31 outubro 2009

ROLHINHAS - Artigo Jornal Ágora - SOS Terra

Para ler o artigo basta fazer duplo click na imagem:


Este é o 13ºartigo que escrevo para o jornal Ágora do Centro Comunitário de Carcavelos.

Os restantes artigos estão nesta etiqueta Ecologia aqui.

Documentário BBC sobre o Montado de Sobro em Portugal:


Documentário: "Forest in a Bottle" from EcoLogicalCork.com on Vimeo.

30 outubro 2009

BOLACHAS TOSCAS DE ALFARROBA E CAJÚ

Estas bolachinhas toscas são do melhor que há, excelentes para enganar os putos que julgam que estão a comer bolachas de chocolate sem o serem.

Fizemos-as ontem ao fim do dia. Hoje a Carolina levou uma caixa para a escola e esteve a distribuir pelos colegas da sala. Sei porque estive lá na hora do lanche da manhã a prestar uns serviços informáticos ao computador da sala. Eu já envio sempre mais do que ela consegue comer pois adora obrigar os outros a provarem o que a mãe Rute faz :))

INGREDIENTES:

1 Ovo;
125 gr manteiga vegetal planta;
125 gr açúcar integral de cana;
pitada de sal fino;
220 gr farinha trigo T65;
100 gr farinha alfarroba;
1 colher (sopa) canela;
1 colher (chá) fermento Royal;
Cajús crús partidos ao meio.

CONFECÇÃO:

No copo da bimby coloque o ovo inteiro, a manteiga aos pedaços, o açúcar integral, e o sal fino. Programe 30 segundos, velocidade 2 e 1/2.

De seguida junte as farinha (trigo e alfarroba), o fermento e a canela. Programe 15 segundos, velocidade 6.

Retire para um refratário, molde bolinhas no tamanho de brigadeiros. Num tapete de silicone espalme as bolinhas com a palma da mão, decore com metades de cajú crú e leve ao forno quente a 200º.

Inicialmente pensei colocar a massa no dispara-biscoitos mas estáva grossa demais. Por isso optei por fazer este formato tosco.

A receita base é a que utilizei nos
Corações de mousse solares simplesmente nesses usei chocolate e aqui substitui por alfarroba.

MANGA ENFORMADA EM PÃO

Nem tudo o que reluz é ouro, nem tudo o que brilha é prata! Há por aí muito pão havaiano, bem mais bonito que este mas que não lhe chega nem aos calcalhares!
Por isso, apesar da aparência pouco vistosa, resolvi publicá-lo na mesma. Tive aqui um contratempo inesperado: A massa resolveu crescer demais e saiu para fora da fôrma :(( E como senão bastasse, o topping agarrou na tampa e foi um caso sério para abrir a caixa.
Enfim, desventuras passadas, aqui está ele, o pão de fôrma com polpa de manga e topping de manga desidratada. Um MUST!
INGREDIENTES:
  • 3/4 polpa de manga, lata de 450 gr (eu coloquei 1 lata inteira, mas convém diminuir);
  • 1 colher (chá) de agar-agar;
  • 2 colheres (sopa) de manteiga planta;
  • 1/2 copo leite soja;
  • 2 ovos;
  • 2 colheres (sopa) coco ralado;
  • 1 colher (chá) sal fino;
  • 1 copo de flocos de batata (puré instantâneo);
  • 500 gr farinha de trigo T65;
  • 1 copo e meio de farinha de trigo à parte;
  • 1 pacote e meio de fermento Fermipan;
  • Óleo para untar a fôrma;
  • Manga desidratada para decorar.
CONFECÇÃO:
Deitar a polpa de manga no copo da bimby. Aquecer a 40º durante 1 a 2 minutos, velocidade 3. Juntar a agar-agar e triturar enquanto aquece o leite de soja com a manteiga no micro-ondas. Deitar o leite e a manteiga no copo da bimby e triturar mais um tempo enquanto abre os ovos para uma chávena. Deite os ovos e continue a triturar na velocidade 3.
Por fim, abra o copo da bimby, deite os restantes ingredientes à excepção do copo de farinha à parte, do óleo e da manga desidratada. Programe 4 min, velocidade Espiga, sem temperatura. A meio do tempo ajude com a espátula para fazer rodar melhor a massa.
Agasalhe o copo da bimby com um pano à volta e outro por cima. Deixe levedar até a massa sair por fora do bocal da tampa.
Enquanto isto, aqueça o forno com a fôrma de pão, tapada, lá dentro. E coloque a manga desidratada em água para hidratar.
Após a massa levedar, retire-a do copo e deite-a num alguidar enfarinhado. Amasse manualmente juntando farinha até obter uma massa elástica e pouco pegajosa. Forme um rolo com a massa, deite dentro da fôrma untada de óleo, decore com manga espremida e leve ao forno desligado para levedar um pouco mais.
Ao fim de 15 minutos verifique em que estado está a levedação. No meu caso foi tudo muitissimo rápido desde o inicio. Talvez porque a polpa de manga é doce pois eu não adicionei açúcar nenhum (não sei se repararam). O que é facto é que as leveduras trabalharam depressa e bem!
Por fim, ligar o forno a 200º, assar o pão durante 30 a 40 minutos. Na recta final, retirar o pão da forma e levá-lo mais 5 a 10 minutos a tostar por fora.

