21 dezembro 2009

FÁBRICA DE BOLOS - VISITA ESTUDO DOMESTICO

No passado dia 3 de Dezembro tive o privilegio de acompanhar uma visita de estudo do grupo de ensino doméstico. Para os que não sabem de que tipo de ensino estou a falar vou dar uma breve explicação acerca:

Em Portugal, assim como em vários outros países é possivel praticar ensino doméstico no domicilio. Neste tipo de ensino a criança não vai à escola e aprende em casa com o encarregado de educação ou com um familiar até ao 3º grau. Está sujeita a exames autopropostos em cada ciclo de escolaridade e é "obrigada" a seguir os projectos curriculares do ensino institucional.

O Ensino Doméstico defende que a criança aprende melhor senão for forçada a estar sucessivamente em competição como acontece no ensino "normal", senão for levada ao limite, com um dia inteiro de aulas e um fim do dia a fazer TPC, senão tiver de acordar de madrugada, à pressa, rodeada de stress dos pais que têm de chegar ao trabalho a horas e deixar os filhos na escola antes do toque de entrada, etc etc...

É uma realidade que estou a conhecer aos poucos e que muito admiro, embora não considero que se aplique ao meu caso, já que a Carolina está muito bem integrada na escola e na turma, para além de ser uma menina especial, com curriculo adaptado à sua "deficiência", com uma professora especial e colegas de turma especiais. E nem sequer me posso queixar de "bullying" ou algo semelhante pois felizmente, apesar dela frequentar uma escola de ensino básico normal, os colegas das outras turmas ajudam imenso as crianças deficientes e não as excluem ou maltratam.

Optar por ensino doméstico é uma grande responsabilidade e acima de tudo uma grande coragem. É bonito de se ver como estes pais são muito mais participativos na vida dos filhos. Nada lhes passa ao lado e esforçam-se por proporcionar-lhes um óptimo ensino e enriquecedoras experiências práticas. Por enquanto, apenas vou manter-me simpatizante deste movimento, absorver e partilhar experiências conforme possa continuar a acompanhá-los. Tenho a sorte de ter o melhor de 2 mundos :)

Mas voltando à visita de estudo: Fomos visitar uma fábrica de bolos em Sintra. Vimos máquinas enormes conforme podem verificar nas fotos. Imensa rapidez de execução na linha de fabrico. Achei curioso o facto de não usarem formas de bolo mas sim aros com cartão. A massa base dos bolos é consistente e não escapa por baixo do aro. Os fornos são industriais, cada prateleira leva 6 bolos de cada vez.

Assistimos à preparação dum bolo de aniversário para um menino que adora pizzas e tartarugas ninja. Reparem nos ingredientes da pizza. Fizemos o exercicio de tentar adivinhar que "ingredientes" iria o pasteleiro colocar na pizza através das cores de pasta americana que tinha em cima da mesa. Rosa para o fiambre, preto para as azeitonas, amarelo para o queijo derretido, verde para os espinafres e vermelho para o pimento. Engraçado não é? Foi muito interessante poder presenciar esta realidade no seu espaço natural.

Achei imensa piada ao frigorifico pois é como uma casa. Um pré-fabricado frigofico. Dáva-me imenso jeito cá em casa um no género. Deixaria de lutar com falta de espaço :) E a despensa!? Ou melhor o armazém de materiais de pastelaria? Ali é só ter imaginação e pôr mãos à obra.


Um agradecimento muito especial ao Pedro e à Isabel de Matos do blog
A Escola é Bela e ao grupo do Pés na Relva. Aproveito ainda para agradecer à professora da minha Carolina que permitiu que ela faltasse à escola para poder participar nesta actividade particular. Não me canso de elogiá-la pois é uma professora muito compreensiva e dedicada aos seus meninos. Aliás nós temos tido muita sorte com as equipas que têm trabalhado com a nossa filha. Desde professores, a auxiliares, a terapeutas, são todos umas joias. Pessoas muito humanas! Bem hajam!

22 comentários:

  1. Rute, que bela reportagem!
    Obrigada nós, por participares nas visitas, nos encontros e piqueniques.
    Eclarecendo: o nosso elo de ligação começou por ser o vegetarianismo (nós somos vegetarianos) e daí que falamos de tudo um pouco, incluindo o Ensino Doméstico que é sobretudo o que versa o nosso blog!
    Obrigada e beijinhos!
    Isabel

    ResponderEliminar
  2. Exactamente.

    Foi o vegetarianismo que nos juntou ou melhor...foi o selo da amizade que eu distribui à Carla do Magic Moments e ela distribui-to a ti. Deste modo chegaste ao meu blog e eu cheguei ao teu.

