29 novembro 2009

ENSAIO DE NATAL COM ESTRELA CADENTE

Tenho um grupo de amigas, muito amigas, daquelas mesmo mesmo amigas, intitulado Núcleo Duro. Somos 6 e há precisamente 8 anos existimos e reunimos mensalmente como grupo, ora na casa de uma, ora na casa de outra. Fazemos jantares reais pois são todas excelentes cozinheiras e cada uma fica encarregue de levar uma iguaria (a mim calha-me sempre levar o pão caseiro pois as meninas não passam sem o meu pãozinho e nenhuma outra se dedica à padaria).

Desta vez estáva dificil de reunir pois andamos todas num ritmo alucinante de trabalho e de vida familiar. Até que optámos por, em vez de jantar fazer lanche-ajantarado. Vai daí que como ando nesta fase de pastelaria e alguém disse que levava scones para o tea time, pude baldar-me ao pão :))

Comecei a criar e não sabia o que dali vinha. Mas eis que o espirito de Natal possuiu-me, e dei à luz um ensaio de Natal com uma estrela cadente :)) E nem faltou o azevinho!

O bolo base é de café (ver receita aqui). O recheio e cobertura é de Creme de cacau trufado. O amarelinho é Creme de Pasteleiro preparado com mel. Bombons Mon Chérie! Nozes, groselhas frescas e Icing Sugar para desenhar a branco.

Eh eh eh fez um sucesso! Está lindo não está?

28 novembro 2009

TRANSMONTANA VEGETARIANA DE SEITAN

A Transmontana com puré ou com arroz branco fica bem de qualquer maneira. Amanhã vou experimentar com esparguette ou quem sabe com fatias de pão torrado :))
Provei a transmontana de seitan no Paradox em Cascais e deu-me imediatamente vontade de confeccioná-la em casa, uma vez que tinha por cá couves da terriola.
Em casa, dei-lhe um toque especial: Rúcula. Liga esplendidamente com a feijoada. Acreditem em mim!
INGREDIENTES:
  • Azeite q.b.;
  • 1 Cebola média;
  • 2 dentes de alho;
  • 1/2 chouriço de soja;
  • 1/2 farinheira de soja;
  • 1/2 copo de Vinho de kéfir e uva-passa (ver etiqueta kefir);
  • 1/2 pacotinho de polpa de tomate;
  • Água de cozer feijão branco;
  • Feijão branco;
  • Couve lombarda;
  • Couve portuguesa;
  • 1 cenoura grande;
  • 250 gr de seitan;
  • Molho de soja para temperar seitan;
  • Sal q.b. e água a ferver;
  • Rúcula para decorar.
CONFECÇÃO:
Numa panela de ferro faça um refogado com azeite, cebola, alho, e assim que a cebola murchar junte o chouriço e a farinheira às rodelas. Deixe refogar. De seguida deite o vinho de kéfir. Deixe apurar. Junte a polpa de tomate e uma parte da água de cozer o feijão branco assim como o próprio feijão préviamente cozido. Deixe ferver.
Entretanto, corte o seitan aos cubinhos e tempere de molho de soja. Deixe a marinar.
Corte as cenouras aos cubos e as couves às tiras. Adicione água a ferver à panela ao mesmo tempo que junta as couves e as cenouras.
Quase no final de estar tudo cozido, junte o seitan. Passados uns 5 minutos, apague a panela tapada. Certifique-se que está tudo bem tenrinho.
A Transmontana, assim como todas as outras feijoadas ficam melhores cozinhadas na véspera e comidas no dia a seguir. Ou então cozinhadas umas horas antes, sendo reaquecidas para servir. Deste modo o molho espessa um bocadinho e apuram os sabores dos enchidos de soja.

26 novembro 2009

LASANHA DE ABÓBORA ASSADA E RICOTA

Decididamente o queijo ricota é o melhor recheio para massas! Para nós a tradição já não é o que era. Nunca fomos fãs de massas recheadas com molho de tomate e cobertas de molho bechamel. No nosso entender ficavam muito pesadas apesar de saborosas.

Descobrimos um mundo novo apartir dos
Canelones Gourmet. Nunca é tarde para alargar horizontes, especialmente no contexto gastronómico, não é verdade Sandra G.? É muito importante esta nossa permuta de descobertas entre blogs. Fico-vos muito grata.

