30 setembro 2009

UVAS DESIDRATADAS EM CACHOS

Em Setembro são as vindimas em Portugal e no terreno da aldeia também lá tenho umas videiras de uva de vinho. Quando comprei o terreno em Fevereiro de 2008 incluia oliveiras e vinhas (pequena área).

O ano passado o vizinho da aldeia teve a amabilidade de apanhar as minhas uvas antes que os pássaros e os insectos as comessem pois são docíssimas. De seguida pendurou-as no armazem dele para secarem e esperarem pela minha ida lá. Como só fui em Janeiro de 2009 semear as batatas, trouxe as uvas meio desidratadas pois estiveram desde set a jan a secar ao natural. Cá em casa dei-lhes uma desidratação final e usufrui de passas o resto do ano até agora.

Novo setembro, nova vindima, diferentes possibilidades: O vizinho anda em obras e não podia ter lá as uvas penduradas este ano. Dai que trouxe-mas para baixo e lá fui eu à Moita buscar um alguidar de uvas de vinho.

Comi algumas normalmente e outras foram ao desidratador durante 3 dias. De dia, ficaram ao sol, de noite aproveitaram a electricidade mais barata e secaram com o desidratador ligado. Maravilhosas, desta vez nem se desprenderam do cacho. É engraçado ver passas em cacho e é bom aproveitar o que a natureza nos oferece.

No final de Outubro a aldeia espera por mim: vou apanhar a azeitona, varejar as oliveiras, levar o fruto à cooperativa de azeite e curtir alguma para comer de salmoura.

Video exemplificativo:

23 comentários:

  1. Que fixe! Também lá tenho uvas dessas, de vinho, são super doces mas têm uma casca muito grossa e um caroço enorme! Trago-as e como não gosto muito de as comer assim experimentei fazer sumo delas e ficou excelente! Bjs

    ResponderEliminar
  2. Huugh! Gostasse eu de passas... :) :) :)

    Beijinhos.

    ResponderEliminar
  3. Suzi eu tenho de 2 qualidades. As pretas são maiores e têm de facto um caroço notório. Nas brancas não se sente o caroço. E a casca de ambas é normal.

    Gasparzinha, isso é que é ser amiga :) Não gostas de passas mas comentas na mesma. Obrigada!

    Bjinhos.
    P.S.-Alguém quer vir varejar???

    ResponderEliminar
  4. Olha que belas passas para a passagem de ano. :)
    Bjs

    ResponderEliminar
  5. Adoro passas!!
    E já agora, na aldeia as uvas não têm caroços, têm grainhas :)
    Há um doce muito bom feito com o sumo da uva (mosto) várias frutas e frutos secos. Vou ver se descubro a receita.

    ResponderEliminar
  6. Sandra G,

    por acaso na passagem de ano as passas irritam-me um bocado. Fiquei traumatizada com a obrigatoriedade de comer 12 de empreitada!

    Anónimo ou anónima :)
    Grata pela correcção. Uma moça de cidade é mesmo assim, trapalhona.

    ResponderEliminar
  7. Rute, nem sabes as saudades que tenho de varejar as oliveiras e andar de cú para o ar a apanhar azeitonas.. O meu avô vendeu o terreno e com ele as oliveiras.. Mas que gostava, gostava!
    Boas varejadelas!
    beijinho

    ResponderEliminar
  8. Pois, eu também tenho brancas e pretas, mas as qualidades que enumerei são iguais nas duas! O sumo das uvas fiz utilizando um copo que vinha com a varinha mágica que faz talvez as vezes de um passe-vite, maquina com a qual nunca me entendi. O copo separa o suco do resto, tipo máquina de sumos - fica excelente! Bjs

    ResponderEliminar
  9. No seguimento do comentário no meu blog (ehehehehh) devo dizer-te que varejar e apanhar azeitona é duro. As costas doem ao fim do dia. : ) Mas é muito giro, vais gostar.

