15 abril 2011

INFÂNCIA - ENTENDER A HIPERATIVIDADE E DDA

BCFV - 2ªFASE - INFÂNCIA

Escolhi fazer o paralelo fotografico da Infância tendo Carnaval como pano de fundo.
Em cima eu, mascarada de Cigana. Em baixo a Carol, mascarada de Abelhinha.
Conseguem ouvir o zzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzz ?
Poisa aqui, poisa ali, mas sempre em zzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzz!

Assim começa nossa postagem:
Será que o zzzzzzzzzzzz é sinónimo de hiperatividade?
Será que saltar de interesse em interesse é sinónimo de Déficit de Atenção?
Em que grau devemos ficar preocupados?

Há relativamente pouco tempo, fui confrontada com uma luta que evitava há anos! O ex-marido achou por bem, levar a filha a uma pedopsiquiatra, visto achar que a menina tem energia a mais, e atenção a menos. Não fui contra, como é óbvio, tudo o que seja para ajudar, eu estou lá para concordar.

Mas eis que entre tantas consultas e compromissos de trabalho, fica decidido que vão só eles os dois, da mesma forma como eu já fui sozinha com ela, tantas outras vezes. Só assim é que se consegue que ambos os pais duma criança "diferente", trabalhem. Repartindo tarefas e responsabilidades.

Na volta da 1ªconsulta de pedopsiquiatria (note-se bem, PRIMEIRA consulta), ele traz a receita dum medicamento muito polémico, e no dia seguinte, inicia de imediato, a toma diária de CONCERTA (idêntico a RITALINA).

Quando soube disto, fiquei transtornada: -Peço desculpa, mas...a Pedopsiquiatra conhece a Carolina de onde? Onde está o diagnóstico de DDA? Onde está a solicitação dos relatórios às pessoas que trabalham com ela, professores e terapeutas? Opiniões de outros médicos! A Sra.Dra sabe que a Carolina tem problemas cardiacos? Já falou com o Cardiologista dela? Já alguém leu as contra-indicações dessa droga!?

Foram estes os primordios da batalha... felizmente foram poucos dias de medicamento pois quando a recebi na semana de mãe, depois da semana de pai, fiquei chocada com os sintomas, tais como falta da apetite, apatia, pupilas dilatadas, sono perturbado...

Não digo que não haja crianças que necessitem mesmo de RITALINA, pois há casos graves de hiperatividade. Mas a minha, não é um desses casos, até porque já tive uma 2ªopinião, dum neuropsiquiatra que efetuou testes psicológicos, analisou a TAC e EEG que a Carol fez, quando tinha meses de idade, chegando à iluminada conclusão:

"A sua filha tem uma parte do cérebro que não funciona (ou funciona mal), suspeita-se que seja precisamente a parte ligada à aprendizagem dos números e das letras. A zona forte do cérebro da Carolina são os sentimentos e as emoções, embora estejam muito imaturos, precisando serem trabalhados através de psicoterapia. Se quer a minha opinião, não aconselho a toma de nenhum medicamento porque esta substância vai estimular uma zona e inibir outra. Ou seja, bloqueia a impulsividade, a distração, a reação, e aumenta a produção de dopamina e serotonina, aumentando a actividade cerebral numa área que no caso da Carolina, não funciona."

Conclusão, precisamos melhorar a área forte dela para ajudar a parte fraca. E não bloqueá-la. Basta que para isso (apesar de não ser simples nem rápido), se desenvolva a maturidade dos sentimentos e das emoções.

Observando agora a temática num contexto mais alargado e mediante uma pergunta que coloquei ao psicologo da escola onde a filha estuda, ora leiam: - O que acha do CONCERTA ou da RITALINA? - Ao que ele respondeu: - Não posso ir contra os psiquiatras pois eles é que são médicos... mas não acho normal que 60% duma escola com 900 alunos, tome isso!

Sinceramente também não acho normal !! Multiplas crianças que funcionam à base da pilula da inteligência... Privadas da sua impulsividade natural, domesticadas para simplesmente aprenderem matéria de escola, formatadas através duma alteração quimica no equilibrio cerebral...

Sempre se ouviu falar de crianças irrequietas, o chamado bichinho-carpinteiro carateristico da infância. Porém educadas, respeitadoras, conhecedoras dos limites. Apesar de não se ouvir o meu zzzzzzzzzzzzzzzz ali na foto, acreditem que eu era uma criança muito traquina, sonhadora, distraída, hiper comunicativa, pouco estudiosa, mas nem por isso menos inteligente.

Recordei noutro dia com minha mãe, a criança que eu fui, encontrando diversas semelhanças entre a Carol e eu, especialmente a criatividade que é algo que nela floresce intensamente. Que direito têm os pais de conter essas fontes de atividade? Impulsividade, criatividade, espontaneidade, reatividade, positividade, originalidade, polaridade, naturalidade...

Concordo que se deva promover o equilibrio das emoções infantis mas NÃO inibir ou bloquear as espantosas capacidades do ser humano de explorar e sonhar. Para terminar transcrevo aqui parte do meu relatório escolar da 1ªclasse:
«A Rute demonstra pouco interesse pela atividade escolar. Sempre muito aérea, as suas preocupações dispersam-se por outro campo de atividade. Ao principio, o seu comportamento não era lá muito satisfatório, desconcentrada, distraida com as novidades, muito faladora...»

Aí está um diagnóstico de Disturbio Déficit de Atenção (DDA) mas felizmente nessa época não estáva na moda "drogar" os filhos. Não sou saudosista mas de fato, bons tempos em que os pais apesar das suas obrigações profissionais conseguiam chegar a casa e dar-nos atenção, ao fim de semana estavam connosco, independentemente da nossa intensa energia e de sermos cansativos, não se preocupavam minimamente se iamos ser empregadas de balcão ou empresárias de sucesso! Como diz a minha mãe, só quis que fosses honesta e auto-suficiente. Que atualmente se chamaria auto-sustentável :)

Encerro com a minha primeirissima confecção culinária. Um salame de chocolate para o Dia do Pai, quando tinha 7 anos (salvo o erro). Embora este salame já tenha evoluido no tempo. Agora faço-o com alfarroba e mais umas criatividades pelo meio...

INGREDIENTES:
  • 160 gr bolacha torrada;
  • 1 ovo M;
  • 100 gr açúcar mascavado claro (integral);
  • 140 gr manteiga vegetal BECEL;
  • 40 gr farinha de alfarroba;
  • 10 gr chocolate em pó;
  • 1 colher (café) de canela em pó;
  • 15 bolinhas de Pasta de amêndoa.
CONFECÇÃO:
Usar um liquidificador para triturar a bolacha. Usei a Bimby, 10 segundos, velocidade 3. Reservar à parte.

Sem lavar o copo da bimby, deitar o ovo, açúcar, manteiga, alfarroba, chocolate e canela no copo. Programar temperatura 70º, durante 3 minutos, velocidade 1. Adicionar a bolacha e misturar na velocidade 1 ou 2 até envolver bem. Deixar arrefecer.

Para formar o rolo, usei o SUSHIZI, que neste caso foi mais SalameIZI :) Coloquei o preparado em ambos os lados, juntei as bolinhas de pasta de amêndoa, fechei com os fechos laterais e levei ao frigorifico por 3 horas. Desenformei em cima de papel de aluminio, para logo de seguida embrulhar e refrigerar novamente até ao dia seguinte.

PARTICIPAÇÕES (conforme vão chegando):

2-EuCrioAminhaVida.blogspot.com; 3-AprenderSemEscola.blogspot.com
4-CanteirosDaVida.blogspot.com; 5-AromaDeCafé.blogspot.com
6-Isabeau-Desenhos.blogspot.com; 7-EscolaÉbela.blogspot.com
8-NacoZinhaBrasil-Gina.blogspot.com; 9-ArteLivreVimaje.blogspot.com
10-DiariosDeBordo.blogspot.com; 11-Espiritual-idade.blogspot.com
12-PereiraPequeno.blogspot.com; 13-FelinoDaMadrugada.blogspot.com
14-FazendoMeuCaminho.blogspot.com; 15-BlogDoraRegina.blogspot.com
16-AnaCristinap.blogspot.com; 17-MamyRene.blogspot.com
18-Clima65.blogspot.com; 19-Nabiroskinha.blogspot.com
20-ConversasCartomanticas.blogspot.com; 21-LucinhasDreamGarden.blogspot.com
22-AhortaEncantada.blogspot.com; 23-MariaLuizaSaes.blogspot.com
24-CantinhoDaTerceiraIdade.blogspot.com; 25-CronicasDeUmaMeninaFeliz.blogspot.com
26-SonhoDoceSonho.blogspot.com; 27-SopraAgora.wordpress.com
28-Verseiro.blogspot.com; 29-EternosPrazeres.blogspot.com
30-FloraDaSerra.blogspot.com; 31-BruxinhaAlegre.blogspot.com
32-CafsComLetras.blogspot.com; 33-GotinhaDeLuz.blogspot.com
34-DivinaProfissao.blogspot.com; 35-PartilhandoAmesa.blogspot.com
36-ContosOsFatosSurreais.blogspot.com; 37-MSocorroM.blogspot.com
38-GostosurasSemTravessuras.blogspot.com; 39-Belrech.blogspot.com
40-Misturao.blogspot.com; 41-FanilyMommy.blogspot.com
42-ZildaSantiago.blogspot.com; 43-AsasDosVersosEReversos.blogspot.com
44-EsplendorDaCriação.blogspot.com; 45-EnsinoRegular.blogspot.com
46-LuluExperiencia.blogspot.com; 47-SonharESer.blogspot.com
48-HistorinhasDaVozinha.blogspot.com; 49-SonhosEmPoesia.blogspot.com
50-Renneris.blogspot.com; 51-CasaCoisasESabores.blogspot.com
52-DiarioDumaPsicologa; 53-ConhecerKardec.blogspot.com
54-EuEosTachos.blogspot.com; 55-OlharesESaberes.blogspot.com
56-Angel-minhapalavra.blogspot.com; 57-LuzDeLuma.blogspot.com
58-Eu-euza.blogspot.com; 59-AcolherComAmor.blogspot.com
60-UmaMaeExpatriada.blogspot.com; 61-DomingosIrio.blogspot.com (parte I) e (parte II)

Artigo relacionado: TOY STORY na Teia Ambiental (outra blogagem)

98 comentários:

  1. Olá Rute
    Cá estou eu, faz lembrar o "dia da cor" :)
    Que bom ler o teu texto, gostei especialmente de saber que eras uma miúda aérea :))) e muito faladora! Felizmente eram outros tempos, tens razão, felizes de nós por os nossos pais não nos drogarem! Se bem que eu era mais o oposto de ti, eu acho que sofria de sossegadez em excesso, provavelmente hoje tb haverá um medicamento para isso...
    Olha, vou publicar a minha participação, desculpa qualquer coisinha, mas fiquei tão aliviada depois de o ter escrito! :)
    Beijinhos, até já

    ResponderEliminar
  2. Olá Cláudia!
    que felicidade ver-te por aqui. E logo a primeirissima!
    Estáva a ver um filmezinho que só terminou agora. E nem me tinha apercebido que já passava da meia-noite. Tinha o post agendado...
    Vou ao teu cantinho espreitar a tua participação.
    Que bom!
    Beijinhos,
    Rute

    ResponderEliminar
  3. É, Rute, não se trata de saudosismo mas de lucidez!
    Parece que hoje tudo tem que ser consertado, arrumado, modificado em busca da perfeição.
    Era mais simples aceitar que uns são quietos, outros agitados, outros inconformados, outros obedientes. A Numerologia bem explica as diferenças...
    Não estou dizendo que não se deva cuidar de distúrbios que causem infelicidade ou dor. Meu filho fez um pequeno tratamento, tomou um medicamento e melhorou, sentindo-se mais integrado e feliz.

