07 abril 2011

TOY STORY NA TEIA AMBIENTAL


Mais uma vez aproveito o tema da BCFV para vos falar do impacto da INFÂNCIA no contexto Ambiental. E como este blog é também muito cinéfilo (para além de gastronómico) escolhi a Trilogia Toy Story para encabeçar a postagem.

As personagens centrais dos 3 filmes são os brinquedos do quarto dum menino que vai crescendo, sendo que na última história, Andy, o tal menino já com 17 anos, vai para a Universidade e consequentemente deixou de brincar, faz tempo, com bonecos. Qual o destino destes, já sem utilidade?


Apesar da mensagem principal, das Toys histórias, passar despercebida aos olhos das crianças, os pais não podem ficar indiferentes ao alerta animado para o consumismo desenfreado infantil.

No Toy Story 1, presenciamos o pânico dos Brinquedos quando se aproxima a data do aniversário de Andy. As datas festivas são uma ameaça para os brinquedos, porque em cada uma delas, familiares e amigos, oferecem sem consciência, toneladas de brinquedos deixando as crianças desorienta
das e compulsivamente "sedentas" de novidade. Indiretamente promove-se o desinteresse pelo o que as rodeia, motivando-se a insatisfação sistemática que por vezes acompanha os miúdos durante toda a vida adulta.

No Toy Story 2, o boneco preferido de Andy é cobiçado por um coleccionador de antiguidades. Aquele boneco que Andy nunca trocou por outro brinquedo, estimado e protegido, é já um boneco de colecção, praticamente úni
co, representativo duma série televisiva dos anos 50. Interessante a mudança de prespetiva. Afinal qualquer brinquedo pode ser valioso, quando a qualidade se sobrepõe à quantidade. A valorização de algo está então intimamente ligado à escassez. Se há pouco é valioso, se há muito é descartável (insignificante). E assim vai acontecendo com tudo na nossa vida, até com a água, tão vital à vida na Terra.

Toy Story 3, fala-nos da decadência... do fim de vida útil dos brinquedos de Andy. Não mais necessários ao menino, são empacotados e enviados para uma creche. São aqui tocados pontos importantes como: ficare
m a ocupar espaço em casa, serem deitados fora ou reutilizados por outras crianças? Ao chegarem à creche, renasce a esperança! Vão ter novamente meninos a brincar com eles. Mas o que parecia ser o paraiso, torna-se num inferno, as crianças têm brincadeiras destrutivas, adoram arrancar olhos, desmontar bonequinhos, e ninguém as ensina a brincar?

Traçando um paralelo entre brinquedos em fim de vida e pessoas em fim de vida, notem como há tantos velhinhos sentindo-se dispensáveis! Já não servem para trabalhar, já não servem para ajudar, só servem para ocu
par espaço ou dar trabalho. Muito triste este pensamento, não é?

Bom, mas à parte de todas as reflexões inevitáveis, há a questão central: Como minimizar o lixo infantil? Como inverter a tendê
ncia das crianças de se tornarem consumidores compulsivos?

Vou dar o meu exemplo: Uma vez que não consigo evitar que as pessoas dêem prendas à minha filha, proibi-me determinantement
e de "alimentar" datas festivas. Não ofereço brinquedos, nem compro prendas em aniversários, natais, páscoa, etc... São épocas terriveis de gasto de papel de embrulho, recebimento de itens que não fazem falta alguma, duplicação do que já temos...

Por falar em duplicações, houve Natais que a
Carol recebeu 2 prendas exactamente iguais e que não dáva para trocar pois tinham sido compradas em Novembro. O que fazer? Mantive a duplicada embalada e vendi nos Leilões Miau por um preço reduzido. Mas também tenho dado muitos brinquedos para instituições de crianças, jogos para escolas que ela frequentou e regra geral, vão sempre em bom estado, porque a Carolina é como o Andy, estima os brinquedos e tem a sua preferência por uma boneca zarolha que se encontrava esquecida em casa da avó paterna.

Eu já quis levar a bonequinha ao Hospital de bonecas para arranjar, mas a Carol não deixou. Diz que gosta dela assim, sem um
olho e com sujinho entranhado dos 30 anos que já tem!

Há ainda os brinquedos incluidos nos menus infantis, a exemplo, os do MC Donalds. Irrita-me escolherem a pior forma de alime
ntar as crianças para incluir ofertas. Não se vê menús saudáveis com brinde! Porquê?

