15 maio 2011

ADOLESCÊNCIA - ENTENDER O CONFLITO DE GERAÇÕES

BCFV - 3ªFASE - ADOLESCÊNCIA

Maior de idade queria ser, maior de idade queria parecer...
Desde os 17 anos que dizia ao meu namorado: quando fizer 18, já sou maior e a minha mãe vai ter de mudar de atitude!
Os 18 passaram e nada se alterou significativamente! "Será que minha mãe (2ªfoto) pensava que a maioridade era aos 21?"

Sempre fui de me insurgir contra incoerências e não entendia porque me era cobrada tanta responsabilidade, enquanto que, no meu ponto de vista, a liberdade não andava a par. Desde cedo que a limpeza da casa era feita por mim, assim que comecei a trabalhar comparticipei nas despesas de telefone, água e luz... Então porque tinha de ter horas marcadas para voltar para casa, porque tinha de pedir autorização para tudo, porque porque porque... Aí nos chocavamos, eu e minha mãe.

A 1ªfoto que aparece na postagem sou eu, em Marbella (Espanha), telefonando para casa (Portugal). Reparem na cara séria:
-Mãe, é só para dizer que está tudo bem. Eu e a Bê chegamos bem, estamos no parque campismo de Marbella.
-Ai Rute, ainda bem que telefonaste filha. Estáva tão preocupada. Aquilo que a mãe disse quando saiste, não é verdade. Não ligues. Podes voltar para casa quando terminarem as férias (...)

E isto porquê? Porque eu queria ir de férias para Espanha com a minha melhor amiga e minha mãe não deixava. Quando eu estáva quase saindo de casa, antes da viagem, ela afirmou: -Se sais por essa porta, não voltas a entrar! (e eu sai).

O que é facto é que muitos anos passaram e agora que sou mãe sei dar o valor! Essa é que é essa!
A adolescência é uma fase muito especial, de busca de identidade, de afirmação pessoal e social. Os adultos impõe-nos os seus conceitos, medos, maneira de viver, valores morais, espirituais... como se estivessem a moldar um boneco em barro. Com todo o carinho como é evidente. Querem que nós, adolescentes, sejamos a obra perfeita, construidos à semelhança de quem nos gerou...

Por seu turno, os adolescentes querem experimentar o mundo. Aprender através dos seus próprios erros, contestar conceitos rigidos e desatualizados, questionar o inquestionável, arriscar e conquistar. Bom, não sei se são todos assim, mas eu fui e continuo a ser, a instigadora de atos de libertação, a desconstrutora de preconceitos, uma rebelde ainda que parcialmente obediente :)

Por falar nisso...recordei-me agora dum grupo de bairro que tive aos 14/15 anos, de nome: Os Indomáveis (ah ah ah). E eramos mesmo, indomáveis, irreverentes, autenticos membros da resistência!! Estavamos ali para abalar as estruturas. Tal e qual como todos os adolescentes, independentemente da geração a que pretencem.

Com meu pai também tive alguns conflitos. Embora menos, porque eles eram separados e eu só via meu pai, de 15 em 15 dias + 2 semanas seguidas nas férias. Precisamente numas férias de Verão, entrei em greve de fome. Meu pai não me deixava ir para rua depois do jantar, nem queria que eu estivesse perto de rapazes! Então reivindiquei. Como não sai vitoriosa da "discussão", entrei em greve de fome e de fala. Sorte que tinha cumplices que me davam de comer :) Pestinha!...

Ainda com quem eu me dava melhor, era com minha avó materna. Sempre foi uma mulher muito moderna e avançada para a sua geração. Foi ela que me levou à 1ªdiscoteca... motivado talvez por ela gostar tanto de dançar. Ainda hoje, minha avó vai nos bailes da 3ªidade (mas sobre ela falarei noutra fase da vida).

Enfim, no meio de toda a rebeldia, eu possuia muitos talentos latentes querendo darem-se a conhecer ao mundo: versava, escrevia livros, dançava, cantava, pintava, lançava modas na escola, desenhava e fazia alguma roupa... são testemunhas disso, meus 2 diários que guardo religiosamente. O baú das emoções dessa época inquietante, sensivel e conquistadora do meu lugar na sociedade :)

Minhas heroinas de adolescência: Madonna e Cynder Lauper! Ai meus Deuses! Girls just want to have fun!!!!

Resumindo:
Então porque não se lembram nossos pais e avós que também eles confrontaram os seus ascendentes diretos?
Lembrar, todos nós nos lembramos, mas conforme o tempo vai passando trocamos de lugar, ou por outras palavras, de perspetiva. Conforme nossa maturidade vai crescendo, percebemos que afinal, nós não estavamos assim tão CERTOS e nossos pais não estavam assim tão ERRADOS. Embora o fosso entre gerações perdure... porque entretanto, temos filhos... porque entretanto, os nossos pais já são avós.... nascem então outros "conflitos", outras incompreensões. Não conseguimos colocar-nos no lugar deles, nem eles no nosso... fica dificil o entendimento da forma como cada geração vive a vida... e se calhar bastava simplesmente um pouco mais de tolerância e respeito de parte a parte. Sim, porque nós também temos de respeitar os mais novos, e vice-versa.
A receitinha é vegetariana concerteza e da preferência dos adolescentes mais conscientes:
Hamburguer Vegetariano Bio-Express (neste link)

PARTICIPAÇÕES (conforme vão chegando):

2-Espiritual-idade.blogspot.com; 3-FelinoDaMadrugada.blogspot.com
4-CronicasDaChica.blogspot.com; 5-AromaDeCafe.blogspot.com
6-Verseiro.blogspot.com; 7-NacoZinhaBrasil-gina.blogspot.com
8-BlogDaRegina.blogspot.com; 9-AnaCristinap.blogspot.com
10-Clima65.blogspot.com; 11-MariaLuizaSaes.blogspot.com
12-SonhoDoceSonho.blogspot.com; 13-ContosOufatosSurreais.blogspot.com
14-LucinhasDreamGarden.blogspot.com; 15-AescolaÉbela.blogspot.com
16-ConversasCartomanticas.blogspot.com; 17-Misturao.blogspot.com
18-PereiraPequeno.blogspot.com; 19-PartilhandoAmesa.blogspot.com
20-Nabiroskinha.blogspot.com; 21-AprenderSemEscola.blogspot.com
22-MsocorroM.blogspot.com; 23-EsplendorDaCriação.blogspot.com
24-ConhecerKardec.blogspot.com; 25-DiarioDumaPsicologa.blogspot.com
26-EternosPrazeres.blogspot.com; 27-RumosLibertadores.blogspot.com
28-CasaCoisasEsabores.blogspot.com; 29-EnsinoRegular.blogspot.com
30-FractaisDeCalu.blogspot.com; 31-EuEosTachos.blogspot.com
32-CriandoCoresDaVida.blogspot.com; 33-FloraDaSerra.blogspot.com
34-Belrech.blogspot.com; 35-Soporagora.wordpress.com
36-ApenasMulheresDeVerdade.com.br; 37-Renneris.blogspot.com
38-AcolherComAmor.blogspot.com; 39-Mariazinha.blogspot.com
40-Mamyrene.blogspot.com; 41-ArteLivreVimaje.blogspot.com
42-DeCozinhaEmCozinha.blogspot.com; 43-CrioMinhaVida.blogspot.com
44-FazendoMeuCaminho.blogspot.com; 45-CronicasDeUmaMeninaFeliz.blogspot.com
46-LarEncantado.blogspot.com; 47-LuluExperiência.blogspot.com
48-PensandoEmFamilia.com.br; 49-AlgunsVersinhos.blogspot.com
50-LuzDeLuma.blogspot.com; 51-DomingosIrio.blogspot.com

