28 julho 2011

SLOW FOOD - DA SEMENTE À SEMENTE - MOSTARDA

As minhas experiências não se ficam só pela cozinha, volta e meia saltam para a horta de varanda como teste de futuras experiências no terreno da aldeia.
As imagens que aparecem nesta postagem podem ser encontradas em qualquer livro de agricultura. Elas falam do ciclo de vida das sementes da Mostarda. Mas esse ciclo em particular foi vivenciado por mim e toda a experiência que se vivência jamais é esquecida. Constitui um aprendizado consistente.
Deveria se ensinar assim nas escolas...(digo eu!).

Daqui por diante, tanto eu quanto a minha filha jamais poderemos responder à questão:

De onde vem a Mostarda? Com a resposta inocente: - Da prateleira do Supermercado :)

Recordo certa vez, quando garota, ao sair de casa para ir para a escola, mesmo à porta do prédio onde morava, ouvir um barulho estranho no ar, olhar para cima e visualizar um helicóptero (uau!). Se curiosidade matasse, eu cairia redonda no chão!
Como é que aquilo voa?!!

Já tinha visto aviões cruzarem os céus de nossa casa, mas eram tão rápidos e lineares no seu vôo que podiam até, terem sido impulsionados por uma mola.
Não tinham muito interesse... Agora um helicóptero (uau!). Ele direccionada para onde queria ir, subia, descia, com calma...(uau!).
Voltei para trás, sentei nas escadas e aí fiquei um tempão tentado perceber como aquelas asas rotativas permitiam a direcção... Resultado, cheguei atrasada à escola e durante as aulas "viajei" sem permissão :)

Tudo isto para dizer que não sei como as pessoas não são mais curiosas e audaciosas. Eu quero conhecer tudo! Experimentar tudo! Vivênciar tudo! Compartilhar tudo! Saber a origem, a evolução e o ciclo que se renova em cada espiral de energia.
As fotos apresentadas foram tiradas por mim, desde a semente, às folhinhas, às flores e de novo à semente.
Assim é na Mostarda, conforme é no Amor :) Semear para colher e tornar a semear para crescer.

ARTIGOS RELACIONADOS:
Condimento de Mostarda Caseira e Biológica
Salada de Folhas de Mostarda Biológica
Slow Food - Beringelas da Horta de Varanda
Slow Food - Espinafres da Horta de Varanda
Saladinha com Flores Comestíveis Caseiras

18 comentários:

  1. as coisas que aprendo contigo amiga....bjokinhass

    ResponderEliminar
  2. Eu repito uau!!!
    Como é bom aprender, aprender...e seguir os passos..
    Paz e bem

    ResponderEliminar
  3. Certíssima Rute,experimentar, vivenciar, observar e aprender é ciclo vital de crescimento pessoal e cognitivo.
    Que curioso esse ciclo da mostarda.Eu não o conhecia, mas por falha minha, porque adoro mostarda.
    Agora, tenho mais tempo de cuidar do meu jardim, já estou começando a me dedicar.Estou com planos de fazer uma hortinha básica.
    E, falando de planejamentos,adorei saber de teu livro, menina.Que notícia boa!Quero saber mais sobre ele, viu?
    Bjinhos brazucas,
    Calu

    ResponderEliminar
  4. Utilizando as palavras da Belinhagulosa. As coisas que aprendo contigo.
    Bjs

    ResponderEliminar
  5. Vc tem toda razão Rute querida, isso tudo o que vc disse deveria ser ensinado nas escolas, mas como não é, devemos ensinar nossos filhos e netos, ensinar por exemplo a mexer com a terra, plantar nossos alimentos e darem valor as maravilhas que vem de Deus. Meu pai já dizia: Se plantando, tudo dá. E esta ai, seu post, maravilhoso, mostrando cada fase dessa plantinha que todos conhecemos por mostarda. Vivendo e aprendendo amiga querida. Belo texto....beijinhos

    ResponderEliminar
  6. O blog http://conhecerkardec.blogspot.com completa 1 ano de existência dia 30/7. Deixei para vc selinho comemorativo no blog. Faça uma visitinha. Muita paz!