29 outubro 2009

LASANHA VEGGIE SEM PLACAS DE MASSA

Para desenjoar dos bolos e sobremesas trouxe-vos um prato principal: Lasanha Veggie com courgette a substituir as placas de massa.

A pedra de toque da minha lasanha foi o artigo do MuitoAçúcarPoucoSal.blogspot da Cacahuete:
Courgettes com atum. Assim que bati os olhos neste artigo fantástico, achei que tinha de confeccionar algo parecido e de imediato optei por confeccioná-lo ao jantar. Não me baseei na receita da Cacahuete pois absorvi apenas a essência, o fundamental: utilizar a courgette como substituição das tradicionais placas de massas alimenticias. E depois foi só seguir a lasanha tradicional. Embora a minha não leve molho de tomate (mas podia levar).
INGREDIENTES:
  • 1 courgette de 1 kilo (convém serem courgettes largas);
  • Granulado de soja médio (o calibre que uso é tamanho "ervilha" entre os nacos e a soja fina);
  • 1 lata de cogumelos de paris laminados;
  • 1 porção de tofú fumado aos cubos;
  • Pasta de miso;
  • Molho de soja;
  • Azeite e sal q.b.;
  • 3 a 4 dentes de alho esmagados;
  • Bechamel de soja;
  • Limão e salsa desidratada para decorar.
INGREDIENTES DO BECHAMEL DE SOJA:
  • 750 gr leite de soja (natural sem aromas, sem açúcar);
  • 90 gr farinha trigo;
  • 50 gr manteiga de soja (ou outra manteiga vegetal);
  • 2 colheres (sopa) de azeite;
  • Temperos: Sal, pimenta e noz moscada;
  • Sumo de limão.
CONFECÇÃO:
Hidratar a soja em água durante pelo menos 20 minutos. Espremer a soja da água e temperá-la com pasta de miso castanha e molho de soja. Escorrer os cogumelos da água de conserva e passá-los por água no passador.
Laminar a courgette com casca em placas grossas na mandolina e deixar com sal durante uns 15 minutos.
Numa frigideira refogar a soja com os alhos, os cogumelos e o tofú fumado em azeite. Retificar sal se necessário, embora o molho de soja já seja salgado.
Num grelhador de fogão ou frigideira anti-aderente, grelhar as placas de courgette sem gordura e limpas de sal (retirar a maior do sal com uma faca). Não grelhar até torrar, apenas dê uma grelhadela semi-rápida dum lado e de outro para secar água do vegetal.
À parte na Bimby, fazer o bechamel: todos os ingredientes no copo, programar 8 minutos, temperatura 90º, velocidade 4. Se no final o molho estiver muito espesso juntar mais leite de soja, sumo de meio limão e triturar na velocidade 5 já sem temperatura até misturar bem.
Terminadas todas as partes intermédias, colocar uma camada de placas de courgette num tabuleiro, rechear de soja granulada, cogumelos e tofú fumado, cobrir com molho branco, terminar com camada de placas de courgette grelhada e molho branco decorado com rodelas de limão e salsa desidratada.
Levar a forno forte durante 20 a 30 minutos, ligando o grill quase no fim para gratinar. Não vale a pena colocar queijo ralado. Sem queijo esta lasanha é bem mais light e saudável, amiga do colesterol :))
Peço desculpa de não ter tirado fotos da lasanha cortada mas estávamos cheios de fome e de qualquer das maneiras o molho branco não deixaria ver o perfil do corte. Até porque eu exagerei na quantidade de molho :(( Que em nada prejudicou o prato.