Artigo relacionado: CHICLÉ na Teia Ambiental (outra blogagem)

76 comentários:

  1. Indomável Rute,
    Tão logo vi seu post, corri aqui e já comecei a sorrir com a sua rebeldia de adolescente.
    Uma gaja bonita como essa justifica os cuidados do pai...rs!
    Realmente há um fosso entre uma geração e outra. As mudanças de comportamento são enormes, mas a preocupação dos pais tem o cuidado e o desejo de que sejam felizes, não se prejudiquem, como se fosse possível criá-los numa redoma.
    É bom aproveitar a ânsia de saber e experimentar dessa fase para incutir bons alimentos, mas será que os adolescentes aceitam? Só se tiver um adolescente daqueles bem líderes que sejam vegetarianos, aí a "galera" acompanha...
    Beijos, parceira!

    ResponderEliminar
  2. Olá, minha querida e delicada amiga Rute
    "Na ternura de um amanhecer,
    Eu observei a beleza do orvalho".
    (Sandra)


    Temos muitíssimo em comum... tirando o conflito com o pai... rsrsrs...
    O segundo parágrafo me define também na adolescência(menos no pagar contas)...
    Gostei demais do que escreveu:
    "construidos à semelhança de quem nos gerou"...
    "como se estivessem a moldar um boneco em barro".
    E... sobrevivi... como vc também...
    E anda bem que crescemos...


    "...é o molhar do orvalho quem vê meus passos...
    é minha vida me chamando pra viver"
    ( Fractais de Calu)

    Tenha um excelente Domingo de paz e alegria.
    Bj com gosto de adolescência (o lado bom dela).

    ResponderEliminar
  3. Minhas queridas parceiras,

    demorei para postar porque deixei tudo para o fim... Mas me parece que quem agendou postagens não deu certo. Talvez por causa dos recentes problemas do blogspot.

    Gina,
    obrigada pelos elogios ("Uma gaja bonita como essa justifica os cuidados do pai...rs!" ah ah ah). Mas realmente diminuido o fosso, é enriquecedora a partilha entre gerações.

    Rô,
    embora os feitios possam ser diferentes, os adolescentes passam todos um pouco pelo mesmo. Todos nós passamos pela roda do oleiro, né! E todos nós somos um bocadinho "barro dificil de moldar".

    Beijinhos especiais para vcs.
    Vou deitar e sonhar com as participações :)
    Rute

    ResponderEliminar
  4. Adorei ver tuas fotos, lindas! E quem não foi rebelde nessa época; E foi bom pois depois aprendemos a viver,não?

    Lindo teu texto ,depoimentos e participação! um beijo,tudo de bom,chica

    ResponderEliminar
  5. Olá, Rute!Foste uma adolescente "mesmo"!Esta é a fase da afirmação do nosso carácter e a rebeldia pode ter muitas formas...vai lá ver a minha, que é mais soft "aparentemente"...
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  6. que linda sua foto....tambem adorei a postagem....to participando
    http://anacristinap.blogspot.com/2011/05/blogagem-coletiva-fases-da-vida.html
    bejo

    ResponderEliminar
  7. Nossa, seu relato foi muito bom. A adolescência nos insurge, nos atiça para um outro lado mais contrário ao habitual. Queremos ver, sentir como é ser diferente. Parabéns pelo seu relato. Sou sua fã. Meu abraço!

    ResponderEliminar
  8. Rute,
    Que foto linda!
    E sobre o post, me identifiquei muito com você,
    acho que a maioria passou pelas mesmas coisas.
    Só não tive a coragem que vc teve, quando foi para a Espanha.
    Vendo o seu post, também me lembrei de uma turma de bairro no qual fazíamos parte..kkkkkk
    a melhor parte de tudo isso, é que antes não tínhamos a violência que vemos hoje na Tv.
    Tento compreender a minha filha com 12 anos, pois passei pelas mesmas coisas que ela está passando, mas digo a ela, que muita coisa mudou de lá para cá.
    é o ciclo da vida, amiga.....
    beijos e acabei de finalizar o meu post....
    quase 3 da madrugada..kkkk
    http://sonhodocesonho.blogspot.com/2011/05/blogagem-coletiva-fases-da-vida.html

    ResponderEliminar
  9. Um pensamento de toda moça...Quando chegar aos 18...mas ele chega e não muda nada!
    srsrsr
    Eu não tive esta fase de ajudar em casa, mas a de pedir para sair sim e só saia se a mana fosse junto e vice e versa.
    às vezes quando brigávamos eu fazia de propósito não saia e assim ela tbm não podia sair.srsrs
    eu fui muito birrenta!
    Bjs e bom domingo

    ResponderEliminar
  10. Queridas colegas de blogagem,

    aqui estamos nós para mais uma fase vibrante e de exteriorização.

    CHICA,
    foi muito bom mesmo. Adorei ser adolescente apesar de amar todas as outras fases de igual modo. Porém não voltava a essa época de desiquilibrio, de insegurança, de luta por conquistar nosso espaço. Prefiro a Maturidade.

    LINA,
    ainda não li a tua participação, mas só de ir buscar o link para a lista já fiquei maravilhada com o título e com a música!!!! A adolescência é mesmo a fase de aprender a voar com confiança e determinação. Na infância ensaiamos pequenos voos mas não vamos longe, nem quando erramos, nos machucamos com tanta seriedade...

    ANACRISTINA,
    obrigada pelo elogio. Sua participação já está incluida na listinha. Vê se consegue convencer sua mãe a participar na coletiva.

    MARIA LUZIA,
    a adolscência é quase uma atração fatal pelo perigo. Um teste à nossa força, um exercicio para construirmos nossa coragem. Obrigada por suas palavras. Em breve irei no seu espaço, me encantar e comentar.

    FABI,
    os tempos estão de fato muito mudados. Mas nesta altura também existiam, só que os media não divulgavam tanto. As pessoas eram menos assustadas. Atualmente parece que se cultiva o medo a toda a hora... Mas sim, também tenho meus temores em relação à minha filha. Que liberdade dar? Em que/quem confiar?

    SONIACONSULT,
    eu era a filha mais velha e todos os meus irmãos são meios-irmãos. Não que isso tenha importância para mim, mas viviamos em casas separadas. Porém também lembro que quando ia de férias com meu pai, meu irmão e irmã andavam sempre atrás de mim para todo o lado. Achava isso CHATO!!!! E pior é que eles contavam tudo para meu pai, eu nem podia namorar, rssss.