A ideia de assar abóbora veio primeiramente do blog
MenosCaloriasMaisVida e de seguida do blog PãoBolos&Cia.. Por vezes é preciso ver e rever uma ideia para nos decidirmos por ela no seguimento daquela "máxima": se mais do que uma pessoa gostam é porque é mesmo bom.
INGREDIENTES:
Fátias de abóbora com casca;
Azeite (usei o azeite já das minhas azeitonas, é delicioso);
Ervas secas e frescas (usei oregãos, tomilho, cerefólio, salsa e coentros frescos);
Sal grosso q.b.
Azeite q.b.;
1 cebola média;
2 tomates médios;
Vinho de kéfir e uva-pássa (ou outro de compra);
1 pacote de natas de soja;
Pitada de sal;
1 colher (chá) de mel;
Manjericão fresco picado.
1 embalagem de queijo ricota;
8 metades de nozes partidas miúdo;
Sal fino e pimenta;
1 emb. de placas de massa para lasanha (ou massa fresca).
CONFECÇÃO:
Cortar a abóbora com casca às fatias (de preferência que seja biologica para poder comer a casca). Num almofariz juntar o azeite com as ervas. Barrar a abóbora com o tempero e deixar repousar durante uns 10 minutos (ou mais). Levar a assar na Actifry durante 30 minutos ou até conseguir espetar o garfo sem dificuldade. Também pode assar no forno normal a 200º.
Enquanto isto, faça o refogado de azeite, cebola e tomate. Junte o vinho de kéfir ou outro. Eu uso este por ser um produto caseiro e natural, muito suave de paladar. Deixe cozinhar e apurar. Triture ao mesmo tempo que junta as natas de soja, o manjericão fresco picado, sal e mel (para retirar acidez do tomate).
Noutra panela, coloque água a ferver para hidratar as placas de lasanha de compra. O ideal seria utilizar massa fresca caseira. Mas desta vez não foi possivel. E unte o tabuleiro com azeite.
Assim que a abóbora esteja assada, esmigalhe-a com faca e garfo. Corte a casquinha que é bem boa desde que seja biologica. Esmigalhe também o queijo ricota noutra tijela, onde vai juntar as nozes partidas. Misture os dois preparados: abóbora e queijo com nozes.
Comece a preparar o prato. Passe as fatias de lasanha pela água a ferver. Disponha no tabuleiro, aplique uma camada de recheio e alterne com outra camada de placas, sucessivamente, até terminar o recheio. Por fim deite o molho de cebola, tomate, vinho e natas de soja. Leve ao forno a 200º, durante cerca de 30 minutos. No final ligue o grill. Pode ainda colocar queijo ralado por cima mas tornará o prato muito calorico. Cuidado com o colesterol !! Para nós basta-nos o queijo do recheio, abdicamos do queijo gratinado.
Quase que me esquecia do acompanhamento:
Rúcula, 1/2 maçã reineta, azeite, sumo de lima e sal fino.

20 novembro 2009

VIM DAR NOTICIAS


Olá, cu-cu! Vim dar noticias.
Apercebi-me que alguns dos visitantes mais assiduos provavelmente têm-se indagado da falta de artigos diários no PPP e da ausência de comentários nos vossos blogs. Pois bem, não me perguntem o que se pássa porque nem eu sei explicar, mas de facto, a minha vida está terrivel e não estou a conseguir ter tempo para mim.
Apesar de continuar a ter uma saúde de ferro (por cá estamos todos bem), ando bastante cansada e os meus dias são passados a cumprir obrigações profissionais e familiares. Não sobra nada! Chego às 22:30 e só me apetece, não pensar em mais responsabilidades. Enfio-me na cama e durmo para recuperar. Não tenho estimulo para cozinhar e cumpro apenas o dever de o fazer.
Contudo não ando triste. Não se assustem. É apenas uma fase e em breve volto com mais criatividade. Para já, optei por conceder-me a mim própria umas férias na internet. E nem é questão de andar farta deste meio (NÃO ANDO!). Gosto imenso da partilha e das novas amizades. Simplesmente ando sem energia para alimentar o blog.
Beijinhos a todos/as.

