07 agosto 2010

CRÚSSUMISMO NA TEIA AMBIENTAL

Terminada a Blogagem Colectiva Espiritual, incluo-me agora na Teia Colectiva Ambiental e mais uma vez vou seguir a dica da Gina: usar a vertente da culinária como trampolim para os temas.

A todo o
dia 7 de cada mês, a teia irá ser tecida por talentosas aranhas fêmeas e aranha-macho :)
Julgo que os mentores da Teia, aqueles que criaram o desafio, foram o Gilberto e a Flora. A teia conta já com 6 elementos e vai no 3ºtema proposto para 2010: CONSUMISMO - o acto de consumir produtos ou serviços indiscriminadamente, sem noção do impacto que terá esse excesso de consumo desnecessário.

Escolhi então falar-vos do consumismo alimentar e das consequências no meio ambiente. Embora em muitos países ainda impere a fome, o que é facto é que, por enquanto, ainda há comida que chegue para todo o mundo. A obesidade é uma doença causada não só pela inactividade mas também, por excesso alimentar e má alimentação à base de gorduras, açúcares, massas, pães e etc...

Comemos demais! O correcto seria comer apenas o suficiente para saciar as necessidades energéticas diárias, mas até o simples facto de comermos à pressa, sem quase mastigar, não dá tempo ao estômago para se sentir satisfeito. Quando este o faz, já entraram mais 4 ou 5 garfadas que não faziam falta nenhuma.

A este ritmo alimentar como conseguirá o planeta sustentar toda a população num futuro próximo? Mais ainda porque a humanidade carnivora é em maior número do que a humanidade vegetariana/vegan.

Não sei se já repararam mas o ciclo de produção de alimento para a humanidade carnivora, é muito mais extrenso do que o ciclo de produção de alimento para a humanidade vegetariana. Até certo ponto, os ciclos acompanham o caminho um do outro, semear, regar, ver crescer, apanhar... mas enquanto que os vegetarianos comem o que sai da terra, os carnivoros esperam que os animais comam os vegetais, cereais e frutas, esperam que os animais cresçam e se desenvolvam para depois, sim, comerem.

Ou seja, à velocidade a que todos nós comemos, tendo em conta o número sempre crescente de população, o desperdicio que é deitado fora, como seria, é e será possivel esperar por um ciclo tão longo que termine em tempo útil, sem recorrer a inseminação artificial, selecção de raças, hormonas de crescimento e antibióticos que evitem perdas de produção e acelerem o desenvolvimento da nossa comida?? A tudo isto junta-se a poluição. As toneladas de excrementos animais, carregadas de quimicos que contaminam terra, água e ar.

Claro que também não está certo o que estão fazendo em relação à soja. A soja ao ficar tão popular, vai "invadindo" tudo o que é campo de cultivo, alcançando
floresta que é derrubada inclusive na Amazônia!!! Cuidado com o marketing!! O consumidor é um alvo fácil.
A humanidade vegetariana também recorre demasiado a produtos transformados como a soja texturizada, por exemplo... Numa primeira fase, pós transição da alimentação carnivora para a vegetariana há sempre a tendência de recear a falta de proteina. Mas não convém cairmos em erro semelhante ao consumismo de proteina animal. Se no prato está um bife de vaca, porquê pôr também um ovo em cima? Se a refeição contém proteina suficiente porquê terminar com uma sobremesa à base de ovos?
No campo do vegetarianismo não é só a soja, a leguminosa mais rica em proteínas, note-se que 100 gr de soja contêm 35 gr de proteína e que 100 gr de lentilhas, por exemplo, contêm 26 gr de proteína. Dai que escolhi a lentilha para rainha da minha confecção. Uma lentilha germinada aumenta a percentagem de vitaminas, minerais, enzimas e catalizadores. E ainda obtém uma pré-digestão que permite comê-la crua. Penso que o consumo de crú é uma óptima forma de diminuir ainda mais o ciclo de produção, suprimindo a cozedura.
O crú é uma alimentação que sacia rapidamente, evitando o consumo exagerado.
INGREDIENTES da Saladinha de lentilha crua:
  • 1 cebola pequena picada;
  • Vinagre suave (usei de ameixa);
  • 1 tomate médio picado;
  • 1 pimento verde picado;
  • 1 courgette tenra crua picada;
  • Rebentos de lentilhas castanhas (brotos);
  • Azeite;
  • Molho de soja.
CONFECÇÃO:
2 dias antes, demolhar em água durante a noite, lentilhas secas. No dia seguinte de manhã, escorrer a água e deixar tapado. A meio do dia, banhar as lentilhas novamente em água e escorrer o excesso. Repetir este procedimento à noite, na manhã seguinte, hora de almoço e assim sucessivamente até as lentilhas começarem a germinar. Ao germinarem perdem a casca e ficam lentilhas coral.
Picar a cebola e juntar o vinagre. Picar sequencialmente tudo o resto e juntar à medida que for picando com a cebola. Adicionar lentilhas germinadas e temperar de azeite e molho de soja. Se quiser pode ainda pôr pitada de sal se o salgado do molho de soja não for suficiente. E o uso de ervas aromaticas picadas é opcional mas vai sempre bem. Aconselho o manjericão.
Deixar marinar um bocadinho antes de servir.

