19 julho 2009

CALZONE NA PEDRA (Massa de kéfir-água)

ARTIGO RELACIONADO:

Pizza Water-kéfir

Seguindo a receita do artigo relacionado mas omitindo o 3ºdia de fermentação, obtive uma excelente massa de pão menos ácida. Embora eu goste do ácido obtido na Pizza Water-kéfir.

Os meus grãos estão muito mais fortes e desta vez a água de kéfir (que podem ver na imagem 2) estáva mais potente. Na 2ªetapa de fermentação, a "esponja" duplicou de tamanho e após ter junto os ingredientes da 3ªfase, não deixei levedar 24 horas (esperei apenas 2 horas, nas quais a massa voltou a crescer significativamente).

Depois foi só aquecer bem o forno com a pedra (do kit de lamparinas) lá dentro, em cima da grelha do forno com o tabuleiro preto por baixo onde coloquei 1 copo de água. Criando assim uma atmosfera quente mas húmida. Forno a 250º até aquecer completamente. Depois da pizza lá estar dentro e a meio do tempo de assar, liguei o grill para dar esse aspecto torradinho :-))

INGREDIENTES:

  • 1 cebola grande fatiada em espiral;
  • 1 courgette biologica fatiada em espiral (com casca);
  • 7 feijões verdes crus (feijão verde espanhol, embora este seja português e biologico);
  • 8 tomates cereja;
  • Pimento verde laminado;
  • manjericão fresco picado;
  • oregãos secos em folha;
  • 2 dentes de alho picados;
  • azeite q.b.;
  • Rúcula pré-lavada biologica q.b.;
  • 1 pacote de molho branco soja;
  • Queijo ralado "4 queijos" (mozzarella, emmental, cheddar e parmesan);
  • Azeitonas pretas inteiras q.b.

Manteiga de soja para barrar ao servir.

CONFECÇÃO:

Parece complicado mas não é. Os ingredientes parecem muitos, mas não são. No entanto alguns deles optei por pré-preparados, como é o caso da rúcula e do molho branco.

A massa é feita nos 2 dias anteriores. Sem stress, basta colocar água e 1 colher mel nos grãos de kéfir. Após 24 horas, retira-se a água dos grãos e faz-se novo "banho". A água obtida é misturada com a farinha nas proporções do artigo relacionado. E segue-se o processo de fabrico da massa... Desta vez juntei 1 copo de farinha de arroz e 1 copo de farinha integral aos 2 copos de farinha branca T65 na 3ªfase.

No dia em que se confecciona a calzone, liga-se o forno e começa-se a preparar os ingredientes:

Espiralizar a cebola e a courgette no fatiador em espiral (ou outro). Saltear primeiro a cebola numa frigideira com azeite, adicionar o feijão verde cortado aos pedacinhos, mais tarde a courgette e os tomate-cereja cortados ao meio. Temperar. Saltear mais um tempo até murchar e largar alguma água que deverá ser escorrida (infelizmente!).

Numa tijela à parte junte o pimento fatiado, o manjericão picado, alho picado e oregãos secos, regue de azeite e reserve.

Amasse a massa, junte farinha se necessário para estirar e use óleo nas mãos para assamar bem e dar elasticidade à massa.

Depois de esticada, comece a montar o interior. Primeiro disponha o salteado de legumes (sem molho), de seguida as folhas de rúcula, o queijo ralado, o molho branco (não exagere na quantidade), a mistura de pimento e manjericão e por fim as azeitonas pretas. Feche a pizza, dobre as pontas e leve ao forno a assar em cima da pedra.

Pormenor: O circulo de massa deverá ser colocado em cima duma tábua de plástico ou madeira, povilhada de farinha (antes de rechear). Deste modo a dita tábua servirá de pá para introduzir a pizza no forno sem problemas.

Retire com uma espátula e barre ao de leve com manteiga. Servir só ou com acompanhamento. No entanto esta calzone satisfaz por si só. Dificil dificil é parar de comer por ser tão molhadinha por dentro e crocante por fora.

15 comentários:

  1. Excelente! Esta Calzone está mesmo a pedir para ser comida! Bem o meu kefirzinho já cá canta, é só começar a experimentar! Beijinhos

    ResponderEliminar
  2. Olá,
    Como estás sempre à procura de ideias verdes, hoje lembrei-me de ti ao ler uma entrevista de uma jornalista.
    Já ouviste falar de copos menstruais? Espreita aqui http://www.lunette.fi/pt/index.php?id=67
    Acho que vou exprimentar!

