18 julho 2010

MARKETING versus ESPIRITUALIDADE

Assim que tomei conhecimento do tema da blogagem espiritual deste Domingo, associei-o imediatamente, a publicidade e aos comerciais da tv. Logo aí lembrei dum anúncio antigo da Aspirina com o qual sempre antipatizei. Porquê? Porque era um perfeito disparate.

Resumia-se ao seguinte: alunos que estudavam dia e noite para exames da universidade e que ficavam com dores de cabeça por não descansarem, não dormirem... via-se até no comercial, o estudante a beber café durante a noite para se manter acordado! E qual a solução? Uma mãe dedicada que resolvia o assunto com 2 aspirinas. Ou seja, chegava ao pé do filho, ouvia-o queixar-se de dor de cabeça e a resposta era: Toma já uma aspirina para poderes continuar a estudar (até ter um esgotamento, digo eu)!

Mas há mais exemplos relativos à incoerência da Aspirina Bayer,
veja aqui. Ou até pode acontecer, só ser incoerente para mim! Discordo que por tudo e por nada se tome medicamentos sem tentar resolver a causa do problema em vez de resolver a consequência!

Embora seja fã de publicidade por apreciar a critividade do processo publicitário, não concordo com publicidade enganosa que visa única e exclusivamente o lucro. Considero um atentado, o exagerado tempo de antena que dão aos comerciais, a repetição dum anúncio, 2 e 3 vezes, dentro do mesmo intervalo televisivo e a falta de ética das multinacionais por detrás do produto. A publicidade foi um dos motivos que me levou a não assistir programação televisiva (entre outros ligados à futilidade dos programas).

Doutra forma poderia a publicidade ser de grande utilidade pois é um meio de divulgação muito completo que pode incluir informação útil sob a forma de imagens, música, texto ou oralidade. No fundo, para o bem e para o mal, a publicidade é uma linguagem universal.


RELIGIÃO O SANTO REMÉDIO

Agora o paralelismo com a religião...

Muitas são as religiões que pregam a cura para todos os males, espiritualidade como o santo remédio, o milagre, a entrada para o céu, como se, ser devoto implicasse automaticamente possuir seguro de saúde, de vida ou de morte.

Ser crente em Deus não deve ser encarado como ter uma caderneta, ou um passaporte que mediante os "carimbos" obtidos durante o seu percurso religioso, atinge-se a entrada para o reino eterno!

Mas há um efeito positivo, inegável, em tudo isto.

É do conhecimento geral que acreditar, aconchega, obter "explicações" para o mistério da vida e morte, sossega, deixamos de sentirmo-nos desorientados, ganhamos rumo, porque nos é indicado um sentido para a nossa existência, é-nos mostrado o caminho do bem, a harmonia reina em nossas vidas enquanto respeitamos os outros originando que nos respeitem também a nós. Amor gera amor, bondade gera bondade... O que nos leva a concluir que os ensinamentos e a prática religiosa, de facto, podem curar "maus figados", mau-humor, doenças, males de amores, etc... A prática do bem aniquila sentimentos ruins de ódio, de inveja, egoismo, tristeza, etc...

Na verdade a doença não é mais do que um estado psicologico sobre um estado físico, fruto da vida que levamos, da alimentação que ingerimos. É o nosso cérebro que comanda as operações em parceria com o coração. Dentro de nós temos a capacidade de construir um sistema imunitário imbatível, assim como temos a capacidade de nos auto-destruirmos.

Quando nos sentimos em paz com o mundo, tudo flui serenamente. Respeitar os outros seres (humanos e não humanos) e respeitar a natureza, traz-nos muita tranquilidade, noção de estar a fazer o certo, de não ter de matar para comer (directa ou indirectamente), vontade de partilhar o que nos faz sentir, de bem com a vida.

Mas então porque se degladiam entre si as diversas religiões? Não é tudo pelo bem? O objectivo não é aliviar os crentes? Porque entram em concorrência desleal ao ponto de já existirem comerciais para angariar maior número de fieis devotos!??

Há qualquer coisa que não está certa! Há também aqui um paralelismo entre multinacionais e organizações religiosas, a meu ver. Ambas visam o lucro! (pergunto?). Não digo que serão todas, não digo que dentro duma mesma organização religiosa são todos os dirigentes assim mas é triste quando a espiritualidade serve de ferramenta ao materialismo.

Não nos importemos nós com as organizações, pratiquemos a nossa própria espiritualidade interior baseada na fé na humanidade, na crença num mundo melhor, mais justo, mais solidário. Porque no fundo Deus é energia, tenha ele o nome que tiver, todas as divindades são energia, positiva, harmoniosa, acolhedora, construtiva. E há sempre a possibilidade de transformar o caos em ordem, trabalhar a energia para circular em vibração inclusiva. Poderá ser pela mão de Deus ou de outro mestre espiritual, mas é impossivel haver divisão se o objectivo é comum. Todos os seres vivos devem harmonizar-se com a ordem cósmica.