    Beijinhos gente linda.
    À tarde volto. Agora vou na praia, tomar um sol de Verão :)
    Rute

    ResponderEliminar
  11. Gostei muito do teu texto :) A adolescência é uma fase linda mas complicada :)

    ResponderEliminar
  12. Olá Argas,
    não queres entrar na coletiva? Até ao final do dia e até mesmo dia 16, podes publicar. Junta-te a nós!!!
    Beijinhos,
    Rute

    ResponderEliminar
  13. Rute adolescente é sempre rebelde e só depois é que ergamos a realidade.
    Muito bonita na foto viu?
    Bom domingo
    Xeros

    ResponderEliminar
  14. Rute!!! Que foto de fazer parar o trânsito!!! "Linda de morrer"!!!
    Que engraçada a tua avó! Eu também entrei numa discoteca pela primeira vez aos 13 anos e foi a minha mãe queme levou, que ela achava que era algo que eu devia conhecer... ;) Na minha família da parte da minha mãe éramos todos virados para música, para tocar instrumentos, para cantar e para dançar!!!
    No outro dia lá no trabalho a falarmos deste tema dos conflitos entre gerações, uma colega minha disse uma coisa engraçada que ela diz dizer sempre aos amigos que têm ainda hoje em adultos, problemas com os pais, por não terem conseguido ainda ultrapassar esses conflitos que se deram na adolescência: "Tal como não há príncipes encantados, também não há "pais encantados". Interiorizando isso, esfumam-se os conflitos..."
    E olha que ela tem razão!
    Muitos beijinhos, gostei muito (adorei a foto, estás mesmo uau!)
    Isabel

    ResponderEliminar
  15. Oi querida

    Que relato! Lendo suas palavras percebo o seu momento adolescente.
    Esta coletiva é mmuito boa. Estas retrospectivas nos fazem refletir sobre vários pontos de vistas. Dá oportunidade da troca de lugares.
    Há pais que se confundem na adolescência dos filhos revivendo a sua e isto dá uma boa complicação.
    Eu tenho um pequeno texto publicado no blog, A adolescência, uma visão trigeracional,não coloquei para participar porque não é minha adolescência, mas um olhar da especialista.
    Se desejar em algum momento ver: http://pensandoemfamilia.com.br/blog/textos/adolescencia-uma-visao/
    Parabens.
    bjs

    ResponderEliminar
  16. nos dias de hoje acho que não há tanto esse choque de geração como nos vivemos, eu só vivi da parte do meu pai que tinha mais 12 anos que a minha mãe, apesar de viver com os dois e de o meu pai ser mais antiquado tive ( e tenho) uma mãe de espirito aberto e moderno que nos educou, sim que o meu pai tinha a ideia de que a mulher é que estava encarregue da casa/filhos/marido.

    agora que sou mãe e talvez devido ao que vivi, fui uma adolescente pacifica sem grande rebeldia...aiii a fase da madonna :D sinto que apesar dos receios/medos que a sociedade nos impõem acho que por agora sou uma mãe que estou á altura das minhas filhas de 12 e 7 anos, talvez por ter 36 anos sinto que não tenho grande choque com elas, por agora.....


    adorei o post bem como as fotos.

    ResponderEliminar
  17. Rute, para mim a adolescencia tb foi de muita rebeldia, e acabei saindo de casa aos 19 anos, por não concordar com a castração q meus pais me impunha. Foi muito difícil, mas graças a essa coragem, hoje posso ser mais sensata, equilibrada e ter mais facilidades para tomar decisões.
    Essa blogagem está sendo muito interessante, pois acabamos, de certa forma, nos identificando com as experiências dos participantes. Muita paz!
    Minha participação já está postada.

    ResponderEliminar
  18. ANA KARLA,
    assim que a adolescência passa, nós perdemos alguma radicalidade, ganhando equilibrio e compreensão. Obrigada pelo elogio :)

    ISABEL M.,
    eh eh eh foto de fazer parar o trânsito (corei!). Obrigada amiga.
    Felizmente que os conflitos entre mim e meus familiares ficaram todos resolvidos. Bom, eles também aprenderam a não meter o nariz... E eu também aprendi a ouvi-los com mais atenção e sem negar à partida as "ciências" parentais que desconheço :)

    NORMA,
    sabe que eu e minha mãe também passamos por isso a dada altura. Eu saindo da adolescência e minha mãe entrando numa "adolescência" fora de hora! Fiquei chocadissima!!! Sentir minha mãe vibrar com um namoro como se fosse adolescente e fazendo dieta para ficar nos trinques!!!!
    Muito estranho isso aí... Porém tudo normalizou passado um tempo.

    KOMBI,
    o meu pai também era muito antiquado. Referia bastantes vezes: Rute, se tu vivesses comigo, na minha casa, não usavas mini-saia, nem calças justas!!! E ir à discoteca nem pensar!!
    Meus irmãos raramente foram à discoteca. Estavam proibidos por meu pai :(

    DENISE,
    por acaso só sai aos 24 anos de casa para casar. Mas depois dos 21 a liberdade já era outra. Fui conquistando terreno aos poucos. Especialemnte quando comecei a trabalhar e a ganhar meu dinheiro fixo.

    Queridas, a BCFV continua com excelente qualidade. Fico a aguardar mais participações e visitando aos pouquinhos.
    Mil beijos,
    Rute

    ResponderEliminar
  19. Rute,que rebelde vc foi na adolescencia!Adorei conhecer suas aventuras e confusões!Mas tudo passou e ficaram belas lembranças!Excelente sua participação!Corajoso seu texto,amei!Bjs,

    ResponderEliminar
  20. Publicação feita amiga!!Olha o link:http://rumoslibertadores.blogspot.com/2011/05/adolescencia-luz-da-doutrina-espirita.html?showComment=1305474714307#c3307780654783568263
    Bjkssssssssssssssssss

    ResponderEliminar
  21. Antes deste comentário deixei um outro me desculpando pelo atraso...SUMIU!!!!Avisei que postaria no outro blog: http://rumoslibertadores.blogspot.com
    bjsssssssssssssssss

    ResponderEliminar
  22. Minha amiga rebelde !!!

    Estou impressionada com sua rebeldia adolescente, tão diferente da minha rebeldia obediente...

    Acho muito difícil essa fase da vida. E creio que para os pais é mais difícil do que para os filhos, pois é deles a responsabilidade pelos atos dos filhos. Mas também entendo essa ânsia de liberdade que é peculiar aos jovens.

    Que no final, entre mortos e feridos salvem-se todos !

    Beijo

    ResponderEliminar
  23. Rute, você foi uma adolescente muito bonita (agora é uma linda mulher!). Esses conflitos são muito próprios da idade, não? Você abordou o assunto muito bem.

    Lembro que, quando era adolescente, achava que ninguém me entendia. Eu é que não entendia que estavam querendo me proteger, me ensinar o que é certo e que eu só perdia entrando em conflito, em vez de tentar conversar, negociar. É uma fase difícil para todos da família! Ainda bem que passou, rs.

    Logo terá uma adolescente em casa, se prepara! Rs.