    A jornalista é a Vanessa Farquharson viveu durante um ano viveu como uma ecologista extrema, espreita aqui http://www.presenca.pt/catalogue.ud121?oid=3500965&from_zone=Noticias%2BDestaques&bc_oid=101&from_zone=Noticias%2BDestaques

    ResponderEliminar
  3. Posso comer um bocadinho? ficou lindo. Eu já comprei iogurte de kéfir para provar, é que com tanta coisa boa que fazes fiquei curiosa.
    :)))
    bjs

    ResponderEliminar
  4. A foto diz tudo..... uma delicia :D
    A minha mãe também é consumidora de kéfir, mas de leite.
    De água ela nunca fez, vou dar-lhe a dica ;)
    Bjocas

    ResponderEliminar
  5. Juro que fiquei de boca aberta!!!
    A cada dia me surpreendes mais!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
    Beijão

    ResponderEliminar
  6. Nunca fiz calzone, hoje fiz pizza e sabe tãoo bem. A minha mãe é viciada he he
    A tua calzone ficou com um belo aspecto :)

    ResponderEliminar
  7. Intrometo-me neste post para lhe dar a conhecer a Bubok.Pt, um serviço de auto-publicação online que dá a qualquer autor a possibilidade de editar e publicar as suas obras. Um pouco como o YouTube para os vídeos e o MySpace para a música, na Bubok.Pt o autor controla totalmente a sua obra e, no final, ainda recebe 80% dos lucros da venda do seu livro.

    Uma das áreas em que gostaríamos muito de ver crescer o número de publicações é exactamente a culinária. Acreditamos que um livro é sempre um bom "fim" para as receitas arquivadas em blogues com a qualidade do seu. Uma vez que o texto está pronto e quase sempre acompanhado de imagens, só precisa de uma breve revisão para ficar pronto para publicar na Bubok.Pt, dando a conhecer os seus cozinhados a todos os que queiram comprar o seu livro.

    O processo de publicação é muito simples e rápido: basta seguir os 5 passos indicados em Bubok.Pt, do upload do ficheiro com a sua obra, à escolha do preço da obra. A Bubok disponibiliza os seus livros em E-book e em papel através de um serviço ecológico de Print On Demand, em que cada livro é impresso por encomenda e, por isso, sem tiragens mínimas ou excedentes poeirentos e poluentes.

    Ficamos à espera da sua visita em http://www.bubok.pt. Se precisar de algum esclarecimento, não hesite! Estou disponível para qualquer dúvida que possa surgir: marta.furtado@bubok.com

    ResponderEliminar
  8. Rute, estou voltando pra avisar que respondi hoje ao seu desafio slow motion, mas a resposta será em câmera lenta também... rsrs!
    Bjs.

    ResponderEliminar
  9. Soubesse a fome que me deu em apenas olhar este calzone...ai ai ai!

    Eu adoro isto!

    bjsssssssssssssss

    ResponderEliminar
  10. Amiga estou a adorar as tuas experiências com o Kéfir de água. Há alguns anos que temos kefir em casa mas só temos utilizado o leite. Como ele cresce desalmadamente damos sempre a quem nos pede porque eu não gosto de congelá-lo.
    O aproveitamento como kefir de água para fermento é a solução ideal para os nossos excedentes.
    Mas atenção: Li algures que quando é cozinhado perde propriedades (sabes alguma coisa sobre isso?)
    bjocas

    ResponderEliminar
  11. Bem, este blog vai de vento em poupa. Não tenho tido tempo de visitar nenhum, mas hoje entrei aqui e... tantas novidades que ainda não consegui ler todas.
    Há muito tive kefyr em casa, depois chateei-me e dei-o.
    Hoje vejo muitos benefícios nele. Já tens muito? Achas que pode ser enviado pelo correio. É que estava interessado em ter novamente, mas não tenho ninguém perto que o tenha agora.

    ResponderEliminar
  12. Nooooossa, Rute!

    Que receita maravilhosa! Come-se com a boca e os olhos, aliás, como tudo que você apresenta aqui. Gamei no pãozinho com espinafre ali embaixo também! Gosto muito de receitas que levam espinafre (e ricota).

    Parabéns pelo artigo sobre as pilhas! Essas aí são realmente um dilema. Felizmente há as alternativas muito mais duráveis, como as baterias e as pilhas recarregáveis. Espero que as pilhas fiquem cada vez mais obsoletas. Aqui em casa acho que só são encontradas mesmo nos controles remotos das tevês, e elas até que duram muito tempo nesses aparelhos.