    ResponderEliminar
  7. Eu também sinto esse desejo intenso de tudo pesquisar e conhecer, porém com menos intensidade.

    E, no que se refere à flora, o campo é vastíssimo, rico e excitante. Acompanhar o nascimento e crescimento de uma planta é algo emocionante.

    Beijo

    ResponderEliminar
  8. Olá, Rutinha!

    "Devia ensinar-se assim nas escolas" _ dizes tu e digo eu! Ou aprenderem assim, em ensino doméstico, no nosso caso! :) É mesmo essa a filosofia do unschooling ;)

    Muitos beijinhos e boas "aprendizagens"!
    Até breve, amiga
    Isabel

    ResponderEliminar
  9. Que legal amiga, essa experiência deve ter sido muito gratificante, ver a planta nascer, crescer e
    por fim colher seu fruto.
    Adoro mostarda e gostei muito de tudo que você nos passou.

    Que bom que gostaste das receitas com soja, vou pensar com carinho na dica do tofu pois gosto bastante e até então só consumi ao natural, vou procurar receitinhas, que sabe não surge aí outra semana temática.

    Agradeço o carinho e atenção de sempre, você é muito especial!

    Um excelente fim de semana para você!

    Bjuss!!!

    ResponderEliminar
  10. Olá

    Eu sou Kinha do blog AMIGA DA MODA e vim conhecê-la.
    Seu blog é lindo e interessante e por isto já estou te seguindo. Vou aguardar a sua visita e ficarei feliz se me seguir também.

    QUER GANHAR UMA JOIA? A designer Eliana Colognese criou um belíssimo anel e gostaríamos muito de contar com a sua participação.

    Bjooooooooooo...................
    http://amigadamoda.blogspot.com

    ResponderEliminar
  11. Olá queridas visitas,
    muito grata por recebê-las aqui.
    Não tenho respondido neste espaço mas tenho visitado vocês nos vossos cantinhos, conforme já devem ter reparado.

    KINHA,
    gostei muito do seu blog AmigaDaModa. Tentei seguir vc mas o google connecting friends não assume minha identificação virtual. Tentarei novamente mais tarde, ok. Não esqueci.

    Beijinhos a todas (muitos),
    Rute

    ResponderEliminar
  12. Rute, obrigada pelas palavras no dia do aniversário de meu blog. São pessoas como vc q tornam o mundo mais belo. As postagens de seu blog tb são uma lição para mim. Muita paz!

    ResponderEliminar
  13. O grão de mostarda é uma semente pequenina mas pode tornar-se a maior das hortaliças :) Tal como o amor!

    ResponderEliminar
  14. Oi bela!!!
    às vezes entro aqui e não consigo postar um comentário... ;o(

    Rutinha, estou querendo selecionar 2 receitas de reaproveitamento para partilhar lá no dicas green. Posso?

    beijinhos verdinhos

    ResponderEliminar
  15. Rute, lindo seu pé de mostarda. Estou aqui igual criança olhando a plantinha, pois nunca tinha me interessado em buscar saber de onde vinham os grãos de mostarda. Agora já sei que não surgem na prateleira :-) Beijos!

    ResponderEliminar
  16. Olá minhas doces amigas,
    obrigada pela visita e comentário.

    Denise,
    continue iluminando nossas mentes lá pelo kardec. Desejo-lhe muitos anos de belas postagens pela frente.

    Ameixinha,
    podes crer! Que grande hortaliça o Amor por vezes é!!!!

    Renata Rz,
    já fui lá no seu espaço autorizar, mas repito aqui. Pode levar o que quiser:
    Mi casa es su casa :)

    Adri,
    há coisas que a gente não lembra mas que dão o maior prazer quando as experiências resultam e educam :)

    Beijinhos a todas.
    Boa semana de trabalho,
    Rute

    ResponderEliminar
  17. Rute,
    Jurava que já tinha deixado um comentário nesse post!
    Então, as sementes de mostarda, desde tempos remotos dão o que falar!
    Achei lindinha a folha. Nunca tive o prazer de vê-la de perto.
    Boa semana, amiga!

    ResponderEliminar