14 novembro 2009

RIPAR AZEITONAS OU VAREJÁ-LAS??

E lá iamos nós preparadas para varejar a azeitona quando nos trocaram as voltas: Varejar?? Não senhora, aqui nós ripamos as azeitonas, não as varejamos!

GLOSSÁRIO:

Varejar - Bater nos ramos das oliveiras com uma vara para fazer cair o fruto na rede colocada no chão à volta da árvore;

Ripar - Significa percorrer o ramo da oliveira com a mão fechada e com o ramo no meio da mão, com força, para extrair as azeitonas em direcção ao chão. No sentido de cima para baixo. Dá a sensação que se está a "mungir" a árvore, ora com a esquerda, ora com a direita.

Por sorte, tive a ideia de levar umas luvas de lã que já tinha usado quando semeei batatas. Deslizam na perfeição. Aconselho o seguinte fardamento: Roupa velha e confortável pois as azeitonas deixam nódoas; mangas compridas para evitar ficar com os braços todos arranhados; cabelo apanhado no caso de ser comprido e chapéu de pála (evita detritos nos olhos); luvas de lã justas aos dedos; ténnis para poder subir às árvores com maior facilidade e baton protector contra o cieiro :))

Quem assim for equipado nada tem a temer! EU FUI! Vim sã e salva, sem mazelas, embora um pouco cansada e dorida. Este "treino" substitui uma semana de ginásio. Trabalha todo o corpo, bicípete, tricípete, ombro, costas, quadricípete, glúteos, gémeos... Hoje doi tudo, mas aguenta-se!

O ritual da apanha da azeitona é deveras interessante: começa-se por colocar a "saia" de rede na árvore (com regras especificas de colocar e retirar), fixam-se as escadas em segurança nos locais estratégicos (há quem ate a escada à árvore para evitar surpresas desagradáveis), e toca a ripar! Do chão nos galhos mais baixos, da escada nos galhos mais altos, ou até mesmo empoleirada na árvore, ripámos 66 kilos de azeitona limpa em 4 horas. Fomos elogiadas pelos vizinhos.

66 kilos são muitos kilos para 2 mulheres sem experiência da apanha de azeitona. Os homens?? Os homens da cidade não gostam de campo. Gostam mais de Playstation, Xbox e Wii. Pelo que lá fomos nós as duas, armadas em macaquinhas, subir às árvores. O que nos valeu, foram os ensinamentos do Ti Tonecas e da Esposa. Não nos ajudaram a ripar mas conduziram todo o "workshop".

Assim que se acaba uma oliveira, enrola-se a rede por forma a juntar todas as azeitonas num só sitio do pano. Guarda-se em sacas com a ajuda de baldes. No fim de todas as árvores ripadas, peneira-se a produção (conforme foto 6,7,8,9 e 10) para separar fruto das folhas. Reserva-se em sacos plásticos de 33 kilos cada um que serão conduzidos ao lagar para transformar azeitona em azeite.

ARTIGOS RELACIONADOS:

Vindima e Apanha da azeitona através de varejar as árvores
Curtir azeitonas em casa

20 comentários:

  1. Eu adorava fazer isso em miúda lá na aldeia, mas optávamos por varejar as árvores, sempre era mais prático.
    Gosto mais da apanha da azeitona que da vindima! :)
    Bom Domingo*****

    ResponderEliminar
  2. Que máximo esse post!
    Aqui não temos as azeitonas, infelizmente. Compensa o trabalho e as mulheres é que são guerreiras por aí... rsrs!
    Por falta de azeitonas, "varejo" as amoras! Ainda tem um pé abarrotado, que deu frutos depois dos outros e assim já me renderam 3 litros de sorvete e muitos cupcakes.
    Amei, Rute!

    ResponderEliminar
  3. hahaha, deve ser super giro experimentar!! :)

    ResponderEliminar
  4. Bela reportagem.
    Dá trabalho, mas compensa sabemos a origem do que comemos.
    Bjs

    ResponderEliminar
  5. Rute,

    Como sempre com post´s muito interessantes e com informações preciosas.