    É um prazer enorme ser vossa amiga.
    Estou em pulgas para a visita de estudo de Janeiro à Gráfica!!
    Beijinhos e obrigada mais uma vez.

    ResponderEliminar
  3. Rute, creio que ainda não haja algo semelhante no Brasil.
    É louvável o desempenho de quem opta por esse método de ensino.
    Trabalhei voluntariamente numa instituição que cuida de crianças especiais, na padaria. Foi muito gratificante aquela atividade, por todos os motivos. No final do ano, pediram-me para fazer bolachinhas de natal com a ajuda das crianças. Com a massa pronta, eu ia de sala em sala para as crianças abrirem a massa e usarem os cortadores com formatos natalinos. Era como brincar de massa de modelar e elas adoraram.
    Bjs.

    ResponderEliminar
  4. Gina, no Brasil estão lutando para aprovar o Ensino Doméstico, segundo o que li. Não sei se já foi aprovado.

    Mas o que é facto é que Ensino Doméstico não é para todos. Muito são os pais que não estão aptos a providênciar ensino escolar aos seus filhos. Apesar de poderem contractar professores para darem aulas particulares aos alunos domésticos.

    Há pequenas comunidades que preferem formar elas próprias pequenas "escolas" caseiras com 1 professor para 5 ou 6 crianças. O que é muito bom.

    Quanto ao seu trabalho voluntário, acredito que tenha sido super gratificante mesmo. A mim me dá enorme satisfação poder ajudar, ensinar e partilhar o que sei.

    Beijinho especial pra vc querida.

    ResponderEliminar
  5. Rute, nem sabia que havia ensino doméstico!!!
    Mas a ideia é espectacular, pois o ensino hoje em dia é um desastre.
    Tu e teu doce coração estão sempre a dar alegrias aos outros.

    Bjs

    ResponderEliminar
  6. Sandrinha, foi esse o propósito. Mais ainda do que mostrar a visita de estudo é dar a conhecer o Ensino Doméstico.

    É um conceito muito interessante não é? Educação home made :) É só o que me falta, depois de tudo caseiro só me resta virar-me para a educação caseira. E um dia é provavel que assim aconteça quando for altura de ensinar uma profissão à Carol. Possivelmente até terei de ser eu a sua entidade patronal :)
    Beijinhos.

    ResponderEliminar
  7. Depois deste post, minha querida, passei a admirar-te em dobro. Não fosse já tudo o que tu fazes e descubro que és ainda mais especial do que eu pensava.
    Também não conhecia o ensino doméstico, achei fabulosa a reportagem e a explicação.
    é só mesmo o que te falta mas talvez venhas mesmo a colcoar em prática com a carol.
    São estas coisas que me dão alento para pensar que talvez ainda nem tudo esteja perdido e o mundo possa ter salvação.
    Tu és fabulosa menina.
    Um beijinho especial para ti e um mais especial ainda para a Carol.
    Um Feliz Natal minha querida.

    ResponderEliminar
  8. Já conhecia o ensino doméstico e acho muito interessante. A reportagem está o máximo.
    Bjs

    ResponderEliminar
  9. Elisabete eu também acho que o mundo ainda tem salvação :) Parece que cada iniciativa privada não tem influência mas tem. Cada um só tem de olhar e melhorar a sua conduta. É o que eu tento fazer e foi a Carolina que me tornou especial.

    Por vezes não é fácil mas vai-se andando.
    Obrigada pelas tuas palavras. Emocionaram-me. Bom...mas como diz a Abelhinha, este periodo parece que nos deixa mais lamechas.
    Feliz Natal docinho para a familia Kindim :) Muitos beijos de laçarote.

    ResponderEliminar
  10. Obrigada Conceição.

    Tenho sentido a tua falta. Não tens publicado (tenho ido lá ver).
    Feliz Natal.
    Muita saúde.

    ResponderEliminar
  11. Eu ja conhecia o ensino doméstico, porque vi uma reportagem um dia destes na TV.
    Achei muito interessante a tua visita, e obrigado pela partilha, tu és uma pessoa especial, e só alguém como tu, com tanto para dar, podia participar e aderir a estas iniciativas.
    Parabéns à Carolina, pela mãe dedicada e maravilhosa que ela têm.
    P:S: liguei-te...Avatar?
    bjsssss

    ResponderEliminar
  12. Rute, adorei! Obrigada por me teres deixado o link e por ajudares a divulgar informação sobre o ensino doméstico.