Para terminar deixo-vos uma forma de reutilizarem os bonecos dos vossos filhos, como decoração de bolos caseiros:
As receitinhas destes bolos encontram-se na Label PASTELARIA, na coluna lateral direita do blog.

Restantes Conspiradores Preservacionistas desta Teia Ambiental:
Aroma de Café
Cozinhando com Josy
Blog Dora Regina
Conversas Cartomânticas
Espiritual-Idade
Espiritual-Poesia
Essência Estrelar Maya
Pensando em Familia
Lar Encantado
LuLú Experiência
Bel Rech
Conheça o Espiritismo
Natureza...lindaaaaa!!!
Gotinhas de Luz
Blog do Hermes
Doces Tentações da Hannah
Ana Bela em Blogagens Coletivas
Cantinho da Terceira Idade
Flora da Serra
Alma Mater
Estes 2 últimos blogs são os mentores do projeto. É a eles, Flora e Gilberto que devemos agradecer terem iniciado a Teia.

38 comentários:

  1. Ola, amiga aranha, noctívaga como eu!O meu post também já está publicado!O teu está muito divertido e instrutivo. Cá em casa os brinquedos fazem parte da decoração, e muitas vezes tantos brinquedos e a filhota gosta de brincar com o mais simples:agora por exemplo é uma corda de saltar, que custou 2€. Cinema com ela só na televisao, porque no cinema não suporta o som muito alto. Também utilizo os brinquedos nos bolos de aniversario e fazemos também reciclagem.
    Gostei muito da ligação que fizeste no texto com o tema e ate falaste no problema dos idosos, gostei mesmo muito, muitos temas para reflectir! Estou curiosa para ver as outras postagens!
    Beijinhos verdes

    ResponderEliminar
  2. Muito importante sua reflexão, sobre a mensagem que vem escondida em quase tudo hoje em dia. Precisamos estar atentas para proteger um pouco nossas crianças do consumismo exagerado e passar para elas um ensinamento de como proteger nosso ambiente, nosso planeta, com a reciclagem,a começar dentro de nossos lares.Um abraço.

    ResponderEliminar
  3. Rute,
    Tenho que concordar com tudo o que você escreveu...
    Na minha infância, não tive muitos brinquedos, por isso , os poucos, eram muito especiais.
    Me lembro que nos Natais, pediamos material escolar ou roupa.
    E não tinha a febre de brinquedinhos, em ovo de pascoa, redes de fast food, etc...
    Hoje, eu sofro muito com isso....
    Mas tento controlar as coisas por aqui....sempre reciclo os brinquedos, doando para uma igreja.
    A minha filha que tem 12 anos, não quer mais saber de brinquedos, agora a fase é de roupas,sapatos e maquiagem...
    O meu filho está na fase do futebol, portanto se tiver uma bola para ele, está bom.
    Parabéns mais uma vez, pelo belo post!
    ah, se todos pensassem como você...o mundo estaria salvo.

    beijos

    ResponderEliminar
  4. Brilhante! Nunca havia percebido esse apelo nos três filmes. Percebi em outros, como Pocahontas, que fala sobre a invasão de outra nação e a modificação do ambiente através da exploração de ouro.

    Obrigada por partilhar,

    Elaine

    ResponderEliminar
  5. Excelente enfoque, Rute ! Alertar para esse que é um grande problema ambiental: o consumismo infantil, e dar dicas para minimizá-lo foi uma ótima idéia !

    Eu também não dava presentes para os filhos no aniversário, pois já fazia a festinha e, além disso, eles ganhavam bastante presente dos convidados.

    Um fato marcou muito minha filha, na época com uns 7 anos. Seu primo mais novo, que havia recebido muitos presentes bonitos, ficou muito feliz brincando com as embalagens de papelão dos presentes que o avô recebeu !!! Ela não conseguiu entender...

    Como você bem disse, quando existe em quantidade, perde o valor.

    Parabéns pela postagem !

    Beijo

    ResponderEliminar
  6. Rute,
    À medida que lia seu texto, fui me lembrando da realidade por aqui. Com meus filhos era a mesma coisa, exageros de brinquedos ganhos, mas devidamente doados.
    Esses apelos comerciais funcionam demais com as crianças e os adultos se deixam levar, fazendo até sacrifícios para atender aos seus caprichos.
    Ainda não será dessa vez que participo da teia, mas o tema já tenho escolhido. Preciso só um "cadinho" de administração do tempo para colocar em prática.
    É que sou parecida com você nessa questão de dar asas à imaginação. Sempre escolho algo que exige um pouco mais do que simplesmente dar uma receita.
    Você conseguiu fazer um link com a BCFV, inclusive com a fase da "melhor idade".
    E os bolos decorados já conhecia. Uma ótima forma de empregá-los.
    Interessante que parece que não há tantos temas ambientais pra abordar e você tira coelhos de cartolas!
    Bjs.