O/PARTICIPAÇÕES QUE VALE A PENA CONFERIR:

Natureza Lindaaaaa
Espiritual-Idade
Alma Mater
Tudo que me faz bem
Casa Claridade
Flora da Serra

35 comentários:

  1. Genial, Rute!
    Abordagem sensível e técnica, como só uma especialista em alimentação vegetariana seria capaz de tecer dentro dessa trama ambientalista.
    A sua percepção ambiental me tocou fundo, pois disse coisas que as pessoas precisam ler e parar para meditar.
    Os amigos têm o hábito de elogiar e passar adiante, sem refletir que no que falamos ou escrevemos há conteúdos que cobram atitudes.
    A sua postagem não é somente de receita saudável, ela é recheada de argumentos coerentes e ganha ao final um molho agridoce que mexe com o paladar psíquico da gente.
    Adorei o seu texto!
    Abraços ecológicos.
    Gilberto.

    ResponderEliminar
  2. Sensacional, Rute !
    O texto e a receita.
    Faz tempo não faço brotos, por total falta de hábito.

    Quanto à eterna discussão vegetarianos X carnívoros, outro dia estava ouvindo uma conversa entre pessoas amigas, totalmente (e impiedosamente) carnívoras, em que falavam dos animais deliciosos que comeram em tal e tal restaurante. Citavam também, os animais de caça, muito saborosos. E eu ouvindo aquilo tudo e pensando: como é que pessoas boas não tem um pouco de compaixão pelos animais ?

    Visitar seu blog e ler o que escreve é como estar num oásis, após percorrer um imenso e árido deserto.

    Beijo

    ResponderEliminar
  3. Amigo Gilberto,

    não foi fácil abranger tudo quanto queria dizer... muito ficou por falar. Não quis opinar demais acerca, gostaria mesmo que as pessoas reflectissem e que ecoasse nas suas cabeças o impacto dos nossos hábitos alimentares. Não quero, de modo algum, ficar na história como a boazinha, também tenho minhas "culpas no cartório".

    O objectivo foi aflorar os assuntos, deixando as "rosas" da verdade, meio abertas, esperando que desabrochem na mente de cada um, intuitivamente.

    Pretendo apenas espalhar a semente e levar os leitores a questionarem-se e a procurar saber mais.
    Abraços ecológicos :)

    ResponderEliminar
  4. Amiga Flora,

    costuma-se dizer que se nós tivessemos de matar uma galinha para comer, provavelmente não o fariamos. A falta de coragem vencia a necessidade de carne que há em nós. Pelo menos da maioria de nós.

    Eu por exemplo sempre odiei dia de matança em casa de meu pai. O grito de pânico dos frangos, o cheiro nauseabundo da água fervente sobre as penas, o depenar e o aspecto desnudado dos bichinhos indefesos. Mas durante muito tempo comi sem questionar.

    Assim como conheço caçadores, boas pessoas, muito humanos e solidários mas que adoram caçar para comer. Se eu entendo? Não entendo, claro que não. Mas ainda entendo menos os que o fazem por desporto.

    Acredito que aos poucos a clarividência levar-nos-á a alterar hábitos desactualizados e cegos. O papel das crianças é fundamental. Elas canalizam os ensinamentos da escola para o seio familiar. Ensinam os pais a serem mais ecologicos e a terem compaixão pelos animais.

    Pelos nossos filhos devemos preservar as espécies, evitar as extinções, solucionar a poluição, apoiar a sustentibilidade, proteger a vida na terra!