FORMA DOCE HAVAIANA COM BAGAS GOJI

Se eu soubesse o que sei hoje, nunca tinha comprado máquina do pão!! Não é que o pão de máquina seja mau, pois é excelente, mas ficava-me mais barato gastar 10 euros numa fôrma com tampa (já que tinha a bimby) do que gastar 100 euros numa MFP :(
O pão havaiano é um dos meus preferidos, dá ares ao brioche e ao pão de leite, fofinho, fofinho. Faço esta receita há mais de 4 anos na MFP. Agora resolvi tentar a confecção da bimby/fôrma de pão e ficou um luxo, bombástico! As bagas goji também lhe deram muita graça (coloquei-as pela 1ªvez).
INGREDIENTES (para máquina de pão):
  • 1 banana madura pequena;
  • 1 rodela de ananás;
  • 2 colheres (sopa) sumo de ananás;
  • 1/4 copo leite soja (copo medida MFP);
  • 1 colher bem cheia (sopa) manteiga soja;
  • 1 ovo inteiro;
  • 2 colheres (sopa) côco ralado;
  • 1/3 copo açúcar mascavado claro;
  • 1 colher (café) sal fino;
  • 1/2 copo flocos de batata (puré instantâneo);
  • 3 copos farinha trigo T65;
  • 2 colheres (chá) fermento Fermipan.
INGREDIENTES (para bimby e fôrma de pão com tampa):
  • 2 bananas;
  • 2 rodelas de ananás (enlatado conservado em sumo natural);
  • 1 chávena (café) sumo de ananás;
  • 2/4 copo leite soja (copo medida MFP);
  • 2 colheres bem cheias (sopa) de manteiga soja;
  • 2 ovos;
  • 4 colheres (sopa) côco ralado;
  • 2/3 copo açúcar mascavado claro;
  • 1 colher (chá) sal fino;
  • 1 copo flocos de batata (puré instantâneo);
  • 500 gr farinha trigo T65;
  • 1 copo e meio farinha trigo T65 à parte;
  • 1 pacote e meio de fermento Fermipan;
  • Óleo para untar fôrma;
  • Bagas goji para decorar.
CONFECÇÃO (na MFP):
Com a liquidificadora de mão triturar a banana com o ananás e o sumo.
Amornar o leite e a margarina no micro-ondas.
Juntar todos os liquidos na cuba da MFP e logo após todos os sólidos.
Programa pão básico (3 horas).
CONFECÇÃO (na bimby/Fôrma pão com tampa):
Na bimby juntar as bananas, as rodelas de ananás, o sumo e os ovos. Triturar 1 minuto, temperatura 40º, na velocidade 5 a 6. Enquanto isto aqueça o leite com a manteiga no micro-ondas. Junte à trituração sem parar de mexer.
Completado o minuto, abra a bimby e adicione os restantes elementos à excepção do copo de farinha à parte, do óleo para untar e das bagas goji. Ligue 4 minutos, velocidade Espiga, sem temperatura. Agasalhe o copo da bimby com um pano à volta e outro por cima. Deixe levedar até a massa tocar no copo do bocal.
Quando a massa atingir o bocal da tampa, aqueça o forno com a fôrma lá dentro e coloque as bagas goji a demolhar em água. Deite a massa para um alguidar enfarinhado e vá amassando e juntado a tal farinha do copo, incorporando-a na massa.
Unte a fôrma quente com óleo, deposite a massa moldada em rolo e decorada com as bagas espremidas da água de demolho. Desligue o forno e guarde lá a fôrma com a massa no seu interior a levedar uns minutos. De 15 em 15 espreite para verificar a evolução. Se notar que o forno perde calor, ligue mas mantenha-o no mínimo. Assim que a massa tiver levedado até 3/4 da forma, ligue o forno a 200º, durante 30 minutos.
Termine, retirando o pão da fôrma e levando-o por mais 5 minutos a tostar.
Só vos digo, é magnifico! O pão era grande mas o meu marido mal chegou a casa comer logo 1/3 sozinho!!
CONSIDERAÇÕES FINAIS:
Pode substituir os flocos de puré de batata instantâneo por puré de batatas cozidas. Já experimentei e dá certo na mesma.

28 outubro 2009

BOLO DE BOLACHA ROSA COM BAGAS GOJI

Podem agradecer à minha insónia, eu estar aqui a publicar a estas horas nada aceitáveis. Não sei porquê, nem me vou chatear com isto mas acordei às 4:40 da manhã e não consigo dormir. Vim ver blogs e publicar no meu :(
Contam-se pelos dedos das minhas mãos, as vezes que tive insónias, são ráras para mim, felizmente. Desconfio que está algo relacionado com a mudança da hora... Ou então é algo relacionado com o facto de estar a ter cursos de e-learning da minha profissão à noite e ontem foi a Avaliação Final de módulo. Estimulei demais o cérebro com as NCRF e o SNC (Grrrr). Bom, mas adiante que já se faz tarde.
Vim publicar a sobremesa rápida e de aproveitamento que fiz ao jantar. Com o resto do chantilly do bolo de aniversário da Carolina confeccionei um mini bolo de bolacha cor-de-rosa. Como? Eu explico:
  • Chantilly;
  • Xarope de Groselha;
  • Sumo de limão;
  • Bolachas Maria;
  • Bagas goji.
Misturar o chantilly com o xarope de groselha e o limão. Provar e rectificar acidez com mais limão, caso necessário.
Montar o bolo de bolacha, intervalando bolachas e recheio. Terminar com bagas goji. Levar ao congelador durante 1 a 2 horas. Comer geladinho :)
Mesmo neste tempo mais frio sabe muito bem pois a bolacha corta-lhe o gelado extremo. Gostei muito do creme de chantilly cor-de-rosa alimonado. Assim fresquinho é uma perdição. Ainda bem que só fiz esta quantidade da foto para nós os 2, porque é dificil parar de comer.
Noutro dia fiz uma versão parecida com esta, mas mais tradicional, do bolo de bolacha, com o aproveitamento do creme do Bolo bem brasuca:
  • Chantilly;
  • Café de cevada soluvel em pó;
  • Bolacha Maria;
  • Pepitas de chocolate para decorar.

