29 abril 2010

ALMONDEGAS MISTAS (vaca e soja)

É um caso inédito, aqui no PPP, apresentar uma receita de carne (ou peixe). Assim como é uma raridade cozinhar carne ou peixe na minha cozinha.

No entanto, aqueles que me conhecem melhor sabem que não sou 100% vegetariana, já que no social não imponho o meu "vegetarianismo" a ninguém. Dai que quando vou a casa de amigos ou familiares como o que houver na mesa. Mas isto acontece no máximo 4 vezes por mês (nem tanto). De resto, por norma, não entra carne, nem peixe no meu frigorifico ou fogão.

O que me levou a cozinhar almondegas mistas de vaca e soja foi ter como objectivo mostrar às pessoas que podem muito facilmente introduzir alguns alimentos vegetarianos na culinária trivial sem chocarem os mais esquisitos lá de casa. Desta forma, aos poucos treinam o paladar a receber os sabores da soja, do seitan ou do tofú através da mistura destes, nos pratos de carne e peixe.

Tranquiliza a minha consciência pensar que pelo simples facto de eu ter confeccionado 1 única refeição carno-veggie posso "influênciar" muita gente a diminuir a carne na sua alimentação, substituindo-a parcialmente por soja, contribuindo para a saúde de muitos e para um melhor planeta. Espero estar certa! Experimentem!

INGREDIENTES:

500 gr carne vaca biologica picada (comprei na biocoop);
1 chávena de soja fina texturizada;
Água p/hidratar, cominhos, sal, pimenta e raspa gengibre;
2 claras de aproveitamento (ou 1 ovo inteiro);
3 dentes de alho picados;
Noz moscada ralada na altura (ou em pó);
Farinha de trigo branca p/ moldar as almondegas;
2 Cebolas médias;
Azeite q.b.;
3 tomates pequenos;
1/2 copo de polpa de tomate;
1/2 copo de vinho tinto;
1 copo de água;
Molho de soja q.b.;
Cerefólio em folha desidratado.

CONFECÇÃO:

Tempere a soja fina a seco com cominhos, sal, pimenta. Hidrate com água até tapar. Misture o sumo da raspa de gengibre. Reserve durante 1 hora.

Prepare o refogado de cebola com azeite. Junte o tomate partido. Deixe refogar um pouco. Enquanto isto, esprema a soja da água e num alguidar junte a carne com a soja, mais temperos: alho picado, cominhos, sal, pimenta e noz moscada. Junte as claras de ovo (usei metade das que sobraram do
fricassé). Depois de bem misturado, forme bolinhas enfarinhando-as de seguida e disponha-as num tabuleiro. Reserve.

Volte ao refogado. Junte a polpa de tomate com o vinho e a água. Deite no refogado e espere que ferva novamente. Quando ferver, triture o molho com a liquidificadora de mão. Se estiver muito grosso junte mais água e deixe voltar a ferver, já que a farinha das almondegas vai engrossá-lo.
Assim que o molho estiver no ponto introduza as almondegas na panela. Dê-lhes algum espaço umas entre as outras. Tape, reduza o lume e agite de vez em quando a panela para fazer rolar as almondegas. A meio do tempo destape para vigiar se o molho engrossou demais ou para ajudar com a colher de pau. Quase no fim, rectifique temperos com molho de soja (ou sal), cominhos em pó e cerefólio seco.
Acompanhe com arroz ou esparguette. Nós optamos por esparguette com lombarda em juliana, milho cozido e como topping das almondegas povilhamos com levedura de cerveja que dá aquele gostinho parecido ao queijo parmesão.

28 abril 2010

RECYCLING FOOD - GELADO DE SALADA FRUTAS

ARTIGOS RELACIONADOS:Recycling Food - Pão de Pão Duro Ralado
Bolinho de Residuo de Sumo Centrifugado
Bombons de Residuo de Sumo Centrifugado

Então é assim: domingo tive um lanche/ajantarado do núcleo duro de amigas e calhou-me levar a salada de frutas laminadas: meloa, manga, ananás em sumo natural, pêro, morangos, sumo de laranja e "cheirinho" de vinho do porto.

Terminada a refeição, sobrou salada de frutas e o que fazer com a dita no dia seguinte? Reciclar concerteza, pois nada se perde, tudo se transforma e um new look dá logo vontade de comer com mais prazer.

Resultou num gelado vistoso, cor-de-laranja fluorescente com topping de granola caseira.
INGREDIENTES:
3 conchas (sopa) de salada de frutas com molho;
1 punhado de bagas goji;
1/2 lata leite condensado de soja;
1 limão pequeno sem casca e sem grainhas;
Granola ou muesli (usei a
granola caseira).

CONFECÇÃO:

Colocar a salada de frutas com molho dentro do copo da bimby. Juntar as bagas goji e deixar hidratarem durante 10 minutos (retirei a ideia deste néctar).