    Parabéns por sua luta em prol de uma vida melhor para sua princesa !

    Beijo

    ResponderEliminar
  4. Nossa adorei esse post, estava mesmo lendo a respeito da hiperatividade para tentar ajudar uns tios meus e vejo aqui seu post....muito interessante mesmo...

    E mudando de assunto...sou dooooida pra provar esse salame de chocolate...qualquer hora dessas faço e venho aqui buscar sua receita...rs


    bjim

    ResponderEliminar
  5. Muito legal esse teu post que abordou temas interessantes!

    Lindo! Um beijo e a rceitinha tá boa também!
    beijos,chica

    Minha participação está aqui!:

    http://canteirosdavida.blogspot.com/2010/10/um-pouco-de-mima-crianca-que-eu-fui.html

    ResponderEliminar
  6. Ola Rute,a tua mensagem toca um tema que parece estar na "moda"ultimamente, parece que todas as crianças são hiperactivas. A minha filhota ate os 5 anos, deu-me agua pela barba, não dormia a noite, ou acordava de 3 em 3 horas, apesar disto eu nunca achei que ela tivesse qualquer problema, ao contrario de muita gente, e agora dorme muito bem, continua levada da breca e... ainda bem! Que bom que es uma mae consciente e conseguiste "salvar" a tua pequena das garras dessa moda...
    Ja publiquei tambem o meu post, a minha vida tem sido um sufoco com o trabalho, mas consegui escrever algo meio na correria.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  7. ... vou precisar ler de novo .... (tb "sofro" de DDA :o) ...
    ... mas o que eu gostaria de partilhar já nesta primeira hora do dia ... é que ... andamos (muitos) por "terras" semelhantes :o)
    Beijinhos
    (pensei, há poucas horas, que não iria participar!...
    mas bem, é o que faz ter "inquietações" de adultos, nascidas na infância :o)
    Abraço .. e Obrigada :o)

    ResponderEliminar
  8. Realmente os tempos mudaram e de repente os miúdos em vez de traquinas são hiperactivos é mais chique, enfim.
    Adorei o salame, quando vi a foto pensei, (como é que ficou tão direitinho?)depois vi que foi com a maquineta ai que tentação.
    Bjs

    ResponderEliminar
  9. Minha amiga Rute

    "Então ficaram todas as crianças a sua INFÂNCIA a passar seus anéis azuis de orvalho".

    Tanto a abelhinha como a cigana estão lindas...
    Gostei muito de fantasiar filhos... agora os netinhos: palhacinho, pirata, Peter Pan...
    Vc abordou um Tema atual, tive um diagnóstico similar em família e a mãe combateu, arduamente, como vc...
    Na época, fiquei oscilante mas hoje vejo que tinha razão... dia 20 fará 2 anos sem nenhuma crise (médico deu esse prazo para a cura total)...
    Mãe é mãe, sente e luta pelo que é seu...
    Eu também abomino remédio sem ser cautelosamante vista a possibilidade da real necessidade(estou falando de mecidicamentos similares ao que vc nos postou)...
    O melhor é sempre o carinho...
    Parece que diagnóstico de hiperatividade está banalizado... Pena!!!
    zzzzzzzzzzzzz me lembrou Zen...zzzzzzzzzzzzzzzz

    Hoje, o meu desejo de paz e alegria é para vcs que:

    "...estendem o seu conceito
    de vida,
    e a veem na gota de orvalho".
    (Lice)

    Obrigada pela sua linda participação, parceira...

    Orvalho do Céu é uma “Chuva de Néctar da Verdade”... ou Palavras de Deus...

    É isso que lhe desejo nesse tempo que estamos entrando...
    Uma Abençoada Semana Santa a uma Páscoa extremamente feliz!!!
    Bjs de paz e achocolatados

    ResponderEliminar
  10. Rute,
    Não lhe faltou lucidez para evitar um mal maior à sua filha. Que bom!
    Vocês estão bem parecidas nas fotos.
    Mas que foliã, hein! Eu nunca fui de carnaval.
    Olhe, ainda bem que não lhe tolheram a criatividade e aqui estamos privilegiados por partilhar de tudo que você nos traz.
    A Carolina não poderia ter uma mãe melhor!
    Beijos do lado cá do Atlântico.

    ResponderEliminar
  11. Oi Flora,
    é certo que há crianças que provavelmente sofrem com sua hiperatividade. Já ouvi falar de casos em que as crianças mal chegam no consultorio do médico já estão subindo para cima da secretaria e arrancado telefone. Um horror!
    Mas será que a alimentação também não terá alguma influência nisso aí? Doses maciças de chocolate e açúcares por exemplo!?
    Sei lá!
    Beijinhos,
    Rute

    ResponderEliminar
  12. Oi Jana,
    que bom que vc gostou do tema para ilustrar a infância e do salame :)
    Sabe o que é alfarroba?
    E como é, vai postar para a BCFV hoje!?
    Estou curiosa com sua estreia.
    Beijo,
    Rute

    ResponderEliminar
  13. Oi Chica,
    a minha intenção é aproveitar a BCFV para refletir sobre alguns temas com o público em geral. É sempre bom compartilhar experiências, e este é mesmo um tema "da moda" (infelizmente).
    Beijus,
    Rute

    ResponderEliminar
  14. Lina,
    sabes que há uns tempos atrás, quando eu via crianças muito silênciosas e quietas, não me apercebia que era efeito de medicamento. Estranhava sim, mas até caia na asneira de elogiar os pais: -Ai a tua filha é tão sossegadinha, parece uma senhorinha.
    Agora quando por vezes falo que a minha esteve quase a ser medicada por tempo indeterminado, esses tais pais dizem-me: -Mas porque é que não queres? Não tem mal nenhum! A minha filha toma. O único senão é o preço das embalagens.

    oo00(Humm...Com que então aquilo não era natural da miúda!)
    Beijinhos para ti,
    Rute

    ResponderEliminar
  15. Isabel C.,
    andamos sim, muitos por terras semelhantes. Ser aérea é um enlevo total. Viagens astrais gratuitas!
    Gostei muito do teu enfoque lá por terras isabeladas.
    Beijinhos,
    Rute

    ResponderEliminar
  16. Conceição,
    é mais chique e quase que é só para classe alta, mais não seja porque cada caixa de CONCERTA custa 30 euros, salvo o erro!
    Quanto ao salame foi mesmo IZI com a nossa ferramenta de cozinha. Pretendo inventar à grande com o sushizi.
    Beijokas,
    Rute

    ResponderEliminar
  17. Orvalho,
    é isso mesmo. Ainda bem que vc me entende. Nada de banalizar ou generalizar a hiperatividade e mais ainda, nada de medicar sem consciência.
    Foi isso que eu disse na 2ªconsulta com a tal pedopsiquiatra. Não aceito que medique a minha filha sem consciência. Não posso aceitar em plena ignorância.
    Beijos querida companheira de estrada BCFV.
    Rute

    ResponderEliminar
  18. Gina,
    já viu o que se perdia se me tivessem cortado as asas e domesticado o espirito?
    Provavelmente em vez dum publicar para partilhar teriamos um publicar para faturar :)
    Beijos transatlânticos querida companheira de estrada BCFV.
    Rute

    ResponderEliminar
  19. Rute querida,

    Sempre me emociono com sua história.
    Mas é uma emoção no sentido de admiração.
    O Universo é perfeito, e todas as crianças que nascem, já escolhem os pais que terão aqui no planeta.
    Sua filha com certeza te escolheu a dedo, pensou na sua cabecinha: "Minha mãe será uma mulher muito inteligente, sensível, iluminada, forte, guerreira e principalmente minha maior inspiração...." e assim ela veio até seus braços minha amiga.
    Tudo que você já fez e faz por ela, serão atitudes procurando sempre o melhor para a sua vida e bem estar.
    Mas todo seu Amor, Carinho e dedicação superam todas estas coisas....isto sim tem VALOR!
    Esta ciganinha e esta abelhinha são tão parecidas heim!!!
    São almas afins...que se completam....
    Parabéns pela postagem e principalmente por sua força em sempre procurar o melhor e a felicidade de sua abelhinha zzzzzzz.

    Um grande beijo em seu coração!!!

    ResponderEliminar
  20. Olá acompanho a um tempo seu blog, achei muito pertinente você abordar esse assunto aqui, sou educadora e tive uma experiencia parecida com a da sua filha no meu trabalho, posso sugerir que procure um neuropediatra eles sim podem diagnosticar o que sua menina realmente tem, e o acompanhamento-tratamento que a mesma deve fazer.As vezes só o acompanhamento de um psicopedagogo para auxiliar na concentração pode resolver.Abraços e um bom fim de semana.

    ResponderEliminar
  21. Bom dia Mundo!

    Lú,
    obrigada por sua admiração. É reciproca.
    Mas olhe, algo tenho de admitir aqui. Nem sempre é fácil cuidar da Carolina, nem sempre é fácil aceitar as diferenças e as aparentes injustiças do destino. Bom...mas tudo deve ter mesmo um propósito. Cada vez acredito mais que sim.
    Beijo no seu coração.

    KARINE,
    de fato a 2ªopinião médica a que faço referência no texto é dum neuropsiquiatra, muito conhecido aqui em Portugal. Deixo o link da clinica que paralelamente é um instituto de ensino para formar psicoterapeutas:
    Instituto Quintino Aires
    Foi-me aconselhado este sitio quando estive num seminário de partilha de boas praticas no ensino especial.
    Abraços e obrigada pelas amáveis palavras.

    ResponderEliminar
  22. Bom dia, Rute!

    Mais um belo post para a BCFV!!! Realmente esta colectiva tem muito que se lhe diga.

    Este tema da hiperactividade versus ritalina faz-me sempre lembrar um vídeo do TED em que o palestrante conta o caso de uma coreógrafa famosa que em pequena era completamente "aérea" na escola, sem concentração alguma e tinha "bichos carpinteiros", nunca estava quieta; ele conta que se fosse hoje, sem dúvida teriam rotulado essa criança como sofrendo de hiperactividade e déficit de atenção; felizmente eram outros tempos e um médico daqueles mais "à antiga" pediu à mãe para sair da sala e saíu com ela e ficaram os dois a observar a menina pela porta sem ela saber e a menina deu asas à sua criatividade, mexeu-se, dançou... diz o médico para a mãe: "A sua filha é uma bailarina!" E aconselhou a mãe a inscrevê-la numa escola que havia, famosa, para bailarinos. Resultou que o mundo ganhou uma grande bailarina e coreógrafa.