    Minha participação na blogagem:

    http://casacoisasesabores.blogspot.com/2011/05/blogagem-coletiva-adolescencia.html

    Um beijo!

    ResponderEliminar
  24. A adolescência é fase da irreverência e incompreensão.
    Adorei a tua foto.
    Bjs

    ResponderEliminar
  25. Adenda ao meu comentário anterior:
    Com que então "Os Indomáveis?" ah ah ah :D

    Eu não era uma "rebelde de grupo", como bem me explicaste na tua análise numerológica, o meu 1º ciclo de vida é marcado por experiências de 7, então era mais "solitária" nessa coisa, embora sendo uma rapariga aquariana que sempre se enturma bem nalguns grupos.

    Acho mais que eu era um "espírito livre" que nunca deu conta de alguém o tentar travar (a minha mãe era muito libertária, embora tivesse medo que nos acontecesse alguma coisa, não nos recusava nenhum pedido e dizia que nós é que éramos responsáveis por nós próprios e que tínhamos que arcar com as consequências dos nossos actos...
    Por isso é que estranhei muito quando me casei (aos 20 anos, imagine-se, quando eu dizia que só casaria aos 30!) e o meu marido era mais "tradicional"... deu em divórcio, claro, embora só quase 10 anos depois...

    Mas adorei essa dos indomáveis! Estou-te a ver!!! ;)
    Estava boa a praia?
    Muitos beijinhos
    Isabel

    ResponderEliminar
  26. O velho conflito de gerações. Eu ainda hoje com 50 anos o sinto com a minha mãe...lol.

    Com que então a menina era rebelde e indomável.!!?
    Mas foi bom, fez parte do teu crescimento, da personalidade que tens hoje.

    Tambem já publiquei a minha pequena perticipação.
    http://criandocoresdavida.blogspot.com/2011/05/blogagem-colectiva-fases-da-vida.html

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  27. Essa sua foto me fez lembrar da minha linda adolescente que foi tbm pra fora do país em busca dos seus sonhos...tão parecida com ela...rsss

    Mas é assim, a gente só dá valor às neuras de mãe quando nos transformamos em uma...

    Adolescentes...seres tão complicados, mas tão imensamente felizes!

    ResponderEliminar
  28. Oi, Rute!

    Adorei a sua história. Adolescer é isso mesmo, é querer descobrir o mundo, viver grandes emoções, mudar paradigmas, inventar moda, ter o respeito dos adultos, enfim.
    E gostei da sua comclusão: a tolerância é fundamental para amenizar os conflitos entre as gerações.

    Grande beijo
    Socorro Melo

    ResponderEliminar
  29. Rutinha a indomável hehehe combina com a adulta cheia de principios e lutadora pelos seus interesses :-)pois eu não participei amiga, a minha vida anda de pernas para o ar já há muito tempo e parece não querer endireitar-se, não ando com vontade de escrever nada e as receitinhas que vão saindo saem para manter um pouco o expirito voltado para outras coisas, porque a vontade também não é muita :-(
    e também porque fui uma adolescente muito conformada com tudo e nada contestatária :-)

    ResponderEliminar
  30. Oi Rute...nessa fase da vida os conflitos são mais frequentes do que possamos imaginar...
    Um detalhe em seu texto chamou minha intenção...
    Esses dias lendo uma cronica sobre as mães, fiquei rindo sozinho, o autor acertou na mosca quando relatou a reação de uma mãe que acabara de descobrir que seu filho tinha sumido da paria onde stavam, apavorada comelou a procurar, perguntar, até que chegou aos bombeiros e nada de seu amado filho...de repente ele chega com um amigo e um sorvete nas mãos todo alegre, a mãe o segura e dispara...da próxima vez que sumir assim eu mesmo te amto de pancada...isso é amor de mãe...rsrs
    Parabpéns pela postagem amiga...
    Um abraço na alma...boa semana
    Beijo

    ResponderEliminar
  31. Oi amigas,
    agora onde estou não posso atualizar a lista, mas logo logo, regresso ao meu pc.

    ANNE LIERI,
    só espero que o post não incentive adolescentes a "sair do armário" ah ah ah. Não quero ser um exemplo de irreverência hein!

    ZILDA,
    está tudo certo. Em breve irei buscar o link para a lista de participações. Obrigada por avisar.

    FLORA,
    concordo contigo amiga. Para os pais é bem mais dificil essa fase... ainda que os adolescentes se sintam revoltados e perdidos na opção de caminhos.
    Sei dar o valor. Repensei muitos dos meus atos quando fui mãe.

    ADRI,
    também me sentia muito incompreendida em adolescente. E já estou sentindo minha filha adolescente conflitando comigo a toda a hora. A Carol tem 13 anos.
    Julgo que enquanto adolescentes somos muito individualistas. Pensamos só em nós, achando que temos direito a tudo... Mas a nossa liberdade termina onde começa a do outro. E vice-versa.

    CONCEIÇÃO,
    aos poucos vais conhecendo-me melhor. As fotos desvirtualizam a bloguer :)

    Amigas, voltarei mais tarde.
    Agora tenho de ir...
    Isabelinha a praia estáva bótima! Converso ctg mais tarde.
    Beijinhos, obrigada a todas,
    Rute

    ResponderEliminar
  32. Minha participação está no blog Rumos Libertadores: http://rumoslibertadores.blogspot.com
    Comente e concorra a um livro pela loteria federal ,até o dia 28/05

    ResponderEliminar
  33. Oi querida Rute.
    Que maravilha estas postagens da 3ªfase, realmente adolescência tem muita história pra contar e relembrar.Cada um de nós guardamos nossas histórias e em muitas somos tão parecidas, os mesmos conflitos a mesma astúcia os mesmos desejos, as mesmas dúvidas oe mesmos por ques???? davida. E no final a vitória, passamos esta fase ufaaaa! Linda amiga, linda postagem. Bjs.

    ResponderEliminar
  34. Hehehehe...dei boas risadas com seu post, me identifiquei muito com ele também.
    Fui muito rebelde também, e não aceitava um não... queria viajar com a turma...se minha mãe não deixava, ia e pronto...depois enfrentava a situação, minha mãe sofreu comigo.
    Depois de ter me tornado mãe e que fui compreendê-la, pois tive e tenho as mesmas preocupações, as vezes reprimimos nossos filhos por medo do que possam sofrer, como se fosse possível impedir que a vida se mostre a eles.
    Infelizmente não a tenho mais aqui, e já não posso reparar meus erros com ela.
    Como somos tolos enquanto adolescentes, né?!
    Bjuss e ótima semana!

    ResponderEliminar
  35. Como diz aquela música da Elis Regina: "Ainda somos os mesmos e vivemos como nossos pais".

    Passa lá no meu cantinho porque tem sorteo!!!

    Bj e ótima semana.

    ResponderEliminar
  36. acho que visitei todo mundo! vou ver se na proxima Mariazinha participa!

    ResponderEliminar
  37. voce me deu uma ideia para um post da mariazinha, sera que da tempo ainda hoje de participar? vou tentar!