Adicionar o leite condensado de soja e o limão sem casca, e sem grainhas, cortado aos pedacinhos. Coloque meio limão de cada vez, teste acidez entre as duas metades. Caso sinta o batido muito ácido, fique-se pela 1ªmetade de limão. Programe 2 minutos, velocidade 5-7-9 (gradual).

Quando o preparado liquidificar por completo deite na máquina de fazer gelados. Ao fim de 45 minutos a 1 hora fica pronto a comer. Decore com muesli.

27 abril 2010

GRANOLA CASEIRA COM COCO FRESCO

Quis tirar daquelas fotos de "meter mesmo o nariz" e fotografar ao pormenor :) Conseguem ver os pedacinhos de amêndoa no meio dos flocos de aveia? Encontrar o coco ralado é que é mais díficil.

Então dizia assim a
Genoveva nos comentários do caril com leite de coco fresco: "...fico ansiosa de saber a forma como vais aproveitar o coco".

Minha querida Genoveva, não foi preciso pensar muito pois no Sábado dei de caras com esta Granola da
Gina e antes que o coco estragasse foi incorporado numa magnifica granola com frutos vermelhos :)

O cheirinho que emana do forno aquando da confecção da Granola é um festival olfativo. Não admira que o Naco Zinha Brasil tenha sido atacado de abelhas nesse dia, ah ah ah.

INGREDIENTES:

250 gr de flocos aveia caseiros (finos);
3 colheres (sopa) coco fresco ralado;
100 gr de mel (+/- 1/5 do frasco de 500 gr);
3 colheres (sopa) amêndoa partida;
1 punhado de uva-passa (usei as da
minha aldeia);
1 punhado de arandos desidratados;
2 colheres (sopa) de linhaça gold.
CONFECÇÃO:
Quem tiver um flocker pode fazer flocos de grãos de aveia. Senão tiver, compre os flocos já em pacote. Coloque-os num tabuleiro de ir ao forno, misturar o coco fresco, regar com mel e com um pauzinho misturar tudo. Não se preocupe se não conseguir misturar bem, mais tarde com o calor do forno, o mel dilui-se e remexe-se melhor.
Leve ao forno a 200º, durante 10 minutos. Mexa com um garfo de madeira. Os flocos que estiverem nas pontas traga para o meio, e os do meio espalhe-os para as pontas. Mais 10 minutos e outra mexidela. Mas nesta 2ªfase junte a amêndoa partida. Deixe mais 10 minutos enquanto prepara as frutas desidratadas.
Numa tijela junte uva-passa, arandos cortados e linhaça. Se as passas também forem muito grandes corte-as com uma tesoura de cozinha.
Quando a mistura de aveia estiver dourada retire-a do forno. Deixe-a arrefecer e só praticamente fria é que junta a mistura de frutas desidratadas.
Fica espetacular!!! Obrigada Gina pela receitinha maravilhosa.
ARTIGO RELACIONADO:

26 abril 2010

CARIL COM LEITE DE COCO FRESCO

As iludências, aparudem! Olha-se para este prato e não se adivinha a maravilha que é!
Claro que já tinha feito caril. Como é óbvio! Mas nunca com leite de coco fresco. Uma especialidade, especialissima! Um sabor exótico e conquistador.
INGREDIENTES:
  • Soja granulada fina;
  • Açafrão e caril em pó;
  • Azeite q.b.;
  • Sal, pimenta e alho em pó;
  • Gengibre ralado e espremido em sumo;
  • 1 coco fresco;
  • 1 cebola grande;
  • 1 lata de cogumelos Paris laminados;
  • 1 molhinho de espinafres;
  • 1 pacote de natas soja;
  • 3 dentes de alho;
  • arroz cozido para acompanhar;
  • e cenoura e naco ralado.
CONFECÇÃO:
Hidratar a soja fina com água e azeite, temperada de açafrão e caril, sumo de gengibre, sal e pimenta. De preferência de véspera.
Regar a forma da Actifry com azeite, esmagar 3 dentes de alho lá para dentro e fritar os cogumelos, previamente escorridos da água de conserva.
Fazer um refogado num tacho com azeite e cebola. Espremer a soja fina, refogá-la. Juntar os cogumelos salteados.
Abrir o coco, retirar a água e a polpa. Descascar a polpa de sua pele castanha. Partir aos pedaços, juntar 750 gr de água e triturar na liquidificadora. 2 minutos, velocidade 2 com uns toques de turbo no final.
Colocar o produto da trituração num pano e espremer até separar o liquido da polpa batida. Conforme imagens 2 e 3.
Juntar o leite de coco ao refogado. Não todo, apenas uma parte, sem alagar demasiado a soja. Deixar ferver. De seguida juntar 1 pacote de natas de soja, temperar de sal e pimenta. Adicionar as folhas de espinafres. Deixar ferver até engrossar um pouco o molho.
Servir com arroz branco e cenoura e nabo ralado. Reservar a polpa de coco para outra confecção.

