27 fevereiro 2010

APOIO DOS PAIS EM SEMANA DE BAIXAS MÉDICAS

Duas auxiliares de baixa médica, e agora?


Esta semana que passou (de 22 a 26) viu-se a escola da minha filha com menos 2 auxiliares de acção educativa. Por motivos de cansaço, desanimo e estado emocional abatido, 2 funcionarias entraram de baixa gerando o "panico" entre professores, colega auxiliar e coordenadora.


O Agrupamento preocupado em manter a escola aberta, enviou 1 funcionária doutra escola para assegurar alguma normalidade no funcionamento em periodos isolados. E em conversa com a Associação de pais, no dia 23, Terça-feira, solicitou ajuda aos pais para a hora de almoço.

No dia 24, 25 e 26, quarta, quinta e sexta respectivamente, 2 mães em cada dia, alegraram e vigiaram o recreio das 12h às 13.30, com jogos colectivos entreteram as crianças que ingenuamente perguntavam:

- É dia da mãe? Foi por isso que vieram brincar connosco?
- Olhe, volta amanhã? Quando é que voltam outra vez?

Foi uma experiência muito enriquecedora e gratificante. Um regresso à infância para os pais que voltaram para casa com o coração cheio de carinho. Falo por mim que nunca recebi tantos miminhos e abracinhos como nos 2 dias que estive presente. Até tive umas quantas "cabeleireiras" a arranjarem-me o cabelo :)

Por outro lado, foi uma oportunidade única para dar valor à profissão de funcionária escolar, já que não é fácil gerir 160 meninos num recreio sem nada para brincar à excepção duns traçados sumidos do jogo da macaca, entre outros.

Para nós pais foi fácil entregarmo-nos às brincadeiras tentado não descuidar da vigilância, pois foram apenas uns dias. Até porque não eramos as únicas adultas no recinto, estavamos acompanhadas por 2 funcionárias (uma da escola, outra do agrupamento).

Mesmo assim, ainda assisti no 1ºdia a um confroto fisico feio que me destabilizou emocionalmente, já que não estou habituada a violência. Aqui como em tantas outras escolas sente-se o preconceito racial e a diferença de classes. Apelo aos pais para educarem os vossos filhos de mente aberta. Não cataloguem as outras crianças de acordo com a raça, a deficiência ou o estado social. Ensinem-os a cultivar a paz e a distribuir amor. Sejam vocês pais, o exemplo, antes mesmo de qualquer ensinamento. E aprendam com os vossos filhos a serem melhores seres humanos, a não poluir, a colaborar na reciclagem, etc.

Por último, dirijo a minha palavra ao corpo docente. Numa semana como esta, de baixas médicas, é natural que seja necessário todos nós colaborarmos. "Em tempo de guerra não se limpam armas", dai que uma mãe pode ser uma auxiliar, uma professora pode ser uma auxiliar, uma coordenadora pode ser uma auxiliar. As funções que teriam de ser desempenhadas pelas auxiliares de baixa podem ser distribuidas por todos nós, e se há um quadro para limpar, um recreio para vigiar, um portão para controlar na hora de saída, o mais natural é darmos um pouco mais para colmatar a falta verificada. A união faz a força. E a compreensão move montanhas.

21 comentários:

  1. Rute, só ternho uma coisa para te dizer, apesar de não nos conehcer-mos (ainda) pessoalmente, consigo perceber que és uma pessoa muito especial. Este "conto" que acabei de ler, foi mais uma prova e uma confirmação de que estou muito certa no meu pensamento a teu respeito. És uma pessoa maravilhosa e eu já gosto muito de ti.
    Um beijinho muito especial.

    ResponderEliminar
  2. Sempre pronta a ajudar!!
    Admiro-te muito.

    Concordo contigo em casa os pais devem ensinar as crianças a respeitar o próximo independentemente da cor, raça, religião....


    Bjs

    ResponderEliminar
  3. é tdo mto bonito mas não passou de 1 ou 2 dias, na realidade quem lá passa 8 horas por dia para receber um ordenado super baixo e com as "guerras" que existem no ensino é dificil gerir.

    qd exerci essa função de auxiliar tanto no privado como no publico é mto dificil de gerir não só pelo cansaço mas pela forma que se é tratado pelos colegas, achei que não compensava o ordenado com o cansaço anto fisico como psicológico. Agora compensa ser mãe e ir dar uma ajudinha na escola, que neste caso acredito que seja uma ajuda psicologica pois de fisica é só brincar com os meninos nada de limpezas e outras actividades ( há que não assustar a mãe qu vai á escola dos filhos, tem que se manter a visão "cor de rosa").

    quanto á educação, é bem verdade a nossa sociedade está cada vez mais a preparar pessoas sem sentimentos, é cada um por si, se não for assim são rotulados de crianças mimadas, fracas que não estão preparadas para o futuro,tenh ouvio esses comentários em relação ás minhas filhas mas só 2 não fazem a diferença.

