07 maio 2011

CHICLÉ NA TEIA AMBIENTAL


«E como tudo
o que é coisa que promete
A gente vê
como uma chiclete
Que se prova,
mastiga e deita fora,
SEM DEMORA
Como esta música que é
produto acabado
Da sociedade
DE CONSUMO IMEDIATO
Como tudo o que se promete nesta vida,
CHICLETE!
aua aua aua aua aua ah!
Chiclete (prova)
Chiclete (mastiga)
Chiclete (deita fora)
Chiclete (sem demora) (x...) »


Continuando no seguimento dos temas da BCFV, entramos na ADOLESCÊNCIA, desta vez dentro do contexto Teia Ambiental. A abrir a postagem de hoje, pop-rock português, da década de 80, ou seja, da minha adolescência!

O tema tem raizes em várias décadas, não é exclusivo de nenhuma em especial. A chiclete e a sociedade de consumo imediato são um gravissimo problema ambiental. Mascar uma chiclé não é, apenas, dar aquele ar de irreverente, tipico dos adolescentes. Alargou-se de tal modo o uso que muitos adultos, por exemplo, comem pastilhas para lavar os dentes quando estão fora de casa, para diminuir stress e ansiedade, para deixar de fumar, combater mau hálito,...

E pasme-se! A chiclé tem beneficios! Mastigar, fortalece os músculos da face, evita rugas, é indicado como exercicio em terapia da fala, estimula produção de saliva, combate placa dentária e! e e e e e... ajuda a perder peso!!!!

Por tudo isso e por tudo mais que sirva de pretexto ao consumo de pastilhas elásticas (importante, sem açúcar), alimenta-se uma industria poluidora, que produz um produto à base de borracha e corantes, com dupla e tripla embalagem, que se prova, mastiga, deita fora, sem demora. Como todo produto acabado, supérfluo, de consumo imediato!

Credo!! Cantei tanto esta música dos Taxi e nunca refleti sobre a mensagem implicita!!! Comi tanta chiclé, concorri a tantos balões perfeitos de liberdade para o ar, joguei tanta pastilha mastigada fora (nunca no chão!) e só agora é que me questiono??

Em Portugal não se ouve falar do problema das Bubble Gums. Mas na América e no Reino Unido dizem que são uma praga, séria e preocupante. Daí que surgiu a reciclagem de pastilhas elásticas, começando pela colocação de Bubble Gum Bins pelas cidades. O objetivo é aliciar as pessoas a depositarem as pastilhas usadas no contentor. Desta forma, dizem os governos, poupar dinheiro dos impostos que antes era gasto na remoção das pastilhas em passeios, estradas, paredes de edificios e mobiliário urbano! Mais ainda, evita a desinfeção desses locais com produtos quimicos altamente abrasivos, prejudiciais ao ambiente.

A Bubble Gum Recycling, anda na boca do povo. A consciência das consequências, do inocente mascar de chiclé, alarga-se... ninguém antes pensou que uma pastilha mastigada contém saliva... através da saliva transmitem-se "n" doenças. É comum ver cães ou outros animais citadinos, inclusive os microscopicos que ninguém vê, serem atraidos pelo cheiro a morango, pelo doce ainda latente após mastigação, coladas nos bancos de jardim, ou pisada por um sapato e trazidas para casa...

Mas a arte de consciêncializar não passa só pela música, pelos versos, pela propaganda. Há também quem aproveite a onda bubble gum para se expressar através da arte plástica contemporânea. Simone Decker em 1999 fez de Veneza uma galeria de exposições, ver mais fotos deste trabalho CHEWING VENICE (aqui).

Gostaria de continuar a dissertar sobre o tema, mas o post já vai longo e este tem também de ser um produto de consumo imediato, caso contrário ninguém lê! Portanto termino assim a corte de foice, com a produção caseira de sugus de morango. Chicletes, ainda não fiz cá em casa. Gomas sim, mas não publiquei. Os sugus caseiros são muito simples, basta desidratar colheradas de iogurte de morango (ou de outro sabor). Depois de seco o iogurte espalmado pode ser enrolado ou dobrado. É muito saboroso e não contém borracha!!!


RESTANTES CONSPIRADORES PERSERVACIONISTAS DA TEIA:
AromaDeCafé
EssênciaEstrelarMaia
BlogDoHermes
DivinaProfissão
CozinhandoComJosy
ConversasCartomanticas
Espiritual-Idade
Espiritual-Poesia
Lar Encantado
ConhecerKardec
FloraDaSerra
AlmaMater
DocesTentaçõesDaHannah
AlgunsVersinhos
GotinhasDeLuz
HistorinhasDaVozinha
CocoCrú
Natureza...Lindaaaaaa!!!!