    Abraços ecológicos :)

    ResponderEliminar
  5. Não concordo com alguns aspecto, sendo um deles que o alimento animal desenvolve-se mais lento que o vegetal, é relativo sendo que se semear-mos e ficar mos á espera do alimento para depois ser dado ao animal até concordo, agora se o animal estiver a ser alimentado com alimentos por ex secos que não passam necessariamente por rações ai o animal pode até desenvolver-se mais rápido que o vegetal, então se o vegetal for atacado por pragas ou intempéries.... O certo é que quem tem um quintal como eu, semeia mais facilmente do que cria animais.

    Agora se colocar-mos a questão: quem veio 1º o vegetal ou animal?, se calhar apareceu o vegetal que evoluiu e deu origem ao animal que depois daria alimento ao animal.

    Já a questão do consumismo alimentar, cada vez mais as pessoas não se alimentam para sobreviver, sobrevivem para se alimentar. Em Portugal acho que devido a tempos passados, e reparasse em pessoas mais velhas que quando têm uma mesa farta gabam-se da fartura não só como forma de riqueza mas também como forma de saciar a gula da fome que passaram em tempos anteriores, no entanto talvez a alimentação de tempos passado fosse pouca mas com qualidade.

    Mais um tema bem interessante que dá que pensar.

    ResponderEliminar
  6. Kombi,
    antes demais, obrigada pela participação.

    Vou realçar algo que disseste:
    "gabam-se da fartura não só como forma de riqueza mas também como forma de saciar a gula da fome que passaram em tempos anteriores".

    Como se fosse compensação de tempos passados, tempos de guerra, de fome, de pouca abundância...

    Tenho ouvido muitos pais dizerem, queremos dar aos nossos filhos o que nós próprios não tivemos: Educação superior, alimentação variada, muitos brinquedos...

    Mas o facto dos nossos filhos não se esforçarem para obter essa abundância e ser "oferecida" pelos pais, é logo um mau principio para não dar o devido valor às coisas.

    Quanto à tua discordância, respeito-a. Mas repara que o animal que é alimentado com alimento seco ainda demora mais do que o que é alimentado com ração fresca, pois o processo de desidratar/secar as sementes e armazená-las é mais um elo do ciclo.

    Pode parecer-te que há uma interrupção do ciclo só porque o alimento é seco mas de facto não há interrupção, há simplesmente uma forma de armazenar o alimento para alimentar futuramente o animal.

    Bom, mas nenhuma de nós precisa de levar a "taça", ah ah ah. Tu ficas com a tua maneira de interpretar e eu com a minha. As divergências de raciocinio são sempre enriquecedoras.
    Beijinhos pi ti.

    ResponderEliminar
  7. Rute adorei o seu post. Foi super educativo.
    Eu não imaginava que pudessemos ingerir a lentilha desta forma. Só fiquei com uma curiosidade: Ela não fica muito dura?
    Parabéns pela iniciativa e participação.
    Bjs :)

    ResponderEliminar
  8. Rute,
    Também entendo que um post como esse é muito mais do que uma receita de salada saudável.
    Você aborda os excessos de um tipo de alimentação e de outro.
    Fala do consumo de energia gasto pela cozedura dos alimentos e me vi tentada a fazer rebentos de lentilha pela primeira vez! Vou colocar a lentilha de molho agorinha...rs!
    Essas teias e blogagens coletivas têm sido muito bem tecidas.
    E a parábola da lagartixa está rendendo...
    Bjs.

    ResponderEliminar
  9. Olá Claúdia, obrigada.

    Ainda bem que vc gostou do post :)

    Sim é possivel ingerir a lentilha desta forma e não só! O grão também. Dê uma espreitadela no link em baixo:

    http://publicarparapartilhar.blogspot.com/2009/06/bolinho-solar-de-residuo-do-sumo.html

    Esse grão germinado que vê na foto, é muito saboroso. Nada duro. Óptimo para comer como snack!
    Experimente!
    A lentilha fica crunchy mas não dura.
    Beijinhos.

    ResponderEliminar
  10. Gina,

    ...e não se viu tentada a participar connosco? :)
    Estou danadinha pra te apanhar cá na Teia, ah ah ah.

    Não esquece de me dar noticias dos seus brotos de lentilha, viu! Vou ficar aguardando novidades.

    Pois é, a parábola da lagartixa ainda rendeu uma descodificação genial do mestre Gilberto! Que bom vc ter ido lá verificar :)

    Beijo grandão ;)

    ResponderEliminar
  11. Não sabia desta, achei que os grãos precisavam de um germinador. Parece-me excelente. Nestes dias de calor então, comidas cruas e frias é o que mais apetece :)

    ResponderEliminar
  12. Ameixinha,

    nestes dias de calor é perfeitamente possivel dedicar-nos à germinação, não podemos é descuidar da hidratação. Há que banhar as lentilhas pelo menos 3 vezes por dia.