15 novembro 2009

JOGO DA VELHA ou JOGO DO GALO - DIA BEGE

JOGO DA VELHA ou JOGO DO GALO (fonte:wikipédia) - É um passatempo popular, um jogo de regras extremamente simples, que não traz grandes dificuldades para os seus jogadores. Seu nome é originário de Inglaterra, quando nos finais das tardes, mulheres se reuniam a conversar e a bordar. As mulheres idosas, por não terem mais condições de bordar em razão da fraqueza de suas vistas, jogavam este jogo simples, que passou a ser conhecido como o jogo da "velha". Em inglês é chamado de Tic-Tac-Toe ou Nough and Crosses.

E como hoje só me apetece estar como as velhinhas, tapada com um cobertor, a ver TV, comer biscoito e beber chá, deixo-vos esta sugestão para se entreterem e comerem enquanto jogam. Têm é que ter muitas peças de jogo e só come quem ganha :))

Esta é mais uma participação para o dia da cor - BEGE do
Delicias e Talentos . Inspirada nos biscoitos de Polenta da amiga Ameixinha.

INGREDIENTES:

2 ovos inteiros;
1 e 1/4 chávena farinha trigo T65;
1 chávena de polenta milho;
1/2 chávena açúcar completo de cana;
1/2 colher (chá) sal fino;
1 chávena de pedaços de manteiga vegetal;
Raspa de 2 limões pequenos;
1/2 noz moscada ralada na hora;
1 colher (sobremesa) de canela em pó.

CONFECÇÃO:
Dentro do copo da bimby colocar todos os ingredientes começando pelos ovos mexidos com um garfo. Programar 20 segundos, velocidade 6. Seguido de 1 minuto, velocidade Espiga.
É importante não derreter a manteiga para melhores resultados. Convém no entanto adicionar manteiga à temperatura ambiente ou manteiga vegetal. Outro truque é colocar a manteiga aos pedaços pequenos.
Encher a seringa de pasteleiro e desenhar cruzes e circulos em cima dum tapete de silicone. Levar a forno a 200º durante 10 a 15 minutos.
Retire para fora e deixe arrefecer antes de mover os biscoitos, para não partir.

14 novembro 2009

RIPAR AZEITONAS OU VAREJÁ-LAS??

E lá iamos nós preparadas para varejar a azeitona quando nos trocaram as voltas: Varejar?? Não senhora, aqui nós ripamos as azeitonas, não as varejamos!

GLOSSÁRIO:

Varejar - Bater nos ramos das oliveiras com uma vara para fazer cair o fruto na rede colocada no chão à volta da árvore;

Ripar - Significa percorrer o ramo da oliveira com a mão fechada e com o ramo no meio da mão, com força, para extrair as azeitonas em direcção ao chão. No sentido de cima para baixo. Dá a sensação que se está a "mungir" a árvore, ora com a esquerda, ora com a direita.

Por sorte, tive a ideia de levar umas luvas de lã que já tinha usado quando semeei batatas. Deslizam na perfeição. Aconselho o seguinte fardamento: Roupa velha e confortável pois as azeitonas deixam nódoas; mangas compridas para evitar ficar com os braços todos arranhados; cabelo apanhado no caso de ser comprido e chapéu de pála (evita detritos nos olhos); luvas de lã justas aos dedos; ténnis para poder subir às árvores com maior facilidade e baton protector contra o cieiro :))

Quem assim for equipado nada tem a temer! EU FUI! Vim sã e salva, sem mazelas, embora um pouco cansada e dorida. Este "treino" substitui uma semana de ginásio. Trabalha todo o corpo, bicípete, tricípete, ombro, costas, quadricípete, glúteos, gémeos... Hoje doi tudo, mas aguenta-se!

O ritual da apanha da azeitona é deveras interessante: começa-se por colocar a "saia" de rede na árvore (com regras especificas de colocar e retirar), fixam-se as escadas em segurança nos locais estratégicos (há quem ate a escada à árvore para evitar surpresas desagradáveis), e toca a ripar! Do chão nos galhos mais baixos, da escada nos galhos mais altos, ou até mesmo empoleirada na árvore, ripámos 66 kilos de azeitona limpa em 4 horas. Fomos elogiadas pelos vizinhos.

66 kilos são muitos kilos para 2 mulheres sem experiência da apanha de azeitona. Os homens?? Os homens da cidade não gostam de campo. Gostam mais de Playstation, Xbox e Wii. Pelo que lá fomos nós as duas, armadas em macaquinhas, subir às árvores. O que nos valeu, foram os ensinamentos do Ti Tonecas e da Esposa. Não nos ajudaram a ripar mas conduziram todo o "workshop".