25 abril 2010

PÃO COLMEIA DE MILHO

As fotos não estão grande coisa mas o pão estáva! Não gosto muito de fotografar à noite mas por vezes não tenho outra opção.

Este é mais um pãozinho com melhorante regueifa 3% da Puratos. O melhorante permite uma malha mais elástica, daí a facilidade de formatar a massa de pão de variadissimas maneiras. Outros formatos já publicados no PPP:

Pão Regueifa
Bolinhas Arregueifadas
Pão das Rosas
INGREDIENTES:
  • 310 gr água purificada morna;
  • 200 gr farinha milho;
  • 25 gr fermento fresco (1 cubo);
  • 300 gr farinha trigo branca (usei biologica T80 semi-integral);
  • 15 gr melhorante regueifa 3%;
  • Sementes de sêsamo;
  • 9 gr sal fino.
CONFECÇÃO:
No copo da bimby juntar a água morna com o fermento desfeito e a farinha de milho. Programe 2 minutos, velocidade 2.

Juntar os restantes ingredientes. Programar 6 minutos, velocidade espiga. Tapar o copo da bimby com um pano à volta e outro por cima. Deixar levedar 30 minutos ou até a massa sair pelo bucal da tampa do copo.

Aquecer o forno. Formar bolinhas pequenas, dispondo-as num tapete de silicone com espaço umas entre as outras. A massa irá crescer bastante, quase o dobro. E as bolas vão unir. Levar a forno a 50 graus, durante 30 minutos para levedar.

Findo o tempo, aumentar temperatura para 225º e colocar recipiente com água dentro do forno. E ainda, pulverizar pão e ambiente dentro do forno, distribuir as sementes de sêsamo por cima. Em principio ao fim de 20/30 o pão estará pronto. Lembro que pelo facto da massa estar mais dividida, vai assar mais rápido do que pão inteiro.

23 abril 2010

TOFÚ DE FRICASSÉ

Quando fiz o Seitan à Espanhola perguntei a mim mesma: Que outras receitas tipicas posso eu converter ao formato vegetariano?

Sobrevoei com os meus pensamentos o
alho-francês à brás que gosto bastante, a soja com molho agri-doce chinês que é um show, os cogumelos com tofú à bulhão pato que são de comer e chorar por mais, etc etc... Até que me fiquei por algo nunca antes visto ou confeccionado por mim: Tofú de fricassé, ah pois é, bébé!
Muito bem lembrado! Não tem nada que saber, basta captar a forma como se faz frango de fricassé e pimba aplica-se ao tofú, ao seitan ou à soja granulada.
INGREDIENTES:
  • 250 gr Tofú fresco;
  • Alhos ou pasta de alho (é indiferente);
  • Poejo desidratado;
  • Sumo de limão;
  • Azeite para temperar o tofú;
  • Sal q.b.;
  • Cebola grande ou 2 pequenas (usei roxa);
  • Azeite para o refogado;
  • Água mineral q.b.;
  • 4 gemas de ovos;
  • Salsa fresca ou desidratada (é preferivel fresca).
CONFECÇÃO:
Corte e tempere o tofú de vespera com alho, poejo seco, sumo de 1/2 limão, sal e azeite.
Num tacho faça um refogado com azeite e cebola. Deite o tofú que esteve a marinar desde o dia anterior. Refogue suavemente. Deite um pouco de água até cobrir para o tofú cozer e ficar fofo. Assim que estiver cozido, retire parte da água e reserve.
Bata as gemas com o sumo de 1/2 de limão grande (ou 1 pequeno). Deite sobre o tofú e mexa constantemente em lume brando. Se precisar adicione colheres (sopa) do caldo da cozedura. Termine com salsa picada fresca ou seca. Se for salsa desidratada, deixa-a hidratar um pouco antes de apagar a panela e verifique se precisa de mais água do caldo.
ACOMPANHE COM:
Batatas fritas com azeite e paprika na Actifry. Apesar de na foto não terem grande aspecto, as batatas estavam magnificas. Simplesmente são daquelas que enegrecem um pouco.
Basta lavá-las em bastante água para sair goma, depois secá-las num pano já aos palitos, deitar dentro da actifry e regar com uma mistura de azeite e paprika.
Aqueci também um pouco de arroz branco e temperei uma salada de alface em juliana com tomate laminado.