32 comentários:

  1. Ótimo o seu tema amiga, além de tudo não sei se vc já ouviu falar, mas ele pode também colar nos pelos dos animais, gatos, cães e outros,mas o mais grave, é o efeito devastador para os nossos pássaros, que acreditando ser um alimento, tentam ingeri-lo, o chiclete cola em seus bicos, matando-os por asfixia...isto é terrível! A uns 6 meses atrás ouvi falar nisso, eu não masco chiclete, mas qdo vejo as pessoas jogando no chão, penso logo nisso. Fazer o que né. Gostei muito desse sugus de iougurte, não sabia que desitratando conseguiria umas gominhas hehe...bom saber...bjos amiga bom final de semana pra vc

    ResponderEliminar
  2. Chiclete à parte (adorei o teu post e a foto Gum drop-off) esses rolinho s de sugus deixam-me água na boca ;D

    Bjocas grandes

    ResponderEliminar
  3. Olá, Rute!Que postagem legal!Da hora, mesmo!(usando linguagem da minha adolêscencia anos 80, he, he, he),mas chamaste a atenção para uma questão importante, porque as chicletes sujam mesmo tudo, são uma praga. Estava a conversar, no outro dia, com uma cunhada minha, que infelizmente ficou cega e está a aprender a movimentar-se e uma das coisas que incomodavam-na a andar nas ruas urbanas é pensar que poderia pisar numa chiclete, ou numa caca de cão...Será que as pessoas não pensam nos outros quando atiram lixo para o chão, ou levam o Bobi para passear... Mas enfim, mesmo assim acho que já foi pior...embora a questão dos Bobi, acho que piorou, pelo menos na minha cidade. Gostei muito dos sugus de iogurte, nunca imaginei que pudéssemos desidratar iogurtes, e engraçado também fiz uma guloseima, parece que combinamos.Vou ver as outras mensagens.
    Beijinhos verdes

    ResponderEliminar
  4. Olá Rute
    Acredita que não aprecio, não mastigo e detesto ver quem mastiga as ditas cujas, fico enojada quando as vejo coladas em sitios menos próprios, quanto á poluição acredito que seja verdade e dos animais também já tinha ouvido, inclusivé que os passarinhos morrem com elas coladas no bico, pois acho muito bem que se arranje maneiras de as reciclar e principalmente de obrigar quem as mastiga a pelo menos ser educado e não as deitar para o chão, noutros paises quem as deitar fora paga multa, só que até isso chegar aqui, morremos todos intoxicados :-)
    Parabens pela postagem, uma ideia muito interessante :-)

    ResponderEliminar
  5. Olá, andei muito sumido daqui, mas é pq as coisas andam numa correria danada, mas ainda assim, sempre que vejo esse blog ele trás coisas bem legais - meus parabéns ^^

    Gostei muito do post, me senti até mais tranquilo já que ñ masco chiclete há vários anos - e nem sinto falta :]

    espero que tenha gostado do meu post - quis fazer apenas um questionamento ao leitor:

    http://blog-do-hermes.blogspot.com/2011/05/teia-ambiental-hora-do-planeta-funciona.html

    abraços do Brasil o/

    ResponderEliminar
  6. rs...muito legal!Quando criança eu amava chicletes, principalmente para colar no cabelo do(a) coleguinha que estivesse sentado(a) à minha frente.Geralmente colava nas pontas para que não sentisse a minha mão e para não ficar careca...rs.Colaram muitos no meu...rs.Adulta, passei a achar que ficamos parecendo um ruminante..rs.Ouvi dizer que a mastigação contínua libera dopamina.Bjs, obrigada pela visita e um lindo e abençoado Dia das Mães pra você e os seus entes queridos.Paz!

    ResponderEliminar
  7. Rute, outro dia vi uma reportagem na TV que sai cerca de R$ 3 mil dos cofres públicos da nossa cidade de São Paulo para limpar os chicletes de uma calçada. Ou seja, dinheiro que poderia ser destinado a outras coisas é usado na limpeza pública simplesmente porque as pessoas não "conseguem" jogar o chiclete no lixo. É revoltante.
    Mas, mudando de assunto, achei o máximo esses sugus! Nem imaginava que poderia fazer isso com o iogurte, sempre aprendo com teu blog :-)
    Beijos!