    O germinador electrico só costumo usar nas outras estações fora do Verão. Nos dias mais frios.

    Se experimentares diz-me se gostaste :)
    Beijinhos.

    ResponderEliminar
  13. Amiga, mais um desafio, não páras!!!
    Uma forma bem intelegente de comeres as lentilhas cruas.

    Bjs

    ResponderEliminar
  14. Sabes o que é Sandrinha?

    Tornou-se pouco desafiante para mim publicar simplesmente a receita, ah ah ah.

    Gosto tanto de ver os meus neurónios a funcionar que aproveito estes desafios engenhosamente inventados por mentes brilhantes para estabelecer ligações entre a culinária criativa e outros assuntos periféricos.

    Está a ser verdadeiramente revitalizante. Não queres experimentar? O próximo tema é Fontes de Energia no dia 7 de Setembro.
    Beijinhos.

    ResponderEliminar
  15. Que espetáculo de postagem estimada Rute!
    Creio que o maior problema "industrial" seja realmente o da alimentação!
    Como citei em réplica no seu comentário lá no "Alma Mater"!

    Pessoas morrem de fome porque não sabem comer e consumir! Infelizmente!
    Como é o caso de alguns países que plantam soja para exportar para os EUA e Almenha (os maiores produtores e consumidores de carne bovina do Mundinho!!!), enquanto estes que produzem, no país morrem de fome!!!
    Até quando, é minha pergunta diária e constantemente momentânea!!!

    Somos todos um! Mas que tenhamos, cada qual sua consciência e displina!!!

    Beijo de luz na nobre alma!
    \o/

    ResponderEliminar
  16. Selena,

    que bom vê-la por aqui. Obrigada pela visita e comentário. Obrigada por me receber na teia de braços abertos :)

    Gostei do que você lembrou, do problema do comércio internacional. Não seria preferível que os países tentassem tornar-se mais auto-suficientes? Sei que certos produtos é impossivel minimizar as importanções como o caso do petróleo.

    Bom, mas aí deve residir o problema fulcral. Para equilibrar a balança comercial, desequilibrada pela compra de energia, os países acabam por exportar o que melhor produzem. A soja não serve só para alimentação humana, serve também para alimentar gado e para biodiesel.

    Ai Selena, doi até a cabeça de tentar entender tudo. É super complexo!! E tem tantos interesses económicos envolvidos. Na mente de pessoas desapegadas ao material como nós, tudo é bem mais simples. Os nossos pensamentos são guiados pelo bem e pelo amor. Mas nas mentes dos dirigentes, os pensamentos são guiados pela ganância :( Que triste :((

    Beijo de luz dourada tb pra vc :)
    \o/

    ResponderEliminar
  17. Rute, parabéns pela iniciativa!!!! Adorei essa receita, o colorido do prato me chamou muito a atenção! Bjs!

    ResponderEliminar
  18. Lá está, agora surpreendeste-nos com as lentilhas...um sistema simples que se pode adaptar também a outras leguminosas, né?
    Eu de qualquer modo tenho sido muito crudívora, tirando uma ou outra refeição, nestes dias quentes as saladas são o meu refúgio glaciar!:)
    Quanto à temática em questão, faço o que está ao meu alcance para contribuir para um mundo melhor, elucido quem me rodeia e sou uma espectadora atenta, sempre aberta a ideias ecológicas, de carácter gastronómico ou não.
    Agradam-me estas pequenas batalhas diárias, com um objectivo em comum... :)
    Não gosto de discutir temas que me tiram profundamente do sério, tais como o viver de aparências, a exteriorização de luxos (não só na mesa, infelizmente) e este consumismo primata a que assistimos actualmente...
    Tudo isto leva ao endividamento e realça o lado mau do ser humano: a inveja, o egoísmo, a mesquinhes, a avareza e a ganância desmedida...
    Assistimos a uma evolução estranhíssima...qual será a finalidade?

    ResponderEliminar
  19. Olá, querdia amiga Rute
    Entre consultas e exames, passo rapidinho pra ler o que me faz ficar melhor até da saúde física, pois somos combatentes do bem em todos os sentidos...
    Fique na paz e serenidade
    Bjs ecológicos pra vc

    ResponderEliminar
  20. Allo Rute,

    Ja vi que andei a perder muita coisa boa nestes ultimos post's. Nao tive tempo para ler tudo, mas vi imensas receitas vegetarianas do meu agrado, oh yeah...