    Ainda bem que te fiz recordar uma coisa boa, tu também me fizeste! ; )
    bjo

    ResponderEliminar
  10. Quanto é que pagas por dia? Estou a precisar de uns trocos extra... :))))

    Por acaso gosto de apanhar azeitona, já o fiz no Alentejo. Claro que uma coisa é andar lá umas horitas "na brincadeira", outra é trabalhar naquilo a sério, é mesmo muito cansativo!
    Mas se precisares, diz :)
    estou com tantas saudades do campo, este verão não fui à Beira Alta, fiquei nostálgica.

    bjs

    ResponderEliminar
  11. ah, ah! acho que já dá! (comentar nos blogs, leia-se). Pelo menos consegui deixar três comentários no Aprender Sem Escola.... ;)

    Pois também adoro passas, sobretudo dessas das uvas docinhas (também cá tenho umas uvinhas vindas directamente do "produtor" (as minhas filhas estiveram no fim-de-semana passado a vindimar na terra dos avós e trouxeram um balde delas! Já marcharam quase todas, são da qualidade "Fernão Pires", adoro, brancas, pequeninas e dulcíssimas!

    Boa apanha da azeitona (vemo-nos antes, entretanto...;) )
    Beijinhos
    Isabel

    ResponderEliminar
  12. É verdade, a Luísa também vai almoçar na Sexta... vai ser uma reunião!

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  13. Rute!!!

    Tu es genial!!

    A minha mãe deu me uns cachos de uvas miudas, que detesto por terem imensas grainhas.... estão no frio a estragarem-se simplesmente...

    Vou desidratar!! Mas diz-me, depois não se notam as grainhas nas passas???

    beijinhooo! Adorei ver as tuas em cacho hehehe

    ResponderEliminar
  14. As passas são muito gostosas. Costumo comê-las em pratos salgados e doces, com prazer!
    Ter as uvas e as azeitonas no quintal, ah isso é bom demais!
    Bjs.

    ResponderEliminar
  15. Olá,
    Começo por pedir desculpa por ser "anónima" :) mas a anónima chama-se Teresa, nunca me dei ao trabalho de criar uma conta, mas já sigo os vossos blogs à algum tempo. Já descobri a receita do doce, é um doce tipico na região de Pontével e chama-se Arrôbio. Cá vai:)
    1 l de sumo de uva branca
    1 l de sumo de uva tinta
    1 kg de açúcar
    1 kg de maçã
    1 kg de marmelo
    1 kg de pêra
    1 kg de melão

    Põe-se o sumo de uva a ferver juntando a fruta cortada aos quartos.
    Quando a fruta estiver quase cozida junta-se o açúcar e deixa-se apurar muito bem, colocando-se de seguida em pequenos frascos de vidro. Pode-se juntar pedaços de noz.

    ResponderEliminar
  16. assim nunca as tinha visto mas acho que o sabor vai ser semelhante as que não estão em cacho lol...jinhos doces xxx

    ResponderEliminar
  17. A minha avó também costumava pendurar assim uvas e para além de as comermos murchas que eu adorava, também sobravam as passas, bela recordação :-)

    ResponderEliminar
  18. Olá minha gente, obrigada pelos comentários.

    Claudia M., se quiseres vir brincar com a vara ficas já convidada a juntar-te ao varejamento :-)

    Verdinha, sim, notam-se as grainhas, mas como costumo cortá-las ao meio para juntar ao pão, bolos ou arroz, aproveito e tiro-lhes algumas grainhas mais notórias. Outras irão servir para fazer vinho de kefir.

    Gina, pois é! Conseguir estes produtos da nossa própria terra tem outro sabor. Com tempo aquela terra ainda vai produzir muito mais. Talvez daqui a 2 anos já tenha laranjas, limões e figos de lá. Plantei as árvores ano passado.

    Teresa, obrigada pela receita de arrôbio. Desconhecia, mas vou querer experimentar. Só não sei é se será esta ano pois já não tenho uvas frescas!

    Ricardo, sejas bem aparecido. Também tenho de ir espreitar o teu blog. Já andas com mais tempo para publicar???