    ResponderEliminar
  4. Obrigada minhas amigas.

    Quando publico estes textos não procuro elogios, mas agradeço-os de qq modo.

    O meu objectivo é dar o exemplo. O especial que eu sou, toda a gente pode ser, é só querer. É estar atenta a quem precisa. Acreditem que quanto mais se dá, mais se tem. O bem estar que advém da inter-ajuda é ENORME!

    No entanto, nunca nos devemos prejudicar para ajudar os outros, pois aí vem a descompensação. Mas podemos ceder e dar um pouco de nós e do que temos, a quem precisa.

    Mil beijinhos para todas vcs que tb o são, seres humanos especiais, afectuosos e dedicadas.

    ResponderEliminar
  5. Kombi não sei se leu mas escrevi que esses poucos dias valeram para dar valor ao trabalho das auxiliares. Em nenhuma linha, viu eu depreciá-las, ou viu?

    Não me diga que está a criticar o facto de nós termos ido ajudar? E se for preciso ir limpar, eu vou!

    ResponderEliminar
  6. Não é nada fácil trabalhar com crianças, seja na sala de aula seja fora dela. Todos temos o nosso papel e educar é um papel que é de todos :)

    ResponderEliminar
  7. Acho uma atitude muito nobre, ir ajudar nessa situação, até porque hoje em dia anda todo mundo muito ocupado, menos para criticar e descriminar!!! sim que até discriminação por se ser adoptado eu já vi!! coisa que nunca imaginei!!
    Enfim parabens e pelo que me parece quem ganhou também foste tu ;-)

    ResponderEliminar
  8. Gostei de ler o que escreveste, pode ser que sirva de exemplo para outras escolas.
    Aqui na Alemanha na escola do meu filho na primeira reunião dos pais circulou uma lista para escreverem os horários e os dias da semana disponíveis de cada um, isto para quando precisarem de ajuda ou quando faltar algum professor chamam um ou dois pais para ocuparem o tempo na sala de aula,com jogos, pinturas etc.., aqui tudo funciona, aqui também não existem auxiliares são os professores que tomam conta das crianças nos intervalos.
    Algumas das limpezas são feitas pelas as crianças.
    Desculpa o testamento.
    Beijihos

    ResponderEliminar
  9. Olá Amiga,

    desculpa-me eu andar um pouco sumida... especialmente porque eu ainda tenho o teu livro "feito refém" cá em casa... mas isto não anda nada fácil... :|

    Há algum dia da semana em que tu estejas em casa? Envia-me um sms a dizer a tua disponibilidade.Ok?

    Beijinhos
    :)

    ResponderEliminar
  10. Sempre a mesma Rute! Pronta a ajudar e a colaborar. Sabes que houve uma altura em que algumas mães fizeram o mesmo na escola do meu filho mais velho à hora do almoço, mas a ajudarem a dar o almoço ás crianças. Eu como trabalho o dia todo é-me muito dificil ter essas oportunidades! Aproveita-as bem! Beijinhos

    ResponderEliminar
  11. Tens toda a razao Rute, se nestes momentos e noutros, todos se puderem juntar para ajudar, porque nao? E claro que normalmente nem todas as pessoas estao disponiveis, umas porque nao lhes apetece, outras porque realmente nao podem, e etc...Eu concordo com tudo o que disseste.

    E acho que hoje em dia falta mais gente disponivel a arregacar as mangas para ajudar uma causa ou enfrentar um problema que nao seja deles, ou nao esteja directamente relacionado com a pessoa. Deviam de haver muitas mais Rutes por esse Mundo a fora.

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  12. Obrigado por partilhares connosco um segredo mágico muito bem guardado: deste um pouco de ti, e recebeste de muitos, num grau diferente, muito mais do aquilo que esperavas…esse é também o «milagre da multiplicação dos pães»: com apenas um pouco do teu «pão» alimentaste muitos que dele precisavam; mas a grande beleza e magia desta alimentação é que ela não é de sentido único: também ficaste nutrida em vários níveis e com vontade de repetir…
    De certo modo, todos somos crianças num recreio em condições que degradámos, esgrimindo as nossas diferenças e preconceitos, para ocultar as semelhanças. Precisamos de «auxiliares» com um olhar carinhoso que nos devolvam ao núcleo amoroso que nos habita, e aí talvez sejamos capazes de retribuir com paz, amor, festinhas na cabeça e muitos abraços. Pode ser que o mundo até fique um pouco melhor, a custo zero e proveitos mil…
    E tu és uma dessas «auxiliares»!
    Mais uma vez obrigado por partilhares connosco a magia da entrega. Da minha parte, «muitos miminhos e abracinhos» para ti também!