    Hoje em dia quantos mais teríamos assim se não fossem atordoados a torto e a direito ao primeiro sinal de inquietação natural.

    No outro dia li que até aqui há bem poucos anos era proibido dar drogas tipo anti-depressivos a crianças e jovens com menos de 18 anos; hoje em dia já vi dar anti depressivos a jovens com menos de 18 anos. Onde e quando é que vamos parar???

    Muitos beijinhos, obrigada pelo post, ah! Esqueci-me de dizer, as vossas fotos estão uma beleza de lindas meninas que são!
    E obrigada também pelo teu comentário lá no meu cantinho!
    Um abraço grande!
    Isabel

    ResponderEliminar
  23. Minha tão querida e forever friend!
    Isabelinha M.,
    evito pensar que o mundo está perdido...mas...de facto, para lá caminhamos. Mais ainda há esperança...(digo eu!).
    Soube noutro dia que AVC´s em crianças também já é normal.
    E conheci uma menina filha dum amigo meu que a ânsia dela de ser a melhor da turma era tão grande que na 3ªclasse estáva à beira duma depressão.
    Quando é que vamos parar de competir?
    O que interessa ser o melhor!?
    Tantas reflexões conforme se vai andando pelas participações da BCFV. Esta blogagem lava a mente!
    Muitos beijinhos,
    AQUELE abraço e obrigada pela tua excelente participação.
    Rute

    ResponderEliminar
  24. Querida Rute,
    quando me foste "cantar" ao blog, já eu ultimava o post :-D

    Concordo com tudo o que dizes :-D

    Tenho muitas dúvidas sobre esses comprimidos e mais ainda se tantas crianças precisam de os tomar...

    Fico muito contente que a Carol te tenha escolhido como mãe :-D És uma mulher especial! Tenho um orgulho imenso de ser tua amiga :-D

    Beijo cheio de saudadinhas
    Luísa

    ResponderEliminar
  25. Olá Rute

    Que bom estar aqui novamente participando desta coletiva e tomando conhecimento de um assunto tão importante.
    São grandes polêmicas , mas o que´vale é o que sentimos, avaliamos no dia a dia.

    Conhecer seu filho de todas as formas, analisar seus sintomas e seus problemas só vão contribuir cada vez mais para a sua vida.

    Depois voltarei com mais calma, pois estou de saída para o trabalho.

    Minha participação desgte mes já está no ar.
    http://mamyrene.blogspot.com/2011/04/infancia-blogagem-coletiva-fases-da.html

    Beijos e um lindo dia

    ResponderEliminar
  26. Ó Luísa! É verdade, que saudadinhas!
    Até parece que foste morar para o estrangeiro!
    Eu aqui tão perto da Isabel Matos e nada de agendarmos outro almoço!
    E não é à falta de motivo porque incluivamente ela até tem um livro para me emprestar e eu não há meio de...
    A ver se acertamos agulhas todas nós: eu, tu, a Isabel M., a P&M, a Marina...
    Beijokinhas de rouxinol,
    Rute

    ResponderEliminar
  27. Oi Irene,
    também estou de saída e com alguma pressa.
    Depois quando vc voltar, refletimos um pouquinho juntas.
    Obrigada pela sua presença e pelas suas palavras.
    Beijo,
    Rute

    ResponderEliminar
  28. Jamais pensaria que os médicos dessem drogas dessas a criança.Incrivél!!! Isso só faz muito mal ao sistema nervoso central!!! O que será o fututo deles, a sua saúde não será a mesma!!
    Ainda bem que a Carol tem uma mãe como tu!!! :)

    As fotos estão lindas!!
    Salame, adoro, ou não levasse chocolate.

    Bjs

    ResponderEliminar
  29. Realmente hiperactividade é uma doença, mas penso que muitas vezes é capaz de ser mal diagnosticada... e o problema pode nem ser tanto dos médicos, mas dos pais que realmente se propõem a ter um filho e depois não conseguem lidar com a realidade e querem à força que algo se passe com a criança para lhe poderem dar a medicação. E é pena ver, também, que o que não falta por ai são anúncios de comprimidos remédios "naturais" para a concentração/atenção seja o que for. A vida escolar/universitária é cada vez mais competitiva, o que não ajuda... Mas será que também ninguém se apercebe que qualquer medicamento traz efeitos secundários? As pessoas começam a preferir o mais fácil, que lhes da menos trabalho a realmente esforçarem-se para fazer as coisas como deve de ser. E claro, muitas vezes a hiperactividade esta relacionada aos chocolatinhos, que são tão bons para acalmar uma birra mas têm doses grandes de cafeína (que se a nós nos mantém acordados, imaginem o que faz a uma criança cujo metabolismo já é mais rápido que o nosso).

    Acho que realmente as pessoas devem começar a ser mais responsáveis pelas suas acções, por mais difícil que seja.

    Um bom tema que trouxeste para aqui Rute ^^ Gostei bastante, e as fotos estão adoráveis.
    Assim à pressa consegui também publicar o meu post a tempo ;)

    Beijinhos!

    ResponderEliminar
  30. Amiga Rute, seu relato me comoveu, justamente por ter na família caso parecido, mas o que mais me surpreendeu foi a primeira consulta, que médico era aquele???

    Fiz minha postagem hoje e o link é esse

    http://nabiroskinha.blogspot.com/2011/04/blogagem-coletiva-fases-da-vida-2-fase.html,

    Vou tentar acompanhar todos, apesar de estar saindo de férias hoje e logo mais a tarde estarei partindo...rs!

    Bom Dia para você!!!

    Bjuss!!!

    ResponderEliminar
  31. Rute,
    Também passei isso com o meu filho, e fiquei assustada, pois minha filha sempre foi calma, timida....
    Mas de primeira, encarei isso com o fato dele ser menino, sempre ouvia falar que os meninos são mais espoletas que as meninas.
    Mas não procurei o médico, tive ajuda da escolinha, já que coloquei ele com 1 ano e meio.
    HOje, não ficarm traços daquela energia toda, e acho que não levaria ao médico, sempre tentei entender sobre a hiperatividade através de revistas e livros.

    Adorei as fotos...sua e da filhota.
    muito fofa!
    O Salame ficou perfeito...e adorei a receita também.
    Acabei de postar ...
    http://sonhodocesonho.blogspot.com/2011/04/blogagem-coletiva-fases-da-vida.html?utm_source=feedburner&utm_medium=feed&utm_campaign=Feed%3A+SonhoDoceSonho+%28Sonho+doce%2C+sonho%29
    beijos

    ResponderEliminar
  32. oi Rute,tbm escrevi pra bloggem, está no crônicas..

    olha esse tema, nossa, mt confuso, habituou-se agora a falar q toda crianca tem algum tipo de déficit, lastimável ,mas ainda qd se receitam tantos medicamentos fortíssimos, acho melhor esperar e observar, às vezes é só uma fase e passa.

    a abelhinha é mt linda, viu?!

    ResponderEliminar
  33. Oi Rute...mas que bom ler aqui sobre o TDAH
    Eu já aprontei muito comigo mesmo por causa do Déficit de Atenção...muito mesmo e nem imaginava que existisse esse problema, mas deppois já adulto percebi qu tiv tenho esse problema, mas que agora tiro de letra, lógico que m prejudicou muito, até mesmo no trabalho...fora as situações super engraçadas, quando eu conto as pessoas não acreditam ou não entendem como uma pessoa pode ser assim...rs
    Porém concordo contigo...hoj em dia são ministrados remédios como Ritalina de uma forma muito exagerada. É um rem´dio forte e deveria haver um controle maior...acho tamb´m um absurdo, qualquer coisinha já partem para st diagnóstico
    Ahh...mas incrivel é a semelhança nas fotos...o rosto de vocês é super parecido...muito mesmo
    Eu estou partipando amiga, mas não vi mu link nm aqui nm na Ros´lia...u tenho que colar aqui ou lá....aguardo...
    Parabén pela postagm...
    Um abraço n alma
    Bijo

    ResponderEliminar
  34. Oi. Amei todo o seu questionamento com a sua zzzzzzzzz...
    Sou hiperativa, mas também sou de uma época que não se drogava os filhos.
    Hoje já com 30 anos, usei a hiperatividade ao meu favor, duro é os não-hiperativos me acompanharem...Bjo

    ResponderEliminar
  35. Gente linda,
    hoje estou OUT OF THE OFFICE dai que não vou conseguir atualizar a lista de participações, porém a Gina está fazendo isso no blog dela, passem lá para seguirem as novidades, tá?
    Daqui a 4 horas já estarei de volta ao vosso maravilhoso convivio.
    Grata por todas as palavras de enriquecimento ao texto da hiperatividade e DDA.
    Beijo!!!!!!!!
    Rute

    ResponderEliminar
  36. Oi querida
    Que alegria, chegou hoje o jornalzinho!!!! Muito obrigada, você é um amor!
    Que post profundo. Sei bem o que é parte disso, pois sofro de déficit de atenção e fiz tratamento com Ritalina. Os efeitos colaterais foram terríveis, mas a minha vida melhorou em 70%. Daí, minha amiga, você imagina o meu sofrimento com os meus estudos, não esta' sendo nada fácil!
    As fotos são lindas e a receita é própria para mim, chocólatra!
    Abraços fraternos
    Léia

    ResponderEliminar
  37. A principal falha está nas pessoas. Primeiro porque levam os filhos logo a psiquiatras quando, muitas vezes os psicólogos conseguem ver o que se passa e nunca, mas nunca um bom profissional faz um diagnóstico na primeira consulta. Muitas vezes passam-se meses e uma cambada de baterias de testes psicológicos para saber de onde vem o problema (se é que há algum). Depois há os pais que têm é filhos mal-educados e preferem enfiar ritalina pela goela abaixo do que "perder tempo" a educá-los. Por último, há muitas crianças e adolescentes que precisam mesmo de ritalina e, algumas vezes, nem com ela eles conseguem manter-se quietos. Tive e tenho casos assim... cada um reage diferente ao medicamento mas também é essencial serem acompanhados, pelo médico mas também por um psicólogo ou terapeuta. Pena que alguns pais confiem mais nos psiquiatras e pena que o estado não comparticipe as consultas de psicologia e não existam postos de trabalho para pessoas formadas nessa área :)

    ResponderEliminar
  38. Olá, Rute!

    A Blogagem está uma delícia. Quantas histórias lindas, e quantos ensinamentos.
    Gostei imensamente do seu texto. E concordo em tudo com as suas palavras.
    Fiquei surpresa com essa prática de medicar crianças hiperativas.Desconheço, por aqui, essa realidade. Normalmente os médicos recomendam, quando o caso requer, atividades esportivas ou artísticas, danças, etc. para que as crianças extravasem energias.
    Feliz da Carol que tem você como mãe. Você é, sem dúvidas, uma mulher especial.
    Ah, e gostei da cigana e da abelhinha! kkk

    Beijo GRANDE
    Socorro Melo

    ResponderEliminar
  39. Olá,Rute!!!Muito explicativo o tema, não conhecia tão à fundo, até porque quando não é com a gente, não nos interessa, assim pensamos!!Mas tem um colega de meu filho que é superativo...Vamos aprendendo, trocando informações...E essa receitinha básica e fácil para mim fazer..Grande dia!!!!