27 outubro 2009

BATEU A NOSTÁLGIA...

Se eu estiver a aborrecer com estas lamechices, passem e não comentem :)) Mas fui remexer no album de fotos pois bateu a nostálgia...e deu vontade de publicar.
Na época de infantário participei muito na caminhada da filhota na escola. Depois com a entrada para a 1ªclasse fiquei sem tempo, pouca disponibilidade mental e deixei de contribuir com meu espirito criativo para a vida da Carolina.
Esta foto é bastante antiga, é de papel, teve de ser digitalizada para publicar. Foi tirada no 3º ou 4º aniversário da Carol, no dia em que a mãe virou palhaça :))
Tudo começou por uma solicitação minha a uma amiga que organizava festas infantis. Perguntei-lhe quanto custava irem à escola. E a minha amiga respondeu-me: "Rute, neste momento não posso aceitar trabalho pois estou sem partner! Nós costumamos fazer um teatrinho em que a minha partner adormece e quando acorda já é palhaço. A criançada adora este género de coisa de magia e etc."
Ao que eu respondi na brincadeira: "Cris, se é só adormecer e acordar palhaço eu ofereço-me para tua partner!"
E assim aconteceu! Lá fizemos o teatrinho, no qual a Cris explicava aos meninos que ia hipnotizar a mãe da Carolina. Depois de hipnotizada a Cris explicou que precisava de vestir a mãe de palhaço e pintar-lhe a cara e se haviam ajudantes na plateia?? Todos aceitaram, pisaram a mãe várias vezes enquanto me vestiam e pintavam (e os pinceis faziam bué de cocegas!! Dava imensa vontade de rir). No fim a Cris disse: "Vamos pôr um pó de perlimpimpim aqui na mãe para ela acordar palhaço e vamos combinar que ninguém diz pra ela que é mãe, porque ela não vai saber. É magia!!"
E pronto, lá acordei eu, comecei a falar à palhaça, na palhaçada e os miúdos riram imenso. Só a Carol é que ficou muito séria provavelmente a pensar: E agora? Deixo de ter mãe?

WORKSHOP DE PASTELARIA NA ESCOLA

Como a mãe da Carolina anda armada em pasteleira teve uma ideia brilhante (plin!):

Porque não dar um dia diferente aos meninos da sala da Carolina? É tão fácil fazer bolos na bimby e decorá-los com os cremes da Puratos que até uma criança consegue!

Juntou-se o útil ao agradável no dia de aniversário da filha. Assim à laia de prenda, a mãe passou o dia na escola e levou com ela a bimby, o forno eléctrico e a seringa de pasteleiro. Ensinou aos meninos como preparar um
bolo de chocolate em segundos. E todos colaboraram para o produto final.
Na noite anterior, deitou-se às tantas, a fazer chapéus de pasteleiro através dum molde que tinha :(( Hoje sente-se como se tivesse sido atropelada por um camião (sentido figurado claro). Está de rastos com tanta preparação, confecção, comemoração e comunicação!
A festinha decorreu às mil maravilhas. Fizemos o bolo de manhã, esperámos que arrefecesse, decorámos depois de almoço e preparámos a sala para receber outra turma convidada. Na mesa colocámos sandes de queijo, batatas fritas, rebuçados, refrigerantes e 2 bolos. Eramos muuuuitos! 35 ao todo e a comida desapareceu rapidamente. Juro que parecia que os meninos não comiam há semanas!!
Aqui fica mais uma ideia para fazer em familia :))

HELLO KITTY NO PAIS DAS MARAVILHAS


Vim num instante publicar o bolo que eu e os meus ajudantes (meninos da escola) confeccionámos para a Carolina que faz hoje anos!! Está a ser um dia muito cansativo mas muito feliz para todos, mãe, filha, professores, auxiliares e alunos.

Depois conto pormenores, por enquanto adianto apenas que a massa do bolo é a de chocolate, entremeio e cobertura de creme de chocolate, decoração de chantilly simples e chantilly com xarope de groselha mais pepitas de chocolate e confetis multicolores.

25 outubro 2009

BOLO BEM BRASUCA - ANIVERSÁRIO PARTE 3

Este ano estou umas mãos largas em questão de bolos de aniversários e comemorações do meu proprio dia. Coisa rara por estas bandas, pois há uns anos a esta parte que deixei-me de datas festivas, especialmente a minha.

Mas...agora...tenho um bom pretexto para ligar a estas festividades :)) Interesseira! Pois preciso de cobaias para comerem as minhas experiências. Ando a levar bolos a tudo o que é casa e com este já é o 3º!