    Beijinhos a todos,
    Isabel falo contigo amanhã.
    Margarida contigo já falei entre blogs/comentários :)

    ResponderEliminar
  19. Alcina,

    estavamos simultaneamente a comentar :)

    Os tradicionalismos trazem lembranças tão agradáveis de recordar. Eu não tenho gente na familia que se dedicasse à agricultura. Somos todos da cidade, desde bisavós, avós e pais.

    As recordações que tenho da minha bisavó prendem-se com crochet, ponto cruz, costura... Por isso é que eu sai uma menina tão prendada!

    O gosto de cozinhar também herdei. Agora o amor pela terra e pela natureza não sei a quem fui buscar!?

    ResponderEliminar
  20. Também ando de olho num desidratador de alimentos mas após ter pesquisado na wikepedia não sei se gostei do que lá dizia... o sabor não fica o mesmo e num sabor mais oxidado o que pode ter o gosto de chá seco.
    Gostava de saber da tua opinião... vale a pena e qual a duração dos alimentos desidratados?

    ResponderEliminar
  21. Olá Sofia, bem-vinda,

    não estou nada de acordo com essa opinião da wikipédia. Até à data não notei qq sabor oxidado nos alimentos que desidratei.

    Para mim o desidratador só tem um senão: Só vale a pena comprar um, se a pessoa costuma ter excesso de produção dum quintal ou quinta. Pois comprar alimentos frescos para desidratá-los de seguida não compensa. Mais vale comprá-los logo desidratados.

    Especialmente no caso de optares por produtos biologicos que são bem mais caros.

    No entanto, o desidratador é uma ferramenta fundamental para crudivorismo. Se tens interesse nesse tipo de alimentação, então vale a pena comprar um.

    O meu desidratador é o excalibur de 5 tabuleiros. É enorme e só compensa pô-lo a trabalhar cheio. Assim chego a estar 2 horas a descascar frutas ou vegetais para encher os tabuleiros. Dá um certo trabalho. Só mesmo para quem se diverte com estas coisas como eu!

    Beijinhos,
    espero ter ajudado.

    ResponderEliminar
  22. Olá! Descobri este blog há uns dias precisamente porque estava à procura de opiniões sobre a rentabilidade de um desidratador.. Ora bem, pelo que percebi do úlitmo post, não aconselha a compra de um aparelho destes para quem não cultiva (ou tenha familiares que o façam). Eu gosto imenso de fruta desidratada e tenho-me abastecido na Suiça, quando lá vou, pois é bastante mais barato do que cá, mesmo as frutas desidratadas biológicas (penso que é por ser popular já há bastante tempo). No entanto, por vezes recebo carradas de fruta ou legumes e não sei o que lhes fazer para além de congelar. Tinha pensado em desidratar no forno, mas não sei o que compensará mais : a electricidade gasta pelo forno (mesmo com bi-horario) ou comprar um desidratador mais pequeno para estas eventualidades (sendo que também gastaria electricidade). Já agora, outra pergunta : como conserva os tomates secos? Eu compro-os sem estarem em azeite, mas pelo que tenho lido noutros blogs, têm-se dito que é necessário conservá-los dessa forma. Qual é a sua opinião? Desculpe a extensão do post, mas já me apercebi que é uma especialista em desidratação :P Obrigada pela atenção!

    ResponderEliminar
  23. Sabi, desculpe a demora na resposta, estranhamente, só hoje é que vi o seu comentário!

    No seu caso que recebe com frequência frutas e legumes em bastante quantidade, justifica-se comprar um desidratador sim. É mais economico que o forno e super prático de usar.

    Os tomates desidratados guardo-os de 2 formas, ou no frigorifico dentro dum saquinho de plastico, ou dentro de azeite com alho. Duram mais em azeite. Mas o importantante é não apanharem muito ar para não oxidarem.

    Beijinhos.
    Bom ano 2011.
    Rute

    ResponderEliminar