    ResponderEliminar
  40. Oi Rute amiga, gostei muito do seu texto. A hiperatividade infantil é um caso muito sério, ouvi muito falar sobre isso, e acho que se não for diagnosticada acredito que causa sérios problemas. Achei de suma importância vc falar sobre isso,é muito importante que a familia, os pais, os professores, fiquem atentos e se informem pelo assunto, Adoreiqw

    ResponderEliminar
  41. Ah, ia me esquecendo, sua foto e da sua pequena sao lindas. bjocas

    ResponderEliminar
  42. Rute, muito legal sua consciência em questionar o medicamento que receitaram a sua filha. Saúde é coisa séria, e tratamento psiquiátrico com remédios, coisa mais séria ainda. As pessoas andam precisando respeitar mais a individualidade e personalidade dos pequenos, quer ele seja mais agitado, mais desligado...ser você mesmo não é doença!
    Minha contribuição na blogagem:

    http://casacoisasesabores.blogspot.com/2011/04/blogagem-coletiva-infancia.html

    Beijos!!!

    ResponderEliminar
  43. Oi, moça. Não tenho filhos, mas a sua percepção foi fantástica e megaimportante nesse momento. Parabéns.

    ResponderEliminar
  44. Queridos amigos,
    grata por todo o enriquecimento em cada comentário. Se vale a pena ler o texto, vale ainda mais a pena ler o vosso feedback.
    Cada visita traz consigo sua experiência e compartilhando da experiência alheia encontramos semelhanças preciosas, maneiras diferentes de olhar os problemas. Aprendemos uns com os outros.
    Obrigada por tudo.
    Brevemente irei aos vossos cantinhos virtuais deixar comentário personalizado.
    Creio que a diversidade também reinou nesta 2ªfase. À semelhança da 1ª.
    Outro MEGA sucesso!
    Quero parabenizá-los a todos!
    Vou espreitar...já volto ;)
    Beijos universais.
    Gosto deste aconchego humano.
    Rute

    ResponderEliminar
  45. Um pouco atrasada mas cheguei.
    Postei cedo e agora que vou visitar os blogs.
    bjos e bom final de semana.

    ResponderEliminar
  46. olá, rute, vim agradecer a oportunidade de participar da blogagem coletiva e visitar seu blog! lindas as meninas das fotos...como dizemos por aqui do lado de ca do atlantico: "cara de uma, fucinho da outra!"....muito parecidas.....beijos, anacristina

    ResponderEliminar
  47. Rute, sou educadora, porém não exerço. Fico boquiaberta com a facilidade de profissionais em rotular uma criança. Quando exercia minha profissão, no inicio do ano faziamos reuniões de planejamento e em determinado momento as professoras anteriores relatavam o comportamento das crianças para os professores q as receberiam. Eu nunca quis saber a opinião da colega. Não por arrogância, mas acredito q cada um tem uma percepção e empatia com as crianças. Já tive mães me relatando q desconheciam coisas q seus filhos faziam durante as aulas (relatos muito positivos de minha parte). Se problemas existem é para q aprendamos a lidar com eles. Ainda bem q vc é uma mãe sensata. Muita paz!
    Ah! Tb estou participando da blogagem coletiva.

    ResponderEliminar
  48. Rute querida,

    Acredito mesmo que há momentos em que as dificuldades aparecem, mas somente pessoas especiais "como você" são capazes de superá-las.
    Eu tinha uma amiga que para mim ela foi a maior mãe do mundo.
    Seu filho nasceu com síndrome de down, e sua vida passou a ser de casa para o hospital, e do hospital para casa.
    Era debaixo de chuva ou sol forte, nada tirava sua disposição.
    Ele era o seu maior orgulho, e ai de quem falasse alguma coisa.
    Mas infelizmente com 2 aninhos ele não agüentou tantos problemas de saúde e veio a falecer.
    Ela desmoronou.
    Uma mulher tão forte e destemida, ficou tão sem chão que não viu mais sentido para continuar aqui.
    E depois de 2 anos que seu filho partiu, ela se deixou levar também(depois de esconder de todos e não tratar um câncer no seio).
    Sua mágoa com a vida foi tão profunda, que ela literalmente desistiu de tudo!

    Mas toda a história dos dois, sempre ficou marcada em minha memória.
    Na época que o filhinho dela faleceu, eu estava grávida de 7 meses do meu primeiro filho.
    E depois que somos mãe, temos uma visão diferente das coisas.
    E te falo com a maior sinceridade do mundo: Eu não teria tido toda a força e paciência que ela teve.
    Por isto sempre admiro pessoas que já tem uma Luz a mais, para poder suportar todas as provas e adversidades da vida.
    Não é fácil?
    Eu sei que não é.
    Mas podes ter toda a certeza do Mundo... você é muito CAPAZ!
    Muito mais do que EU e outras pessoas.
    Porque você já veio com esta Luz a mais.

    Um beijo querida amiga!

    ResponderEliminar
  49. Rute,

    Você era muito lindinha. Linda com essa roupa de portuguesinha.rs
    Essa blogagem é positiva em vários sentidos: conhecemos pessoas e história de vida maravilhosas, e ficamos inforamdas de muitas coisas, que as vezes não paramos pra pensar.
    Gostei muito de ler o seu relato, que nos mostra uma pessoa muito..muito iluminada por Deus.
    Grande abraço,

    ResponderEliminar
  50. Queridas pessoas,
    parece que está tudo parado, mas não está!
    Ando nas visitas :)
    Mas recebo com carinho e gratidão todos os comentários que vão deixando por aqui.
    Obrigada pelo carinho e por alimentarem a reflexão em torno do ENTENDER A HIPERATIVIDADE E DDA.
    Beijos universais,
    Rute

    ResponderEliminar
  51. Rute, estou aqui fascinada com sua inteligência nos relatos, principalmente no comentário feito à minha postagem. Denotou que vc lê com atenção e astúcia e percebe detalhes incríveis que qualquer leitor não perceberia. Perfeito, excelente o comentário sobre o tamanho do bambual. Vc se fez entender sim, e como!!! Deus seja lovado por isso!!! Quanto à sua filha, me uno a vc e a compreendo profundamente, pois meu filho que agora está com 36, carregou e carrega todo o malefício que as pessoas tem por desconhecerem essa pequena disfunção que acarreta grandes males para eles.Qdo a professora pediu que o encaminhasse ao neuro-pediatra, felizmente era um excelente médico que me esclareceu profundamente, ajudando-me também não só como mãe, mas como professora, pois comecei a usar essas informações para observar com mais propriedade os alunos. Ele receitou papeizinhos de cafeína que era para ressaltar as células inibidoras,e acalmar as células ativas, pois calmante daria efeito contrário. Rute, hoje a hiperatividade é conhecida e a medicina avançou. Dias atrás, assisti uma entrevita com Marília Gabriela que fazia com um psiquiatra que trata dos hiperativos. Espetacular o médico e infelizmente não retive na memória o livro dele,nem a data do programa. Foi no canal GNT. O assunto é longo. queria muito continuar, mas... Bjbjbj!!!

    ResponderEliminar
  52. Rute, nossos olhos de infância exergavam a grandiosidade das coisas que nossos olhos de maturidade esqueceram. Suas receitas denotam o carinho que uma refeição boa refeição consegue fazer:aquecer a alma.! Bjbjbj!!!

    ResponderEliminar
  53. Aos pouquinhos vou dando uma avançada também aqui nas respostas, ok. É que vcs trazem tanto, para este assunto que não posso deixar passar a oportunidade de aprofundar junto.

    SANDRINHA,
    se só fizesse mal ao sistema nervoso!!!
    As pessoas não pensam no mal que os medicamentos fazem a tudo o resto, depois estranham que os rins, o figado e até a dentição se recinta com o excesso de medicamentos! Tudo tem efeitos colaterais.
    Obrigada por teres vindo espreitar o tema :)

    MARTA,
    focaste um ponto muito importante: a competição!
    Desagrada-me completamente que toda a vida se tenha de competir. Talvez seja por isso que muitas pessoas se isolam. Caso contrário são quase obrigadas a seguir o ritmo da maioria.
    É um dos pontos que me desagrada na escola e na sociedade em geral, o agruparem as crianças por idades. Nem todas tem a mesma maturidade, nem todas o mesmo ritmo. O que fazer se uma criança não está ainda preparada para passar de ano? Dar-lhe comprimidos?
    Como eu gosto de explorar estes temas!

    RACHEL,
    a médica da 1ªconsulta é uma senhora que "domina" toda a área aqui de Cascais. Quando quis procurar uma 2ªopinião tive dificuldade de encontrar outro profissional. Agora veja bem, como andam a ser tratadas as nossas crianças por aqui!!!!
    Não contei no texto, mas na 2ªvez que fui a essa médica, muito educadamente, choquei de frente com ela. Meu marido só dizia: Bem!!! Parecia um confronto de Titãs!
    Eu lhe fiz frente e na 3ªconsulta a senhora já achava que se calhar a Carolina não era hiperativa!
    Dúvidas todos temos mas não podemos partir para a aplicação do remédio antes de descobrir o problema!

    Beijinhos pra vcs,
    minhas queridas amigas.
    Rute

    ResponderEliminar
  54. FABIANA,
    foi por isso que postei acerca deste tema porque é bastante geral, quase toda a gente tem um caso na familia e os que ainda não têm, convém consciencilizar para a forma como encarar.

    NINA,
    também acho que sim. Às vezes é só uma fase e depois passa. Temos de analisar bem se o Deficit de Atenção não é apenas um deslumbramento por tudo o que a criança vê e toca. Ou seja, a criança não tem uma atenção focalizada para o estudo porque anda a descobrir o que a rodeia. Acontece muito isto quando a criança muda de escola, da primária para o secundário por exemplo.

    ELCIO,
    engraçado, eu não achava minha filha parecida comigo mas agora que fiz o paralelo das fotos em idades semelhante começo a encontrar parenças sim!
    Não deixa de ser interessante que as pessoas que têm passado por aqui e se dizem com TDAH, são as mais "artistas" por assim dizer, aquelas com maior talento para a pintura, para a poesia, para a criatividade em geral. Pessoas ligadas à arte! Talvez porque são essas as que encontram beleza no mais sutil que existe. Que ligam aos mais infimos pormenores. Tornando-as "distraidas" para a matéria da escola :)

    Abraços universais!
    Foi muito bom encontramo-nos novamente nesta 2ªfase. Vamos à 3ª!
    Rute

    ResponderEliminar
  55. A Ritalina é uma droga, e que pode levar à drogadição,ao vício,como outra qualquer o faria;isto o que li ao entrar em contato através da leitura sobre crianças hiperativas.Parabéns por sua lucidez!!!!AMOR,ATENÇÃO,funcionam bem melhor....Bjs no coração.GOSTARIA DE DIVULGAR AQUI A PROMOÇÃO DE ANIVERSÁRIO DO MEU BLOG,QUE FAZ DOIS ANOS HOJE,dia 15.AOS AMIGOS QUE VISITAREM DE HOJE AO DIA 30/04 ESTAREI SORTEANDO UM LIVRO A ESCOLHA DO GANHADOR,DENTRO DA TEMÁTICA DO SEU BLOG

    ResponderEliminar
  56. Lúcido e inteligente o seu post; eu penso que está se tornando modismo o uso destas drogas em crianças, o que é muito lamentável.Ainda bem que você estava atenta e informada.Bjs e muitas bênçãs de luz.