Assim que se acaba uma oliveira, enrola-se a rede por forma a juntar todas as azeitonas num só sitio do pano. Guarda-se em sacas com a ajuda de baldes. No fim de todas as árvores ripadas, peneira-se a produção (conforme foto 6,7,8,9 e 10) para separar fruto das folhas. Reserva-se em sacos plásticos de 33 kilos cada um que serão conduzidos ao lagar para transformar azeitona em azeite.

ARTIGOS RELACIONADOS:

Vindima e Apanha da azeitona através de varejar as árvores
Curtir azeitonas em casa

13 novembro 2009

CANELONES GOURMET DE RICOTA E ESPINAFRE

São poucas as imagens e as palavras para descrever os canelones gourmet...

Quando descobri esta preciosidade no blog da
Sandra G. jamais poderia imaginar (em tempo algum!) o prazer que iria sentir, ao degustar uns canelones tão suaves e delicados. Quem prova canelones de espinafre e ricota, nunca mais irá ter vontade de comer os tradicionais de carne, molho de tomate e bechamel.

Porém, não há nada como, comer com os olhos ao mesmo tempo que se come com a boca e para embelezar o prato lembrei do dia vermelho da
Gina, esta flôr de tomate que eu havia jurado, a mim mesma, reproduzir. O tempo foi passando e quase que esquecia de cumprir o prometido. Quem quiser ver o passo a passo do corte do tomate, basta clickar no link do nome.

E foi assim que finalmente dei uso à máquina manual de estender massa fresca. Com tanta ferramenta de cozinha tem alturas em que as pobrezinhas ficam guardadas em cima do armário meses sem fim. Lamentavelmente, a falta de tempo é inimiga do home made.

INGREDIENTES da massa fresca:

200 gr farinha trigo T65;
2 ovos;
1 colher (chá) de azeite;
1 pitada de sal;
sumo de beterraba q.b.

INGREDIENTES dos canelones (para 2 pessoas):

8 placas de massa fresca;
Azeite q.b.;
200 gr folhas de espinafre frescas;
3 dentes de alho picado;
1 embalagem de queijo ricota fresco;
8 metades de nozes partidas miúdo;
1 cebola média;
2 tomates médios;
Vinho de Kéfir e Uva-passa (ou outro vinho branco);
Pitada de sal e de açúcar fino;
1 pacote natas de aveia;
Manjericão em folha;
1 tomate rijo para decorar.


CONFECÇÃO da massa fresca:

Antes de começar a explicar, devo informar que eu dupliquei a receita. Ou seja, fiz 400 gr com 4 ovos, porque pretendo fazer outros pratos de massa fresca e a massa aguenta muito bem no frigorifico um ou dois dias.

No copo da bimby juntar os ovos, a farinha, o azeite e o sal. Triturar 15 segundos, velocidade 6. E de seguida, programar 4 minutos na velocidade Espiga. Enquanto amassa na vel Espiga vá deitando um pouco de sumo de beterraba (utilizei sumo de compra, beterraba com limão) e compensando com um pouco de farinha pelo bocal da tampa (processo molha/enxuga).

Também pode confeccionar a massa pelo processo manual. Sempre fiz massa fresca, mesmo antes de ter bimby e de ter máquina de esticar. Basta amassar com as mãos e esticar com o rolo.

Terminado o tempo de amassar, guarde a massa envolta em farinha branca, embrulhada em papel vegetal, no frigorifico, num minimo de 2 horas (mas pode ser mais tempo). Depois deste tempo é só esticar e cortar as placas à medida.

CONFECÇÃO dos canelones:

Num tacho faça um refogado de azeite, cebola, tomate e vinho. Deixe apurar, tempere de sal e pitada de açúcar para cortar acidez do tomate. Triture com a liquidificadora manual. Junte as natas de aveia e algumas folhas de manjericão. Corrija sal (mas não exagere). Volte a triturar. Reserve.

Enquanto isto, numa frigideira anti-aderente, dei-te o azeite, as folhas de espinafre cruas. Deixe murchar enquanto mexe. Adicione o alho picado. Cozinhe só até amolecerem todas. Deixe as folhas all dente. Junte as nozes partidas pouco antes de desligar. Quando estiver morno junte o queijo ricota (é idêntico ao requeijão).

