na verdade sei muito bem que tens razão...

    Beijinhos.

    ResponderEliminar
  3. Não te consigo alcançar, agora que ando a experimentar comida vegetariana já tu vais no crudivorismo! Assim não consigo! Hoje o meu jantar foi feijoada com couve lombarda e chouriço de seitan e tofú, sabes que não gostaram do chouriço!!! Tenho barreiras enormes para transpor! Tenho esperança que o tempo mude isso. Beijinhos.

    ResponderEliminar
  4. Aêêêê, Rute, acabei de descobrir o que é courgette.... Lol!
    Estamos longe de chegar aos seus experimentos e olhe que você é uma entusiasta, já quase nos convence.
    Bjs.

    ResponderEliminar
  5. Realmente Rute ito é muito frente:)))
    Só pela decoração do prato dá vontade de comer.
    O molho de cajú vou experimentar ao almoço.
    Bjs

    ResponderEliminar
  6. Vou responder assim prá geral porque a minha resposta adapta-se a todos os vossos comentários deste post :-)

    Pelo que tenho lido o vegetarianismo é como uma ponte para o crudivorismo. A maior parte das pessoas que iniciam Raw Food já têm hábitos vegetarianos.

    Suponho que é muito mais fácil e até é uma evolução, passar do vegetarianismo cozinhado para o vegetarianismo crú.

    Dificil, dificil é saltar degraus e não aconselho que o façam. Embora podem sempre usar certos métodos para elaborar acompanhamentos.

    Ou seja, por exemplo, o falso esparguette pode servir de acompanhamento a carne ou peixe. E até podem misturar esparguette de trigo cozido com o "esparguette" de courgette.

    Só tem vantagens incluir este tipo de alimentação na vossa dieta carnivora.

    E não tenham pressa de me apanhar. Assim como eu também não tenho pressa de "apanhar" as pessoas que estão muito "à frente" de mim (as minhas fontes de inspiração).

    Há que dar tempo ao organismo para se habituar a certos paladares. É natural que pessoas que estão habituadas a enchidos verdadeiros, não gostem de enchidos de soja ou seitan.

    Aconselho sempre a misturar numa primeira fase. Metade da carne ou do peixe e metade nos substitutos.

    Devagar se chega ao longe e nada pode ser obrigado. Temos de querer, sentir necessidade de mudar e não nos ser imposta a mudança.

    Beijinhos a todas. Obrigada pelos vossos comentários. Gosto muito de partilhar convosco este novo mundo.

    ResponderEliminar
  7. Minha nossa senhora!!! Ja começo a achar que o meu J. tem razão....!!!

    Tu és mais que á frente!!!

    Mas o que eu ainda acho mais piada é o teu entusiamo a partilhar a receita, parece que te estou a ouvir!!!!

    Bom FDS

    ResponderEliminar
  8. Hei Rute! Crudivorismo for ever! Penso que crudivorismo é a alimentação do futuro pois não há nenhum animal que coma alimentos cozinhados. E eles sabem intuitivamente os alimentos que devem escolher pra se alimentarem. Nós perdemos essa sabedoria ancestral (e outras)mas estamos a recuperá-la. Também ensaio uns passos de dança crudívoros, mas cá por casa a rapaziada tá noutra (um filho adolescente a reclamar munta carne e batatas fritas...). Em tempos saquei um livro em PDF de Vitoria Butchenko que é uma pioneira na alimentação crudívora, com várias receitas interessantes. Posso enviá-lo. O livro "Lugar de médico é na cozinha", do dr. Carlos Alberto Peribanez Gonzalez, só com receitas e técnicas crudívoras, também é óptimo. Mas as tuas receitas ainda são melhores!!!Gostaria de comprar a máquina de germinar, mas diz-me, por favor: precisa ficar ligada à corrente? Precisa ficar ligada a alguma torneira de água? Precisa ficar junto a algum escoador (para tirar fora a água usada)? Tás satisfeita com ela?
    Djinhos! Obrigado! Parabéns! Bons feriados! E...Raw forever!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. ME enviarias o livro?
      yuricastello@hotmail.com

      Eliminar
    2. Olá Yuri.
      De fato recebi o livro em pdf mas não sei onde guardei.
      Não vou poder enviar para você. Lamento.
      Abraço.

      Eliminar
  9. Já passei cá uma série de vezes, mas fogem-me as palavras...é pá, devagar se vai ao longe! (faz sentido?! olho para a tua lasanha avant garde e não sei que dizer...)
    Mas chegamos lá...just watch us! :)

    ResponderEliminar
  10. Marina se calhar nem o teu J. tem razão, pois ele diz que eu venho doutro planeta, e se calhar, eu venho do futuro :-))) como o Michael J.Fox da Trilogia "Regresso ao Futuro". Ou...vai na volta sou "A rapariga de Monday" (isto já sou eu a delirar com outro filme!).

    Mário! mas que entusiasta! Na realidade é disso que eu estou a precisar, de estimulos. Cá por casa, apesar de alinharem no vegetarianismo, ainda não arranjaram coragem para o crudivorismo. Pelo que...faço só para mim.

    Quanto ao germinador: Sim, é preciso estar ligado à corrente, no entanto, só gasta energia nos ciclos de irrigação porque tem um temporizador que liga e desliga. Não necessita de torneira de água, mas precisa de encher o deposito de água, no minimo, dia sim, dia não. Para escoar a água basta teres o tubo a deitar para dentro dum garrafão com capacidade para 5 litros. Estou muito contente com a machine, embora a tenha desligado temporáriamente por motivos de falta de tempo. "Ela" requer alguma dedicação, não muita mas alguma. Especialmente no consumo do que ela produz :-)) Para terminar deixo-te o meu email: irstubal@hotmail.com (aceito esse pdf que referiste, obrigada desde já pela simpatia).

    Maryzita, tu ias gostar disto. Não tarda muito também alinhas no crudivorismo. Ainda me lembro do teu desabrochar para o vegetarianismo que continua de vento em popa. Julgo que há lugar para todas estas experiências na nossa alimentação. Hoje descobri mais uma muito intrigante: Cozinha molecular!

    Beijinhos a todos e bons sonhos crudivoros ;-) Digo isto porque eu já ando a sonhar crú!

    ResponderEliminar