22 abril 2010

FOLAR DE REI ou ROSCA DA PÁSCOA

Finalmente chegou-me a inspiração pascoal. Tardia mas triunfante, multicolor e aromática, deu muito prazer a pôr em prática e a degustar.
As cores dos ovinhos não são artificiais. Não adicionei corantes nenhuns. O vermelho é xarope de groselha, o amarelo que era suposto ser cor-de-laranja, é água com açafrão já que a 1ªtentativa com sumo de cenoura não resultou, e o AZUUUUUUUUUUUUUL... suspense... o azul é água de cozer couve-roxa com uma pitada de fermento royal. Eh eh eh grandes alquimias, não é verdade?
O sabor deste folar é tal e qual o sabor típico dos bolos de Páscoa. Quentinho não se consegue parar de comer! Completamente viciante.
A ideia de usar ovos de codorniz em vez de ovos de galinha, deu-lhe um toque bem original, não concordam? Mas talvez na próxima vez corte os ovinhos aos meio e coloque-os com o corte para baixo, obtendo o mesmo aspecto aéreo mas sem sobrecarregar tanto o folar de proteina animal. Não é que eu não goste! Sou doidona por ovos cozidos, mas em excesso fazem mal e depois levam-me a evitar os ovos noutras confecções durante a semana. Por exemplo, esta semana já está tudo proibido de comer ovos cá em casa enquanto se estiver a comer o folar.
INGREDIENTES:
  • Sumo de 1 laranja;
  • Resto em água morna até obter um total de 220 ml de líquido;
  • 500 gr de farinha Brioche Nacional;
  • 1 colher (chá) de canela em pó;
  • 1 colher (café) de erva-doce em pó;
  • 1 colher (café) de anis-verde em semente;
  • 1 colher (sopa) de conhaque ou aguardente;
  • Azeite q.b.;
  • 1 colher (sopa) de mel;
  • Raspa de 1 limão;
  • 4 ovos azuis*;
  • 4 ovos vermelhos;
  • 4 ovos amarelos;
  • 4 ovos brancos;
  • Açúcar mascavado claro para povilhar.
CONFECÇÃO:
No copo da bimby, deite a mistura de sumo de laranja e água num total de 220 ml, juntamente com a farinha de brioche, canela, erva-doce e anis verde. Programe 5 minutos, velocidade espiga. Ao 3ºminuto junte a aguardente.
Agasalhe o copo da bimby com um pano à volta e outro por cima. Deixe levedar 30 minutos.
Aqueça o forno nos minutos finais da levedação e prepare uma mistura de mel, azeite e raspa de limão numa tijela. Assim que a massa esteja levedada, unte uma bancada com a mistura de azeite e deite sobre a mesa, a massa de brioche. Abra-a em lençol, passe-a bem na mistura de azeite. Enrole e molde um anel de massa em cima dum tapete de silicone.
Leve a levedar mais 30 minutos, dentro do forno, a 50º.
Findo este tempo, aumente a temperatura para 200º, disponha os ovinhos no folar e deixe assar por 30 minutos.
No fim, já fora do forno e ainda quente, povilhe de açúcar mascavado claro que vai dar-lhe um ar de pó de ouro e uma sensação muito agradável ao trincar.
COR AZUL (como obter):
Num tacho coza couve-roxa com pouca água, de modo a que a concentração de cor seja elevada.
Quando cozida, retire a couve, reserve a água da cozedura e junte um pouco de fermento royal, ou de bicabornato de sódio. E.... voilá, passado um tempo a cor roxa dá lugar à cor azul :)
Para os ovos ganharem cor, têm de ser cozidos de véspera, descascados e ficam de um dia para o outro em cada solução colorida.

20 abril 2010

BRINHOLAS - FILHÓSES OU BROAS DE BANANA?

Sim, eu sei que a culpa é toda minha. Mas ficou uma "culpa" tão saborosa!
Tanto transformo rosas em pão como filhóses em broas! Devia seguir o conselho dum amigo meu que diz sempre: A primeira vez que reproduzo uma receita, nunca invento. Quando repito é que aplico o meu cunho pessoal.
Ahhhhhhhhhh tá bem tá! Como se isso fosse fácil pra mim, não inventar!
Bom, mas de qualquer forma, deixo a receita das duas. A receita original é a das brinholas moçambicanas, ou traduzindo à letra, filhoses de banana. A receita inventada é a das broas de banana e apresento-a de seguida.
INGREDIENTES:
  • 2 bananas maduras;
  • Sumo de 1/2 laranja;
  • 200 gr de carolo de milho;
  • 1 ovo;
  • 1 chávena (café) açúcar mascavado claro;
  • Canela em pó a gosto;
  • Amêndoa partida q.b.;
  • Côco ralado q.b.;
  • Pepitas de chocolate amargo q.b.
CONFECÇÃO:
Esmigalhar as bananas com um garfo, juntando ao mesmo tempo o sumo da laranja para ajudar a esmigalhar. Adicionar um pouco do carolo de milho. Misturar bem e anexar o ovo batido. Adicionar mais um pouco de carolo de milho, açúcar, canela. Misturar bem com o garfo. Adicionar a amêndoa, o coco desidratado. Verificar se precisa de mais carolo de milho. Terminar com a adição das pepitas de chocolate.
A massa não deve ficar seca demais, mas também não deve ficar molhada demais. Com a ajuda de 2 colheres deve conseguir moldar broas em formato de pasteis de bacalhau.
Unte a forma da actifry com óleo de milho, disponha os pasteis sem tocarem uns nos outros e frite-os na Actifry, pulverizando-os de óleo quando necessário.
Fantásticas! Mia culpa, mia culpa, mia tão grande culpa :)
OUTRAS RECEITAS MOÇAMBICANAS:

16 abril 2010

FORMA DE ALGODÃO DOCE

Chamei-lhe Forma de Algodão Doce, não por ser um pão doce (pois não é), mas sim por fazer lembrar a cor daquele "algodão" que vendem nas feiras populares.