    ResponderEliminar
  38. Tambem participo da blogagem coletiva:
    http://mariazinhap.blogspot.com/2011/05/blogagem-coletiva-fases-da-vida.html
    Parabens pela sua postagem!
    Beijos

    ResponderEliminar
  39. Isso que chamo de entrar em conflito com os pais!Hehehe
    Isso que comentaste sobre que "não estaváamos tão certos"...hoje pensamos assim, pois temos filhos e olhamos para trás e analisamos tanatas situações parecidas e temos pesar.
    Lindo post.
    Paz e bem

    ResponderEliminar
  40. Oi Rutinha!

    Adorei saber que éramos meio parecidas na adolescência... eu não gostava de aceitar regras "injustas" tão facilmente.
    E hoje tento conversar com o meu adolescente daqui de casa, e quando tenho que dizer não, ele sabe que é porque ele não está merecendo mesmo.

    beijinhos green

    ResponderEliminar
  41. Rute

    Aqui estou muito atrasadda na minha participação, mas como falo que tardo e não falho.
    Realmente vejo que a nossa adolescência tem pontos similares e de fato não existe nós errados e pais certos. Tudo faz parte do aprendizado para a vida e de jovens nos tornamos adultos, temos filhos e o ciclo continua.

    Segue o link da minha participação
    http://mamyrene.blogspot.com/2011/05/adolescencia-blogagem-coletiva-fases-da.html

    Praticamente só te visito pela BCFV, mas o pouco que leio me encanta e emocona a linda pessoa que és.

    Beijos

    ResponderEliminar
  42. Rute,

    Suas fotos são lindas. Que moça bonita!
    Histórias diferentes, mas no final todas passamos pelos mesmos conflitos.
    O importante é que chega a um ponto de nossas vidas que tomamos consciência que nossos pais tinham razão, eles só queriam nos proteger, mesmo que usando a forma errada.
    Hamburger vegetariano é tudo que os adolescentes precisam nesse momento;
    Olha, você e a Gina vão acabar me convencendo a gostar de culinária.Rs
    Beijos

    ResponderEliminar
  43. Bom dia Alegria!
    Estou de volta aos comentários e às visitas.

    ISABEL M.,
    tenho de analisar numerologicamente esse teu 2ºciclo, pois pelo visto, o 1ºciclo acertou em cheio.

    ANA MARIA,
    sem duvida que foi muito bom. Esta personalidade indomável (entre outras carateristicas) têm-me ajudado a ser feliz. Sem ela, provavelmente, o conformismo matáva-me de tédio.

    RENATA,
    agora vc disse uma grande verdade: «(...)tão imensamente felizes!»
    Arrisco a dizer que a liberdade e a felicidade andam de mãos dadas. Porém a liberdade não deve ser inconsequente e nós em adolescentes, o somos, sem pensar.

    SOCORRO MELO,
    a tolerância é fundamental para tudo em nossa vida. Especialmente a tolerância religiosa que tão pouco é praticada entre os diferentes credos. No fundo é tudo o mesmo, uns querendo ter razão sobre a razão do outro.

    ALCINA,
    oh que pena, não participares :(
    Mesmo sendo uma adolescente muito conformada e nada contestatária poderias dizer agora se concordas com a adolescente que foste ou se gostarias de ter sido diferente.
    Ainda podes participar... vê lá se te animas!

    ÉLCIO,
    vc tem um humor precioso!
    Mas é mesmo: «isso é amor de mãe»
    Eu também falo umas coisas que não devo para minha filha, depois me arrependo.
    O que vale é que nunca bato. Não sei bater, e se bater alivia a tensão sentida, a mim deixa-me cheia de remorsos. Bom, mas bem sei que certas palavras doem mais que mil palmadas.

    Beijinhos a todos vcs meus queridos amigos/as.
    Voltarei mais tarde para dar andamento às resposta. Grão a grão...
    Rute
    P.s.-E não estou esquecida das visitas hein. Hei-de completar todas à semelhança das fases anteriores.

    ResponderEliminar
  44. Rute querida, ontem já estive por aqui, fui ver o texto da Lina, da Lu e vim ver o seu quando estava a fazer o comentario caiu a internet e depois não voltei mais, mas ontem li seu belo texto, gostei muito, pois a sua rebeldia foi a mesma por mim vivida, e sua mãe era muito parecida com a minha, e por ter sido tão rebelde, hoje entendo o que minha saudosa mãe sentiu na pele, nunca lhe faltei com o respeito mas sempre quis ser dona do meu nariz e as vezes acabava com o nariz torto por apanhar de mamãe kkkk sem exageros, estou apenas brincando mas ela sofreu comigo e com minhas pretensões de achar que era dona do mundo e viver livre, leve e solta kkk. Hoje sei muito bem o sentindo de ser mãe e passamos pelo mesmo problema, esquecendo as vezes de que um dia tbém fomos adolescentes, embora no nosso tempo o medo não era tão assustador como é hoje. Adorei as fotos, lindas igualmente. O hamburguer foi uma idéia excelente e foi muito bem de encontro ao tema. Adorei tudo.....bjos querida uma linda semana pra vc e sua familia

    ResponderEliminar
  45. Oi gente,
    vamos lá a mais umas respostas:

    ZILDA,
    ok, irei concorrer sim. Obrigada.

    ESPLENDOR,
    que bom que vc gostou de minha postagem. É verdade, todos passamos pelos mesmos porquês e todos usamos da mesma astúcia para nos libertarmos das amarras :)

    RACHEL,
    sabe, eu acabei me queixando de barriga cheia. Porque comparando com minhas coleguinhas, eu tinha uma liberdade imensa, já que meus pais eram divorciados e eu não tinha de pedir para os dois a mesma coisa.
    Minhas colegas pareciam bola de ping-pong. Perguntavam para a mãe, a mãe mandava perguntar ao pai, o pai dizia que sim mas só se a mãe concordar, e por aí fora...
    Felizmente que eu não tive disso. Perguntava apenas para a mãe e o assunto ficava arrumado :)

    RENATA,
    sem dúvida!!! "Ainda somos os mesmos e somos como nossos pais". Criticamos o que eles fizeram mas fazemos o mesmo. Logo mais passo no seu sorteio tá!

    ANA CRISTINA,
    que bom que conseguiu convencer sua mãe a participar. Já inclui o link.

    MARIAZINHA,
    seja bem vinda à coletiva. Assim que possivel, irei visitá-la. Muito carinho. Obrigada.

    BELRECH,
    a vida é ciclica e tudo se repete: quer as atitutes dos pais como as dos filhos. Ambas são louváveis e justificáveis. Mas convém sempre nos colocarmos no lugar do outro para entender.

    RENATA RZ,
    eu acho que se os adultos fossem mais justos e coerentes nas suas regras, talvez... os adolescentes não se revoltassem tanto! Não há como não nos revoltarmos contra a tirania. assim é na politica e economia, como é nas relações humanas.
    Também voto nessa de dar liberdade consoante o merecimento. Filhos que se portam mal e que nada dão em troca, só exigem, não é comigo, não!

