23 agosto 2009

ARROZ À VALENCIANA NA PAELHEIRA ELÉCTRICA

ARTIGOS RELACIONADOS:

Paelha Vegetariana na paelheira eléctrica
Arroz de Forno na paelheira eléctrica

Reza a história da paella que a terra natal deste prato é Valência, uma região na costa leste de Espanha, banhada pelo mediterraneo. Foi um prato que nasceu no interior, muito confeccionado pelos camponeses que saiam de casa para o trabalho rural e consigo levavam uma panela rasa, redonda, com alças, azeite, sal e um punhado de arroz. Facilmente elaboravam uma paella para o almoço em cima de brasas.

As primeiras paelhas eram ricas em legumes e pobres em carne. Carne essa, proveniente de caça, sobretudo lebre e pato. Os moluscos e o marisco só chegaram à paella quando esta desceu à praia e se difundiu pelo litoral, onde acrescentou lulas, polvo, choco, camarões, lagostins, mexilhões e ameijoas. Sofrendo uma grande alteração e passando a ser rica em carne, moluscos e marisco, pobre em legumes e em arroz. Dada a sua metamorfose, passou de prato pobre para prato rico.

Quando a paella chegou a Portugal começou a ser chamada de arroz à valenciana, incluindo enchidos (chouriços e salsichas) e criação (aves).

E agora vamos ao que interessa, à receita de arroz à valenciana veggie:

Gostaria de chamar a vossa atenção para as diferenças nestes 3 pratos de arroz apresentados por mim até à data. Esforcei-me por diversificar os ingredientes.

Base 1- cebola
Base 2 - alho francês
Base 3 - dentes de alho

Legumes 1 - Pimento, tomate e milho
Legumes 2 - Cenoura, Chuchu, Courgette e Abóbora
Legumes 3 - Tomate, Cenoura, Pimento e Ervilhas

Fonte de proteina 1 - Tofú e Seitan
Fonte de proteina 2 - Seitan e Chouriço de Soja
Fonte de proteina 3 - Soja granulada e Salsichas de Soja

Tempero 1 - Açafrão, Curry e Pimenta
Tempero 2 - Paprika, Cominhos e Pimenta
Tempero 3 - Açafrão, Curry e Louro

INGREDIENTES:

1 cháv (café) de óleo de milho;
8 dentes de alho;
1 lata de cogumelos biológicos laminados;
1 chávena de soja granulada média;
Miso q.b. (pasta de soja);
1 tomate;
1 tira de pimento verde;
1 cenoura grande;
1 cháv (chá) de ervilhas;
2 cháv (chá) de arroz carolino;
Açafrão, curry e 3 folhas de louro;
Sal grosso (2 colh de sobremesa);
Algas Hiziki demolhadas (pouca quantidade);
Água a ferver q.b.;
1 frasco de salsichas de soja.

CONFECÇÃO:

No dia anterior, hidrate a soja granulada em água durante 30 minutos. Esprema e tempere com miso de cevada. Reserve de um dia para o outro. A soja que uso é um tamanho ligeiramente acima do granulado fino, mas, a baixo do granulado grosso. Se só tiver granulado grosso, depois de demolhado, corte em pedaços mais pequeninos.

Colocar o óleo na paelheira e ligar. Começar por juntar os alhos cortados em 4, ao alto, os cogumelos escorridos e a soja temperada de miso. Mexer com colher de pau para saltear no óleo.

Juntar a cenoura e o pimento aos cubos. Continuar sempre a mexer.

Juntar o arroz e temperar com açafrão, pouco curry e 3 folhas de louro. O facto de termos começado por um refogado de alho e agora estarmos a juntar louro dá ao arroz um sabor a bife frito.

À parte demolhe as algas hiziki durante uns minutos (enquanto o arroz frita).

Numa chaleira eléctrica, ferva água. Entretanto, junte as ervilhas congeladas e as algas ao preparado da paelheira, mexa com a colher de pau, tempere de sal e por fim regue com a água a ferver. No meu caso, como não tinha ervilhas e tinha um resto de milho enlatado, substitui. No entanto, as ervilhas são fundamentais no arroz à valenciana.

Tape e deixe cozinhar até sumir o líquido. Prove uns bagos de arroz para ver se ainda está muito duro, caso contrário, desligue e deixe terminar de cozer no calor adquirido.


Para terminar, corte 5 salsichas de soja e decore o arroz. Tape ainda uns minutos, já depois da decoração para incorporar sabores. Não aconselho a juntar as salsichas antes de cozer o arroz porque estas salsichas perdem sabor quando dentro de água quente.

Acompanhei com chá gelado segundo sugestão da Ameixinha neste post
aqui.

10 comentários:

  1. Rute além da receita a decoração está um must!
    Bjs

    ResponderEliminar
  2. Amigam mais um petisco saído da paelheira 100% aprovado!

    Gostei de saber a origem do prato, que eu desconhecia.

    Beijinhos.

    ResponderEliminar
  3. uau. que aspecto!! e o sabor deve ser optimo.
    beijos

    ResponderEliminar
  4. É boa, hoje o meu almoço foi cachupa, e tb há a rica e a pobre... e a assim-assim... :)
    É engraçado como os pratos vao sofrendo alterações ao longo dos tempos e tb dos lugares onde são feitos. Gostei de saber da história.
    Que lindo que ficou, com essa bela flor salsicheira!
    bjs

    ResponderEliminar
  5. Acho que a 3 é a minha favorita :) Se tem chá gelado ainda melhor he he

    ResponderEliminar
  6. E a saga continua...e que rica saga ...ficou lindo :)

    ResponderEliminar
  7. E eu já jantava outra vez!!!

    Mas terça-feira vou-me vingar, ai vou, vou!!!

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  8. Que delicias, para mim podem vir as 3 paellas! Muito bom, vou ter que experimentar! Beijinhos

    ResponderEliminar
  9. E apesar de parecidas são muito diferentes de paladar.

    Como achei muito interessante a estória da paella resolvi partilhar :-)

    P e M, ainda nem sei o que te vou dar de comer na 3ªf!! Vai na volta comes arroz!

    Obrigada pelas visitas.

    ResponderEliminar
  10. E com muito gosto, a minha mãe sempre me disse que eu tinha uma costela chinesa!!!

    ;o)

    ResponderEliminar