No entanto quando o estáva a criar julguei que ficasse doce com o xarope de groselha. Quando terminou, ficou um pão com sabor normal, embora tenha um aroma suave a pastilha elástica :)

Tudo isto encantou a filhota. Mais ainda porque lembrei de recortar o pão com um cortante. Foi uma manhã muito animada a preparar a sandes cor-de-rosa para o lanche da escola :)

INGREDIENTES:

240 gr de água morna;

1 cubo de fermento fresco;

240 gr de farinha Easy Forma Puratos;

240 gr de farinha trigo semi-completa T85;

6 colheres (sopa) xarope de groselha.

(não necessita de sal pois a Easy Forma já contém)
CONFECÇÃO:

No copo da bimby juntar a água morna, o fermento fresco desfeito com os dedos e a farinha Easy Forma. Programar 2 minutos, velocidade 2.

Juntar a farinha T85, programar 6 minutos, velocidade espiga. Ir introduzindo aos poucos as colheres de xarope de groselha. Deixe amassar entre cada colher de xarope.

Terminado o tempo, agasalhe o copo da bimby com um pano à volta e outro por cima. Deixe levedar 30/45 minutos (até sair pelo bucal da tampa).

Aqueça o forno, unte a forma com tampa com azeite. Deite a massa na forma após 1ªlevedação.

Leve ao forno a 50º, durante 30 minutos. Aumente a temperatura para 220º quando terminar os 30 minutos e deixe assar durante outros 30.

No fim, retire o pão da forma e leve 5 minutos ao forno para ganhar uma crosta riginha.

15 abril 2010

VFV e PNEUS - Jornal Ágora - SOS Terra

Para ler basta clickar em cima da imagem:

Este é o 16ºartigo que escrevo para o Jornal Ágora do Centro Comunitário de Carcavelos.
Os restantes artigos encontram-se na etiqueta Ecologia


Videos sobre pneus reciclados:

Fábrica de reciclagem de pneus

Casa organica feita de pneus

Projecto escola reciclagem de pneus

13 abril 2010

SÃO ROSAS, MEU SENHOR D.DINIS!

Fui sempre sempre sempre, apaixonada pela história de Portugal e por suas lendas populares. Desde a formação do condado portucalense até à instalação da república, é tudo muito rico e fascinante.
Ao criar o pão das rosas não pude evitar estabelecer ligação com o Milagre das rosas da rainha santa Isabel. Até porque o meu 1ºnome é Isabel :) e sinto alguma empatia com tal Rainha que distribuia esmolas e pão aos necessitados às escondidas do marido. Mas...vamos à lenda:
«Eis que o Rei já andava desconfiado das acções de caridade da Rainha. Numa dessas fugas para levar pão aos pobres, questiona-a no caminho:
REI- Onde ides senhora minha?
RAINHA - Passear ao jardim, meu senhor.
REI (desconfiado)- O que trazeis bem escondido no regaço?
RAINHA (embaraçada)- São...são rosas, meu senhor D.Dinis!
REI (admirado)- Rosas em JAN??? (tás-me a enganar ó cabrona) Mostrai-mas!
A rainha não tendo como continuar a mentir, corada e cabisbaixa, solta as pregas do manto e em vez de cairem pães no chão, caem rosas vermelhas. Dá-se então o milagre das rosas.»
INGREDIENTES:
  • 170 gr farinha de trigo negro da Bretanha;
  • 300 gr água purificada morna;
  • 25 gr fermento fresco (1 cubo);
  • 300 gr farinha branca (usei semi-integral T80);
  • 20 gr canela em pó;
  • 10 gr farinha de alfarroba;
  • 15 gr melhorante regueifa 3% (puratos);
  • 9 gr sal;
  • Sementes de papoila q.b.
CONFECÇÃO:
Colocar a água morna, o cubo de fermento desfeito e a farinha de trigo negro (comprei no intermarché) dentro do copo da bimby. Programar 2 minutos, velocidade 2.
Juntar os restantes ingredientes e programar 6 minutos, velocidade espiga. Agasalhar com um pano à folha e outro por cima. Deixar levedar 30 minutos.
Aquecer o forno com um recipiente com água lá dentro.
Separar faixas de massa, "recheá-las" com sementes de papoila e enrolar. Colocando-as sobre um tapete de silicone, dentro do aro duma forma de mola sem fundo. Conforme imagem:
Convém deixar espaço suficiente para a 2ªlevedação do pão que irá ocorrer já dentro do forno a uma temperatura de 50º, durante 30 minutos.
Findo este tempo, aumente a temperatura para 225º e deixe assar por 20 a 30 minutos.