    ResponderEliminar
  57. Antigamente se respeitava mais as diferenças entre as crianças e fiquei apavoradíssima com essa sua frase: "Multiplas crianças que funcionam à base da pilula da inteligência...". Está difícil criar/educar filho, mas usar deste artifício?
    Boa blogagem! Beijus,

    ResponderEliminar
  58. Ai coitada da Carolina! Sair tomando remédio assim... às vezes ela é até uma criança índigo, que veio aí pra contribuir com a sociedade com os pontos fortes dela. Eu acho que pessoas com o perfil dela dariam excelentes artistas, e além do mais concentração é algo que pode ser ensinado. Sentar com seu filho pra assistir um filme por exemplo pode ajuda-lo a se dispersar menos, e tb há terapias alternativas que podem ajudá-la bastante como musicoterapia, terapia prânica, arteterapia. Afinal se ela não se dá bem com palavras e números pode muito bem ser mais inteligente com outras coisas. Detesto ver pessoas sofrendo por não se enquadrarem, eu acho que a maioria das coisas que se aprende na escola não servem pra nada pq se esquece fácil depois. beijos!

    ResponderEliminar
  59. Oi Rute, tudo bem? Adorei a postagem! *.*
    Conta para mim: qual é o próximo tema?
    Grande beijo!
    P.S.: Tenho mais a te dizer, mas por email.

    ResponderEliminar
  60. Rute, estive numa palestra na escola da minha filha e fiquei impressionada com este tema: DDA!
    Não sei se é ignorância da minha parte, mas no nosso tempo os limites eram impostos pelos pais e não se dopava as crianças, agora com tantos estudos a maioria é medicada com essa tal ritalina e não sei se é o ideal. Claro que existem casos que são indicados, meu sobrinho mesmo toma isso e sei que no caso dele, é fundamental, porque ele além de super ativo era agressivo, mas sei lá minha amiga, tempos modernos assustam as vezes, né?

    Mais uma vez parabéns pela blogagem coletiva!
    Estou te seguindo e já fiz o link pra cá, assim não perco mais as novidades, beijinhos!

    ResponderEliminar
  61. Rute

    Estou aqui de volta e reli seu post como também anotei essa receita que me parece fácil , nutritiva, saborosa e vai ser bom para a Páscoa.

    Acabei de vir da Luma e no seu post tem uma carta que comenta comenta sobre a importância dos cuidados na infância onde os pais deveriam estar mais presentes e se não o podem que deve haver alguma ação nas escolas para que essas crianças possam ser educadas com assuntos da sua idade e longe da violência e outros assuntos que acredito que já deva ter lido.

    Comento pq como são tantos que blogs acabo me perdendo no meio dos assuntos.

    Parabenizo a vocês por essa Blogagem que vem acumulando participantes que nos mostram coisas bonitas de suas fases da vida e quanta coisa não existem comum com a maioria de nós.

    Beijos e uma linda semana

    ResponderEliminar
  62. Puxa! Temos muitas ideias/ideais parecidos sabia?
    Bom ler o que vc escreve...
    Consegui - feito no mes passado - publicar no ultimo minuto do segundo tempo da prorrogacao (kkkk) o POST que nominei: INFANCIA ROUBADA, que publiquei no ANEXO NOVO do UMA ESPOSA EXPATRIADA, OK?

    O link e' esse aqui o':
    http://umamaeexpatriada.blogspot.com/2011/04/infancia-roubada-blogagem-coletiva-rc.html

    Mil bjs!
    Renata C.

    ResponderEliminar
  63. Bom domingo para vcs amigas,

    CUCLA,
    por acaso hiperativa não sou, mas tenho um raciocinio muito rápido embora ande sempre com o pensamento em mil lados!
    Compreendo perfeitamente a dificuldade que certas pessoas têm em acompanhar quer em intensidade, quer em amplitude.

    LÉIA,
    que bom que já chegou aí o envelope!
    Fiquei contente com a noticia. Mas com muita pena de vc não ter participado nesta volta. Bom, mas o que importa é que focalize os estudos no momento. Desejo-lhe muito sucesso.

    AMEIXINHA,
    concordo plenamente que não se deve confundir HDDA com má educação!
    Atualmente quer pais, quer professores estão a ter muita dificuldade em manter a ordem e o respeito. Mas não será concerteza a Ritalina que irá resolver o problema. Pode "domesticá-los" mas não educá-los. O problema é que por detrás do medicamento fica muita raiva e energia contida e depois é o que se vê, catastofres nas escolas de miúdos que parecem que enlouquecem repentinamente!

    SOCORRO MELO,
    por aqui também temos essas práticas de colocar as crianças em várias atividades para ver se elas extravazam energia. A minha filha por exemplo, tem ginástica 2 vezes por semana, hidroterapia 1x/semana, equitação 1x/semana, Yoga 1x/semana, Inglês 1x/semana, e clube de trampolim 1x/quinzenal.

    Beijinhos a todos,
    continuemos nossas visitas, comentários e respostas.
    Rute

    ResponderEliminar
  64. BEL RECH,
    eh, a intenção é essa, dar a conhecer a situação em que o mundo das crianças vive. Claro que, quem vive este problema consegue mais facilmente falar do caso, porque anteriormente já estudei, já me informei e vivi pessoalmente a situação. Ainda bem que vc gostou!

    JOSY,
    sem dúvida que a hiperatividade e a DDA são doenças muito sérias e há crianças que sofrem muito com isso. Acredito que para alguns, a medicação seja uma benção. Provavelmente esses são os que naturalmente já tem um desequilibrio quimico no cerebro, ou seja, sofrem de insuficiência de dopamina e serotonina, dai que o medicamento pode ajudar a equilibrar a parte quimica. Mas cada caso tem de ser minuciosamente estudado. Tal e qual como a depressão que requer ajuda dos anti-depressivos.
    Obrigada por ter vindo comentar a BCFV.
    Vê se se anima a participar na 3ªfase!
    Gostava de a ter connosco :)

    ADRI,
    isso mesmo. Agora vc parecia entendida em Numerologia :) Precisamos mesmo respeitar a individualidade e personalidade de cada um, seja criança ou adulto. Ninguém é igual a ninguém. Há que entender e respeitar, sem forçar à duplicação uns dos outros. E viva a diversidade!

    Beijos transatlâticos!
    Continuação de bom domingo.
    Rute

    ResponderEliminar
  65. RENATA,
    obrigada pelo seu comentário.
    Brevemente passarei por sua participação também. Aos poucos chego lá!

    SÓNIA,
    bota atrasada nisso! Não em você mas em mim que ainda ando nas visitas e vou andar por muito tempo mais!!!!

    ANACRISTINA
    pois é! Todo o mundo está dizendo isso, mas eu não tinha noção que eramos tão identicas! Gostei do "cara de uma, focinho de outra" :)

    DENISE,
    os miudos se comportam de maneira diferente conforme com quem estão. Por exemplo, quando minha filha andava no infantário, eu ficava boca-aberta com a autonomia dela por lá, enquanto em casa dependendia de mim a 90%!

    LÚ,
    a gente vai buscar forças onde pensa que não existem. Mas claro que tudo isso tem seus efeitos colaterais. Por exemplo sobre o cancro li algo que para mim fez muito sentido. Hei-de ir lá no seu espaço falar acerca disso com vc. Há quem diga que o cancro por vezes é uma forma inconsciente de não ter vontade de viver... Pode ter acontecido com sua amiga...

    LUCINHA,
    a blogagem está a ser do mais positiva possivel e imaginário! Não só para externar nossas emoções, como para desempoeirar memórias, compartilhar experiências/conhecimento, ... Hiper, hiperpositiva!
    Ou seja hiperativa? ah ah ah (um pequeno trocadilho).

    MARIA LUZIA,
    obrigada por notar que dedico realmente muita atenção às participações e que deixo comentários personalizados. Gosto de dar enfase aos pormenores. Cada texto esconde muitas riquezas que só olhos de "criança" exploradora consegue detetar. Talvez os mais "adultos" que eu, passem e não reparem :)

    Mais beijinhos a todos,
    se puder volto mais logo,
    com mais comentários e visitas.
    Rute

    ResponderEliminar
  66. MARIA LUIZA,
    desculpe a troca de Luiza por Luzia!

    ZILDA,
    essa é outra! A dependência que as crianças ficam do fármaco. Ai meu Deus, pobres das que tomam isso!
    Quanto ao seu sorteiro, irei participar de boa vontade mas...vc não esqueceu que eu sou de Portugal pois não!?
    De certeza que quer enviar um livro para Portugal?

    SONINHA,
    estas e outras "drogas" estão se tornando MODA!
    Por tudo e por nada as pessoas tomam quimicos. Não tentam perceber a causa do problema, nem resolver, é mais fácil tomar 1 comprimido. Tenho exemplos desses na familia. Pessoas que tomam comprimido para tudo!

    LUMA ROSA,
    tá dificil educar um filho porque não temos tempo para eles. Só não compreendo é como há pessoas que têm 3 e 4 filhos, mas não são eles que cuidam, que dão carinho, que alimentam... Aqui em Portugal, basta ter uma ama ou uma empregada domestica. E nem em férias dão folga para a empregada!! Faz sentido? Acho que não.

    ALESKA,
    ainda não estou bem por dentro do assunto crianças indigo mas...até pode ser...
    quando ao trabalhar com ela a concentração, faço isso desde pequenininha. Olhe, quando nós iamos no cinema, cheguei a estar dentro da sala apenas 30 minutos, depois sair, deixar ela brincar cá fora e depois entrar novamente só para ver o final. E assim ela foi se habituando a estar cada vez mais tempo e interessada na tela. Há mesmo que ajudar as crianças, sem forçar.

    EMANUEL,
    que bom vê-lo por aqui...
    fico feliz de saber que gostou da temática abordada por mim :)
    A nova fase já está postada (no dia 16 ABR).
    Fico aguardando seu email.

    VÓVÓ CRISTINA,
    o problema dos nossos dias é a concorrência desenfreada. Todo o mundo quer ser o melhor da turma, todo mundo quer o melhor emprego. Sejam os pais querendo isso para os filhos, sejam as proprias crianças que já têm essa ambição, dai que quando o filho/a se perde em divagações e criatividades, está ficando para trás na corrida! Acho que isto é parte do problema.

    IRENE,
    a blogagem está de fato muito rica. Lendo todas as postagens a pessoa alarga horizontes, conhece outras realidades... concordo com essa observação de que os pais precisam estar mais presentes na vida dos filhos.