    Bjs

    ResponderEliminar
  6. Pahh, a mim só me faltam as oliveiras, eu até me empoleirava nas árvores para ripar, varejar, tropeçar e me aleijar he he

    ResponderEliminar
  7. Confesso que nunca fiz,mas observei muitas vezes em míuda.
    Que lembranças me trouxeste....
    E a receita da cor?
    beijos

    ResponderEliminar
  8. Bom, para o próximo ano já sabem, podem vir comigo subir às árvores.
    Transformar as lembranças em realidade :)) Bora lá??

    A receitinha da cor já lá está. Não falhei hein. Mas estive quase para fazer Greve ao Bege pois a cor não me inspira muito.

    ResponderEliminar
  9. Eu vou fazer o mesmo no primeiro fim de semana de Dezembro, lá em cima por terras trasnmontanas é sempre um pouco mais tarde.
    Tenho umas saudades :)
    Beijocas

    ResponderEliminar
  10. Esqueci-me de dizer que lá em cima as mulheres estendem as mantas e ripam as azeitonas dos ramos baixos, os homens varejam as dos ramos altos. E agora têm aparecido umas modernices que se põem a tiracolo, que trabalham a gasóleo e empestam o ar com um cheiro horroroso mas que abanam as oliveiras e já está. Eu pessoalmente detesto aquelas coisas, mas como eu ainda não tenho oliveiras, também não tenho escolha ;)
    Bjs
    Moira

    ResponderEliminar
  11. Ui Moira, lá em cima deve ser um gelo! Vais rapar um frio dos diabos :S Mas mesmo assim gostas. És como eu. Sou apaixonada por estas tradições e também não acho piada nenhuma a maquinetas a fazerem barulho e a cuspirem fumo.

    Aqui em Cascais, há uns homens a limparem as folhas do chão com uns aspiradores ou "empurradores" que fazem um barulho insurdecedor. Eu moro num 4ºandar, tenho vidros duplos e mesmo assim oiço e incomoda-me imenso. Ora não era mais ecologico varrerem as folhas???

    Na "minha" aldeia não quero lá máquinas nenhumas. Aquilo lá é um silêncio de ouro. Enquanto lá estivemos parece que o tempo parou de tão sereno q estáva.
    Bjinhos.

    ResponderEliminar
  12. Bela apanha!:) Eu vou fazer domingo o mesmo!Muito trabalhinho!mais de 30 oliveiras!mandaste fazer azeite na cooperativa local?
    ***
    sofia

    ResponderEliminar
  13. Olá sofia,

    e como fazes nas tuas 30 oliveiras? Ripas ou varejas?

    Ainda não levei as minhas azeitonas ao lagar pois tenho de ir apanhar mais no próx fim de semana e depois levo todas juntas. Mas sim, são para converter em azeite :)

    ResponderEliminar
  14. Rute!
    Por aqui, os grãozinhos de café, verdes e vermelhos, que me são tão íntimos - como são as azeitonas para vocês. Obrigada por dividir a experiência. Um beijo, N

    ResponderEliminar
  15. Neide, por acaso já vi grão de café acabado de apanhar mas nunca presenciei o processo completo. Devem ser apaixonantes as plantações de café!

    Obrigada pela visita.
    Beijo!

    ResponderEliminar
  16. Ganda mulher e gandas homens que isso também.

    ResponderEliminar
  17. Só uma nota, o azeite para ser realmente bom deve ser processado no mínimo de HORAS possível logo após a apanha da azeitona...

    PS: 66 kilos de azeitona não dão mais de 10 litros de azeite (bem fundido)...

    ResponderEliminar
  18. Olá, bom dia.
    Grata ao Simon e ao/a anónimo pelos comentários.
    Informações extra nunca são demais.
    No total dos 2 dias de apanha, foram quase 200 kilos e derão 5 garrafões de 5 litros cada.
    Abraço.
    Rute

    ResponderEliminar
  19. Espetacular Regina!
    Adoro varejar as Oliveiras. Apanhar é q já n gosto tanto. :P eheheh

    São momentos saudáveis e super divertidos.
    Adorei o teu post.

    Beijinhos e boa semana.

    Aurea Sá

    ResponderEliminar