    ResponderEliminar
  7. Rute, muito legal sua interpretação da trilogia Toy Story. Tenho 3 sobrinhos mais próximos e sou dessas de encher de presentes. Seu texto me tocou, vou repensar essa questão do lixo infantil e oferecer coisas mais uteis - um pote de cookies feitos por mim, por exemplo - em vez de mais uma boneca...
    Parabéns pelo posto, aprendo muitas coisas contigo :-)
    PS. Sou fã desse seu bolo de praia!

    ResponderEliminar
  8. Rute,
    Amei seu post, me fez recordar do tempo em que minha filha era pequena, sempre lhe ensinei a dar valor ao que tinha e ao que eu podia pagar, e nunca, em hipótese nenhuma invejar o outro que tinha mais. Cresceu dando valor ao dinheiro e sempre fui contra enchê-la de presentes, pois isso acostuma a criança. Sua interpretação da trilogia Toy Story foi fantástica. Mais uma que aprendo com vc, e deixo aqui o meu muito obrigada... parabéns...bjocas

    ResponderEliminar
  9. Rute,
    Obrigada por visitar o meu outro cantinho empoeirado...
    Quando comecei a blogar, fiz 6 blogs, cada um falando de uma coisa diferente, mas coisas que eu gosto.
    com o tempo, ou melhor, com a falta de tempo, fiquei centrada só no blog de guloseimas.
    Queria até tentar unir os 6 num blog só.
    Acho que muitas amigas aprovariam, outras talvez não.
    Mas enfim, os desabafos, pensamentos....tenho feio no sonho doce, sonho, e fui tão bem acolhida, que agora aos poucos já me sinto a vontade de falar sobre isso.
    beijos

    ResponderEliminar
  10. Queridas Conspiradoras PreservacionistaS e demais platéia, um bom-dia verde também para vcs,

    LINA,
    por acaso desta vez nada de notividades. Deixei o post agendado para a meia-noite e um :) E até parece manhã de Natal, deixei o copo de leite e as bolachinhas para o Pai Natal, deitei e de manhã tinha a caixa de comentários cheia de presentes :) E a festa continua pelos vossos blogs. Gostei muito do tema escolhido por ti. Já lá fui!

    ESPLENDOR DA CRIAÇÃO,
    obrigada pelo seu comentário com enfase nas mensagens escondidas em tudo o que consumimos, até com os olhos :)
    E vc não quer participar na nossa Teia? Ainda dá tempo!

    FABIANA,
    sofre vc e sofro eu! Quantas vezes os familiares não me chamam de tirana e ditadora? Todos falam: ahhh coitadinha, se até nós ficamos desorientados com a variedade na hora de comprar, imagina a alegria da criança quando vir imensos brinquedos de uma só vez! O Natal é isso mesmo (dizem eles!).
    Pois eu não acho que o Natal seja isso mesmo não...

    ELAINE,
    hoje em dia os filmes são muito mais para os adultos do que para as crianças. Contém raciocinios complexos que nos fazem refletir. Olhe este por exemplo que publiquei aqui:
    Chovem Almondegas

    FLORA,
    agora que vc falou sobre esse episodio do menino, noto que minha filha passa mais tempo fazendo colagem e reciclando materiais do que utilizando brinquedos para se entreter.
    Obrigada pela reconhecimento e estou esperando a sua postagem.

    GINA,
    bem lembrado os apelos comerciais. Sabe que eu não deixo minha filha assistir programação televisiva ao sábado e domingo de manhã!? Claro que ela pode ver filme em dvd ou séries infanties gravadas, mas expô-la ao marketing infantil eu não permito. As crianças ficam zonzas com a rapidez dos comerciais, cascatas deles por tempo prolongado, chega a ser mais tempo de comerciais do que de desenhos animados nessas manhãs de final-de-semana.