    RENATA,
    que bom que vc ainda conseguiu participar!!
    Me aguarda tá! Vou demorar a chegar ao seu blog pois ainda me falta ver muitas participações e estou seguindo a ordem numerica tá!?

    Beijos a todos.
    Muito grata por toda a atenção dispensada.
    Fico aguardando com entusiasmo dia 15 MAIO :)
    Rute

    ResponderEliminar
  67. Aqui estou, Rute, a visitá-la. E a encontro às voltas com a sua luta para defender e preservar sua filha da obsessiva medicina ocidental.
    Pobres dos grandes gênios da humanidade, se, em suas épocas, fôssem examinados pelos "doutores" moderninhos de hoje em dia!
    Quase todos aqueles que foram exaltados pela História, incluindo o genial Einstein, tiveram suas infâncias relacionadas a graves problemas no colégio e, alguns deles, a sérios distúrbios de comportamento.
    A medicina moderna não está preparada para as crianças diferenciadas que estão encarnando em nosso planeta. Elas não podem ser iguais às outras, pois os seus interesses são outros. Elas não podem ficar quietas no seu canto, pois são inspiradas por mentes criativas que não se submetem a ordens absurdas, dadas por pais, por professores e até por médicos que são cegos a querer guiar crianças, que enxergam muito além de tudo que eles pensam que sabem.
    A minha opinião sobre a Carol já lhe dei, e o fiz com absoluta consciência do que disse.
    As crianças atuais estão precisando harmonizar o corpo e a mente para que sua hiperatividade se aplique aos novos padrões de vibração.
    O padrão vibratório da Terra já não é o mesmo da época em que nascemos, e as crianças que estão nascendo já vêm com uma nova ciclagem.
    Por isso, elas são mais ativas, e jamais hiper. O hiper é por conta das mentes retógradas que ainda querem padronizar a todos, dentro de seus conceitos curtos e ultrapassados.
    Creia que, não há nenhuma lesão no cérebro que impeça a mente de pensar, pois o cérebro age no corpo físico e a mente no corpo espiritual.
    O dia em que a medicina aprender a diferença entre mente e cérebro, entre corpo e alma, já estaremos num outro tempo, quando, quem sabe, a Carol estará cuidando da insanidade de muitos desses médicos, já em idade avançada.

    Recomendo a leitura de 2 livros que respondem a tudo isso:
    Imagens que curam e Medicina Psicoespiritual.

    Admiro muito a sua coragem para discutir esses temas, e mais do que isto, parabenizo-a por defender publicamente as suas convicções.

    Um abraço para mãe e filho, e muita luz para o pai da Carol.
    Gilberto.

    ResponderEliminar
  68. Faço que nem vc, Rute. Volto só para corrigir, o filho por filha. Não é que no ímpeto da escrita, acabei trocando o sexo da menina. Que horror!
    Abraços.
    Gilberto.

    ResponderEliminar
  69. OiRute,boas lembranças,estou pensando em numerar os comentários e fazer pela loteria,mas tb aceito sugestõe e vale para quaquer livro,livro de verdade;a pessoa me manda o endereço e envio!!Aniversário é aniversário!!É festa!!! CLARO QUE QUERO ENVIAR UM LIVRO PARA PORTUGAL!!!RSRSRSR TRATE DE GANHAR!!!ACEITO SUGESTÕES PARA O SORTEIO!!!!A MINHA É NUMERA OS COMENTÁRIOS COMO JÁ DISSE ACIMA.!!!

    ResponderEliminar
  70. Olá Rute vim dar uma volta aqui ao seu cantinho á procura de um forno solar e das suas vantagens, mas parei aqui, porque ao ver a palavra hiperactividade deu-me um clike no cerebro e fez-me lembrar o tormento que passei no ano passado quando a professora do meu pardalito me atazanou o juizo que o menino precisava de ritalina, como se não soubesse do percurso dele(ou parte dele), e eu sem saber o que fazer, fui a um neurologista pediátrico muito bom por certo e depois de várias análises de professoras, psicólogas e dele, com a ajuda de questionários que nós preenchemos e a propria professoara preencheu, ele deu-lhe alta e disse que a professora é que tinha que aprender a lidar com ele, a partir daí foi a guerra final e depois de eu retirar o menino daquela escola a professora foi dispensada de dar aulas á turma, pelas queixas a todo lado que havia para nos queixarmos!!!
    Eu trabalhei 9 anos no hospital pediatrico e sei bem o que é uma criança hiperactiva e sei também que é verdade que agora uma boa fatia de pais e professores não estão para aturar as crianças e o que querem é te-los bem apardaladinhos para não chatearem, havia alguns com prescrição de medicamento só para os 5 dias da semana por causa da escola, mas que os pais atolavam também no fim de semana porque precisavam de descansar!!!
    Fico contente que a sua tenha uma mãe de juizo e a saiba proteger.
    Ah gostei do salame, cá em casa costumo fazer o mais tradicional, mas tenho que experimentar a alfarroba, já que a tenho visto por aqui e tem boa cara :-)
    bjs

    ResponderEliminar
  71. Olá Rute...muito gostaria de dizer sobre hiperactividade em oposto a maus hábitos de ser e estar, que é sem dúvida o que acontece hoje em dia nas nossas escolas! Mas as industrias farmaceuticas ganham vantagem...pena que as pessoas não se preocupem mais em conhecer o que dão aos seus filhos... esta semana tive em reunião com uma mãe que me confessou dar ao seu filho, diáriamente, uma dose de Ritalina, outra de Risperdal e ainda à noite o Concerta!!!!!!!!!! Eu ia morrendo e logo na primeira semana de aulas, eu própria contactarei a pedopsiquiatra que segue esta criança... Que posso fazer mais? Posso aproveitar esta oportunidade e elucidar as pessoas e por isso vou procurar matéria para o fazer...concordas? Beijos
    Paula Pessanha

    ResponderEliminar
  72. Boa tarde minha gente!

    GILBERTO,
    anseio sempre por seus comentários pois são tão sábios e construtivos que jamais deixarei de "ouvi-lo" (neste caso é mais ler...).
    Entretanto, não sei porquê mas revisitei o livro da Sabedoria Incomum e logo nas primeiras páginas fala dos psicologos humanistas que abalaram a autoridade dos médicos e terapeutas nos anos 60. Precisamos mais disso, de movimentos anti-psiquiatria tradicional, contra os medicamentos psiquiatricos, contra os métodos desumanos como a ECT. Bem...mas isto é ligado a outras doenças...
    Muito obrigada por suas palavras.
    São uma luz para mim.
    Abraço além-mar.

    ZILDA,
    que optimo. Sendo assim já vou poder participar no seu concurso!
    Obrigada. Bjs.

    ALCINA,
    obrigada por ter aparecido por aqui e por deixares a tua vivencia e opinião sobre esta matéria. Quanto mais realidades forem aqui relatadas mais exmplificativo fica o artigo e ainda poderá servir para ajudar muitas crianças. Deus queira que as mães que lerem este post se questionem como nós nos questionámos quando quiseram medicar as nossas. Muito obrigada por ser tão boa mãe!
    Beijos.

    PAULA,
    também esperava pelo teu comentário pois é de extrema importância para mim toda a ajuda que nos tens dado, a mim e a Carol. Não esqueço que és daquelas professoras o mais dedicadas possivel. Que defendes com unhas e dentes, os teus alunos de ensino especial, por vezes até dos próprios pais!!!
    Fiquei espantada com o que relataste acerca dessa mãe! O Concerta tem um efeito de 12 HORAS!!! Para que é que essa criança precisa do Concerta à noite??? Que cocktail explosivo: Ritalina + Risperdal + Concerta!!!
    Quem a aconselhou!?
    Eu começo a achar que há mães que deverião ser levadas a tribunal e punidas por fazerem tão mal aos seus filhos!!!! Juntamente com as psiquiatras inconscientes como aquela tal...
    Sim, podes procurar matéria para o fazer e deixar aqui nos comentários, os links das páginas que encontrares.
    Mil beijinhos,
    Rute

    ResponderEliminar
  73. Oi RUTE.
    Como é importante estarmos atentas com o desenvolvimento das nossas crianças. Cada uma tem suas caracteríticas próprias e quem melhor conhece-as são as passoas que passam maior parte com elas. Quando se faz necessário claro que precisamos leva-las aos profissionais, mas como vc fez, não podemos aceitar uma opinião, principamente em casos mais sérios sem primeiro, buscar outras opiniões até concluirmos que é a melhor. Uma mãe não deve se acomodar nunca, foi e, é o que vc faz, para ajudar sua filhinha. Que Deus abençoe vocês.Bjão.

    ResponderEliminar
  74. Oi Esplendor!
    Grata por sua visita e palavras de encorajamento.
    Desde que publiquei esta postagem que tem chegado até mim as mais diversas informações acerca da DDA. Hoje por exemplo encontrei uma revista aqui em casa que refere o psicologo norte-americano Thomas Amstrong, especialista em educação, que levanta essa hipotese:
    Serão as crianças com DDAH apenas crianças com uma forma diferente de pensar?

    Pesquisei na internet textos deste famoso Thomas Amstrong encontrando algo digno de muita reflexão:

    «Essas crianças podem ter dificuldades em estar em sala de aula tradicional, onde devem sentar-se por longos períodos de tempo, ouvir monótonas palestras e debruçam-se sobre livros e planilhas que tem pouca semelhança com a vida real. Curiosamente, a pesquisa sugere que as crianças rotuladas DDA portam-se pior em ambientes chatos e repetitivos, controlados externamente, com falta de feedback imediato, aborrecem-se sistematicamente.

    Infelizmente, esse tipo de sala de aula é mortal, não só para o garoto com DDA, mas para todas as crianças. O estudo, "Um lugar chamado escola", foi especialmente crítico na falta de excitantes actividades de aprendizagem: "Os estudantes relataram que gostavam de fazer as atividades que os envolviam ativamente ou em que trabalhavam com outros. Estas incluíam ir em viagens de campo, fazer filmes, usar novas tecnologias, projetos de construção ou desenho, fazer cobranças, entrevistar pessoas..."

    Todas as crianças sofrem com esta privação, mas pode ser que as crianças rotuladas DDA reajam mais intensamente à falta de estímulo. Diversos estudos, sugerem que, de fato, da mesma forma que a Ritalina pode ajudar a estimular muitas dessas crianças a um nível óptimo de excitação, ambientes de aprendizagem (escola e lar) mais interessantes também ajudar as crianças a concentrarem-se e a acalmarem.

    Lembrei-me agora dos canários que eram mantidos pelos mineiros de carvão no fundo das minas. Se o nível de oxigênio caia abaixo de certo nível, os canários desmaiavam e morriam, alertando os mineiros a sair rapidamente. É possível que as crianças que foram rotulados com DDA sejam os CANÁRIOS DA EDUCAÇÃO MODERNA, pois eles podem estar AVISANDO-NOS para transformarmos as salas de aula do pais em sitios mais originais, dinamicos, de estimulação continua. ADD pode, então, ser uma forma de chamar à atenção para aqueles não sofrem de ADD, para que acordem para a evolução dos tempos modernos.»