Na casa da sogra os 8 familiares agradeceram o Bolo Bem Brasuca que inventei, que no fundo não é mais do que o Bolo Nega Maluca onde alterei o chocolate em pó por café de cevada em pó.

INGREDIENTES da massa de café:

4 ovos M;
1 chávena e meia de açúcar;
1 chávena e meia de farinha branca T65;
pitada de sal fino;
Meia chávena de amido de milho (farinha maizena);
3/4 de chávena de óleo (usei metade de milho, metade de amendoim);
1 chávena de cevada solúvel em pó (Pensal) ;
1 colher (sopa) de fermento Royal;
1 chávena de água a ferver.

INGREDIENTES do recheio e cobertura:

Creme de cacau trufado da Puratos para rechear e cobertura;
162,50 gr
Creme de Chantilly instantâneo;
250 gr de água;
4 colheres (sopa) café de cevada solúvel (Pensal);
"Grãos de Café" em chocolate para decoração.
CONFECÇÃO:
Pré-aqueça o forno. Ferva água numa chaleira eléctrica. E pulverize a forma com óleo e povilhe com farinha trigo.
Coloque todos os ingredientes da massa (à excepção da água) no copo da bimby. Programe 30 segundos, velocidade 4.
Junte a chávena de água a ferver e programe + 10 segundos, velocidade 4. Terminado o tempo ligue a bimby na velocidade Espiga até finalizar 3 amassadelas espiga (oiça o barulho da máquina).
Deite na forma e leve a assar a 200º inicialmente, baixando para 150º depois. Durante 45 minutos.
Enquanto o bolo assa, lave o copo da bimby, coloque dentro a água e o pó de chantilly. Programe 3 minutos, velocidade 5. Quase no fim, junte o café de cevada em pó. Guarde o copo da bimby no frigorifico.
Depois do bolo desenformado e arrefecido, corte-o ao meio, rechei-o e barre todo o exterior com creme trufado de chocolate. Depois encha a seringa de pasteleiro com creme de chantilly com sabor a café e enfeite. Termine a decoração com os grãos de café fingidos.
A minha decoração está pouco geométrica pois fiz tudo às pressas. Tremia como varas verdes de stress enquanto tentava que a criatividade ajudásse as minhas mãos a desenharem algo belo e simultaneamente rápido! Mesmo assim, ficou bonito, divinalmente saboroso mas pouco profissional :( Tempo recorde de recheio, cobertura e decoração: 15 minutos (inclui enchimento da seringa 2x dentro dos 15 min).

24 outubro 2009

FORMA SEMI-INTEGRAL - MÉTODO ESPONJA

Ando a revisitar os pães que costumava fazer na MFP adaptando-os agora à Bimby e ao forno convencional.

O pão segundo o
método esponja tem como objectivo diminuir a quantidade de fermento que se adiciona. No entanto, a diminuição de fermento torna-o num pão mais demorado, mas igualmente saboroso (aliás super delicioso) e mais saudável (sem tanta levedura quimica).

O ser mais demorado não obriga a que se perca mais tempo na cozinha. A levedação da massa é um processo autónomo que não requer a nossa presença. Pelo que enquanto as leveduras fazem a massa crescer nós podemos estar a fazer o que quisermos.

O link do
método esponja é um artigo que publiquei em Jan.09 e todo o processo era feito na MFP. Desta vez fiz a esponja na MFP, depois amassei a totalidade das farinhas na Bimby e assei no forno convencional. Obtém-se um pão maior e dá para decorar o pão com um topping à escolha.
A vantagem da fôrma de pão, para mim, é ser grande e durar quase 1 semana. Claro que somos fãs de torradas e só comemos pão ao pequeno almoço ou lanche. Os toppings tornam os pães lindissimos e o dia começa melhor com uma mesa graciosa :)
INGREDIENTES da esponja:
300 ml água morna;
300 grs farinha trigo T65;
1 colher e meia (chá) de Fermipan.
INGREDIENTES do pão:
Esponja;
200 ml leite de soja morno (sem aromas e sem sal);
3 colheres (sopa) de azeite;
200 grs de farinha de Centeio integral;
150 grs de farinha Trigo integral;
150 grs de farinha Trigo branca T65;
1 colher e meia (chá) de sal fino;
Passas de uva (vão atribuir frutose à massa);
Flocos de aveia.
CONFECÇÃO da esponja:
Colocar todos os ingredientes da esponja na cuba da MFP e seleccionar o programa Massa.
CONFECÇÃO do pão:
Aquecer o leite de soja no micro-ondas e deitar no copo da bimby. Juntar a esponja e todos os restantes ingredientes à excepção das passas e dos flocos de aveia. Programar 4 minutos, velocidade espiga. Ajudar com a espátula para a massa rodar dentro do copo da bimby.
Agasalhar o copo da bimby com um pano à volta e outro por cima da tampa. Esperar até que a massa levede e saia pelo bocal da tampa. Vai demorar pelo menos uns 30 minutos (senão mais).
Aqueça o forno com a fôrma de pão com tampa lá dentro. Aqueça e desligue o forno.
Quando a massa sair pelo bocal da tampa da bimby, retire-a para um alguidar enfarinhado de trigo. No meu caso não foi necessário amassar nem juntar mais farinha, simplesmente pressionei a massa para alargar em forma de toalha, distribui as passas no interir e enrolei ao tamanho da fôrma de aluminio.
Untar a forma com azeite, colocar a massa (costura para baixo) e decorar com passas e flocos de aveia. Fechar a fôrma com a tampa e levar ao forno ainda desligado, durante mais uns 30 ou 40 minutos para continuar a levedar.
Espreitar o interior da forma para verificar se o pão já cresceu bastante. Se sim, ligar o forno a 200º durante 30 minutos. Terminado o tempo, retira-se o pão da forma e devolve-se ao forno para assar mais uns 7 minutos.