12 abril 2010

ARROZ DOCE DE PRINCESA (SOLAR)

ARTIGOS RELACIONADOS:

Arroz Doce Solar Simples
Arroz Doce de Cabidela

Está oficialmente aberta a temporada de confecções no Forno Solar. À borlix não custa nix!
O sol veio para ficar. Inaugurei a estação quente com um fantástico arroz de groselha :) Saiu melhor que a encomenda!
INGREDIENTES:
  • 2 chávenas de arroz carolino;
  • água q.b. a tapar, 1 dedo a cima da altura arroz;
  • 1 e 1/2 litros de leite de soja com sabor a baunilha;
  • Casca de 1 limão pequeno;
  • Pau de canela;
  • 1 chávena de açúcar mascavado claro;
  • 2 colheres (sopa) manteiga de soja;
  • pitada de sal;
  • 3 colheres (sopa) xarope de groselha.
CONFECÇÃO:
Lave o arroz em 1 ou 2 águas para soltar a goma. Colocar num tacho preto (de ferro ou outro) coberto de água, 1 dedo acima da altura do arroz. Levar ao forno solar até desaparecer a água.
Depois do arroz cozido, separar os grãos com um garfo e retirá-lo da panela para evitar continuar a cozer no quente da panela.
Noutro tacho, ferver o leite de soja com a casca de limão e o pau de canela. Assim que ferver, deitar o açúcar. Vá mexendo até diluir completamente (ou até voltar a ferver novamente). Junte a manteiga de soja, mexa até diluir, mais o arroz, Desfazendo os pedaços maiores contra a parede da panela com uma colher de pau. Deixe ferver e engrossar. Mesmo no final junte o xarope de groselha e apague.
Sirva em pratos fundos ou travessas para arrefecer mais depressa.

10 abril 2010

CHÁ DE FLÔR DE AMARANTO

Conheci o chá da flôr de amaranto pela mão da Miss Slim. Achei o máximo, imaginar uma flôr a "florir" dentro de água quente. Se eu fosse homem (aqui fica uma dica), em vez de oferecer flores a mulheres, oferecia-lhes um pacotinho deste chá :) Além de ser um chá gourmet, é também super original oferecer flores para chá em vez de flores para decoração (não acham rapazes?).

Eu por exemplo, não gosto de receber ramos de flores, acho um desperdicio terrivel já que as flores cortadas têm uma vida muito curta e isso entristece-me. O ideal para mim é flor ou planta em vaso, para eu poder cuidar e lembrar-me da pessoa que ma deu, todos os dias. Para além de aproveitar a função da planta de purificar o ar da minha casa através da sua respiração inversa à dos humanos.

Bom, mas chá de flôr nunca ninguém me ofereceu, nem sequer chá de flôr de camomila que é o mais banal. Julgo que um chá de flôr impressiona qualquer uma :) ah ah ah é super original concerteza! Ninguém pode negar.

Aproveito ainda este post para fazer um apelo SOS:

Como é do conhecimento de todos, as chuvas fortes que cairam recentemente no Rio de Janeiro geraram o caos na cidade (videos neste link). Muitas perdas humanas e materiais, enchentes, desabamentos, e perigo de contaminação dada a falta de saneamento básico em zonas desfavorecidas. Dai que na tv já alertam para o cuidado que há que ter, caso as pessoas entrem em contacto com as águas paradas, como por exemplo, chegar a casa e tomar banho de imediato, ter cuidado a caminhar dentro da água para evitar cortes, e se possivel não atravessar zonas alagadas.

Bom, mas o apelo é para quem mora fora do Rio de Janeiro! Gente! O Brasil é tão grande! De certeza que com a solidariedade de todos vai ser possivel ajudar todo o mundo. Nós aqui em Portugal, em Fev, também tivemos chuvas torrenciais no arquipelago da Madeira e através da Campanha CTT/Madeira conseguimos contribuir para ajudar nossos irmãos. E ainda continuamos a contribuir com a Campanha ArredondaMadeira. Agora é a vossa vez de mostrar a união do povo em causas nobres. Lembrem-se que o que vocês tem a mais, outros têm a menos. Contribuam com roupa, calçado, roupa de casa, alimentos e dinheiro para a Campanha Ajuda às Vitimas RJ.

A Fabiana do blog Figos & Funghis fez um resumo dos locais onde poderá entregar a sua ajuda em generos, assim como as contas bancárias das intituições que estão a prestar auxilio no terreno, para fazer o seu donativo (qualquer valor é bem vindo). Não deixe de contribuir apenas porque só pode contribuir com pouco. 1 real multiplicado por 1000 habitantes, já são 1000 reais!!

Abrace esta causa. Estará a abraçar muita gente que precisa. Já reparou que um abraço coloca um peito colado a outro peito, liga corações e gera amor? E o amor é omnipotente, tem a capacidade de conseguir fazer tudo!