    ADRI,
    por vezes até basta oferecer tempo!
    Nosso tempo hoje em dia é tão corrido que se você falar para uma criança: hoje vou te oferecer uma tarde inteiramente pra vc. Escolhe a brincadeira que eu brinco!
    Olha que maravilhosa prendinha!
    Quando meu irmão era mais novo cheguei a oferecer a ele no Natal, bilhete para irmos no teatro infantil juntos com direito a lanche na esplanada e brincadeira no parque infantil :)

    JOSY,
    recordo as palavras de minha mãe. Eu, como toda a criança pedia tudo e mais alguma coisa... Parava nas montras, colava o nariz no vidro, pedia...quero uma boneca daquelas...
    Minha mãe falava: Rute, a mãe não tem dinheiro para andar a comprar tudo o que vc vê. O dinheiro da mãe é pouco, serve para comer e para vestir, para ir à escola, e para comprar brinquedo de vez em quando, não sempre!
    E eu respondia: Quando tiver dinheiro compra?
    Mãe: Sim compro.
    E eu me contentava com a resposta.
    Hoje se falo para minha filha isso, ela responde para mim: Compra com cartão de crédito!

    Beijinhos a todas,
    grata pela companhia aqui na Teia.
    Gostei de refletir com vcs acerca do ambiente.
    Rute

    ResponderEliminar
  11. FABIANA,
    tá na hora de desempoeirar!
    Usa o Refletir e Agradecer para postar na Teia!
    Não precisa agradecer a visita, só não vou mais porque ando sempre aqui envolvida com mil e um projetos.
    Mas admiro muito sua criatividade na cozinha. Tu também é menina de dar largas à imaginação e não ficar pelo ramram.
    Beijo,
    até mais.
    Rute

    ResponderEliminar
  12. Olá, querida amiga
    Vc aborda algo super conveniente para nós avós...
    Cada mês é um pedido... cada data um brinquedinho novo... e sempre vem o pedido pra mim que o alimento... meu filho já me disse que preciso policiar-me...
    O jeitinho meigo do "meu" menino lindo me deixa sensibilizada deveras... aí eu perco a consciência de culpa e parto para a consciência pesada... rsrsrs...
    Agora é a cavalinho e a namorada do boneco da sua coleção preferida...
    Mas brincar ele o faz e com muito gosto... a parte lúdida dos filhos e dos netos é (e foi)bem desenvolvida... isso eu alimento mesmo... de diversas maneira (nem sempre compulsivamente, pois verá no post da BCFV a minha infância como foi)... e num ponto estamos de acrodo (sem culpa da miha parte) somos doadores para os que não têm a possibilidade... assim que são, por qualquer razão, deixados de lado...
    Bjs ecológicos e hoje, de uma forma especial, lúdicos pra vc...
    Ah!!! eu já confeitei bolinhos assim há 30 anos... fiz muita festinha pros filhotes com esse jeito que vc postou... Ficavam tão lindos!!! Me deu saudade, querida Rute...

    ResponderEliminar
  13. Eu tb evito dar prendas (inutilidades), atualmente hà muitos excessos. adorei as decorações dos teus bolos.
    Bjs

    ResponderEliminar
  14. Que importante reflexão. As crianças são o nosso futuro e alimentar o consumismo descartável é firmar no que desejamos abolir- o desperdício.
    Seu texto é instrutivo e muito criativo.
    bjs

    ResponderEliminar
  15. Rute achei uma graça à sua resposta ao meu comentário, é isso mesmo, a criançada hj em dia é muito esperta, e se os pais falam que não tem dinheiro que usem o cartão de crédito kkkkkk
    Vim agradecer pelos elogios a minha primeira participaçao desse lindo projeto no qual vc se entrega de corpo e alma, se Deus quiser dia 07 do mes que vem estarei postando outro, o que não falta é assunto para esse tema né...Obrigada Rute...bjocas

    ResponderEliminar
  16. Essa problemática dos brinquedos há pouco tempo que entrou na minha vida e cá em casa apesar de haver criança há menos de dois anos, já é um exagero, culpa minha também, mas como a situação foi diferente e o meu menino não tinha nada eu e toda a gente á minha volta exagerou, agora já neste natal seleccionamos uma quantidade para dar, ainda que não fosse do total agrado dele, mas é minha ideia todos os anos antes do natal escolher alguma coisa para dar lugar aos brinquedos novos que podem vir.

    A ideia de usar para decorar bolos é excelente, adorei.
    Os brinquedos do Mac e companhia são uma praga, o meu nem gosta daquela comida, mas o vicio da bonecada....
    Parabens pelo tema.

