17 setembro 2009

SLOW FOOD - Espinafres da horta de varanda

Demoraram meses a crescer e esta lentidão vai gerando aos poucos, em mim, um sentimento de respeito pelos alimentos. A tomada de consciência que nada é automático, que requer dedicação e muitos dias de rega manual, é uma das melhores formas de adquirir responsabilidade por tudo o que fazemos nesta vida.

Agora que chegou a hora de os comer, quem é que tem coragem para desmanchar a bonita floreira de espinafres? Tenho andado à volta deles a prometer-lhes uma receita digna do seu esplendor, mas nada me ocorre suficientemente majestoso. Comê-los crús, salteados, triturados... ai que dor de cabeça!

Porém, sei que ao consumi-los, não vou destruí-los por completo, pois posso colher-lhes as folhas e deixar os tronquinhos e os rebentos para voltarem a produzir. Gosto desta ideia de "eternidade", uma vez que até dizem que o espinafre pode sobreviver ao Inverno em zonas temperadas.

Tudo começou com uma floreira onde coloquei a palha do kit de cogumelos misturada com terra nova e composto fabricado aqui na horta de varanda. O composto é constituido por restos de cozinha (só cascas de vegetais e frutas) com natureza morta do jardim e alguma terra, em camadas, esquecido durante meses num recipiente para compostagem.

Preparada a terra do vaso, foi, introduzir a semente de espinafre nova-zelandia adquirido na loja online jardicentro, regar e esperar :-) Sabe bem vê-los aparecer na terra escura, é uma alegria acompanhar o seu crescimento progressivo. A vida é de facto algo de muito extraordinário.

9 comentários:

  1. Ai que linda!
    É um grande prazer ver a natureza produzir, seja alimentos ou flores.
    Seu espinafre está maravilhoso.
    Sinto falta de um espaço para uma hortinha. A minha é micro, quase microscópica.... rsrs!
    Bom final de semana!

    ResponderEliminar
  2. Estão lindos esses espinafres e merecem uma receita digna de tamanha dedicação.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  3. Estão lindos, até dá pena comê-los

    Bjs

    ResponderEliminar
  4. Fazes tuas as minhas palavras não é Claudia :-)

    Gina, sabe que é possivel em espaços pequenos ter hortas verticais? Ora veja aqui o link:

    http://planetasustentavel.abril.com.br/blog/gaiatos/20080212_lst_assuntos.shtml

    SushiB, a receita ainda está a ser pensada. Ando fraca de ideias :-( E preguiçosa de mãos.

    Gasparzinha, isto deve ser o que sentes quando vês a horta do teu pai.

    Sandra G. já comi 2 folhas. Experimentei umas folhas cruas e são docinhas! Nada amargas como as de compra.

    ResponderEliminar
  5. Os espinafres estão lindos, e compreendo perfeitamente a relutância em colhê-los. Mas é verdade, podem-se ir retirando as folhas e eles vão continuando a crescer, pelo menos até começarem a espigar e a dar semente.
    Também eu tenho desenvolvido um grande respeito pelos alimentos, desde que passámos a ter uma horta!

    ResponderEliminar
  6. Olá Pequete,

    realmente temos de respeitar tudo e todos. Não estamos sozinhos neste mundo. Há muita vida para além da humana.

    Esta maneira de ir retirando as folhas aos espinafres fez-me lembrar os ovos e as galinhas. Ou seja, eu também não sou capaz de matar uma galinha, muito menos se fosse eu a criá-la. Mas não tenho problemas em comer os ovos.

    Claro que têm de ser ovos de galinhas tratadas com respeito. Respeito pela vida!

    Beijinhos e obrigada pela tua visita.

    ResponderEliminar
  7. É isso, Rute! Disseste tudo tão bem! :)
    Sabes que a minha mãe tb tem espinafres em vasos, e estava toda orgulhosa deles. Ela tem uma varanda grande e soalheira (ai que inveja, a minha é tão "canininha"!) :))
    e tb tem feito umas experiências.
    bjs

    ResponderEliminar