    Fonte: ADD as a Social Invention
    Outros artigos de interesse: Dr.Thomas Armstrong Articles

    Deus proteja as crianças que são sacrificadas para abrirem os olhos daqueles cegos que não querem ver!
    Beijinhos,
    Rute

    ResponderEliminar
  75. Bom dia Rute

    Este diagnóstico tem sido um modismo desta nossa época e tem me preocupado como profissional, pois considero que em casos com sintomas excessivos se faça um diagnóstico biológico, mas acompanhado da avaliação do contexto familiar.
    Muito significativa a conversa que teve com sua mãe que nos revela uma repetição de um padrão de comportamento.
    Por outro lado, numa sociedade de tantos estímulos é impossível termos crianças mais tranquilas e muito atentas.
    Minha filha, hoje de 32 anos, teve muita energia e vitalidade na infância e tive uma excelente orientação médica, pois não deu nenhum remédio e me afirmou que com o tempo ela iria diminuindo o rítmo, o que realmente aconteceu.
    A criança absorve tudo o que está a sua volta e as interações familiares são fundamentais para seu comportamento e, portanto, essas serem avaliadas neste sentido é fundamental.
    Espero ter atendido suas expectativas.
    bjs

    ResponderEliminar
  76. Bom dia Norma,

    atendeu sim, e muito.
    O meu agradecimento carinhoso.
    Vc trouxe consigo uma matéria que também foi referida por mim ao pai da Carolina.
    Até que ponto há ou não necessidade de PARENTS COACHING? Em vez de tratar o problema porque não tratar a causa? E a causa poderá ser o contexto familiar, escolar, etc...
    Vou transcrever aqui um texto dum site português que visitei na altura:

    «O Coaching Parental é uma abordagem às questões da parentalidade, que permite descobrir soluções e estratégias para os pequenos e grandes desafios com que se deparam diariamente os pais dos nossos dias!

    O Coaching Parental é novo em Portugal e relativamente recente no Reino Unido.

    Principais características do Coaching Parental:
    - Utiliza uma metodologia que leva as pessoas a tornarem-se mais conscientes de quem são enquanto pais e mães e de quais as competências e qualidades que possuem;
    - Facilita a identificação das metas que se pretendem alcançar e de quais as mudanças que é necessário implementar para alcançar essas metas.
    - É uma abordagem que reforça a confiança e a auto-estima dos pais e que os motiva para encontrarem estratégias feitas à sua medida para implementar a mudança.
    - Permite descobrir formas novas e criativas de tirar o máximo prazer e satisfação da sua vida familiar.
    - Ajuda a reduzir os níveis de stress e a aumentar a energia.
    - Os pais e as mães transformam-se assim, nos pais e nas mães que desejam ser e toda a família beneficia deste processo.
    - O Coaching Familiar pode realizar-se em workshops, frente a frente (individualmente), por mail ou por telefone.

    Ao trabalhar com um coach poderá:
    - Descobrir novas formas de lidar com as birras e as tensões diárias entre pais e filhos;
    - Encontrar estratégias práticas para lidar com o comportamento desafiante das crianças em casa e na escola;
    - Perceber que é possível deixar de se sentir zangado, frustrado, ansioso ou culpado;
    - Definir estratégias para ajudar as crianças da sua família a lidar com grandes alterações na sua vida, tais como mudança de escola, hospitalização, e grandes separações;
    - Encontrar apoio para tomar decisões relativamente à educação, saúde e cuidados a ter com os seus filhos.»

    Fonte: http://www.familycoaching.pt/

    A family Coaching pretence a 2 psicologas que escreveram este livro aqui: 36 Desafios para pais extraordinarios
    Beijinhos,
    e mais uma vez obrigada por deixar a sua experiência aqui.
    Rute

    ResponderEliminar
  77. Olá Rute...se calhar devia criar o meu próprio blog, como já sugeriste uma vez, porque escrever sobre o que sei não é dificil... e apetece-me mesmo deixar aqui o que considero importante partilhar sobre PHDA, já que foi tema quente no teu blog, e porque considero que PHDA é uma perturbação que pode ser regulada, ao contrário de mau comportamento e maus hábitos, que é confundido hoje em dia nas escolas...

    Perturbação de Hiperactividade com Défice de Atenção (PHDA) é uma perturbação que se caracteriza por défice de atenção/concentração, Impulsividade e/ou hiperactividade/actividade motora excessiva. Revistas científicas referem que a PHDA afecta 3% a 7% das crianças
    em idade escolar, pelo que se estima que existam cerca de 35 a 50 mil crianças com esta perturbação, sendo os rapazes 4 a 9 vezes
    mais atingidos que as raparigas.

    Sem uma intervenção adequada e pluridisciplinar estas crianças podem apresentar vários problemas associados:
    – dificuldades de aprendizagem (insucesso escolar)
    – baixa auto-estima
    – problemas emocionais (depressão/sentimentos de desconfiança/insegurança)
    – problemas de comportamento e de personalidade
    – dificuldades nas relações familiares e sociais

    Factores que ajudam a uma boa evolução:
    – diagóstico precoce
    – educação coerente
    – estabilidade familiar
    – adaptação e compreensão dos professores
    – colaboração entre os pais e a escola

    É importante recordar que as crianças com este transtorno têm também grande virtudes e o convívio com elas pode ser
    muito enriquecedor!
    Frequentemente manifestam:
    – uma grande expressividade afectiva
    – um pensamento rápido e intuitivo
    – uma grande criatividade e sensibilidade
    Pais e Professores informados são fundamentais para um melhor desenvolvimento
    destas crianças, cujos comportamentos problemáticos
    se manifestam em casa, nas salas de aula e noutros ambientes.
    Vulgarmente são vistas como crianças mal-educadas, impacientes,
    desconcentradas e impulsivas, e na escola é frequente terem fraco
    desempenho.
    No entanto, não é a sua inteligência que está em causa, mas sim o
    facto de o seu tempo de concentração ser inferior à média normal
    e consequentemente, a sua actuação ser mais limitada.
    É de salientar também que a PHDA é caracterizada por uma ausência
    de controlo e não de vontade. Geralmente estas crianças não conseguem estar quietas, sendo importante referir que nem todos os irrequietos
    são hiperactivos.
    As crianças com PHDA devem ser acompanhadas por especialistas(Pediatras, Pedopsiquiatras, Psicólogos e Terapeutas), de modo a minimizar
    as consequências desta Perturbação.
    Existem medicamentos que as ajudam a acalmar, concentrar e potenciar comportamentos positivos, o que consequentemente vai reforçar
    a sua auto-estima, geralmente muito fragilizada. Mas para isso é
    necessário que Pais e Professores sejam alertados para a existência
    desta perturbação e estejam atentos, de modo a que estas crianças sejam correctamente diagnosticadas e acompanhadas, uma vez que
    todos nós, Crianças, Pais, Professores e Técnicos beneficiaremos com uma intervenção bem direccionada.
    Beijos
    Paula Pessanha

    ResponderEliminar
  78. Ufa!!Missão cumprida.Encerrei co a amiga "expatriada"...Parabéns pela coletiva de excelência..Pena que aida tem quem cole comentário!!!Bjssssssssssss

    ResponderEliminar
  79. PAULA,
    que bom! Muito obrigada por toda esta informação extra. Agora sim, parece-me que o assunto está bem esclarecido! Fechaste com chave-de-ouro!!!
    É muito bom poder contar sempre com a tua experiência profissional e com o teu coração tão humano! A chamada Educação humanizada :)

    ZILDA,
    fico muito contente por saber que vc acompanha todos as participações. Concerteza sai mais rica desta experiência do que aqueles que não visitam todos os textos.

    Que venham ainda muito mais comentários pois eu gosto demais de manter o artigo VIVO!!!
    ALIVE and KICKING!! como a canção dos Simple Minds.
    Beijinhos,
    Rute

    ResponderEliminar
  80. Rute!!! Nem de propósito! Vê lá este post deste blog que sigo de uma família que pratica a "escola em casa" em Espanha:

    http://orca-alce.blogspot.com/2011/04/reflexion-pedagogica.html

    Beijinhos
    Isabel

    ResponderEliminar
  81. O salame... este sim encheu-me as medidas!! É alfarroba, é bolinhas de pasta de amendoa... inovações!!!

    Quanto ao restante post... pouco conheço do assunto. Umacasal amigo da minha mãe tem efectivamente u filho hiperactivo, desde sepre, desconheço a medicação que toma, apenas sei que é muito complicado saber lidar e ter capacidades para tal.

    Quanto a medicação a crianças, posso dizer que conheço sim boa gente ( leia-se pais) que na aflição de controlar a criança, lhes daão "inofensivamente" uma colherzinha de xarope para a tosse. Acredito que ninguém o faça po mal, as não é, simplesmente, correcto.

    ResponderEliminar
  82. ISABEL M.,
    olá minha amiga. Desculpa a demora no feedback mas não quis comentar sem ter lido o texto sugerido por ti. Muito interessante realmente.
    De lá trouxe mais uma reflexão...
    Estará de alguma forma relacionada a DDA com ser esquerdino e por conseguinte ter perdominância das ações relacionadas com o hemisfério direito?

    É que a lista de famosos com DDA, é identica à lista de famosos esquerdinos!! (a minha filha é esquerdina, LOL).

    Youtube Video: Famous Left-handed

    Ainda vou pesquisar mais sobre este assunto. Talvez ainda volte aqui aos comentários.
    Beijinhos,
    Obrigada,
    Rute

    ResponderEliminar
  83. VERDINHA,
    então se gostaste do salame de alfarroba, mãos à obra.
    O xarope de que falas deve ser o Atarax.
    Sabes que antigamente as mães dávam chá de coração de alface para as crianças acalmarem?

    Chá de alface para uma boa noite de sono

    Obrigada pela visita e comentário.
    Mil beijinhos,
    Rute

    ResponderEliminar
  84. ISABEL M.
    VOLTEI!!!
    Bem, menina, estou fascinada com a abertura de horizontes que estou a sentir neste momento, graças ao debate e à partilha...
    Li mais uma vez o texto da tal familia espanhola e fui procurar mais, acerca dessa teoria do CAÇADOR vs AGRICULTOR de Thom Hartmann.

    Aquando da 2ª e 3ª consulta com a pedopsiquiatra, uma das coisas que defendi é que o problema da Carol é NÃO ter atenção seletiva. A minha filha parece uma parabólica! Ouve tudo, vê tudo, apercebe-se de tudo.

    Na altura, para mim, defice ou deficit de atenção significava falta de atenção, tinha sentido negativo, menos atenção. Seria portanto uma atenção deficitária! Mas depois percebi que ter deficit de atenção é NÃO focar a atenção objetivamente, ou seja, seletivamente. No caso da escola, focar a atenção em direção à matéria, ao estudo.

    Segundo Thom Hartmann, em termos genéticos há aquelas pessoas que mantiveram o modelo mental dos caçadores-nomadas e que não evoluiram para o modelo mental dos agricultores-sedentários. Dai que, ainda continuam usando o hiperfocus, com uma amplitude de atenção muito alargada, um sentido de alerta apurado, como um caçador que mapea todo o território, prestando atenção a cada detalhe, movimento, tudo é estimulo, tudo provoca reação, é a mente ao serviço dos sentidos!