    Gina, no Brasil, embora não a situação não seja muito clara, pois há quem diga que não existe qualquer impedimento constitucional ao ensino em casa enquanto que outros insistem que é anticonstitucional, já me disseram que são pelo menos 15.000 famílias a educar os filhos fora do sistema de ensino público.

    Rute, agradeço-te uma vez mais e espero que tenhas um Natal muito feliz.

    ResponderEliminar
  13. Nisto tenho que ser muito sincera: os teus bolos são mais bonitos he he Isto de misturar tartarugas comm pizza não é para mim ;)
    Não sabia que tinhas uma filha com NEE mas isso ainda faz de vós uma família ainda mais rica :) O que é a normalidade afinal? O amor e o carinho são tudo :)
    Bom Natal e Feliz 2010!

    ResponderEliminar
  14. Olá Rute!
    Mais uma publicação hiper interessante!
    Eu tenho uma bébé de 15 meses e por causa de notícias que por vezes ouço sobre vítimas de bullying nas escolas, sobre assaltos à saída das escolas e outras mais, tenho considerado essa hipótese para a minha filha, mas sei que existem razões muito mais fortes de que este meu receio, que levam a essa escolha. Por outro lado, temo estar a protegê-la demasiado e a impedir que as suas competências sociais se desenvolvam assim como a sua capacidade de se defender e confesso que estes argumentos têm pesado mais na balança quando pondero a questão.
    Queria também dizer-te Rute que por tudo quanto publicas, revelas ser uma pessoa muito humana...Uma verdadeira joía que merece a minha admiração!
    beijinho grande!

    ResponderEliminar
  15. Um dia destes vi uma reportagem sobre o ensino doméstico com o qual eu não concordo porque acho que todas as crianças precisam de conhecer outras pessoas, outras realidades, outros adultos e o facto de estarem a aprender com a família limita um pouco a partilha de experiências que, muitas vezes, acontece inconscientemente - os inputs de que falámos uma vez! Mas acho que quem se interessa por essa via de ensino o deve continuar a fazer, é diferente! De qualquer modo acho que essa visita de estudo deve ter sido interessantíssima - até eu adorava fazer essa visita! Beijinhos

    ResponderEliminar
  16. Rute, gostei muito da reportagem. Parabéns. E um Feliz Natal para ti e para a tua família. Um beijinho especial à Carolina.

    ResponderEliminar
  17. Este conceito de ensino é mesmo um acto de coragem, principalmente no nosso país.
    Deixo-te aqui o link do site da pioneer women, que além das receitas fantásticas, tem os filhos em home schooling, que nos estados unidos é bem mais frequente do que por cá, e tem uma secção do site dedicada ao tema:
    http://thepioneerwoman.com/homeschooling/

    Gostei muito desta reportagem, que ainda me fez lebrar uma visita de estudo que fiz no 5ºano à fábrica de bolos Alves e Alves: foi a loucura!
    Arcas com mega-alguidares de chantilly, 1001 bolos expostos em diferentes fases de confeccção, piscinas de chocolate ripado e no fim ainda nos ofereceram uns 8 bolos alinhados para nos deliciarmos à grande!
    :)

    Amiga, um grande beijinho e parabéns por seres a mãe maravilhosa que és!
    :)

    ResponderEliminar
  18. Obrigado pela partilha,feliz natal e um próspero ano novo...

    ResponderEliminar
  19. Excelente post, bastante informativo.
    Votos de Feliz Natal e Próspero Ano Novo x

    ResponderEliminar
  20. Minhas queridas,

    agradeço-vos imenso o carinho e as palavras aconchegantes. Obrigada pela companhia e pelas visitas frequentes. Tento retribuir com prazer.

    Sem vocês este blog também não tinha tanto sentido. Ele fica enriquecido cada vez que expressam a vossa opinião, favorável ou desfavorável, não interessa. O que interessa é que são diferentes pontos de vista e todas nós saimos a ganhar com a discussão salutar que se gera nestes comentários.

    Uma das maiores riquezas do ser humano é a habilidade de comunicar através da palavra, da escrita ou das imagens. Aproveitemos todos nós esta habilidade para passarmos conhecimento uns aos outros. Todos temos muito a aprender com a experiência alheia.

    Beijinhos a todas.

    ResponderEliminar
  21. Olá Rute,
    Já conhecia este ensino, através do teu blog. Hoje ao ler o teu post ainda te fiquei a admirar mais. Um grande beijinho

    ResponderEliminar
  22. És sem dúvida uma mulher digna de admiração :-)
    Adorei a reportagem.
    beijo grande

    ResponderEliminar