    Não jogo pilhas fora, há algumas descarregadas guardadas aqui em casa. Não há um ponto de coleta em minha cidade e não sei bem como lidar com elas.

    Hora de procurar saber melhor :)

    Que legal que gostou do poeminha! Foi uma homenagem simplezinha e bem humorada a uma escritora de que gosto muito...

    Mas é de se ficar pensando mesmo né... rs... imagine o contrário de amor ser a linda capital da Itália. Paradoxal! Só mesmo num jogo de palavras....

    Um beijão além-mar, Rute!

    ResponderEliminar
  13. Olá a todos. Estou com pouquinho tempo para responder um a um, mas volto com respostas amanhã ou depois.

    Grata pelos vossos comentários. Prometo que não esqueço de regressar a este artigo para comentar comentários :-)))

    Beijokas. Até breve.

    ResponderEliminar
  14. Ora cá estou eu para respostas:

    Suzi - É tão engraçado cuidar do kéfir, não é? Parece um animal de estimação. Lembraste do tamagotchi? Nunca percebi muito bem porque inventaram os pets electronicos! Se há tanto animal, planta ou bactéria disponivel para se cuidar :-)) ah ah ah.

    Rita Catita - Já lá fui ao teu blog responder mas para que todos saibam, eu tenho esse copo mestrual. Chama-se MoonCup e é uma alternativa viável e ecologica. Quanto ao livro fiquei interessadissima!!

    Conceição - Já recebi o email que me enviaste só ainda não tive tempo de responder. Isto vai aos retalhos: ora publico, ora respondo a comentários, ora respondo a mails, ora trabalho...

    Isa, Tina e Ameixa - Toca a fazer calzone pois é uma MARAVILHA. Especialmente com bechamel. Também podem usar natas de soja. Vai dar ao mesmo. Com ou sem kéfir-água podem fazer as calzones que entenderem. Qualquer massa de pizza serve. Até aquelas pré-preparadas!

    Marta - fiquei curiosa com esse serviço de publicação que vocês prestam e até já fui cuscuvilhar o site. É uma ideia atraente, publicar um e-book. Mas ainda me resta uma limitação, software de publicação, know-how e disponibilidade temporal. Vou pensar no assunto.

    Gina - adorei o seu 1ºslow motion. O formato apresentado é espetacular! Fico a aguardar os seguintes episódios.

    Anita - experimenta esta calzone vegetariana. Após que você não vai sentir falta da carne de tão deliciosa que ela é. E deste modo você estará a desintoxicar seu organismo. Muita carne, muita proteina esforça demais nossos orgãos.

    Borboleta - eu também já informei aqui que quando o liquido proveniente do kéfir é cozinhado perde os beneficios ligados ao regular do intestino. Ou seja as bactérias beneficas são mortas.

    No entanto, há que ver a "coisa" de 2 prismas. Só se a familia inteira consumir kéfir é que vais dar vazão a tanto iogurte. Dai que podes fazer kéfir e guardá-lo no frigorifico durante 1 semana e consumi-lo regularmente para a função viva.

    Depois podes colocar o kéfir em água para dele obteres a massa fermentada que cuzinharás. Um processo não invalida o outro. Simplesmente estás a dar-lhe 2 trabalhos: auxiliar o sistema imunitário e fermentar a tua massa de pizza. Podem acontecer em simultaneo. É o que eu faço.

    Pão, Bolos e Cª - O kéfir pode ser desidratado e guardado. Pelo que em principio é possivel enviar um pacotinho por CTT.

    No entanto ainda não tenho kéfir para partilhar pois ele ainda não cresceu o suficiente. Dizem que a colonia cresce menos quando é alimentada maioritariamente com leite de soja. Raras vezes alimento com leite de vaca.

    Assim que ele crescer farei a experiência de desidratar e nessa altura envio com agrado por CTT. Só tens de esperar uns meses :-(

    Milena - Convem mesmo procurar melhor na sua cidade. A causa ecologica está ganhando adeptos e evoluindo rápido na preocupação das autarquias. Quem sabe se já não é ponto de recolha na sua cidade e vc ainda não sabe. Procura por "papa pilhas". Há empresas colaborando na recolha brasileira.

    Mudando de assunto, o poeminha está demais. Que espantoso trocadinho. Nunca tinha lembrado de relacionar AMOR com ROMA :-))

    Beijinhos a todos!!! Já doi o dedo de tanto escrever :-))))

    ResponderEliminar
  15. Rute, minha amiga! Este calzone está profissional heim! Muito bem elaborado. Só podia mesmo resultar neste calzone esplêndido.

    ResponderEliminar