    ResponderEliminar
  17. E cá estou eu de volta às respostas :)

    ORVALHO,
    por falar em lúdico...eu também acho que há briquedos muito úteis e educativos. Aprender enquanto se brinca é indispensável. Mas já que não nos conseguimos conter a dar, pelo menos que se escolha bem o que vamos dar, para que promova a evolução da criança.

    CONCEIÇÃO,
    pensava que já tinhas visto estes bolinhos antes, mas se calhar não eras desse tempo do Publicar Para Partilhar. É sempre bom recordar postagens.

    NORMA,
    cá em Portugal costuma-se dizer, DE PEQUENINO SE TORCE O PEPINO. Ou seja, se não educarmos ecologicamente as crinças, serão adultos inconscientes a nivel ecologico. Evitar o desperdicio é prioritário em qq idade.

    JOSY,
    temos de estar sempre 1 passo à frente desta gente pequena!! Os miudos hoje em dia são espertos demais! Fico aguardado, curiosa, sua participação de dia 7 MAI.

    ALCINA,
    o efeito de compensação é ainda mais extenso do que apenas nos casos de crianças que não tinham nada e que toda a gente quer ver feliz.
    Inconscientemente os nossos pais e avós fazem isso connosco, quando crianças. Porque estabelecem um paralelo entre o que eles tiveram (que foi pouco ou nada) e o que o dinheiro, hoje, pode comprar. Querem que os filhos tenham o que eles não tiveram.
    Bem lembrado da tua parte referires o teu exemplo. Ajuda-nos a refletir.

    Obrigada a todas pela visita e participação personalizada.
    Adoro abordar estes temas e conversar convosco.
    Beiiiiiijos!
    Rute

    ResponderEliminar
  18. Olá, adorei o tema escolhido para fazer pensar um pouquinho...Realmente a gente está fazendo reviravoltas aqui em casa, concientização para todos os lados...Tentamos sempre colocar para os filhos o porquê das coisas, não porque eles estão em outra época diferente da nossa, que tem que ser consumistas, nem tudo que se quer é dado, se não precisam...Final de ano eles fazem doações daquilo que não brincam mais, mas brinquedos perfeitos.Um grande beijo

    ResponderEliminar
  19. Rute, primeiro, obrigada pelos comentários em meu blog. Adoro quando os recebo, nos ajuda a refletir e conhecer mais as amigas virtuais.
    Segundo, obrigada, pelo recadinho da teia ambiental. Já está postado um artigo sobre o buraco na camada de ozônio. Até mais! Muita paz!

    ResponderEliminar
  20. Rute, eu nao era sua seguidora e portanto foi hoje atraves do blog da Josy e da Lina que eu tomei conhecimento desta inicciativa, e espero ainda ir a tempo de participar com a minha historia, se quiseres depois podes ir espreitar o meu cantinho, mas mais daqui a um bocadinho :)))!

    beijinhos

    ResponderEliminar
  21. ... Olá ...
    ... fico com mais vontade de participar no próximo .... :o)
    .... surgem conversas e mais conversas (cá dentro) com esta Conversa do Dia :o)
    .... tenho uma filha de 7 anos e o mesmo se passa connosco ...
    .... recordo-me, agora, de ir à mata/floresta/campo recolher pauzinhos, pinhas e pedras, galhos velhos e Sara (ela com 2 ou 3anos) querer mais e mais juntando " tudo de bonito" que ela encontrava :o) e se lhe fizesse a vontade ( e minha própria que adoro dessas coisa, e pareço criança quando me deparo num meio que GOSTO) .. se lhe fizesse a vontade, estava eu a dizer .... traria tanta, tanta "tralha" que não caberia no carro, e cá em casa, certamente, passaríamos a viver por "corredores" feitos dos espaços que sobrariam de tamanha "manta" trazida de fora ..... :o)
    .... ah como é bom .. querer sempre mais e mais ... :o)
    .... mas algo aconteceu, depois dos 4 ou 5 anos de Sara ... a mamã deixou de ir às matas e florestas..... :o( .... e mostrou à Sara outras "coisas bonitas" para coleccionar ... a televisão ... o desenho animado ... os dvds .... os brinquedos ...... e não é que ELa permanece Igual :o) ... quer mais e mais, e de braços bem abertos pede para lá colocar tudo o que pode guardar :o) ........... Como é Fantástico .. isso da "coisa de criança" :o)
    ..... Elas são perfeitas com São ... penso que nada pode ser mudado .... A Vontade .... O Entusiasmo ..... A Curiosadade ........ o Querer mais ..... e para mim, Nada Faltará ..... o Ar nunca Faltou .... mas é usado apenas o que é preciso para Aquela Respiração ... nada Menos nada Mais .... e o "Ar" é para o Nosso Equilíbrio e Vivência, aqui na Terra ....
    O que nos Parece "desequilíbrio" é para mim "equilíbrio" ... pois o processo permanece o mesmo .... Juntar Momento a Momento O que Nos Faz sentir Bem ....
    ..... juntam elas (as Crianças) brinquedos, para o equilíbrio ...
    ..... juntam elas horas de televisão, para o equilíbrio
    .... juntam elas guloseimas para o equilíbrio ....
    .............. para Mudar é Só Trocar ..... Trocar, mas Sempre para o Que dá Prazer :o)