09 abril 2010

SEITAN À ESPANHOLA

Quando se tem um desejo, mais vale não contrariar! Foi assim que descobri que estáva grávida da Carolina :) Deu-me um desejo incontrolável de beber sumol quando desfolhava uma revista qualquer (ah ah ah). Bom, mas por aqui ninguém está grá, só se for gravemente maluca com tanta legislação nova no mundo da contabilidade, que é a minha área de trabalho!

Apenas tive um desejo, daqueles de fazer crescer água na boca, de comer batatas cozidas com molho à espanhola! E eis que numa simplicidade mirabolante dou vida à minha melhor criação de 2010, até à data (em termos de sabor, of course).

INGREDIENTES:
  • Batatas cozidas em tacho de ferro (ficam + saborosas);
  • Cebola roxa pequena;
  • 1 raminho salsa;
  • Uma pitada de paprika ou colorau em pó;
  • Vinagre de ameixa q.b. (ou outro vinagre suave);
  • Azeite q.b.;
  • 1 embalagem de seitan;
  • Gengibre fresco ralado;
  • Alho fresco ralado;
  • Milho cozido (é opcional).
CONFECÇÃO:
Coza as batatas num tacho de ferro se tiver. Ficam com um sabor melhor. Pode cozer com ou sem casca. E com ou sem sal (eu cozi sem sal).
Enquanto cozem, pique a cebola roxa e deixe-a a marinar no vinagre de ameixa durante 10 minutos. Este marinar vai "cozer" a cebola de forma crudivora, amaciando-a e tornando-a mais fácil de digerir. Ao fim dos 10 minutos, escorra o vinagre da cebola, junte a salsa picada, regue com azeite e coloque meia colher (café) de paprika ou colorau em pó. Misture bem e reserve.
Lamine o seitan em fatias finas. Disponha-o sem sobrepôr as fatias, rale gengibre e escorra o suco do gengibre por cima do seitan. Esprema o gengibre ralado com os dedos para gerar mais suco. Esfregue a polpa pelos lombinhos de seitan. Faça o mesmo com o alho ralado. Reserve.
Após as batatas estarem cozidas e escorridas da água, prepare uma frigideira anti-aderente com 1 colher do azeite à espanhola, só mesmo para untar ligeiramente e grelhe superficialmente os lombinhos de seitan. Sirva tudo regado com o molho à espanhola.
Pormenor: cozinhei tudo sem sal e não fez falta absolutamente nenhuma, uma vez que o tempero do molho e o tempero dos escalopes despertou os sabores. Diminuir o sal na alimentação é algo de muitissimo importante, até mesmo para quem quer emagrecer. Já que o sal é responsável pela retenção de liquidos no organismo.

08 abril 2010

BOLINHAS ARREGUEIFADAS INTEGRAIS

ARTIGO RELACIONADO:

Pão Regueifa Puratos

A ideia de moldar o pão neste formato veio do blog Kristininha na cozinha, quando vi a disposição das bolas de pão que a kris fez com o resto de massa de pizza. Todos temos ideias interessantes para partilhar. Há que estar atenta às ideias que nos rodeiam e implementar a partilha continua. Obrigada kris.

INGREDIENTES:
  • 310 de água purificada (ou outra);
  • 200 gr farinha integral trigo;
  • 25 gr fermento fresco (1 cubo);
  • 300 gr farinha branca trigo (usei biológica T80 semi-integral);
  • 15 gr melhorante Regueifa 3% (ver artigo relacionado);
  • 9 gr sal.
CONFECÇÃO:
No copo da bimby juntar a água morna com o fermento desfeito e a farinha integral. Programar 2 minutos, velocidade 2.
Juntar os restantes ingredientes. Programar 6 minutos, velocidade espiga. Tapar o copo da bimby com um pano à volta e outro por cima. Deixar levedar 30 minutos ou até a massa sair pelo bucal da tampa do copo.
Aquecer o forno. Formar bolinhas pequenas, dispondo-as num tapete de silicone com espaço umas entre as outras. A massa irá crescer bastante, quase o dobro. E as bolas vão unir. Levar a forno a 50 graus, durante 30 minutos para levedar.
Findo o tempo, aumentar temperatura para 225º e colocar recipiente com água dentro do forno. E ainda, pulverizar pão e ambiente dentro do forno. Em principio ao fim de 20/30 o pão estará pronto. Lembro que pelo facto da massa estar mais dividida, vai assar mais rápido do que pão inteiro.