21 outubro 2009

NOVA COMEMORAÇÃO DE ANIVERSÁRIO :)

Eu sei que o meu aniversário já foi há 10 dias atrás, mas o prometido é devido e numa empresa-cliente onde só vou quinzenalmente, os meus colegas aguardavam por um bolinho para me cantarem os parabéns.

Pelo que eram 7 da manhã quando entrei na cozinha para confeccionar esta inspiração rápida. Correu muito bem e muitos foram os elogios à aprendiz de pasteleira. Se foram elogios sinceros ou não, isso já não sei.

A base do bolo resgatei-a do forum bimby. Há muito que queria testar o
Bolo Nega Maluca publicado pela p_sequeira. No entanto cortei nas quantidades originais de açúcar e óleo. Ficou espetacular. Super fofinho. Cá em casa ficaram doidos com as aparas :))) O que vale é que fiz 1 queque à parte para a Carol levar para o lanche da escola.

INGREDIENTES da base:

4 ovos M;
1 chávena e meia de açúcar;
1 chávena e meia de farinha branca T65;
pitada de sal fino;
Meia chávena de amido de milho (farinha maisena);
3/4 de chávena de óleo (usei metade de milho, metade de amendoim);
1 chávena de chocolate em pó;
1 colher (sopa) de fermento Royal;
1 chávena de água a ferver.

INGREDIENTES da cobertura:

325 gr de
Creme instantaneo de Chantilly;

1/2 litro de água purificada;

Bagos de 1 romã grande.
CONFECÇÃO:
Pré-aqueça o forno. Ferva água numa chaleira eléctrica. E pulverize a forma redonda com óleo.
Coloque todos os ingredientes (à excepção da água) no copo da bimby. Programe 30 segundos, velocidade 4.
Junte a chávena de água a ferver e programe + 10 segundos, velocidade 4. Terminado o tempo ligue a bimby na velocidade Espiga até finalizar 3 amassadelas espiga (oiça o barulho da máquina).
Deite na forma e leve a assar a 200º durante 30 minutos.
Enquanto o bolo assa, lave o copo da bimby, coloque dentro a água e o pó de chantilly. Programe 3 minutos, velocidade 5. Guarde o copo da bimby no frigorifico.
Depois do bolo desenformado e arrefecido, prepare a seringa de pasteleiro com o chantilly e os bagos de romã para enfeitar. Primeiro barre todo o bolo até desaparecer superficie de chocolate e depois decore com enfeites de chantilly e bagos de romã :)
ALERTA: Esta decoração não é do livro de pastelaria! É fruto da minha imaginação apenas.

19 outubro 2009

FORMA DE IMPROVISO C/ TOPPING DE SEMENTES

Há surpresas agradáveis. A fôrma de improviso que apresento hoje, foi uma delas :)

Pensava eu, fazer um pão de alfarroba idêntico ao que faço na MFP quando me deparei com um problema: apenas uma quantidade miserável de farinha de alfarroba na despensa!

Entretanto, olho para o resto da farinha de cevada que sobrou
desta moagem caseira e adivinho-lhe um prazo curto de validade: imediatamente, impõem-se utilizá-la antes que se estrague!
E aí começa a criação duma receita improvisada, respeitando sempre aquele principio de 3/4 de farinha de trigo e 1/4 de outras farinhas.
INGREDIENTES:
  • 100 dl de água;
  • 400 dl de leite soja (natural, sem aromas);
  • 100 gr farinha integral de trigo;
  • 70 gr farinha integral de cevada;
  • 30 gr farinha de alfarroba;
  • 1 colher (sopa) de canela em pó;
  • 1 colher (sopa) de açúcar integral (mascavado claro);
  • 3 colheres (sopa) de óleo soja (prensado a frio);
  • 1 pacote e meio de Fermipan;
  • 570 gr farinha de trigo branca T65;
  • 30 gr farinha maisena (amido de milho);
  • 3 colheres (chá) de sal fino;
  • Sementes (sésamo preto, linhaça gold e girassol).
CONFECÇÃO:
No copo da bimby colocar a água e o leite morno (costumo aquecer no microondas), o trigo integral, cevada integral, alfarroba, canela, açúcar, óleo de soja e fermento. Programar 2 min, vel 2, temp 37º.
De seguida juntar metade da farinha de trigo T65, sal, maisena e a restante farinha de trigo. Programar 4 minutos, velocidade Espiga. Ajudar com a espátula para rodar a massa. Assim que terminar, agasalhar com um pano à volta do copo e outro em cima da tampa. Deixar levedar até a massa sair pelo bocal da tampa.
Enquanto isto, aqueça o forno com a forma vazia lá dentro. Deite a massa levedada num alguidar com farinha trigo e forme um rolo à medida da forma de pão.
Desligue o forno, retire a forma, unte-a com óleo de soja e coloque a massa no interior com a mistura de sementes por cima (parti as de girassol ao meio). Tape, leve a forma ao forno desligado mais um tempo para 2ª levedação. Ao fim de 15 minutos, ligue o forno a 200º, durante 40 minutos.
No fim do tempo, retire o pão da forma e leve novamente ao forno durante 5 minutos para corar por fora.