    ResponderEliminar
  8. Também vi a reportagem que a Adri mencionou. Incrível o estrago ao meio ambiente e ao bolso do consumidor.
    Desidratar iogurte? Essa é novidade pra mim! Tinha que ser você a mostrar-nos. E ficam interessantes.
    O desidratador é solar?
    Gostei da junção da BCFV com a Teia. É um hábito bem típico de adolescentes mascar chicletes.
    A partir de amanhã vou deixar lembretes sobre a coletiva.
    Bjs.

    ResponderEliminar
  9. Oi Rute, obrigada pela visita. Estou gostando muito de fazer parte da Teia Ambiental. Este assunto que você abordou é muito interessante, pois quase não nos damos conta do que consumimos.

    Tenho um email sobre pássaros que morrem ao consumirem chicletes jogados pelo chão. Vou te passar,

    Abraços,

    Elaine

    ResponderEliminar
  10. Oi menina: Você pode divulgar os meus links de participação na blogagem? Se puderes, são:
    http://divinaprofissao.blogspot.com/
    http://algunsversinhos.blogspot.com/
    http://gotinhasdeluz.blogspot.com/
    http://historinhasdavozinha.blogspot.com/

    Obrigada!

    ResponderEliminar
  11. Rute, fiquei chocada com essa informação. Quantas coisas q as vezea passam batido e q fazemos sem consciencia. A teia está sendo importante para mim, tenho descoberto coisas q me levam a rever minhas ações.
    Estou na teia também. Falo sobre a ação de uma pessoa de minha cidade. Até dia 15. Muita paz!

    ResponderEliminar
  12. Oi, Rute:

    Hoje é meu dia de trabalho na loja e, apesar de já ter o texto pronto, demorei para publicar, pois meu querido computador está cada dia mais enfraquecido e complicado... Não vou poder colocar o link dos participantes, pois não posso mais mexer na postagem.

    Mas vamos à sua criativa postagem:

    Sempre ouvi dizer que quando mascamos chiclete, nosso organismo se prepara para receber o alimento resultante da mastigação e, quando esse alimento não existe, o processo fica comprometido, causando danos ao aparelho digestivo ! Agora estão apresentando tantas vantagens no uso do chiclete...
    Como já tenho mania de "teoria da conspiração", estou pensando: quem estará ganhando com o uso de tanto chiclete ?

    Quando eu era criança, lá pelos anos 50 (!!!), também gostava de chiclete, mas minha mãe não deixava usar. Existia também o "enorme perigo de se engolir a borracha"...
    Em jovem, usei, mas com parcimônia, e, quando virei adulto e tive filhos, fui rígida na proibição.

    Mas nunca imaginei o problema ambiental (mais um...) que o chiclete causa !!!

    Gostei da postagem - como sempre ! Ótimas informações.
    Sempre reforçando nossa Teia Ambiental !

    Beijos ecológicos.

    ResponderEliminar
  13. Amigas/os,
    obrigada pelas vossas participações e comentários. No sitio onde estou hoje não consigo atualizar a lista de participações pois meu blogspot reage mal ao internet explorar mas amanhã, no meu pc que utiliza mozilla firefox, prometo que faço.
    Beijinhos,
    Rute

    ResponderEliminar
  14. Rute querida,

    Que Saudades!!!
    Entrei na internet para postar minha participação na nossa querida e importante "Teia Ambiental" e vim te visitar.
    Continuarei ausente por mais alguns dias(estou arrumando as coisas ainda), mas logo estarei de volta.

    Puxa vida, que tema muito bem colocado e criativo.
    Não percebemos o quanto esta pequena massa, causa GRANDES e graves problemas.
    Eu particularmente nunca gostei de chicletes, e quando uma pessoa está na minha frente mascando sempre procuro uma forma de me afastar, pois acho muito desagradável.
    Meus filhos não consomem, mas nunca impus isto á eles.
    Apenas expliquei todo o mal que ele causa ao nosso organismo.
    É bem o que nossa querida Flora disse: Quando comemos um alimento, nosso estômago produz suco gástrico para poder auxiliar o processo de digestão.
    E quando estamos mascando o chiclete, este suco gástrico já se prepara para receber o alimento que virá, mas é lógico que não vem nada e cada mastigada é sempre uma preparação deste suco.
    Imagine uma pessoa que vive 24 horas com um chiclete na boca, futuramente será um grande paciente para tratamento digestivo.
    Fora todos os problemas de limpeza pública e todo mal que causa aos animais e aves.
    Enfim, concordo novamente com nossa querida Flora: deve haver muita gente ganhando com isto.
    Parabéns pela postagem querida.

