28 novembro 2009

TRANSMONTANA VEGETARIANA DE SEITAN

A Transmontana com puré ou com arroz branco fica bem de qualquer maneira. Amanhã vou experimentar com esparguette ou quem sabe com fatias de pão torrado :))
Provei a transmontana de seitan no Paradox em Cascais e deu-me imediatamente vontade de confeccioná-la em casa, uma vez que tinha por cá couves da terriola.
Em casa, dei-lhe um toque especial: Rúcula. Liga esplendidamente com a feijoada. Acreditem em mim!
INGREDIENTES:
  • Azeite q.b.;
  • 1 Cebola média;
  • 2 dentes de alho;
  • 1/2 chouriço de soja;
  • 1/2 farinheira de soja;
  • 1/2 copo de Vinho de kéfir e uva-passa (ver etiqueta kefir);
  • 1/2 pacotinho de polpa de tomate;
  • Água de cozer feijão branco;
  • Feijão branco;
  • Couve lombarda;
  • Couve portuguesa;
  • 1 cenoura grande;
  • 250 gr de seitan;
  • Molho de soja para temperar seitan;
  • Sal q.b. e água a ferver;
  • Rúcula para decorar.
CONFECÇÃO:
Numa panela de ferro faça um refogado com azeite, cebola, alho, e assim que a cebola murchar junte o chouriço e a farinheira às rodelas. Deixe refogar. De seguida deite o vinho de kéfir. Deixe apurar. Junte a polpa de tomate e uma parte da água de cozer o feijão branco assim como o próprio feijão préviamente cozido. Deixe ferver.
Entretanto, corte o seitan aos cubinhos e tempere de molho de soja. Deixe a marinar.
Corte as cenouras aos cubos e as couves às tiras. Adicione água a ferver à panela ao mesmo tempo que junta as couves e as cenouras.
Quase no final de estar tudo cozido, junte o seitan. Passados uns 5 minutos, apague a panela tapada. Certifique-se que está tudo bem tenrinho.
A Transmontana, assim como todas as outras feijoadas ficam melhores cozinhadas na véspera e comidas no dia a seguir. Ou então cozinhadas umas horas antes, sendo reaquecidas para servir. Deste modo o molho espessa um bocadinho e apuram os sabores dos enchidos de soja.

16 comentários:

  1. Rutinha os transmontanos até se devem andar a revirar por lá com tamanha ousadia, eles que gostam tanto de uma carninha e de um enchidinho bem salgadinho e cheio de gordura, esta dietética deve-lhes cair mal heheh
    Mas que tem um excelente aspecto tem ;-)
    Pois é eu tenho andado desaparecida, até pela resposta ao comentário se nota hehe, porque eu agora é mais contas e letras, a cozinha está um bocadinho ao abandono :-)
    bjinhos

    ResponderEliminar
  2. Está com muito bom aspecto, acho que nunca comi seitan, e se comi foi há tanto tempo que já nem me lembro.
    Bjs

    ResponderEliminar
  3. E que tal um transmontano vegetariano(e de seitan, por que não)? :)
    Rico prato, sim senhora!:)

    ResponderEliminar
  4. Adorei, adorei, adorei. Comia agora um belo pratinho.

    ResponderEliminar
  5. Uma delicia Rute, realmente tu fazes cada coisa que nem me passa pela cabeça.
    Beijocas para ai

    ResponderEliminar
  6. Já não como feijoada há um tempinho. Agora com o frio é que sabe bem :) Até prefiro sem o raio da carne mas tem que ter muita couve e cenourinha he he

    ResponderEliminar
  7. Eh eh eh pois é, tamanha ousadia fazer uma transmontana sem as carnes e enchidos tipicos :))

    Mas que fica tão boa ou melhor do que a outra, fica de certeza!!

    ResponderEliminar
  8. Adoro a feijoada assim, sem carnes! Deve ter ficado deliciosa! Sabes que o meu filho mais velho este fim-de-semana viu-me a mim e ao pai a esfolar e arranjar uma lebre de caça que nos trouxeram do Alentejo. Ficou tão impressionado que não a quis comer. Ou seja aproveitei logo para o puxar para o vegetarianismo, porque cozinhar para dois já dá algum alento! Beijinhos

    ResponderEliminar
  9. A maior parte das pessoas se tivessem de matar para comer, desistiam automáticamente de comer carne ou peixe.

    Eu vi o meu pai matar "n" aves pois ele tinha galinheiro no quintal. Achei sempre aquilo muito cruel e ficava aflita com o desespero dos galinaceos. Logo após a "matança" vinha o depenar que é algo super mal cheiroso. Dá um trabalho horrivel e o cheiro das penas escaldadas fica na casa durante dias :S

    Por outro lado o meu pai tem como profissão cortador, ou talhante. Durante anos e anos as suas mãos cheiravam a carne crua e as manchas do sangue dos animais custava a sair.

    Não há nada como lidar com frutas e vegetais, na cozinha ou fora dela. Que experimenta já não quer outra coisa.

    ResponderEliminar
  10. Nunca experimentei feijoada sem carnes, mas a tua ficou tao linda e apetecivel. Que acho que sou capaz de partir a aventura e experimentar.

    Bjs

    ResponderEliminar
  11. :) Não podes ver nada! Ou melhor provar nada, que seja bom... :) :)
    Pois... também foi a razão que me levou a ser vegetariana (deu-me um clique quando se me assomaram essas imagens fortes da matança e outros pormenores...

    Beijinhos!
    Isabel

    ResponderEliminar
  12. Esta receita já está nas minhas receitas "a fazer". Deve ter ficado deliciosa.
    Bjs

    ResponderEliminar
  13. Apesar de não existir por aqui alguns ingredientes citados na receita, dá para fazer com o que temos por cá. E deve ficar saborosíssima !
    Sem matanças...

    O feijão-manteiga, raro de encontrar hoje em dia, eu costumava fazer com couve, receita que aprendi com minha tia portuguêsa.

    Beijo

    ResponderEliminar
  14. Pois é, sem matança!!

    Adoro tudo o que é leguminosas, desde feijão manteiga, passando pelo vermelho, preto...lentilhas...favas... hum é gustoso demais. Então com couve!

    Beijo pra vc tb.

    ResponderEliminar