    ... ah .... como eu gostava de fazer, o que acabo de escrever ...SEMPRE ... :o)

    ... Já repararam como conversando com Outros, Conversamos Connosco Mesmos ???

    Beijinhos e Obrigada Rute e Todas que estão, Aqui, Bem Presentes na Vida ....

    ResponderEliminar
  22. Olá Rute, como previsto, postei sobre a teia ambiental, espero que goste do texto :]

    http://blog-do-hermes.blogspot.com/2011/04/bcfv-teia-ambiental.html

    também linkei seu blog, aceita parceria?

    Té o/

    ResponderEliminar
  23. Gente,

    estou passando rápido, só para dizer que de momento não vou conseguir atualizar a lista com as últimas participações, tá?

    É que no pc de casa tenho o internet explorer apenas e este tem dado problemas de descofiguração em blogs, dai que não vou nem ousar mexer na postagem hoje. Amanhã no pc do trabalho, com o Mozilla, faço as devidas linkagens.

    E comento tudo direitinho no vosso espaço virtual. Agora vou descansar que aqui em Portugal já é quase meia-noite.

    Beijo e té +!
    Rute

    ResponderEliminar
  24. Que maravilha de texto!Amei do começo ao fim.parabéns.abçs

    ResponderEliminar
  25. Li tudinho não concordando muito com a parte da qualidade/quantidade. Não é uma questão de qualidade do brinquedo... é do valor emocional que a criança sente por ele e, normalmente, é sempre um brinquedo antigo. A boneca zarolha é exemplo disso. Retive outra coisa, sem ainda ter visto este último Toy Story: o Andy tem 17 anos, o que ele quer é começar a brincar com as "bonecas", o brinquedo preferido dele agora é outro he he
    Bjs

    ResponderEliminar
  26. BEL,
    é isso aí, conscientização para todo o lado. Não dá mais para ser inconsciente (ou por outras palavras irresponsável).

    DENISE,
    sempre que eu puder vou lá comentar e deixar lembrete. Sei que por vezes as pessoas se esquecem no meio de tanto corre corre da vida.

    HANNAH,
    pois agora já vamos poder seguirmo-nos uma à outra ;) E ajudar-nos mutuamente a evoluir no dominio ambiental. Vai ser um prazer muito grande ter-te connosco na teia.

    ISABEL,
    que alegria me davas se alinhasses em mais esta blogagem. Sei que tens tanto para partilhar connosco, precisas abrir...deixar sair...as conversas aí dentro misturando-as nas conversas aqui de fora (dentro...).
    Também gosto muito de visitar matas, apreciar a natureza no seu "habitat natural" e sentir-me também eu, pertencente a esse meio.

    VITOR,
    gostei muito do seu texto. Já te linkei.
    E você gostou do meu? Gostaria de receber seu feedback.

    SONINHA,
    seja bem vinda ao meu espaço. E veio bem acompanhada com a Teia na camisola! Obrigada e também gostei muito do seu artigo.

    AMEXINHA,
    tens razão mas...estás a analisar a palavra qualidade na prespetiva do menino. Quando referi era na prespetiva do coleccionador. Aqui a palavra qualidade tem mais o simbolismo de raridade. De resto concordo plenamente contigo sobre o valor emocional que as crianças dedicam aos brinquedos.
    Obrigada pela visita e não te entusiasmas a participar no próximo dia 7 MAI? Gostaria de te ter por cá!