    Que seus dias sejam muito abençoados.
    Um grande beijo em seu coração e até breve!

    ResponderEliminar
  15. Bom dia a todas,
    aqui estou eu para vos responder:

    JOSY,
    também já não masco pastilha há "séculos"!! E minha filha também não. Mas tive um tempo que gostava bastante de chiclete. Confesso!
    Quanto aos passarinhos não sabia não. Coitadinhos.

    ISA,
    que bom ver-te por aqui. Quando é que nos dás o prazer duma participação tua na Teia Ambiental?

    LINA,
    realmente os comentários às postagens são muito importantes. Nunca tinha pensado no problema dos cegos... Mas faz todo o sentido, pois se as pastilhas e os cocos dos cães já são um problema para quem vê, imagina para quem não vê!!!

    ALCINA,
    lembro-me da minha prima que era imigrante na Alemanha, contar-me que por lá as pessoas eram multadas por deitares seja o que for para o chão, até papeis ou cigarros. Não custa nada ser civilizado não é? Mas há quem só lá vá com multas às costas.

    VITOR,
    gostei muito do seu post. Vc é muito eloquente e provocador. Gosto bastante da sua forma de escrever e se expressar.
    Que bom que vc gosta de vir aqui no PPP. Não interessa a frequência das visitas mas a qualidade da interação. Obrigada.

    SONINHA,
    boa prespetiva essa de "parecemos um ruminante" ah ah ah. Agora essa de fazer maldades ao coleguinha é ruim... Uma vez, nem sei como, fiquei com uma chiclete presa no cabelo e foi terrivel para tirar. Só cortando mesmo! E eu tenho cabelo comprido (veja o trauma!).

    DENISE,
    o alargamento da Teia também tem sido muito importante para mim pois permite uma diversidade maior e mais consciencializadora.

    FLORA,
    quando estáva terminando o post lembrei dum gelado que tem pedacinhos de pastilha de morango misturado. Noutro dia comprei para experimentar e é mesmo pastilha, no fim, os pedacinhos todos juntos na boca dão para mascar... Agora veja a quantidade de crianças que adora esse gelado e que em vez de juntar os pedacinhos na boca, engole junto com o gelado!!
    Minha mãe sempre me disse para não engolir pastilha que fazia mal...imagina borracha no estomago e nos intestinos...

    LÚ,
    verdade, que saudades de vc!
    Quanto à pastilha, mascar faz gastar calorias dai o perder-se peso. Mas até que ponto o suco gástico prejudicará o organismo?? Mais ou menos que o tabaco, que os compridos para emagrecer, que os elixires para o mau hábito...
    Dáva outro post de reflexão! Este foi só para dar a conhecer a problematica da pastilha!

    Beijinhos a todas/os.
    Muito grata pela participação em post e em comentario.
    Rute

    ResponderEliminar
  16. Ai gente me desculpem,
    saltei aqui umas meninas pelo meio...

    ADRI e GINA,
    não vi essa reportagem que vcs falam mas imagino o quanto vcs não ficaram preplexas com isso!
    O mesmo se passa com o dinheiro que a perfeitura gasta com a limpeza de graffitis ou até mesmo com a comparticipação de medicamentos e seringas para toxicodependentes.
    Seria tudo mais facil se as pessoas tivessem uma conduta civilizada e consciente. Gasta-se muito dinheiro desnecessário se as pessoas não sujassem, não estragassem a propriedade comum. Inclusive se cuidassem de si e da sua alimentação para que o estado não tivesse de comparticipar com dinheiro dos impostos, os medicamentos para a obesidade, colesterol, diabetes, etc... Todos nós pagamos o preço dos erros proprios e alheios! Essa é que é essa!

    ELAINE,
    deixei no seu blog, meu email. Quero muito ver esse email sobre os passarinhos coitadinhos.
    Obrigada.