Por fim, recheie as placas de massa com o preparado de ricota. Disponha num tabuleiro e cubra com o liquido de natas e tomatada. Leve ao forno a 250º graus. Na fase final ligue o grill para gratinar.

Assim que ligar o grill, prepare a decoração de tomate e folhas de manjericão.

ARTIGOS RELACIONADOS:

Fettuccine caseiro de Farinha de Milho

12 novembro 2009

BOLICACAU DE TRUFEX COM AMÊNDOA

Shame on me! Agora ando na vertente do instantâneo :( Nem parece meu! Logo eu que sou apologista do tudo caseiro e biologico.

Pois é meninas e meninos, também tenho as minhas fraquezas! Por vezes o tempo é tão limitado que até faz confusão.

Bom, ainda assim lá vou fazendo umas versões instantâneas caseiras em vez de comprar tudo feito e embalado. Compro semi-feito :)

INGREDIENTES:

1 pacote de farinha Brioche Nacional (500 gr);
220 ml de água purificada;
Chocolate em pó q.b. (é opcional);
Trufex - Creme de Cacau Trufado Puratos q.b.;
Amêndoa granulada q.b.;
Leite de soja para pincelar.

CONFECÇÃO:

Na MFP coloque a água morna e a farinha nacional para brioche. Programa Massa.

Quando terminar o programa massa, retirar para um alguidar enfarinhado e achocolatado. Isto se quiser bolicacaus morenos. No entanto, já utilizei a massa de brioche sem chocolate em pó no
ANPAN Bread Japonês e gostei mais dela clarinha. Partindo do principio que junta chocolate em pó, amasse bem a massa com o chocolate e alguma farinha.
Divida em porções, achate a quantidade de massa ao tamanho da sua mão. Recheie com creme de cacau trufado e amêndoa granulada. Feche em forma de rolinho e leve à Actifry ou ao forno préviamente aquecido, e desligado. Deixe levedar um bocadinho antes de ligar a Actifry ou o forno.
Quando tiver todos preparados, pincele de leite de soja e asse-os durante 10 minutos.

11 novembro 2009

SLOW FOOD - Beringelas da horta de varanda

Que grande surpresa tive à hora de almoço! Invadiu-me uma alegria tremenda, fiquei ao rubro quando ao regar a horta de varanda reparei nos frutos da planta de beringelas. Quando a comprei no mercado biológico de Oeiras no inicio de 2009 não pensei que viesse a dar frutos.

Trouxe-a para casa, pequenina em vaso, e até me esqueci dela em cima de terra velha. As suas raizes passaram pelos buraquinhos do vaso para a floreira e nessa altura só consegui encher o resto da floreira com terra nova até cima e cortar o vaso antigo à volta para não arriscar um transplante.

Tem crescido e crescido, parece quase uma árvore. Tem dado muita flôr mas nada de fruto (até à data). E precisamente na altura em que decorria um pensamento no género: Esta planta farta-se de dar flôr mas não há meio de dar fruto. PIMBA! Espreito por baixo das folhas e lá estavam eles, os ovos. Sim, as beringelas bébés têm já o tamanho de 1 ovo M. Impressionante!

A planta das beringelas é amississima dos
Espinafres, passam a vida entrelaçados juntamente com uma trepadeira e a Coração-magoado. As floreiras destas espécies são vizinhas e passam a vida na "casa" umas das outras em amena roçadeira. A trepadeira até já fixou raizes na casa das beringelas e na dos espinafres! Aqui reina um equilibrio magnifico. São estas pequenas coisas que me enchem o coração :)

04 novembro 2009

FOLHADO SORTIDO COM CREME E AMÊNDOA

Porra que já queimei a lingua!! Bem feito! Quem mandou comer o sortido quente??

Mal podia esperar por dar umas trincas no sortido folhado, dai que queimei a lingua com o creme de pasteleiro a ferver :(

Voltando um bocadinho mais atrás, à idealização do folhado sortido, surgiu para utilizar a sobra de creme de pasteleiro do
bolo do Noddy. Era suposto ter feito cornucópias com as formas que comprei por intermédio da Cinha mas não sei onde as guardei, virei a casa ao contrário e não as encontro. Dai que passei no blog da SóniaMeirinho vi os mini-croissants dela. Fui para a cozinha dar largas à imaginação recortando vários formatos: croissants, pasteis retângulares, amolfadinhas, etc...