    Mil beijinhos a todos,
    Pena este dia 7 ter acabado tão cedo...
    Talvez no próximo mês consigamos mais adeptos para a causa verde!
    Rute

    ResponderEliminar
  27. Rute querida,

    Desculpe estar vindo só agora, pois fiz questão de visitar todos nossos amigos da Teia e deixar minha contribuição.
    Que mulher criativa heim!!!
    Parabéns pela postagem.
    Percebo que hoje existe um consumismo absurdo com os brinquedos, e eles estão cada vez mais utilizando produtos que prejudicam o meio ambiente em suas produções.
    E as crianças realmente estão entrando nesta onda, é preciso ter muito cuidado.
    Não tenho o que dizer, pois minhas crianças não são do tipo que assistem um comercial e querem desesperadas um novo brinquedo.
    E você vê que este consumismo desenfreado, tira o valor de tudo.
    Dissestes muito bem quando fez a comparação com a água, temos hoje Graças a Deus em abundância, e por isto não dão o devido valor.
    Espero que não seja tarde demais quando a humanidade perceber o grande tesouro que sempre teve nas mãos.
    Parabéns querida, sua postagem foi Maravilhosa!!!

    Aproveito para agradecer sua oferta sobre o livro "A ética da Alimentação".
    Aqui em Goiânia existem muitos Sebos, mas muitos mesmo.
    Eu vou ver se consigo encontrá-lo aqui, se por acaso não encontrar, te aviso.... e se a oferta estiver em pé, aceitarei sim.
    Mas te aviso, ok?

    Um grande beijo ecológico em seu coração querida!

    ResponderEliminar
  28. Grande idéia...

    Partilho dela e sou uma mãe, que fiz isso em conformidade com meus dois meninos...

    Adorei estar aqui!

    Juntos haveremos de criar idéias novas e salvadoras para este nosso Planeta...

    até mais, sou da teia também...

    ResponderEliminar
  29. Oi Rute:

    Com sua preciosa colaboração a Teia deu uma arrancada !
    Que bom...
    Visitei todos e comentei nos blogs.
    Fiquei feliz por ver que várias pessoas "compraram" a idéia e querem continuar.

    "De grão em grão a galinha enche o papo", diz o velho ditado e assim também, grão a grão, gota a gota, vamos aumentando nossa Teia Ambiental.

    Obrigada pela participação e pelo importantíssimo apoio !

    Beijo

    ResponderEliminar
  30. LÚ,
    obrigada por suas palavras.
    Nós que estamos na Teia há mais tempo sabemos que a amiga só não vem comentar porque não teve tempo. Não precisa se desculpar, não cobro pra ninguém e jamais cobraria a vc :)
    Tu é daquelas pessoas maravilhosas que deixa um carinho em todos os posts que recomendo. Vc me trata bem demais!
    Beijo no seu coração.

    ZININHA,
    que bom que vc regressou à Teia. Eu sei que vc faz parte da Teia. Inclusive já lá estáva quando eu surgi no mapa :)
    Temos de manter e cultivar esta fraternidade. Não basta postar e ficar na sua. Obrigada por ter vindo me dar sua mão.
    Beijo!

    FLORA,
    a Teia agora vai ficar imparável. Vc vai ver.
    Mas é não só pela minha ajuda de divulgação.
    É porque as pessoas estão se apercebendo que todas as alterações climáticas, os desastres naturais e outros, são responsabilidade humana. E tá na hora de consciencializar todos. Não basta ser ecologicamente correto. Há que influênciar os demais com esclarecimentos e divulgação do:
    Faz o que eu digo porque é o que eu faço :)
    Beeeeeeeijo!

    ResponderEliminar
  31. Olá Rute, é claro que gostei o seu texto

    também já vi esse filme e acho ele muito bom, passa realmente uma coisa legal, sabe, de repassar uma coisa boa, seja um sentimento - seja um brinquedo - para as outras pessoas, muito bom mesmo, tanto o filme quanto o seu texto

    gostei muito de ter participado ^^

    ResponderEliminar
  32. VITOR,
    de fato é mesmo. Muitas são as mensagens ocultas que passam dentro da história. Muitos sentimentos entram em reboliço dentro de nós enquanto assistimos ao filme.
    Para além do que referi aqui no texto, gostei particularmente do enfoque da amizade verdadeira no Toy Story 3. Aquela que coloca os interesses do coletivo sobre os interesses do individual.
    Adoro animação!!
    Se puder, pássa neste outro link, também de um filme de animação cheio de significado:
    Chovem Almondegas!!