    Beijinhos e adoro vir ca :)

    ResponderEliminar
  21. Minhas queridas amigas,
    desculpem a ausência. Hoje o dia esteve cheio de afazeres...

    KÁTIA, colorido na mesa é arco-iris na vida. Não deixe de experimentar. Já alguma vez germinou brotos?

    MARYZITA, gostei tanto do teu comentário!! Com que então há assuntos que te tiram completamente do sério, hein? Mas olha que ficas muita gira assim "exaltada" ah ah ah :) Acredita que já fazes mesmo muito por um mundo melhor. Não tenho qualquer dúvida. Sinto isso! O consumismo é tal e qual como disseste, nada mais, nada menos do que aparência, futilidade, camuflagem... Muitos dos que mais "consomem" vivem do dinheiro de plástico, dos cartões de crédito! Grande verdade!!!

    Por vezes chego a depositar a culpa de tudo isto na melhoria de vida e no financiamento a juros baixos! Se não fosse tão fácil consumir, de certeza que o consumo era mais consciente e o lixo era menor!

    ORVALHO, muito obrigada pela sua visita breve. É sempre bom revê-la mas é uma pena dar-nos tão pouco de sí. Vc tem de diminuir o ritmo, caso contrário grande parte do que faz e do que chega a si, não é saboreado. Beijo sincero.

    CACAHUETTE, minha linda, ainda bem que voltaste pra nós!!! Tinha muitas saudadinhas tuas! Amanhã pásso no teu blog para ver as novidades, hoje já estou a encerrar o expediente :)

    Beijos, muitos, a todas.

    ResponderEliminar
  22. Rute,
    Como falei, deixei de molho as lentilhas naquele mesmo dia. Talvez por estar frio aqui, demorou mais do que dois dias para germinar bem.
    Coloquei 1 xícara de lentilhas de molho, de modo que tenho bastante. Exagerei...Depois te conto o que achei. A experiência em si de vê-las brotando lembra época de criança.
    Convido você a conferir o post de sexta-feira sobre "inveja", que preparei para a blogagem coletiva do Café com Bolo.
    Não consegui, lamentavelmente, fazer uma visita que pretendia e participar da Teia Ambiental. Mesmo fora do dia, espero publicar sobre o assunto e enredar-me nessa teia, ok?
    Beijos, minha querida osga!

    ResponderEliminar
  23. Adorei a receita e deixou-me com agua na boca ehehe parabens pelo blog:D

    ResponderEliminar
  24. GINA,

    já fui no blog da Glorinha conferir a BC Sentimentos e Emoções. Achei o máximo, mas não vou já já aderir. Deixei explicação no seu blog.

    Quanto aos brotos de lentilhas, aguentam muito tempo no frigorifico. Dai que não tem problema vc ter germinado demais. Simplesmente guarde eles sequinhos, numa caixa hermética.

    Espero que goste do sabor. Pode juntá-los a qq salada.
    ______________________________________

    RAQUEL, muito obrigada pela visita. Brevemente irei visitar o seu espaço. Já dei uma olhada breve por lá mas estou sem tempo para deixar comentário.

    Beijinhos para ambas.

    ResponderEliminar
  25. Ola Rute. Desde mais quero agradecer os seus comentários no meu blog, gostei muito.:)

    Relativamente´ao convite, sim gostaria muito de participar. :)

    Como posso me juntar a vocês? :)

    Beijinhos e obrigada por tdo

    ResponderEliminar
  26. Olá de novo Raquel,

    muito bem vinda à Teia Ambiental.

    Apenas tens de publicar um artigo no próximo dia de blogagem colectiva que é dia 7 de Setembro. O tema é: FONTES DE ENERGIA.

    Dá largas à tua criatividade.

    Convém no entanto ires ao blog do Gilberto avisar que eu te convidei e que tu aceitaste para que ele incluia o "Pequenas Coisas" no mural da teia e tome conhecimento que vais estar connosco nesse dia, em energia vibrante para dar voz ao planeta :)

    O blog do Gilberto é o Alma Mater.
    Beijinhos e fico muito contente que queiras participar :)

    ResponderEliminar
  27. Rute, mais um post inspirador!
    Desconhecia este processo da germinação das lentilhas!
    Aqui estou sempre a aprender!
    Excelente esta salada crua! E fica com um aspecto muito à frente!!!
    Beijinhos.