    Meninas, vou almoçar tá.
    Volto em breve.
    Beijos,
    Rute

    ResponderEliminar
  46. Que delícia Rute!
    Bons tempos e tantas histórias...Fases que nos marcam mais, outras menos, mas todas são especiais.
    Grande abraço!

    ResponderEliminar
  47. Amiga linda, o conflito de gerações haverá sempre.Talvez a nossa geração seja um pouco diferente nesse sentido.Eu vejo pela minha sobrinha, a minha mana é bem mais compreensível do que era a minha mãe.Para mim é uma das fases mais lindas!!! Que saudades!!!Bons tempos.Coitadas das minhas tias passaram a passas do Algarve comigo!!! :)

    Bjs

    ResponderEliminar
  48. Tive uma adolescência feliz e uns pais que estavam avançados para aquela época anos e anos, talvez pelo lugar aonde viviamos tb ele á frente de onde agora vivo , mais de 20 anos.
    Quando fui mãe, os receios e os medos, ficaram mais acentuados do que a minha mãe os teve em relação a mim. Não, o meu filho não teve tanta liberdade como eu! Eram e são meios diferentes.
    Contudo, temos uma relação, para além de mãe e filho, de amigos que se tratam por tu, vêm futebol juntos e discutem a política actual.
    Procuro transmitir-lhe os mesmos ideais que me foram entregues...talvez não sejam totalmente seguidos mas, eu acredito que, um dia quando já cá não estiver, as minhas palavras e exemplos ecoarão dentro dele, ajudando-o a proseguir caminho.
    Beijocas.
    Graça

    ResponderEliminar
  49. Rute Graças a Deus tudo passa. E conflito entre gerações sempre existirá, creio eu, mas, sua história é linda e motivadora. Parabéns. Vá ao blog, já postei na blogagem coletiva. Beijos.

    ResponderEliminar
  50. Rute, eu entrei no blogger precisamente para te perguntar se ainda podia publicar hoje, quando vi o teu comentário. Fixe!
    Não foi falta de vontade, nem esquecimento, é que ontem foi um dia MUITO agitado, nem deu para ligar o computador! :)
    Então ainda vai sair hoje, ok?
    Ah, e estás mesmo uma "brasa" nessa foto! :))) Eu se fosse tua mãe tb não te deixava sair de casa!! :))

    Uma verdadeira rebelde, cheia de garra!

    beijocas

    ResponderEliminar
  51. Minha querida Rute
    Obrigada pela oportunidade de fazer essa viagem ao túnel do tempo e rever valores e perdoar uma vez mais a quem preciso for... chego smepre a conclusão que "eu e meus botões" devemos ser muito felizes...
    Que maravilhosa a sua ideia, parceira amiga.
    Bjm e vamos prosseguindo nesse belo projeto de paz e bem. ESTOU ENCANTADA!!!

    ResponderEliminar
  52. A minha mãe sempre foi muito liberal com todos os filhos (somos 3), dou-me muito bem com ela mas com o meu pai foi diferente. Sou a filha do meio, com um irmão mais velho e um mais novo. O meu pai achava que as tarefas da casa cabem às mulheres. Eu era sempre a que tinha que fazer tudo enquanto os meus irmãos não levantavam uma palha. Fui uma adolescente revoltada com isso... ainda sou, no que toca a tarefas domésticas. Temos que nos ajudar, independentemente do género sexual :) Desculpa não ter conseguido ainda participar neste projecto...

    ResponderEliminar
  53. Rute, chego atrasada, mas muito satisfeita por participar. Acabei de publicar mais um capítulo das minhas "memórias" :))

    bjs

    ResponderEliminar
  54. Amiga, você é linda d+!
    Coitada da minha mãe, comeu o "pão que o diabo amassou"! Fui terrível!
    Mas o importante foram as experiências e ser uma pessoa completamente diversa daquela de 20 anos atras!
    E viva a beleza de todas as fases da vida!
    Hummm, e que delicia esse hamburguer!
    Bjos
    Léia

    ResponderEliminar
  55. Oiee Rute!!
    Atrasada de plantão na área!!!
    Tu achou mesmo que euzinha num ia falar de mim ainda mais nesta época...é ruim hein??!!!kkkkkkkk...
    A conversa tá boa....mas que receitinha q nada....eu quero um hamburguer com uma fanta laranja bem gelada ahhh e por favor bastante queijo!!!hehehehe.
    bjss♥e desculpe o atraso=D

    ResponderEliminar
  56. Meu comentário que falei do seu texto que lembra minha rebeldia também foi o que sumiu.Bela foto no alto!!!Acabei de comentar em todos os blogs e só me deram alegrias e boas lembranças.Bjs no coração.


    Minha participação está no blog Rumos Libertadores: http://rumoslibertadores.blogspot.com
    Comente e concorra a um livro pela loteria federal ,até o dia 28/05,A SUA ESCOLHA!!SE QUISER SEGUIR,POOOOOOOOOODE!!!!E EU AGRADEÇO!!!

    ResponderEliminar
  57. Olá Rute :o)
    .... vou transcrever o que coloquei no meu blog :o)
    .................................................................................
    "Rute ... Muito Obrigada pelo teu cuidado :o)
    já li teu post ... e irei ver os dos outros brevemente ...
    ... deu-me uma "branca" ..... e Perdoem todos os que comigo contam ...
    o engraçado, é que este "branco" pode ter a ver com "adolescência" :o)
    Beijinhos a ti e todos :o)"
    ...................................................
    ........
    acrescento agora, que não sei se irei fazer algo hoje ou amanhã, para dar resposta à "adolescência" .... é que, se o fizer, será por "conveniência" e não algo sentido .... preciso continuar esta "onda" de honestidade comigo ... e fazer este post é "forçar" ........ desculpa a possível "desilusão" ....
    ... já há dias, tinha lembrado, sim, de fazer algo, e foi "nada" aquilo que recordei :o) ..... nada !!!!!
    uma adolescente "zero" .... inexistente .... invisível ....
    Desculpa... desculpem .... :o( .......

    Abraço e Obrigada de Coração :o)
    .... O andamento desta Blogagem é Bem Bonito ... Parabésn a Todos :o)
    Isabel C.

    ResponderEliminar
  58. Olá Rute, obg pelo convite, mas o texto postado no blog não é de minha autoria, foi apenas um texto que recebi pela minha mãe por e-mail, então não tenho a liberdade de alterá-lo.

    Gostei do seu espaço, tenha uma ótima semana.

    Bjos

    ResponderEliminar
  59. Oi Rute. Adorei participar. Estou lendo todas as postagens e conhecendo pessoas maravilhosas. Encontro um pouquinho de mim em cada uma delas.

    Obrigada por me dar a chance de participar (atrasadinha).

    Abraços,

    Boa semana

    Elaine

    ResponderEliminar
  60. Rute,

    Sua foto quando adolescente é linda! Parece uma menina selvagem que sabe o que quer e personalidade brilhante. Depois a segunda foto, já mais calma, mas percebe-se em seu olhar a moça selvagem. A D O R E I!

    Parabéns por tudo!

    Elaine

    ResponderEliminar
  61. Gente hoje andei a lembrar as "esquecidas" por isso parei nas visitas e nas respostas aqui.