    Não esquece da BC Fases da Vida. Eu sei que tu vai se sair bem nessa também!
    Beijo,
    Rute

    ResponderEliminar
  33. Minha querida amiga, Rute:
    Eis-me aqui a correr que nem as cenas de um desses filmes horrorosos que eu tanto rejeito, em que tudo passa à nossa frente, com carros capotando e com gente correndo, dando tiros e gritando.
    Passo correndo como eles, mas sem as agitações e barulhos.
    Muito simpática a sua alusão à poluição lúdica dos tempos modernos.
    Brinquedos caros e sem valor, seguindo a moda e sem olhar as preferências da aniversariante.
    As trágicas comemorações nos eternos centros de contaminação de maus hábitos alimentares - os MCD com o palhaço na porta, convidando para que nós outros façamos parte do circo dele.
    Muito sutis suas observações, mas nem por isso menos fustigantes e combativas. Deixa-me voltar para os cursos que esses aprendizes estão muito ativos nas duas turmas.
    Abraços ecologicamente corretos.
    Gilberto.

    ResponderEliminar
  34. Querido Mestre,
    grata por ter roubado um tempinho aos cursos para vir até cá, presentear-me com suas palavras sempre sábias e plenas de conteúdo.

    Adorei a frase: «os MCD com o palhaço na porta, convidando para que nós outros façamos parte do circo dele.»

    Reencontramo-nos no curso (ativo) que é assim que a gente gosta :) Na partilha de ideias, dúvidas e afirmações, nasce a reflexão quando menos se espera.
    Abraço sempre correto para além do contexto :)
    Rute

    ResponderEliminar
  35. Rute... estive uns tempos sem aqui vir...trabalho!!! Mas não posso deixar de mencionar as recordações que me fizeste sentir quando falas no hospital de bonecas!!!!! Lembro-me de lá ir com a minha mãe, levar uma boneca com a perna partida e era assim mesmo, ficava "internada" durante uns dias e depois, quando lá a fui buscar, tive a sorte de me comprarem uns sapatinhos brancos, um vestido às bolinhas azuis e um chapéu...para a minha boneca, claro! E são estas recordações felizes dum dia comum que às vezes marcam a nossa infância... este foi um dia do qual nunca mais me esqueci!!! Tenho de lá voltar... como só tenho filhos rapazes não voltei a ter ou dar esta sensação a mais ninguém, mas gostava muito, porque lembro-me que renovar esta minha boneca foi mais importante do que comprar uma nova!
    Beijos
    Paula Pessanha

    ResponderEliminar
  36. Paula,
    que giro!
    Não sabia que o processo de internamento da boneca no hospital era dessa forma tão identica à vida normal.
    Vieste enriquecer muitissimo este artigo com essa informação.
    E que lindas memorias de criança. A tua mãe proporcionou-te uma infância memorável!
    Também acredito que para ti tenha sido bem mais importante recuperar a boneca antiga do que comprar uma nova. É isso que devemos motivar nas nossas crianças.
    Muitos beijinhos de agradecimento.
    Continuo a afirmar que devias iniciar um blog e entrar nesta esfera de partilha.
    Rute

    ResponderEliminar
  37. Me peguei nessa frase: "os pais não podem ficar indiferentes ao alerta animado para o consumismo desenfreado infantil" - A mídia está aí incentivando o consumo, mas os pais são educadores. O que acontece é que os filhos seguem exemplos. Como escrevi no post em que deixou esse link para mim, sou à favor da doação como destino do excesso, pois não é que a minha crítica quanto à troca de brinquedos como forma de educar as crianças contra o consumismo não foi entendida? Pelo menos para a mentora de um projeto de trocas que está acontecendo no momento aqui no Brasil. Ela foi no blogue dizer que eu deveria apoiar, já que incentivo o BookCrossing. O Bookcrossing é doação e desapego. Troca até aceito como muleta para incentivar o desapego, mas no caso das crianças e os brinquedos, a troca funciona como uma boa oferta, uma vantagem... pois ela não usa "dinheiro". Mas como assim? Na troca, o brinquedo levado não seria a moeda de troca no lugar do dinheiro de papel?
    Respondi lá no blogue o seu comentário...
    Beijus,

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A midia está terrivel, não dá para deixar nossos filhos assistirem TV, especialmente ao sábado e domingo de manhã!
      Quanto à feira de trocas, conforme respondi no seu blog, sem duvida que desde cedo devemos mostrar para a criança que tudo tem valor e que pode adquirir de várias formas. A troca de bens é muito mais antiga que a moeda. A feira é um ótimo começo para perceber a mecanica. Tem outro objetivo mais profundo que eu não havia entendido de imediato. Grata por iluminar. Beijos*****

      Eliminar