PORMENORES PARTICULARES:
Quando retirei a massa da bimby para amassar, julguei que a tinha estragado ao juntar demasiada farinha branca na hora de amassar manualmente. O preparado, inicialmente fôfo e volumoso, havia perdido volume e elasticidade após a minha intervenção :( Conclui que o pão terminaria tipo pedra! Buááá!
Mesmo assim não desisti, sempre à espera dum milagre que acabou por acontecer. Após 15 minutos de levedação dentro do forno desligado, mas quente, espreitei e a massa tocava na tampa da forma. Foi o pão que mais cresceu das 3 fôrmas que fiz até hoje!!
Vitória, vitória, acabou-se a estória :) ou será história??

16 outubro 2009

FORMA BROA DE MILHO C/ LEITE SOJA

world bread day 2009 - yes we bake.(last day of sumbission october 17)WORLD BREAD DAY Challenge (para aceder ao blog do desafio basta clickar no selo)
A receita que vou apresentar aqui não foi inventada agora. É adaptada dum pão que faço com regularidade na MFP, muito parecido com a receita da
ISI. Aliás vou publicar as duas maneiras de confeccioná-lo.
INGREDIENTES para a MFP (ciclo rápido):
  • 1 copo (medida da MFP) de leite de soja;
  • 3/4 copo (medida MFP) de água;
  • 1 colher grande (medida MFP) de açúcar;
  • 1 colher grande (medida MFP) de óleo milho;
  • 1 colher pequena (medida MFP) de sal fino;
  • 3 copos (medida MFP) de farinha trigo T65;
  • 1 copo (medida MFP) de carolo de milho;
  • 1 pacote Fermipan.
INGREDIENTES para bimby/forno convencional/forma pão:
  • 200 gr carolo de milho;
  • 600 gr farinha trigo T65;
  • 1/2 litro de leite soja natural (sem sal, sem aromas);
  • 1 colher (sopa) açúcar integral;
  • 3 colheres (sopa) óleo de milho;
  • 1 pacote e meio de Fermipan;
  • 3 colheres (chá) de sal.
CONFECÇÃO:
Na MFP é só amornar a água com o leite, deitar na cuba da MFP todos os ingredientes pela ordem da lista e programar ciclo rápido.
Na Bimby, colocar o carolo de milho, o leite morno, açúcar, óleo e fermento. Programar 2 minutos, velocidade 2, temperatura 37º.
De seguida, juntar a farinha de trigo e o sal. Programar 4 minutos, velocidade Espiga, sem temperatura. Assim que terminar, agasalhar com um pano à volta do copo da bimby e deixar levedar. É relativamente rápido. Quando a massa sair pelo bocal da tampa, está pronta.
Enquanto isto, aqueça o forno com a forma vazia e destapada lá dentro. Deite a massa levedada num alguidar com farinha trigo e forme um rolo para caber dentro da forma.
Desligue o forno, retire a forma, unte-a de óleo e coloque a massa lá dentro. Tape, leve a forma ao forno desligado mais um tempo para 2ª levedação. Ao fim de 10 minutos, ligue o forno a 200º, durante 40 minutos.
Retire o pão da forma e "devolva-o" ao forno para alourar por fora, uns 5 minutos. Depois de arrefecido, conservar o pão embrulhado num pano. Dura assim 4 dias. É óptimo em torradas.
CONSIDERAÇÕES FINAIS:
O carolo de milho é uma moagem de milho mais grossa do que farinha. Pode ser adquirido na secção vegetariana dos supermercados ou no Celeiro. No entanto, se tiver milho de cachupa em casa (branco ou amarelo) pode fazer carolo de milho na bimby com uns toques de turbo. É o que eu faço. Assim evito ter vários pacotes na despesa, basta-me ter o milho seco para diversas confecções.