    ResponderEliminar
  28. Oie!

    Conheci seu blog atrave´s da Teia Ambiental, da qual estou participando a partir de agora.

    E ja vi que vou adorar visitá-la, cada receita maravilhosa!!!

    Beijinhos green

    ResponderEliminar
  29. Rute. Amei!!!! Li tudo (o seu post e os comentarios todos) com muita atenção e como sempre fiquei encantada com o que voce escreveu.
    Um beijinho
    Márcia

    ResponderEliminar
  30. Olá de novo,
    estive uns dias de férias :)

    Olá Marina, pois é, um processo de tão simples e arcaico mas para nós considerado "tão à frente" realmente :) Parece coisa do futuro mas no fundo é coisa da origem das espécies, do passado remoto.

    Oi Renata, que bom vc estar connosco na Teia Ambiental. Fico contente da teia estar crescendo. Quantos mais melhor. Brevemente irei no seu espaço.

    Oi Márcia! Há qto tempo. Embora aparentemente afastadas, soube noticias suas há pouco tempo. Sei que organiza as 2ªs feiras do restaurante bem-me-quer, verdade? Um dia vou te visitar.

    Beijinhos para todas.
    Vou continuar nas minhas férias.

    ResponderEliminar
  31. Gostei de visitar o estaminé. Fiquei freguês e hei-de voltar. Saudações pipianas

    ResponderEliminar
  32. Oi, querida
    Tem uma singela homenagem no meu Blog amanhã para vc.
    Tenha ótima tarde de Domingo com muita paz interior.
    Abaços fraternos

    ResponderEliminar
  33. Querida Amiga Rute,

    é sempre um enorme prazer ler as tuas publicações. Quando aqui venho, nunca dou o meu tempo como perdido e por isso, procuro fazê-lo quando estou mais livre das minhas obrigações, para poder absorver avidamente tudo o que tão bem escreves! Em primeiro lugar, os meus sinceros parabéns por este texto muito rico: é super interessante e se o teu objectivo é levar muitos carnívoras a reflectir, garanto-te que foi cumprido. Não vou dizer-te que saí daqui vegetariana, até porque sei que não é isso que pretendes: estás apenas a iluminar-nos e a fazer com que questionemos mais os nossos hábitos alimentares. Garanto-te querida Amiga que vou introduzir mais refeições vegetarianas na minha ementa, diminuindo o consumo de proteínas animais. Mas que é uma realidade que os actuais modelos de produção e de consumo de alimentos estão a esgotar recursos, a abalar ecossistemas, destruir florestas, e a aumentar a mortalidade por doenças cardiovasculares, diabetes, obesidade e por aí fora, aumentando também os níveis de poluição de forma insustentável, é!
    O futuro do nosso belíssimo planeta passa por uma transformação radical dos hábitos de consumo da humanidade: concordo pleamente! Sabes que para muitos dos meus conterrâneos, um restaurante onde se come bem é aquele que oferece muita quantidade e não qualidade?!!! Por cá, muita chicha é o que se pretende ver nas mesas!!
    Adoro o teu empenho e tua luta para que meditemos nesse assunto! Adoro o teu empenho em confeccionares refeições saudáveis e amigas do Ambiente. Adoro saber que tu germinas as tuas prórias sementes para poupar recursos, adoro o aspecto das tuas lentilhas...Adoro-te por seres assim: a Rute!
    beijinho grande.

    ResponderEliminar
  34. Olá Montez,
    obrigada pela visita.
    Grata pelo preferência.

    Olá Orvalho,
    obrigada pela singela homenagem.
    Já lá estive no seu espaço a agradecer pessoalmente.

    Querida Isabel,
    que saudades dos teus comentários. São sempre tão cheios de presença e nada superficiais.
    São pessoas como tu que me dão vontade de voltar à blogosfera.

    Beijinhos a todos.
    Bom fim de semana.

    ResponderEliminar
  35. Olá Rute ??? Há quanto tempo hein..., confesso que ando sumido, mas é devido a forças maior (compromissos), mas estou aqui novamente para tentar contribuir com essa Campanha tão importante para Todos Nós, eis o endereço da postagem deste mês http://meninodefe.blogspot.com/search/label/Ecologia, quando puder passe por lá e dê sua opinião (importante para mim), peço desculpa por ter sumido, mas dentro do possivel estarei sempre por aqui. Bjos e Abraços Além-Mar - Paz Profunda - Faith Boy/irio Domingos

    ResponderEliminar