INGREDIENTES:

Creme de pasteleiro instantâneo (250 ml água, 80 gr pó pasteleiro, 50 gr frutose);
1 emb. massa folhada retângular LIDL;
Amêndoa granulada q.b.;
Sementes de linhaça para decorar;
Açúcar branco em pó;
Canela em pó.

CONFECÇÃO:

Aquecer a Actifry durante uns minutos. Cortar a massa folhada: aos triângulos para os croissants, aos retângulos para os pasteis "tentugal", aos círculos para as almofadinhas e o restante, em placa para formato de rissois.

Rechear com creme de pasteleiro já pronto. Senão tiver pronto, faça na hora, juntando todos os ingredientes e misturando numa velocidade lenta e só depois numa velocidade forte (cerca de 3 minutos na velocidade 4 a 5 da bimby).

Adicionar amêndoa granulada ao recheio. Seja generosa pois sabe muito bem encontrar bastante amêndoa dentro do creme. Feche os folhados, decore com sementes de linhaça. Leve à Actifry ou ao forno a 250º durante uns 10 minutos.

Quando estiverem prontos, retire-os e povilhe com açúcar em pó e canela. Assim até fazem lembrar os pasteis de nata. Coma-os só quando estiverem frios (para não queimar a lingua!).

Este
creme da Puratos é bastante estável em temperaturas altas pelo que não há perigo de alterar quando vai ao forno (isto foi-me dito mesmo pelo técnico da Puratos).

03 novembro 2009

CARIL DE LENTILHAS E OUTROS LEGUMES

Confesso que ando muito sem rumo no que toca a pratos principais. A minha criatividade inclina-se exclusivamente para bolos, pães e bolachas, diariamente. Quando chega a hora de confeccionar o almoço ou jantar fico desnorteada e regra geral socorro-me das receitas já experimentadas e publicadas aqui no PPP. Preparo-as sem grande animo, rendo-me à obrigação de dar de comer à familia :(

Na semana passada lá consegui fazer algo de novo ajudada pela
Cacahuete que me serviu de inspiração na Lasanha Veggie sem placas de massa.

Esta semana é a
Gasparzinha que me dá uma ajuda com o seu Caril de Lentilhas e Batatas. E QUE AJUDA!! Pois na bimby o caril é relativamente rápido de fazer e muito prático sem ter de estar ali ao fogão a mexer o tacho e a ficar a cheirar a estufado (aquele cheirinho a sopeira que eu detesto. Aliás detesto todo e qualquer cheiro de estufados, fritos, grelhados, entranhado em nós. E logo eu que tenho cabelo comprido! O que vale é que as modernas máquinas de cozinha safam-nos desse estádo desagradável). Resumindo, quem tem bimby, programa a bichinha e sai da cozinha. Deixa a janela aberta para arejar e depois volta quando a bichinha apita a avisar que terminou o tempo.

Quanto ao caril, tem como base o caril da Gasparzinha mas juntei-lhe mais legumes e fiz com lentilhas castanhas e vermelhas que eram as que tinha cá. As lentilhas vermelhas deram corpo ao molho pois desfazem-se. Só vos digo: é de comer e chorar por mais. O meu marido vinha sem fome quando chegou do ginásio porque tinha almoçado demasiado lá no trabalho. Pediu-me que lhe servisse só um bocadinho, depois voltou à terrina para repetir a dose.

INGREDIENTES:

1 cebola grande;
3 dentes de alho;
40 gr azeite;
200 gr de água purificada;
400 gr de leite de côco (de compra, biológico);
1 chávena de lentilhas castanhas (demolhadas durante 30 minutos);
1 colher (chá) de curry em pó (ou caril);
1 colher (chá) de açafrão em pó;
1 polegar de gengibre fresco picado (ou em pó);
3 batatas médias aos cubos;
1 cenoura média às rodelas;
1/2 chávena de lentilhas vermelhas (sem demolhar, apenas lavadas);
Espinafres q.b.;
Sal q.b.

CONFECÇÃO:

Triturar cebola e alhos na bimby - 5 segundos, velocidade 5.

Juntar o azeite e gengibre picado. Programar - 5 minutos, temperatura 100º, velocidade 1.

Colocar borboleta (isto na bimby modelo antigo. Se for o modelo actual usar a velocidade de colher inversa). Adicionar a água, leite de côco, curry (ou caril), açafrão e lentilhas castanhas demolhadas. Programar - 18 minutos, temperatura 100º, velocidade 1 com borboleta.