15 outubro 2009

SOPA DE MELÃO PELE DE SAPO E C.BRUXELAS

Desta vez fui eu que não tive sorte nenhuma no melão que comprei. O infeliz sabia a pepino! Vai dai, lembrei-me de juntá-lo à sopa já que ninguém o queria comer ao natural :( Correu bem. A sopa ficou boa e não se sente o melão.

As couves de bruxelas que utilizei são umas miniaturas muito saborosas que comprei na mercado biologico de Oeiras. Uma delicia, nada amargas.

INGREDIENTES:

1 alho francês (em brasileiro Alho-porró);
1 cebola média;
100 gr de abóbora;
1 courgette média com casca (em brasileiro Abobrinha);
1/2 nabo;
2 fatias de melão (sem casca);
Espinafres em folha q.b.;
1 Cenoura ralada;
Couve de bruxelas q.b.;
3 colheres (sopa) linhaça gold;
Azeite e sal q.b.

CONFECÇÃO:

Num tacho colocar a parte branca do alho francês partida, a cebola, abóbora, courgette, nabo e melão aos cubos. Cobrir com água até tapar (não ultrapassar) e temperar de sal. Deixar cozer.

Quando os vegetais estiverem macios juntar o azeite e triturar. Adicionar as pequenas couves de bruxelas cortadas ao meio ou em 4. Arranjar e lavar as folhas de espinafre. Ralar a cenoura. Adicionar ambos à panela.

Quando as couves estiverem cozidas, deitar 3 colheres de sementes de linhaça para engrossar o caldo. Se o seu caldo estiver já bastante encorpado, junte menos sementes ou nenhumas. Porém sabe muito bem encontrá-las. A função da linhaça é dar uma textura gelatinosa à sopa. Na saúde humana tem a função de regular o intestino (veja a etiqueta Linhaça para saber mais sobre este super alimento).

ARTIGO RELACIONADO:

Sopa de Alface e Linhaça

14 outubro 2009

CURTIR AZEITONAS EM CASA - FERMENTAÇÃO


Eu curto bué azeitonas :)

Dependendo a quem eu disser isto, assim entendem significados diferentes. Pois se na gíria, curtir é gostar (eu curto = eu gosto... muito de azeitonas), na tradição artesanal, curtir é tratar as azeitonas colhidas para se tornarem comestíveis (eu curto = eu trato... muitas azeitonas).

Cá em casa curtimos bué comer azeitonas :) Mas até à data nunca as tinhamos curtido através do processo de fermentação em salmoura.

No artigo das
uvas desidratadas falei-vos que em breve iria varejar as minhas oliveiras da aldeia. Mas antes mesmo deste acontecimento marcante, encontrei na feira de Tires, azeitonas crúas à venda. Tal e qual como saem da árvore. E como tinha imensa curiosidade de saber o processo por que passavam até chegar à nossa mesa, perguntei à senhora da banca o que fazer.

A vendedora explicou-me tim tim por tim tim. Até me deu a conhecer 2 maneiras tradicionais de curtir as azeitonas, consoante faziam no Norte e no Sul de Portugal. Optei pelo processo mais crudivoro, já que o outro processo consiste em começar por escaldar as azeitonas com água a ferver.

INGREDIENTES:

Azeitonas sem amolgadelas;
Água q.b.;
Alhos esmagados;
Oregãos secos em folha;
Sal q.b.

CONFECÇÃO:

Com uma faca dar golpes nas azeitonas ao alto (chama-se a isto, retalhar). Usei luvas de borracha para não ficar com os dedos coloridos (embora as pretas sejam piores).

Deixar 5 dias em água (usei purificada). Trocando a água de manhã e à noite, todos os dias.

No fim desses 5 dias, temperar com alhos esmagados, sal e oregãos secos. Colocar água durante mais 10 dias, trocando a água, uma vez por dia e reforçando sal. Também pode reforçar tempero de alho e oregãos de 2 em 2 dias.

As azeitonas mantém-se assim de 15 dias a 6 meses, desde que não se esqueça de trocar a água e de reforçar sal. O processo de fermentação retira o excesso de sabor amargo (oleuropeína) tornando as azeitonas comestiveis. Embora bastem 15 dias para as fermentar, é usual manterem as azeitonas numa salmoura mais forte apartir deste tempo para conservar. Dai que as primeiras azeitonas estão no ponto de sal, mas as seguintes já têm de ser dessalinizadas em água doce antes de irem à mesa.

Finalmente entendo o porquê do meu sogro dizer que não tinha azeitonas para o almoço porque não as tinha preparado para irem à mesa. E de a minha sogra reforçar a impossibilidade afirmando: Ainda estão muito salgadas!

Portanto, recapitulando, o sal serve para controlar o processo de fermentação. Caso contrário as bactérias e leveduras responsaveis pela fermentação das azeitonas apodreciam o fruto se estivessem num meio pouco salinizado. A fermentação é um género de pré-digestão, um inicio de "apodrecimento" saudável.


ARTIGO RELACIONADO:

Conservas Pickles sem Vinagre