Adoptemos uma religião se assim o necessitarmos, mas não dêem férias ao vosso juiz interior, continuemos com o discernimento suficiente para separar o trigo do joio, o certo do errado, a espiritualidade da materialidade.

O/ PARTICIPAÇÕES QUE VALE A PENA CONFERIR P/ ALÉM DO ESPIRITUAL-IDADE:

Alma Mater
Flora da Serra
Rumo à Escrita
Naco Zinha Brasil

16 comentários:

  1. Rute, concordo plenamente com seus argumentos. Se temos os mesmos objetivos, se desejamos o bem, por que não há mais harmonia entre todos? Não é admissível que queimar pessoas, autoflagelar-se, atar bombas ao corpo, enforcar e tantas outras crueldades para com os seres humanos sejam coisas de Deus.
    Muito boa a correlação do joio e o trigo com o blog de culinária...
    Respeito é o mínimo que se espera das pessoas para com as outras, tolerância para com as crenças diferentes, gentileza no trato, enfim, amor ao próximo.
    Aqui eu encontro coerência entre o alimento que você tanto se empenha em nos mostrar como saudável, simples,criativo e o alimento espiritual, que tanta relação têm entre si.
    Muito boa participação.
    Bjs.

    ResponderEliminar
  2. Gina, muito obrigada pelo seu comentário.
    Gostei da comparação que vc fez entre o alimento do corpo com o alimento do espirito. O corpo e o espirito são indissociáveis mesmo.

    Creio até que muita gente está precisando de jejuar no espirito para então sim, escolher seu caminho espiritual sem influências marketistas.

    Um género de desintoxicação alimentar espiritual :)
    Beijinho especial pra vc.

    ResponderEliminar
  3. Ótimo o seu texto, Rute!
    Perfeitos os conceitos, conclusivas as formas empregadas.
    Acho que não há muito mais a falar sobre o marketing. Expus a minha idéia crítica no Alma Mater e encontro aqui um fecho perfeito.
    Abraços.
    Gilberto.

    ResponderEliminar
  4. Obrigada Gilberto.
    Aprecio muito sua aprovação :)

    Mas é isso mesmo que vc afirmou. Não há muito mais para falar, todos nós nos completámos. Apesar da abordagem ter prespectivas ligeiramente diferentes, conseguiu-se um todo bem rico e lúcido da temática.

    Estou adorando estes "debates" espirituais :)
    Abraços.

    ResponderEliminar
  5. Rute, voltei para responder ao seu comentário lá no Naco.
    Sua comparação entre a semente do trigo e a semente lançada pela Rosélia foi muito adequada.
    São esses debates que fazem a gente sair do lugar comum, repensar a vida e fazer as nossas escolhas. A vida é feita de escolhas.
    Penso que esse tema foi um pouco difícil para adequá-lo ao conteúdo de nossos blogs, mas estamos nos esforçando e isso é gratificante.
    O próximo será mais fácil... ou não?
    Para o último, já escolhi a flor...rs!
    Beijos de além-mar!

    ResponderEliminar
  6. Gina,
    os temas escolhidos pela Orvalho são geniais. Dão azo a muita reflexão durante a semana. Por isso comparei o trigo utilizado no seu pão com a semente lançada por sua irmã.

    De facto, desta vez foi bem dificil juntar uma confecção culinária ao tema Marketing.
    Não importa. Fiquei igualmente satisfeita apesar de não ter receita pra anexar :)
    Talvez no próximo tema: AFECTIVIDADE x ESPIRITUALIDADE ;)

    Beijos além-oceano atlântico!
    Tão longe que estamos e no fundo tão próximas de pensamentos :)

    ResponderEliminar
  7. Sem dúvida que tudo é um negócio e, infelizmente no caso das religiões, quase nenhuma leva em conta o que diz na Bíblia. Deus é amor e devemo-nos amar (sem exageros he he) uns aos outros. Todo o tipo de negócio e lucro dentro das igrejas é condenável aos olhos de Deus. Temos mesmo que fazer uma auto-análise e ver o que é certo e errado, agindo de acordo com princípios éticos e morais :)

    ResponderEliminar
  8. São tempos dificeis os que correm, Ameixinha.
    Mas já houve tempos em que a ganância do dinheiro estáva ainda mais patente na religião.
    Quantas igrejas não foram construidas com dinheiro da Nobreza e da Realiza como compra da entrada directa no Céu!?
    Incrivel não é?
    Obrigada pelo teu comentário :)
    Beijinhos.

    ResponderEliminar
  9. Olá Rute

    há algum tempo que não visito o teu blogue. Parabéns pelo texto. Gostei de o ler. Uma reflexão simples, sentida e que dá liberdade para sentir.
    Deixa-me que te diga que a aspirina já me "safou" de algumas incómodas enxaquequas. Santa aspirina.. não há outro analgésico igual heheheh como muuuuito raramente a tomo, se calhar é por isso que faz efeito hehehe.
    Votos de boas férias.
    antonio

    ResponderEliminar
  10. olááááá António!