    Beijinhos.
    Rute

    ResponderEliminar
  17. Estes dias vi uma grandessíssima badalhoca a atirar pela janela do carro um papel de chiclet. Fiquei logo possuída, ainda por cima uma gaja nova... devia ter mais consciência ambiental. E se atirou o papel para o chão também deve atirar a chiclet. Estas coisas enervam-me e entristecem-me. Agora não sabia que se faziam sugos assim, muito fixe :)

    ResponderEliminar
  18. Dear, de momento, não se me atravessa nenhuma informação tão interessante como esta questão das pastilhas, por isso fica o link no meu post para o teu blog - este verdadeiro poço de conhecimento!
    Quando a disponibilidade me bater à porta, tudo será diferente... :)
    Beijókas elásticas***

    ResponderEliminar
  19. eheh, essa música dos Táxi já tem barbas, e por acaso é uma música que sempre me irritou um bocado :))
    (Se bem que realmente tem uma mensagem a considerar.)
    Mas ainda muito mais me irritam as centenas de pastilhas agarradas ao chão, no metro, nos passeios, nos parques de estacionamento, enfim, um pouco por todo o lado. Aquela peçonha agarra-se ali ao chão e depois é super difícil de tirar. Não fazia ideia que havia receptáculos para elas, isso é muito bom. Um dia destes a Carolina leu qualquer coisa sobre a composição das pastilhas e ficou horrorizada, acho que não vai querer mais... :)
    Desta vez não tive oportunidade de participar, vamos ver na próxima. Bem me lembrei de ti ontem, em Sintra, no meio de todo aquele verdinho e num sítio onde dá gosto comungar com o meio ambiente! :)
    bjs

    ResponderEliminar
  20. Minha querida, Rute:
    Já percebeste que tudo que um dia foi um hábito inocente ou chic, se transformou em perigo para o homem e para o planeta?
    O inocente chiclete da Adams, sabor hortelã, era mascado por mim como coisa de jovem pra frente. O cigarro era fumado com classe, para me dar pose de artista de cinema. Os balões eram postos no céu sem medo de ser feliz. Os hot-dogs ou os big macs faziam a festa da rapaziada do meu tempo e do tempo dos meus filhos.
    E como diz na música do Roberto Carlos, hoje, nos tempos modernos, viemos a descobrir que tudo isso é ilegal, imoral ou engorda.
    Já diziam nossos avós que "tudo que é de mais faz mal". E nós estamos numa época em que tudo só é considerado bom se for demais.
    A Teia foi criada para conter os excessos, e eu acho que, ao menos, temos denunciado exageros que estão causando males ao planeta. Se vamos obter êxito em nossas denúncias vai depender de cada um de nós, sair da palavra à ação.
    Esses chiclés ou chicletes, como dizemos nós brasileiros, são um hábito ou vício que devem ser repensados com urgência pelos usuários.

    Uma denúncia surpreendente, minha amiga, esta tua, da poluição da natureza por chiclés. Nós, ambientalistas, estamos sempre a surpreender.
    Meus parabéns!
    Um abraço ecológico.
    Gilberto.

    ResponderEliminar
  21. Oi querida
    Muito interessante a forma como tratou deste assunto. Eu sempre odiei quando encontrava os taischicletes presos nas cadeiras de cinema, principalmente.
    Eu hoje os utilizo em viagens de avião para mnão ter dor no ouvido.
    Adorei a dica do iogurte.

    Que seu dia tenha sido muito agradável.
    bjs

    ResponderEliminar
  22. Como sempre amiga arrasaste!!! Um post cheio de informação útil!! Deixa lá nessa altura fazia o mesmo que tu, comia tanta chiclete!! Engraçado que também nunca deitava para o chão.

    Eu era fã de sugos, ainda hoje, compro de vez em quando para matar saudades!! Os teus caseiros são bem melhores.

    Bjs

    ResponderEliminar
  23. Rite querida como regras são regras, vim te avisar que tem um mimo pra vc lá no meu blog, como tem muitas amigas que não gostam, sinta-se a vontade pra levar ou não ta? O que importa é a amizade não é mesmo? Tenha um lindo dia e uma ótima semana...bjocas

    ResponderEliminar
  24. Rute querida é evidente que não vou lhe levar a mal. Fique tranquila qto a isso, assim como vc muitas amigas tem receio por causa de vírus e com razão, o que importa é a amizade, essa sim, não tem preço. Fico feliz que gostou de ser lembrada, isso já me basta, pois vc é muito querida...Uma ótima semana pra vc e familia...bjocas

    ResponderEliminar
  25. Olá a todos,
    é tão bom vê-los por cá.

    AMEIXINHA,
    esse episódio que referiste, lembrou-me uma vez em que estáva eu à espera do comboio quando vi uma senhora a comer rebuçados e a deitar os papelinhos para o chão. Ao 1ºpapelinho, estremeci. Ao 2ºpapelinho levantei-me e apanhei os 2 papeis à frente dela, colocando-os no lixo. Ao 3ºpapelinho (já de provocação), voltei a levantar-me, apanhar e deitar no lixo. Ao 4ºpapelinho a senhora tomou consciência!