    Vou só esclarecer um equivoco:
    ELAINE,
    na 2ªfoto não sou eu. É minha mãe!
    Eu apenas estou na 1ªfoto.

    Beijinhos,
    Rute

    ResponderEliminar
  62. Você não voltou pra casa? :( Rute, na verdade tudo passa! Passam os rompantes e quando mais calmos entendemos que não basta dizer os caminhos, mas deixar que os caminhos sigam com pegadas reais! Tudo passa e vira aprendizado! Beijus,

    ResponderEliminar
  63. Rute,
    me impressionou como nossas histórias de adolescência são parecidas, mesmo havendo anos de diferença na vivência dela.Tbém sou filha de pais separados e sofria os mesmos atritos com minha mãe.Eu não tinha direitos, só deveres_ com mimos é claro, mas direta obediência ao quereres maternos.Achava que por serem separados, meus pais não queriam dar nenhum motivo à crítica do outro e eu no meio do fogo cruzado era levada para lá e pra cá.Mas isso não me tirou o entusiasmo de viver. Era atuante no colégio, fazia parte do grêmio estudantil, organizava bailinhos de garagem,peças de teatro amador e era oradora oficial do colégio.
    Paro por aqui, mas já vi contente, que temos muitas histórias para partilhar.
    Gostei da oportunidade de aqui ter chegado.Vou seguir junto.
    Bjinhos cariocas,
    Calu

    ResponderEliminar
  64. Gente amiga,
    terminei hoje as visitas. Penso que não falhei nenhuma. Se falhei, reclame por favor.

    Agora vamos às respostas aos comentários aqui (onde é que eu ia...):
    IRENE,
    muito agradecida pelas simpaticas palavras. Também gosto muito do que leio no seu blog sobre vc. Esta coletiva está repleta de pessoas lindas, por dentro e por fora. Vamos continuar juntas no caminho da descoberta.

    LUCINHA,
    Estou pra ver, você se entusiasmando por culinária... será que nos vai fazer uma surpresa e incluir uma receitinha na fase adulta?

    JOSY,
    deve ser por isso que nos damos bem. Ambas tinhamos "nariz empinado" em adolescentes. Coitados de nossos pais, hein! Não foi uma fase fácil para eles concerteza.

    DORA,
    é mesmo, todas são especiais. Ainda que se fique saudosa por recordar mas considero todas as fases muito especiais. Há que vivê-las com toda a intensidade e não ficar presa a nenhuma, querendo "fugir" à maturidade e ao envelhecimento.

    SANDRINHA,
    sim, até mesmo o meu irmão mais novo que agora tem 17 anos, tem a vida muito mais facilitada do que eu tive. Ser 1ºfilho também é mais complicado. O 1ºfilho doma os pais para os filhos seguintes :) Se for do mesmo calibre que eu, ah ah ah.

    GRAÇA,
    de fato o tratar por tu ou por vc, tem o seu impacto. Eu sempre tratei a minha mãe por tu e o meu pai por vc... Hoje em dia já nenhum filho trata os pais por vc pois não? Será que isso implica em menos ou mais respeito? Acho que não.

    VIRGINIA,
    a sua história é que é linda e motivadora. Um hino ao triunfo! À sobrevivência da selva da vida. Muito obrigada por ainda ter postado.

    CLAUDIA,
    então quer dizer que só as feias é que podem sair à rua???? ah ah ah
    Muito fixe a tua participação. Grande representação portuguesa nesta coletiva multinacional.

    RÔ (Orvalho),
    a cada fase, amo mais e mais esta coletiva.
    Que diversidade meu Deus, que partilha magnifica!
    Vamos até ao fim juntas e quem sabe até depois do fim :)

    Meninas,
    vou parar por aqui. Logo ou amanhã, volto para mais respostas, tá!
    A próxima fase já se encontra publicada. Vão espreitar.
    Beijos,
    Rute

    ResponderEliminar
  65. Ruteee, comadre alfacinha

    Muito obrigada pelo teu comentário, fez-me ficar com um sorriso de orelha a orelha! :))
    Aquela canção é o orgulho de qualquer lisboeta que se preze, e agora vai-me ficar no ouvido por uns tempos... :)
    Isto está a ser mesmo interessante, ainda me falta ver muitos blogs, mas vou vendo aos poucos.
    bjs

    ResponderEliminar
  66. Rute, sem tempo pra muita coisa, só hoje vim conhecer seu blog.
    E chego já conhecendo a menina/adolescente sabedora do que queria, que reivindicava sua liberdade.
    Tão diferente de mim!
    Hoje sou meio emburrada com muita coisa, justamente por nunca ter feito valer o que queria.
    Bom demais estar aqui.
    Abraços!

    ResponderEliminar
  67. Mais respostas (por ordem de comentários):
    AMEIXINHA,
    também é uma boa opção essa, participar com o teu testemunho em comentário. Gostei de saber da tua adolescência por aqui. O que vale é que sou uma pessoa muito liberar e gosto de inovações.
    Bom, mas para a próx fase já estás comprometida. Não escapas!!!

    LÉIA,
    então somos parecidas na "terribilidade" ah ah ah. Minha mãe também passou um bocadinho comigo, mas mesmo assim ainda diz que eu fui mais dócil e dedicada ao estudo que meu irmão. Ela passa a vida fazendo comparações. Umas vezes um é melhor, outras vezes é o outro! E serve-se de exemplos dum e doutro para mostrar o que está certo e o que está errado :)

    TEREZINHA,
    não achei não! Porque se tivesse achado que tuzinha não ia participar, não tinha ido lá sacudir teu blog!!! ah ah ah
    "Atrasada na área", adorei teu post :)

    ZILDA,
    é normal o comentário ter sumido. Basta vc estar comentando na mesma altura que outra pessoa e PUF!
    Também já me aconteceu, mas agora o que faço é copiar antes de submeter comentário.
    É já um hábito tão intrincado que já nem me dá trabalho. (jamais perder comentários destes ENORMES!)

    ISABEL C.,
    já te respondi lá no teu blog mas volto a repetir aqui: não tens de pedir desculpa. Por favor, mantém-te nessa onda de honestidade! Sou apoiante da liberdade de expressão e ação.

    GISLEY,
    obrigada pela resposta entregue em mão.
    Pena vc não participar connosco mas entendo isso de direitos de autor (claro!). Vê se se interessa pela próx fase (abertura de temporada já postada, dia 17).

    ELIANE,
    tudo certo. Mais vale atrasada do que não vir!
    Até já visitei seu espaço. Gostei muito do texto.

    LUMA,
    voltei para casa, sim. E após cada CHOQUE de gerações sempre tudo melhor e aumenta-se aprendizado como vc falou.

    CALU,
    vc hoje é caloira! Sangue novo na nossa coletiva!! Que bom que se sente engajada nesta roda de amigos. Seja muito bem vinda à BCFV. Contamos com vc nas próx fases. Adorei sua historinha do marido de 15 dias, ih ih ih.

    CLAUDIA,
    foste tu que me pegaste a canção do "cheira bem, cheira a lisboa", inconscientemente! Adorei o tour pela tua adolescência e pelo coração de Lisboa. Felizmente que ainda publicaste!!!