    Xiiiii, brutal não é!!!!????
    Beijinhos,
    Rute

    ResponderEliminar
  85. Oiee Rute!!
    Fiquei encantada com tua infância, e cada dia q passa os médicos de hj nos preocupam com seus métodos ultra rápidos pra diagnosticar as crianças, eles querem faturarem rápido sem uma observação e coleta de exames mais profundo em cada um dos seus clientes que são únicos e portanto incomparáveis.Ñ tenho filhos, mas lendo seu post pude aprender muito, obg por compartilhar.
    Bjss....buáaaa quero salame!!!!

    ResponderEliminar
  86. Olá, pequena!

    Ainda bem que gostaste! Eu pensei logo que era um testemunho muito interessante a ver com este tema e para divulgar aqui.

    Para mim as coisas são ainda mais abrangentes e retratam um pouco tempos de mudança, em que não vai adiantar mais que "obriguemos" todos a ser da mesma maneira.

    Se virmos as coisas por outro prisma, quem "regrediu" fomos nós quando passámos a falar , ler e escrever em vez usar a telepatia, a andar "de carro" em vez de levitar, a raciocinar em vez de seguirmos a intuição; muitos dos nossos filhos e muitos de nós vamos saltar para outros estágios, ou já estamos a saltar para outros estágios, melhor dizendo e tudo se vai adaptar; custa soltar as amarras, é o medo do desconhecido e por isso é que acontecem estas "crises" que nos mostram que afinal o que temos como segurança não é na verdade uma segurança; não teriam que acontecer se sempre fluíssemos com o Universo, o que quer que isto queira dizer! ;)

    Muitos beijinhos, doce Rute! Até breve,
    Isabel

    ResponderEliminar
  87. Ah!

    E ao quanto aos esquerdinos, o que dizes é bem possível... todos sabemos que a nossa coordenação motora tem de facto a ver com áreas do cérebro e convinha perceber se não está relacionada alguma rigidez com o fazermos sempre as coisas da mesma maneira.

    Nos workshops que fiz com o Robiyn ele aconselháva-nos a ir treinando a escrever com as duas mãos e também a escrever e ler frases "de trás para a frente" (eu escrevi um post ou outro sobre isto no meu blog, tanto que eu não forço nada o Alexandre quando ele escreve de trás para a frente a não fazê-lo (para mim a história da dislexia é algo muito mal contado...); por outro lado o Robiyn costuma dizer muitas vezes que escrevermos e lermos da esquerda para a direita e novamente assim na linha seguinte, é um grande desperdício de energia, como ir um autocarro cheio de gente de uma cidade a outra e voltar vazio; antigamente havia uma escrita chamada bustrofédon onde se escrevia da esquerda para a direita e na linha seguinte da direita para a esquerda o que induzia a uma leitura muito mais rápida; e ele diz que ainda assim o nosso cérebro está preparado para feitos maiores, tais como apreender um texto por completo só de olhar para ele, também nos aconselhou a escrevermos em espiral ou em torno de uma esfera, que tudo isso activa as "capacidades adormecidas" do nosso cérebro; as crianças que têm resistência em aprender a ler juntando as sílabas b-a=ba e por aí fora, tal como o meu filho, intuitivamente não querem atrofiar o cérebro cuja capacidade tridimensional (e multidimensional) está de alguma forma mais desenvolvida (ou menos atrofiada), mas como nós não sabemos muito bem lidar com isto, rotulamo-los com dificuldades de aprendizagem. Sobre isto havia muito mais que desenvolver!!!
    Muitos beijinhos, estas postagens são importantes!
    Isabel

    ResponderEliminar
  88. Oiee Teresa,
    obrigada por ter vindo.
    Se estivesse mais perto convidáva-a para comer salame :)
    O objetivo do post também é esse, dar a conhecer estas "coisas" a quem nunca ouviu falar.
    Beijo além-mar,
    Rute

    ResponderEliminar
  89. Fogo Isabel M.!!!
    Realmente nós as duas começamos praqui a tricotar conversa e desenvolvemos sem cessar. É o que faz ter visão holistica e relacionar tudo com tudo, porque realmente tudo está interligado.

    Quando li o última obra de António Damásio - O Livro da Consciência (que se quiseres ler, empresto), gostei muito duma parte em que ele distingue consciência simples da consciência alargada. A primeira é por exemplo, estar consciente que estás a comer uma maçã, a segunda é ir para além disso, donde veio a maçã, o que é uma macieira, se é biologica, ecologica, etc etc... todas as interligações possiveis e imaginarias com a consciência simples, nucler que servem de base ao desenvolvimento da consciência alargada.

    Quanto aos 2 hemiferios... tenho um outro livro chamado Brain Gym que refere isso mesmo. É necessário fazer ginástica cerebral cruzada para desenvolver os dois hemisferios em simultaneo. Caso contrário estamos sujeitos a desenvolver mais um hemisferio e deixar atrofiar o outro. Quem me recomendou este livro foi a terapeuta ocupacional da Carolina há uns quantos anos atrás.

    Agora o Robiyn...estou cada vez mais interessada em frequentar um workshop desses. Tenho ouvido maravilhas sobre o Robiyn e não vêm só de ti as boas referências.

    Obrigada mais uma vez por partilhares comigo estas informações valiosas e instigantes. Vou ficar a remoer nelas. Se entretanto acender alguma "luzinha", volto cá com mais acrescento.
    Beijinhos,
    boa Páscoa para ti e para todos vcs, familia linda!
    Rute

    ResponderEliminar
  90. RUTE
    puxa, como eu queria te dar um abraço carinhoso e cumprimentá-la pela coragem de tocar num assunto tão delicado para tantos.

    Concordo contigo e acho que vivemos no mundo das pilulas.
    Não está acontecendo como planejado, dê-lhe muitas pílulas.
    Uma judiação.
    Os efeitos colaterais são terríveis, já passei por isso e sei que muitas vezes fica dificil saber qual é o melhor: o efeito colateral ou a possivel mudança no comportamento.

    Parabéns pelo artigo e parabens pela coragem de se posicionar.
    um abraço muito carinhoso.

    ResponderEliminar
  91. Querida Liliane,
    muito obrigada por seu abraço virtual :)
    O mundo das pilulas mesmo!
    Tem pilula para tudo infelizmente, mas poucos refletem sobre os efeitos colaterais. A maioria das pessoas são inconsequentes.
    Desculpe demorar a responder mas só hoje é que vi seu comentário.
    Grande beijo,
    Rute

    ResponderEliminar
  92. Rute... estou aqui a me coçar.
    Depois de muitas tentativas, muitas reflexões, optamos por dar um médicamento ao meu filho, que fará 12 anos em outubro.
    Na verdade é um antidepressivo utilizado como alternativa ao problema DDA.
    Você comentou sobre a questão da atenção seletiva...
    É isso mesmo.
    Déficit de atenção é confundido como sendo uma incapacidade de prestar atenção, né.
    Mas, o problema é a qualidade da atenção, do foco e da concentração em situações onde a criança ou adulto não sente prazer.
    Imagina uma criança/adulto que não consegue prestar atenção ao trânsito, por exemplo.

    Queria saber sobre o livro que você citou acima
    Será que acho por aqui?
    bjs.
    Deixa um beijo pra princesa Carolina.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Liliane,
      vamos dialogar por email? Eu sei que é bom a gente compartilhar diálogos com outras pessoas que passam por aqui, mas fica dificil aprofundar. Amanhã envio um email para você. Hoje não consigo. Foi um dia muito puxado para mim e estou sem energia para continuar no micro. Preciso relaxar a mente.
      Beijo de boa noite. Dorme com os anjos. Vou lhe ajudar, prometo.
      Rute

      Eliminar
  93. Rute
    pesquisando pela net encontrei este artigo.
    Tenho acompanhado a autora e penso que ela é bastante responsável.
    Estou deixando aqui por acreditar ser útil a leitura...
    bjs.


    http://www.tdahemfoco.com.br/artigos/criancas_medicamentos_controlados.html

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada Liliane,
      amanhã acesso ao link e lhe falo o que achei no seu blog, ok.
      Estive ausente de casa, sem internet.
      Muito grata por se lembrar de mim.
      Beijo no seu coração.
      RUte

      Eliminar
  94. Rute, perfeito post.
    Começando pelo fim, antigamente as crianças poderiam ter tudo quanto é de deficiência, mas não existia diagnósticos, nem eram medicadas, nem acompanhadas e todas conseguiram viver dependendo apenas da educação do lar.
    Penso que hoje em dia, é preciso ter muita atenção e o profissional ter competência até chegar ao ponto de usar a ritalina.
    Pode-se tratar o TDHA, DDA, entre outros de várias formas. A medicação fica para casos graves.
    Apesar do post ser do ano passado está bastante atualizado.
    Xeros

    ResponderEliminar
  95. OLÁ.QUERO DAR MEU DEPOIMENTO.MEU FILHO É MEIGO ,NÃO É AGITADO EM CASA,MUITO SEM OUVIDOS QDO SE FALA,NIVEL DE APRENDIZAGEM BOM.A ESCOLA ALEGA,QUE ELE É AGITADO,MACHUCA OS COLEGAS E SE ARREPENDE DEPOIS.PEDIRAM ENCAMINHAMENTO PSICOLOGA,QUE NÃO NOTOU NADA DE ANORMAL,QUE ENCAMINHOU PARA O NEURO QUE PEDIU EEG,QUE DEU NORMAL.A ESCOLA TA DOIDA ATRAZ DA AVALIAÇÃO PSICOLOGICA DELE.SUGERIRAM PSICOLOGA DUAS VEZES NA SEMANA,E COGITARAM NO FATO DO MEDICO INDICAR RITALINA PARA ELE QUE PRECISA DE MUITA AJUDA.SÉRA QUE TO CEGA,VEJO NO MEU FILHO UMA CRIANÇA NORMAL QUE BRINCA,MACHUCA SE MACHUCA ,CORRIGE SEUS ERROS E PEDE DESCULPAS.........GOSTARIA DUMA PALAVRA

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá, vou lhe dar minha opinião: não dê ritalina antes do menino começar a psicologia duas vezes por semana. A terapia é capaz de o ajudar. A ritalina tem contra-indicações graves para o corpo humano. Transforma as crianças em zombies.
      Fale com seu filho, passe mais tempo com ele e questione o que se passa na escola. Não faça um questionário direto, aproveite quando ele está fazendo algo que gosta para lhe perguntar se ele gosta da escola, da turma, se há crianças maltratando ele, se ele gosta de estudar, do método de ensino, dos professores, do recinto escolar.
      Fale como se fosse amiga e não como mãe. Aceite o que ele lhe disser, sem criticar. Compreenda o ponto de vista dele. Repita este procedimento várias vezes, com suavidade.
      Talvez o problema não seja o seu filho, mas sim algo na escola, visto os profissionais e os exames não notarem nada de anormal.
      Fico torcendo para que tudo se resolva da melhor forma. A medicação é o último dos últimos recursos, no meu ponto de vista.
      Abraço.
      Rute

      Eliminar