    MARYZITA,
    ok, respeito o teu bloqueio. Para a próxima talvez já estejas inspirada.

    CLAUDIA,
    já é bom lembrareste de mim quando vês natureza verdinha :) Para a próxima pode ser que acompanhes a caravana.

    GILBERTO,
    já percebi já! Que tudo o que fazemos prejudica o ambiente e contribui para a deteriorização do planeta, da nossa casa permanente.
    Há que ponderar e retificar muito bem nossos excessos.

    NORMA,
    também não entendo porque as pessoas fazem esses atos de vandalismo!? Nunca tal coisa me aconteceu...pastilha colada em cadeira de cinema, rsss.

    SANDRINHA,
    por acaso é a mais pura verdade. Nunca deitei chiclete para o chão. Geralmente enrolava a pastilha num pedacinho de papel para depois deitar no lixo.

    JOSY,
    obrigada minha querida pelo selinho de amizade.
    Já fui lá espreitar e deixar meu agradecimento. Também gosto muito de vc.

    Beijinhos a todos,
    boa semana de trabalho e criatividade.
    Encontramo-nos por aí, entre um post e outro,
    Rute

    ResponderEliminar
  26. Já mastiguei bem mais pastilhas do que agora xD agora só quando me dão. Até pode ser que ajudem a emagrecer mas a mim só me dão fome :x

    Vou é tentar fazer os sugos mas no forno, a ver se dá xD

    ResponderEliminar
  27. Chiclete mascado e bituca de cigarro, ninguém merece.
    Abraços!

    ResponderEliminar
  28. Rute!
    Olha lá, também funciona desidratar os iogurtes de soja?
    Pois cá estás tu com um artigo ótimo! Sempre me fez a maior das impressões ver chicletes e piriscas de cigarros no chão. E já agora, papéis também! Creio que nessa área alguma coisa melhorou de quando eu era criança para cá. Mesmo o "mascanço". O meu filho não "masca" chicletes e mesmo as minhas mais velhas, muito pouco. Pode ser que isto mude!

    Olha, foste tão querida com o teu comentário lá no Pés Na Relva! Muito obrigada! Também adorei estar contigo. Devia era ser ainda um pouco mais! Já te respondi (lá, ao teu comentário...)

    Muitos beijinhos e até breve, esperemos... :)
    Isabel

    ResponderEliminar
  29. Oi gente!

    MARTA,
    concordo contigo, mastigar em seco dá fome!!!! Mas se calhar há pessoas que têm "raivinha" nos dentes e que em vez de estarem sempre a comer, enganam a raivinha com a pastilha (digo eu! sei lá).
    Quanto ao desidratar no forno, dá, a 40º e de porta semi-aberta.

    EMANUEL,
    ninguém merece mas acontece, dai o papel dos "conspiradores perservacionistas": Alertar! Alertar! Consciencializar!

    ISABEL M.
    o iogurte da foto é de soja.
    Também acho que as ruas estão mais limpas atualmente mas não porque as pessoas poluam menos, mas sim porque os serviços municipais fartam-se de trabalhar.

    Beijinhos a todos.
    Obrigada pela visita, comentario e carinho.
    Rute

    ResponderEliminar
  30. Ups, fui voltar a ver a foto e disse: bem me parecia que não dava para ver se o iogurte era de soja..., mas só agora é que vi que tinhas escrito em baixo e sublinhado "sugus de iogurte de soja"! Onde é que andas, cabecinha?!!!
    Gracias!
    Muitos beijinhos
    Isabel

    ResponderEliminar
  31. Oi Rute
    tudo bem, querida?

    quem é vivo sempre aparece!

    me delicio com seu site e no meu caderno de receitas, seu nome aparece algumas vezes rsrsrs

    A conclusão que sempre chego é que podemos usufruir do desenvolvimento, usando apenas o suficiente e sabendo reutilizar cada resíduo que sobrou.

    Adorei saber dos benefícios do chiclete hihihih

    beijinhos verdinhos

    ResponderEliminar
  32. ISABEL M.,
    andas com o hiperfoco estragado. Às vezes também me acontece o mesmo :)

    RENATA,
    há quantos séculos menina!!!!
    Que bom voltar a vê-la por aqui. Será que este mês o Dicas Green participa na Teia a dia 16 ou a dia 25?
    Tomara!!!

    Beijinhos verdinhos para ambas.
    Rute

    ResponderEliminar