    Há quantos "séculos"!
    Que boa surpresa encontrar um comentário teu logo pela manhã :)

    Quanto à aspirina faz muito mal ao estômago. Mas lá está, se só tomas de vez em quando e se não tens qualquer problema de úlcera ou propensão a gastrites, estás mais "protegido".

    Cá em casa o único medicamento que usamos é paracetamol genérico e mesmo assim, gabo-me de afirmar que no máximo tomo 2 comprimidos por ano. Até porque nunca estou constipada ou com gripe (graças a Deus).

    Os medicamentos prejudicam altamente o figado. Dai ser contra a propaganda da Bayer que engana os seus consumidores mostrando um aspecto bastante inofensivo e recomendando a aspirina para tudo.

    Todos nós sabemos os esgotamentos e depressões que os nossos estudantes sofrem por estudarem demais e entrarem em concorrência desenfreada para obter as melhores notas. Este assunto nunca devia servir para um comercial, mas infelizmente serve :(
    Beijinhos meu amigo.
    Foi mesmo um grande prazer rever-te pelo PPP.

    ResponderEliminar
  11. Oi Rute, que bom te ver lá na minha casinha...

    Estou ausente, de férias, logo estarei por inteira, neste mundo que adoro...

    Obrigada pelas palavras...

    Adorei, muito apetitoso seu blog...
    Quando ao post do marketing, é deveras bem polêmico este tema...
    Excelente abordagem a sua!
    Beijos, volte sempre...

    ResponderEliminar
  12. Oi Zininha,

    que bom receber sua visita.
    Hoje lá estaremos de novo na blogagem colectiva. Espero chegar ao final de Domingo ainda com forças para publicar. Isto de ter familia é muito bom mas desgasta-nos muito. Depois de 1 fds a cuidar da filhota resta pouco tempo para mim e para o blog :(

    Beijinho.
    Até mais.
    P.s.-No dia 7 AGO vou participar na teia ambiental :) Depois de terminada a Blogagem Espiritual Ecumênica continuarei partilhando textos com vocês ;) Que bom!

    ResponderEliminar
  13. Linda Rute,
    lembro-me muito bem desse anúncio que também eu classificava como absurdo mas o que vi há momentos não lhe fica atrás em termos de irracionalidade: são os dois altamente incentivadores ao uso irracional da aspirina! é mesmo publicidade enganosa que abomino. Concordo contigo amiga, embora haja publicidade de bom gosto e agradável com algum humor à mistura,alguns anúncios sugerem produtos totalmente inúteis, fazem promessas falsas acerca do produto e estimulam falsas necessidades. Tal e como dizes muito bem, a Religião que promete a entrada no Ceú (adorei a comparação) caso tenhamos a caderneta limpa e carimbada. Tal como Tu, acredito que Deus é Amor. Acreditar em Deus é acreditar no Bem, na verdade, na harmonia, na paz e quem assim acredita evita a prática do mal, e quem assim acredita e pratica, atrai Amor para a sua vida, Energia Vital positiva e com esta e com a sua Fé , atrai saúde e mais Amor!
    Não sou perfeita mas assim acredito e por assim ser, A Energia positiva conduziu-me até um ser excepcional como Tu que me tem ajudado a ser melhor! Adorei o teu artigo rico em conteúdo e com o qual concordo integralmente!
    Um grande beijinho minha bela amiga!

    ResponderEliminar
  14. Isabelita,

    sabe tão bem receber o teu contributo neste tema. Sinto que estamos em sintonia de pensamentos. Entendes o que quero exprimir e vice-versa.

    A maior parte das vezes personificamos Deus ou seu filho Jesus à nossa semelhança, vemos a sua imagem como um homem de 30 anos de cabelos longos, olhar compassivo, despojado de luxo e de coração rico em sentimentos.

    Temos a necessidade de personificá-lo para nos identificarmos com ele. Mas Deus ou Jesus é o bem. Não tem forma, é energia. São todos os sentimentos bons e positivos. Tal como disseste é Amor!

    Se é energia, se é espirito, então não o confundamos com materialidade, não é verdade :) Sei que me entendes.
    Beijo e abraço muuuuito apertado.
    Obrigada por teus comentários sempre tão pessoais e consistentes.

    ResponderEliminar
  15. Perfeita a sua interpretação, Rute, e concordo totalmente com ela.

    Também admiro a criatividade da publicidade mas não concordo com o lema "a qualquer preço".

    Beijo

    PS: estou sem inspiração para comentar...

    ResponderEliminar
  16. Olá, querida
    Por demais atrasada... antes tarde do que nunca... venho agradecer sua participação em nossa BLOGAGEM ESPIRITUAL COLETIVA ECUMÊNICA...
    Só nos fez crescer e abrir horizontes, amiga.
    No post de amanhã... falo um pouco das minhas férias e, estando fora do ar nesse mês quase todo, deixei a desejar com vc.
    Queria desculpar-me e estou enviando um e-mail que muito me ajudará.
    Bjs em seu coração e muita paz interior.

    ResponderEliminar