06 abril 2010

ATELIER DE FANTOCHES MARINHOS PARA PAIS

Nestas férias da Páscoa, a Carolina tem estádo na Cooperativa de Ensino "O Nosso Sonho" em Tires. Uma instituição exemplar com excelentes profissionais que acolhe todas as crianças independentemente de serem ou não crianças com necessidades educativas especiais. Tratam todos com muito carinho e ensinam as crianças a viver na diversidade de géneros, raças e credos.
Para além da inclusão de todas as crianças sem excepção, há ainda uma preocupação acrescida de promover as actividades em familia. E ontem, 2ªfeira, dia 6 Abril, lá fomos nós, mãe e filha, a um atelier de fantoches para pais.
Era suposto ensinarem-nos a fazer fantoches e eu toda satisfeita já esfregava as mãos na ânsia de ir aprender mais qualquer coisinha :) Mas eis que começa a sessão e a Carla diz-nos precisamente o contrário! Ninguém vai ensinar nada! Vão dar largas à imaginação.
Ó diabo!! E para mal dos nossos pecados ainda dizem que os meninos do ATL escreveram uma história com personagens marinhas e que temos de escolher um animal para confeccionar: um tubarão, uma baleia, um cavalo do mar, uma tartaruga ou um peixe-balão!
Todos começam a escolher e os miúdos muito rápidamente dizem aos pais que animal preferem. A minha Carolina deixa-se ficar para último e eu a ficar aflita pois os animais fáceis já tinham ido todos! Ai ai ai... ai ai ai.... e pimba calha-nos o peixe-balão.
Ó valha-me Deus! E agora!? Eu sei lá fazer um peixe-balão. Ainda por cima os materiais eram panos de feltro variados, linhas, botões e outros apliques. Parti do principio que queriam uma coisa muito certinha e eu que sou toda "artistica" estáva-me a ver enrascada. E pergunto em desespero de causa: - Ó Carla...e não há materiais reciclados?
Resumindo e concluindo, um saco da Bershka verde matizado que recortei em formato de peixe, enchimento de desperdicio de plástico para dar aquele aspecto insuflável. O rabo do peixe de rolos de cartão de papel higienico mais uns trapos de tafetá azul. E o resto dá para adivinhar, é só olhar para a foto.
Fiquei duplamente satisfeita quando percebi qual o objectivo final do trabalho. A Carla informou-nos que a história foi escrita em livro e ilustrada pelas crianças. E juntamente com os fantoches e teatrinho, vai ser oferecida a um hospital para que as crianças que estejam internadas possam brincar com tudo o que nós fizemos para elas com tanto carinho.
Uma iniciativa muito bonita e louvável, sem dúvida.
Estão todos de parabéns. Mais uma vez!
Bem hajam por existirem e por serem tão dedicadas.
ARTIGOS RELACIONADOS:

03 abril 2010

MORCELA VEGETARIANA ASSADA NA BRASA

Ai que bem que me soube a bela Morcela Bio da Próvida!

Foi no dia da
Canja de Coco, hummm... acompanhada com Regueifa Caseira semi-torrada, hummm... assada à moda antiga com lume de alcool, hummm... de comer e chorar por mais!
No entanto, como a morcela bio é pouco salgada juntei-lhe um cadinho de salami veggie picante na mini-sandoca e...acreditem...dá para enganar os mais esquisitinhos. Ouviram? Sandra G e Gasparzinha!?
E...srs e sras... esta morcela não é nada indigesta hein! Fazem a digestão num instante.

01 abril 2010

BOLO INGLÊS SEM OVOS

INGREDIENTES:
  • 1 laranja inteira sem casca;
  • 1 chávena (café) de kéfir-soja (ou 1 iogurte natural de soja);
  • 200 gr de açúcar mascavado claro;
  • 270 gr de farinha trigo;
  • 1 colher (sopa) chocolate em pó (opcional);
  • 3/4 chávena de margarina de soja;
  • 1 colher (sopa) fermento Royal;
  • Frutas cristalizadas;
  • Uvas-pássas;
  • Vinho do porto q.b. (vinho doce);
  • Papel vegetal para forrar a forma;
  • Óleo para pincelar o papel.
CONFECÇÃO:

Cortar as frutas aos pedacinhos e colocar a hidratar juntamente com as pássas em vinho doce.

No copo da bimby colocar a laranja cortada e sem casca mais o iogurte-kéfir. Triturar 2 minutos, velocidade 4/5.

Juntar o açúcar, a manteiga derretida, a farinha e o chocolate que é opcional (não se distingue). Programar 4 minutos, velocidade 4/5. Incluir o fermento na tempo final e logo após programar, 1 minuto, velocidade espiga.

Enquanto isto forre uma forma retangular com papel vegetal de cozinha, prenda as laterais com molas da roupa, e pincele com óleo de amendoim (ou outro). Aqueça o forno a 200º. Escorra o vinho das frutas.

Deite o preparado na forma forrada mas só até 1/3. Distribua umas frutas sobre a 1ªcamada de massa. Termine de deitar o resto do preparado e distribua as restantes frutas. Leve a forno forte durante 40 a 50 minutos. Na recta final baixe temperatura dos 200º para 150º e não apague o forno até verificar com um palito comprido se o bolo está cozido por dentro. Pique em vários sitios.

Sirva fatias com frutos secos por cima. Nós adoramos com cajús crús.

ARTIGOS RELACIONADOS (BOLO SEM OVOS):

Bolo solar de alfarroba (sem ovos)
Bolo de linhaça na Actifry (sem ovos)