    LÚCIA,
    oiiiiiiiiiiiiiiiiiii!
    Que bom vê-la por aqui :)
    Já fui lá no seu espaço retribuir a visita e incentivá-la a participar na próx fase. Vai, entra na roda com a gente!!! Vc vai adorar compartilhar connosco, suas fases.

    Muitos beijinhos a todas.
    Grande carinho por vcs e por esta magnifica coletiva que não para de me surpreender.
    Meu coração sai sempre transbordando de amor universal após cada dia 15.
    Rute

    ResponderEliminar
  68. Obrigada Rute ... e a Todos por cá .... há uma energia bem especial depois do 15, sim :o)
    .... Com muito Carinho, Amiga :o)
    Abraço Apertado :o)
    Isabel ©

    ResponderEliminar
  69. Epá xD os limites são essenciais na adolescência, mas a adolescência é mesmo isso de argumentar e discutir até finalmente haver um consenso entre as duas partes, o que denota crescimento. Eu então era atritos com os dois ^^'

    A adolescência é realmente uma fase artística. Espero sinceramente não perder isto.. a faculdade parece ter o condão de me retirar as ideias todas! E o tempo também -.-

    Gostei imenso da tua história xD faz-me sentir que realmente ainda podia ter "abusado" um pouco mais eheheh, mas nunca fui de sair muito. E ainda hoje tenho de ligar ao meu pai a dizer que estou bem...

    Esse hamburguer tem um aspecto delicioso!

    beijinhos

    ResponderEliminar
  70. Rute...muito obrigada por te lembrares de mim e me relembrares as noticias do teu blog, mas quando fui ler e vi a 1ª foto, pensei:consigo saber quem é, sem ler o texto? (adoro fazer jogos destes comigo própria) É a Rute? Só pode ser, claro... e tão giraça que eras!!!!!! E ainda és, sem ofensa...mas mais madura como convém. Pois é, quem não foi irreverente e se opôs aos pais? Quem não sentiu, de uma forma ou de outra, a diferença de gerações? E agora que sou mãe de dois adolescentes, quem diz que não continua a haver o dito conflito? Cada vez mais acho que é Obrigatório, quase um padrão que faz parte duma etapa da vida. Se bem que não senti muito esse conflito na minha adolescencia e juventude...mas isso dava outro comentário ou artigo, e isso fica para depois.
    Beijos grandes
    Paula P.

    ResponderEliminar
  71. Querida Rute,
    Creio que eu seja indomável até hoje!
    bela participação,estou meio atrasada com as visitas,peço-lhe desculpas.
    Um abraço cheio de boas energias!
    Mari

    ResponderEliminar
  72. ISABEL C.,
    também sinto essa energia especial após o dia 15. Por isso queria envolver-te nesta energia una.

    MARTA,
    concordo absolutamente, saber discutir partindo da contestação, leva ao crescimento de ambas as partes. És uma iluminada, rapariga!

    PAULA,
    gostei dessa "regra-padrão": é obrigatório viver a adolescência! A-POI-A-DO!
    Aliás, é obrigatório viver todas as fases na sua plenitude. Nada de viver a adolescência na meia-idade, ou a "velhice" na juventude! Gosto destes trocadilhos que dizem muito mais do que nós pensamos.

    MARI AMORIM,
    também sou indomável até hoje. Amigos que leram este texto e não comentaram aqui, referiram-me isso mesmo: continuas assim.

    Beijos a todas.
    Rute

    ResponderEliminar
  73. Eu sempre tive que me impor muito, e sempre taxada de ingrata. Pra todo lugar tinha que ir com eles debaixo das asas rs... Mas agora casada e mãe, sei como é, é amor que se preocupa, né?
    Abraço e muita paz!

    ResponderEliminar
  74. MERI,
    é isso aí, amor que se preocupa e que teme o mundo fora do lar.
    Eu também superprotejo minha filha.
    Abraço e muita paz pra vc também.
    Rute

    ResponderEliminar
  75. Rute amada,

    Agora minha internet já está instalada, minha casa está “quase” em ordem e estou de volta, para desfrutar da Energia Maravilhosa de todas as pessoas especiais que conheci neste mundo virtual, inclusive a sua...que é de muita LUZ!

    Querida, quero lhe agradecer do fundo do meu coração pelas palavras deixadas em meu espaço, fiquei muuuuito emocionada, e podes ter certeza que recebi seu carinhoso abraço, que me confortou a ALMA!!!

    Em primeiro lugar, acho que vou dar um pouco de razão para seus pais por ter tantos cuidados com você, estou vendo sua foto e menina do céu, você nunca pensou em ser miss?
    Linda, linda!!!!

    Acredito que na adolescência procuramos nossa identidade, e quando somos barrados em nossas buscas a frustração é grande.
    E como ainda estamos florescendo nesta Fase, qualquer atitude que nos seja imposta, se torna o Maior dos Problemas do Mundo(esta é a cabeça de adolescente né!).
    Nossos pais já foram adolescentes, e também passaram por períodos difíceis: de autoritarismos, imposições, intolerâncias e repressões de seus sentimentos.
    E assim sucessivamente....os pais dos nossos pais, nossos bisavôs, tataravôs.....
    E o ser humano é assim, nunca quer que um ente querido passe por tudo que ele passou.
    E de certa forma "na visão deles" querendo proteger e não deixar os filhos sofrerem, sempre prometem "para sí mesmos" que farão diferente com seus filhos(sem saber que inconscientemente, repetem os mesmos passos dos pais).
    E é difícil julgar, porque qual será o pai e a mãe que vai deixar que seu filho quebre a cara, sofra, etc....para crescer e amadurecer.
    "Mas deveria ser assim."

    Mas, independente de tudo que falei, é a melhor Fase da Vida, porque até os conflitos e confrontos que temos com nossos Pais, ficam guardados na nossa memória.
    Só não podemos guardar mágoas em nosso coração(pois estaremos prejudicando Nós mesmos).
    Mas guardar momentos que começamos a deixar marcada a nossa personalidade!!!
    Adorei conhecer mais este lado seu minha querida, que desde adolescente mostrou para que veio, deixando sua Forte Marca.

    Um grandíssimo beijo em seu coração!!!

    ResponderEliminar
  76. Oi querida Lú,

    só agora vi seu comentário porque vim incluir uma última participação, muito especial da Luma.
    Dê uma olhada...

    Que bom que agora, vc vai estar connosco mais assiduamente. Sua internet está de volta e nós lucramos com isso. A saudade já era ENORME!

    Quanto ao ser Miss...ah ah ah. Eu acho que quis ser tudo nesta vida. Provavelmente terá passado sim por querer ser Miss Portugal, ser Modelo, ser Marilyn Monroe, "La femme fatale", ah ah ah. Presunção e água benta, cada um toma a que quer, não é verdade?

    Obrigada por todas as suas, carinhosas, palavras.
    A BCFV está sendo muito importante para nos conhecermos e nos unirmos.
    Beijo em seu coração,
    Rute

    ResponderEliminar