Descascar e cortar as batatas e cenoura. Juntar ao copo quando terminar o tempo. Programar mais 18 minutos, temperatura 100º, velocidade 1 com borboleta.

Lavar as lentilhas vermelhas e as folhas de espinafre (o meu
Espinafre de Varanda continua a dar imenso). Quando faltar 10 minutos, adicionar ambos ao copo da bimby pelo bocal. E praticamente no fim do tempo, temperar de sal.

Deixar reposar um pouco numa terrina com tampa antes de servir os pratos. Acompanhar com arroz branco. No meu caso até foi um aproveitamento dum resto de arroz que tinha no frigorifico. Mas não se notou nada pois o molhinho do caril estáva tão especial que deu vida nova ao arroz "retardado".

02 novembro 2009

FORMA DE FARINHA MIX COM SEMENTES PAPOILA

Mais um revisitar com sucesso. O pão de farinha mix encontra-se neste link do Publicar Para Partilhar (aqui). Foi inventado por mim e no artigo assinalado podem ler os beneficios da junção da soja com a linhaça. São uma extraordinária dupla dinamica.

Desta vez aumentei as quantidades, amassei na Bimby (Thermomix) e assei dentro da fôrma com tampa, no forno eléctrico. Acrescentei as sementes de papoila que o tornaram ainda mais saboroso e irresistível.

Entretanto, aproveito para informar que a Gasparzinha reproduziu esta massa num formato ainda mais giro. Para aceder, basta clickar
aqui. E com uma particularidade, em vez de grão de soja ela usou soja texturizada.

INGREDIENTES:
  • 100 gr de grão de soja;
  • 100 gr de sementes linhaça gold;
  • 400 ml leite de soja;
  • 100 ml água purificada;
  • 2 colheres (sopa) mel;
  • 3 colheres (sopa) óleo de soja (prensado a frio);
  • 2 colheres (sobremesa) canela em pó;
  • 1 pacote e meio fermento Fermipan;
  • 600 gr farinha trigo T65;
  • 1 colher e meia (chá) de sal;
  • Passas de Uva (1 mão cheia).
CONFECÇÃO:
Limpar os grãos de soja com um pano húmido e de seguida com um pano seco. Triturar os grãos juntamente com as sementes de linhaça na bimby. Velocidade 7-8-9 com uns toques de turbo à mistura durante 2 a 3 minutos. Reservar numa tijela a farinha mix obtida.
Aquecer o leite e a água no micro-ondas. Deitar para dentro do copo da bimby vazio. Juntar o mel, o óleo, a canela, a farinha mix (de soja + linhaça) e o fermento de padeiro Fermipan. Programar 2 minutos, velocidade 2, temperatura 40º.
Adicionar a farinha trigo e o sal. Programar 4 minutos, velocidade Espiga, sem temperatura. Ajudar com a espátula da bimby para fazer rodar a massa. Após este tempo, agasalhar o copo da bimby com um pano à volta e outro por cima. Esperar que levede até levantar o copinho do bocal da tampa.
Assim que estiver levedada, ligar o forno com a forma lá dentro, tapada. Colocar as passas de molho em água. Deitar a massa para dentro dum alguidar enfarinhado. Amassar com a ajuda de alguma farinha de trigo.
Retirar a fôrma do forno, untar com óleo (inclusive tampa) e abrir a massa dentro do alguidar. Deitar as passas escorridas no seu interior, dispersas e enrolar a massa formando um rolo à medida do fundo da fôrma. Antes de colocar a massa na fôrma povilhar de sementes de papoila. Deitar a massa e voltar a povilhar com sementes em cima e à volta. Molhar a mão e passar em cima da massa para as sementes aderirem ao topo. Fechar a fôrma e levá-la ao forno DESLIGADO para levedar mais uns minutos (15 a 30 min).
Espreite a massa de vez em quando e quando estiver bastante levedada, ligue o forno a 200º durante 40 minutos. Quando terminar, retire o pão da fôrma e leve-o a tostar mais uns minutos na grelha do forno.
É um pão delicioso quer com queijo fresco, quer com...creme de pasteleiro! Ah pois é, uma fatia deste pão barrada com creme de pasteleiro parece que estamos a comer croissants com doce de ovos, hummmmm.