    ResponderEliminar
  13. Amiga, no fundo o segredo é partilhar!
    O tempo, a generosidade, o carinho, a solidariedade, e tu, como sempre, entregas-te sempre de corpo e alma.

    Um grande beijinho. :)

    ResponderEliminar
  14. Obrigada a todos sem excepção pelas palavras amorosas. Especialmente ao anónimo/a que me tocou no coração com suas palavras tão certeiras.

    P e M, já te respondi no post do café de gengibre. Tira ideias palermas da cabecinha. Tá tudo ok, hein. Nada de evitanços e etc e tal.

    Muitos beijinhos e apertadinhos para todos.

    ResponderEliminar
  15. Rute,
    Já to disse, mas nunca vou cansar de o dizer: és uma pessoa especialmente maravilhosa que tenho a felicidade de ter encontrado! Tens o dom de me encantar com tudo o que escreves e postas! Tenho aprendido muito muito contigo, principalmente a ser uma pessoa melhor, porque tu tocas-me sempre no coração através dos teus textos magníficos! Este é mais um, em que quase consigo imaginar a alegria das crianças a conviver com alguém dona de um coração tão generoso quanto o teu!
    Em relação à discriminação, disse Nelson Mandela que ninguém nasce a odiar alguém pela sua cor. Para odiar, foi preciso ter sido ensinado! E se as pessoas aprendem a odiar, também se lhes pode ensinar a amar!! é o nosso papel na sociedade, como mães, educadores, e cidadãos!! Tu desempenhas esse papel maravilhosamente: ensina-nos a amar o nosso planeta, a respeitá-lo, a amar e cuidar da nossa saúde, mas também e muito importante a amar o próximo! Adoro-te Rute, mesmo!! Um grande beijinho.
    Vou provar o café de gengibre!!

    ResponderEliminar
  16. Ohh Isabel, que ternurenta. Eu também te adoro, sério! Tens uma vivacidade vibrante nas palavras. Como diria um amigo meu, tens um discurso cantante repleto de alegria e amor para partilhar.

    Fiquei sensibilizada com o teu texto. Obrigada do fundo do coração. Só me apetece ir a Paredes conhecer-te!!
    ___________________________________

    E agora para a Isabelocas que está na Alemanha e que me esqueci de agradecer-lhe o testamento!

    Graças ao teu relato sugeri à coordenadora de escola isso mesmo, que os pais da associação possam substituir os professores nalgum dia de emergência. Para isso, vai a associação estruturar uma base de dados com a disponibilidade temporal de cada associado para poder organizar a manobra em caso de falta de professores.

    A coordenadora ficou de propor ao agrupamento esta ideia. Claro que a associação vai procurar convocar mães responsaveis e com habilidade para entreter e ensinar.

    Mais beijinhos para todas/os vcs.
    Apesar de não conseguir comentar todos os posts, gosto muito de vos ter por cá. Acrescentam sempre informação preciosa ao que é publicado.

    ResponderEliminar
  17. Ao ler as tuas palavras, comovi-me mesmo muito. Es uma Mulher muito especial, por isso gosto tanto de aqui vir. Bjs

    ResponderEliminar
  18. Obrigada Teresa,

    eu também gosto muito de te ter por cá e de ir ao teu blog ver as delicias que confeccionas. Aparece sempre.

    Um grande beijinho.

    ResponderEliminar
  19. Bem, vim aqui hoje pela 1ª vez e adorei tudo. Mas este texto é sem dúvida muito especial e pelo que li só podia vindo de uma pessoa especial. Será que se passa assim em todos os agrupamentos? O meu filhote ainda demora a entrar para a primária mas gostava de saber, funciona assim em todo o lado?

    Podes dizer-me para aldinha76@gmail.com, por favor?

    Obrigada

    beijinhos

    ResponderEliminar
  20. Olá Aldina,

    eu gostava que fosse sempre assim, que a interajuda imperasse e que as dificuldades fossem vencidas em conjunto. É nisso que acredito. Que a união faz a força.

    Mas tudo depende das pessoas. Os agrupamentos, as escolas, as associações de pais são conjuntos de pessoas e mediante estas, é ou não possivel fazer duma escola um lugar melhor, ou até mesmo do mundo um lugar melhor.

    Convido-a a visitar o blog da nossa associação de pais:

    http://aptiresmontereal.blogspot.com/

    Obrigada pelo comentário e pela visita.
    Beijinhos.

    ResponderEliminar