29 março 2010

3 Cs... CANJA DE COCO CRÚ

Uma salva de palmas para o Delicias e Talentos que está de volta com novo passatempo: Desafio do Alfabeto Culinário!

Outro aplauso entusiástico para mim que inventei a canja de coco crú (com 3Cs no título e 3 ingredientes com C)!

E vamos lá à história da Carochinha: O coco que estamos habituadas a comprar em saquetas é coco açucarado, desidratado. O coco crú é o interior do caroço do
coco verde. Tal e qual como se fosse uma amêndoa, o coco verde tem um caroço e o miolo desse caroço é a polpa branca. Nos supermercados portugueses só encontramos os caroços dos cocos verdes e a frescura não é igual ao coco verde do qual se bebe a água no Brasil.

Por não ser doce, presta-se a vários pratos salgados, inclusivamente a sopa (adianto já que ficou uma especialidade). Bebi inspiração na colecção
Coração, Cabeça e Estômago da Assirio e Alvim, mais um sabor do Indíco, no entanto, inventei imenso! Já que a sopa de coco do livro era só caldo de legumes, coco e natas. Interessante mas adivinhava-a pouco saborosa. Pelo que decidi inovar.

INGREDIENTES:

1 Courgette;
2 Cenouras;
1 alho francês;
1 Coco fresco;
2 cubos caldo legumes biologico;
Flor de sal q.b.;
Espinafres q.b.;
Azeite q.b.;
Hortelã fresca picada.

CONFECÇÃO:

Num tacho de ferro, cozer a courgette, cenoura e alho francês com bastante água. Retirar os legumes cozidos e reservar o caldo na panela.

Partir o coco, retirar-lhe a polpa branca, retirar a casquinha castanha, lavar bem, deixar de molho em água enquanto retira a polpa toda. Ralar num ralador. Deitar o coco ralado na água da cozedura. Cozer o coco durante 1 hora.

Cortar as cenouras e o alho francês ao pedacinhos e reservar.

A meio da cozedura do coco, retirar parte do caldo e liquidificar a courgette com 2 conchas de caldo. Voltar a juntar o liquido de courgette à sopa. Adicionar os cubos de legumes (usei knorr biologico que não tem nada a ver com os cubos knorr normais). Estes não são nada salgados, nem dão aquele paladar artificial.

No fim do tempo, liquidificar um pouco da sopa com a liquidificadora de mão encostada à parede da panela. Atenção que a intenção não é triturar a sopa toda, apenas queremos dar 2 ou 3 toques de turbo.

Deite as folhas de espinafre lavadas. Usei os meus
espinafres da horta de varanda que já começaram a nascer novamente. Deixe cozer durante 7 minutos. Apague, junte a cenoura e o alho francês. Sirva com hortelã fresca picada.


SIMPLESMENTE FORA DE SÉRIE! Divinal. Um sabor exóticamente cativante. Em cada colherada, uma viagem dos sentidos!

17 comentários:

  1. Rute, mas que longa viagem fazemos até ao Oceano Índico!
    Que rico caldinho de coco e legumes, bem diferente e original!
    E palavras para quê? Mais uma sugestão tipicamente Rutista! Delícia!:)

    ResponderEliminar
  2. deve de ser um sabor bem diferente e de certeza que marca.

    ResponderEliminar
  3. Rute, acho que nunca vi esse coco fresco à venda, mas vou estar atenta!
    Adorei a tua canja, parece-me bem leve e suave, reconfortante e saborosa...
    Uma delícia curiosa com a tua assinatura! :)

    ResponderEliminar
  4. Rute, você está mesmo de parabéns! Foi muito criativa! Sopa de côco eu nunca experimentei, mas sou amante de sopas e agora fiquei com vontade de provar.
    Bjinhos

    ResponderEliminar
  5. As tuas receitas são sempre muito originais, consegues sempre surpreender-me.
    Bjs

    ResponderEliminar
  6. Um grande aplauso para ti, sem duvida. Sabores exoticos mas que acredito serem 5*....mais IVA.
    Beijinhos Inventora

    ResponderEliminar
  7. Nuna experimentei coco fresco... a vontade agora apertou!! Sopas originais é o que preciso para nao enjoar!! Beijocas

    ResponderEliminar
  8. très appétissant et bien savoureux, j'adore
    bonne journée

    ResponderEliminar
  9. Rute,

    Uma grande salva de palmas para ti. Sempre a inovar e a trazer-nos relatos de novas aventuras culinarias. Esta sopa e bem diferente, ficou com um ar tentador.

    Beijinhos e excelente participacao

    ResponderEliminar
  10. E diz-me lá rapariga viajaste por onde?Pode-se saber? :)

    Bem que delicia de sopa, eu que não gosto de canja, essa marcava.

    E para inovares está cá tu, parabéns pela participação.

    Bjs

    ResponderEliminar
  11. Olá Rute! De vez em quando renasço das cinzas...
    Não fiquei muito convencida com esta sopa, embora a foto seja uma maravilha. Sou mais de Sopa da Pedra...estou a brincar... mas também me entusiasmo por recriar novos sabores :))
    Soube da alegria que deste ao Mário, coitado que já nem dormia bem tal era a sua preocupação.
    Eu vou continuando a passar para ver as novas invenções culinárias.
    Um beijinho grande

    ResponderEliminar
  12. Só me vem à cabeça uma palavra: doida!
    :) :) :)
    Deve ser totalmente diferente.

    Beijihnos e parabéns pela excelente participação.

    ResponderEliminar
  13. Rute, minha querida, só hoje vi sua sopa!!!
    As sopas da Tailândia e das Filipinas, por exemplo, levam coco e ficam muito gostosas para o meu paladar.
    Mas o título é um verdadeiro trava-línguas!!!
    Bjs.

    ResponderEliminar
  14. Deve ter ficado com um sabor bem exótico.
    Bjs

    ResponderEliminar
  15. Que receita tão diferente e original, bjcas...

    ResponderEliminar
  16. Minhas queridas amigas,
    obrigada pelos comentários.
    Não tem estado fácil para aparecer por aqui.

    Ana Ramon, que surpresa tão agradável. Há qto tempo!! Pois, lá consegui ajudar o nosso amigo Mário, coitado, que ficou com o blog "infectado"! Eu sei o quanto um blog é importante para todos nós. É uma janela aberta para o mundo.

    Vou lá espreitar os vossos cantinhos, após publicar qq coisinha aqui no meu.
    Beijinhos,
    Rute

    ResponderEliminar
  17. Tu não existes rapariga! : D Que RICA sopa! Nunca me lembraria de tal combinação numa sopa mas que fiquei curiosa para provar, fiquei! E muito!
    beijinho e boa Páscoa!

    ResponderEliminar