09 dezembro 2011

NATAL PARA ALÉM do materialismo na TEIA e na BCN

Amigos/as preservacionistas,
cá estamos de novo, reunidos, para celebrar a vida em sua teia ambiental, e nada mais propício do que o mês de Dezembro para discutir tal assunto.
O presente artigo, inclui-se na continuidade dos temas da BCFV, já terminada, mas que tem me servido de base às reflexões ambientais, sendo que hoje, partirei da 8ªfase - VIDA P/ALÉM (da morte) para o título adaptado, NATAL P/ALÉM (do materialismo).

Mais ainda, será uma participação 2 em 1. Não só da Teia Ambiental, como também da BCN-Blogagem colectiva Natal, da querida Rô.

Tudo misturado, promete um grande rolo, mas não temam, não vos deixarei enrolados! Na verdade, o todo é UM, a separatividade é ilusória. É impossivel colocar a vida em caixinhas, rotuladas por sectores. É impossivel evitar as interconexões, interdependências e inter-influências. É a globalização! Não da economia, não do planeta, mas da existência global, desde a vida mais microscópica até à vida mais sutil. Os extremos se tocam, há seres que só conseguimos ver ao miscroscópio, assim como há seres que só conseguimos "ver" em vibrações do pensamento.

SE PUDERES OLHAR,
SE PUDERES VER, REPARA
(há tanta beleza dentro de nós, quando descobrimos, nunca estamos sós)

O verdadeiro Natal para mim, é um Natal sutil, de elevadas vibrações positivas. É macroscópio, ainda que não se consiga ver a olho nú, ou com a ajuda de instrumentos ópticos de ampliação infinita.

Se perguntarem aos meus familiares e amigos, eles vos dirão: - a Rute não liga ao Natal (há que respeitar!). - Encolhem os ombros, fazem um ar meio triste e se vocês insistirem em questionar o porquê, vos dirão: - não vivencia o espirito natalicio, não enfeita a casa alusiva à época, nem tem árvore de natal, não faz lista de prendas, não vai à igreja, porém, visita os familiares, leva-lhes boa disposição e surpreende-nos com ofertas confeccionadas por ela, mesmo fora de época.

Bispo de Myra - S.Nicolau - a origem do Pai Natal



E isto, já lá vai há quase uma década. Desde o momento em que percebi que a essência do Natal tinha sido falsificada para dar lugar à forma.

Durante muitos anos, o Natal chegou-me pela chaminé. Caia aos trambolhões em cima do fogão e eu vinha correndo da sala, espreitar os presentes do céu, na cozinha! Minha mãe costumava dizer que ninguém podia estar na cozinha quando o pai natal chegasse, mas ela estáva sempre lá!!

Desde que me lembro de existir, sempre tive 2 Natais porque meus pais eram divorciados. Quando casei, passei a ter 3 Natais. Atualmente tenho 4 Natais pois casei de novo e sempre visito a casa dos ex-sogros. Os Natais multiplicam-se, mas o que é facto, é que nesta altura do ano, eu conecto todos eles com minhas visitas. Mas houve anos em que as relações azedaram. Anos de harmonia, principios do 1ºcasamento, em que a recente mãe Rute, em virtude do seu pequeno rebento existir, quis juntar as 2 familias na sua casa, mas uma das partes intervenientes se recusou e isso provocou tristezas no seio familiar.

Águas passadas, mas não me conformei que o Natal fosse o impulsionador dessa marcante desavença.
Natal é amor, entendimento, paz. É o aniversário de nascimento de Jesus, um ser humano dotado de capacidades divinas que veio demonstrar ao mundo que é possivel elevar a consciência acima de todas as vibrações negativas egóicas. Em suas declarações ao povo, Jesus falava: - somente por meio de mim é possivel chegar ao pai. - Por outras palavras, somente através do atingir a consciência cristica é que se consegue chegar à fonte criadora.

Há niveis e niveis de consciência. A grande maioria da humanidade encontra-se nos níveis mais baixos de consciência, algemados a questões de sobrevivência, ganância, sentimentos egocentricos, egoistas, limitados por uma visão estática que só olha em frente e para baixo, para o umbigo.

Dinamizar a visão, é também olhar para o outro, e para Deus. Desbloquear a energia do chakra da raiz e deixá-la fluir em direcção ao chakra do coração, seguindo para o chakra da espiritualidade.

Pai Natal invenção da Coca-cola nos anos 30


Porém, olhar para o outro, não é dar prendas de Natal a quem tudo tem.
Mas sim, colocar-nos no lugar do outro e questionarmo-nos como gostariamos de ser tratados.
Olhar para Deus, não é ir à Igreja comportar-se como anjinho e logo de seguida não praticar nada do que se aprendeu por lá.
Mas sim, expandir o sentimento de irmandade a tudo o que nos rodeia, visivel ou invisivel.

Não sou contra presentinhos. Concordo que os agradinhos podem ser motivo de alegria. Gosto de distribuir alegria a quem amo. Só acho que neste formato dezembrino, estamos alimentando um hábito nocivo. O Natal tornou-se mecanico, obrigatório, tal e qual outras actividades da nossa vida. Trabalhamos arduamente para no final do ano gastar nosso dinheiro, supérfluamente. Vestimo-nos de pai natal, batemos na pança dos excessos, com o umbigo bem pronunciado, para que nossas crianças possam chegar na escola e fazer pirraça para as outras.

No meio da euforia, do pisca-pisca das luzes, do gasto de energia electrica, de papel de embrulhos, caixas de papelão e saquinhos coroados com logotipo das lojas, esquecemos o ambiente. Fechamo-nos em casa com nossa familia e esquecemos que nossa casa é o planeta, nossa familia todos os seres vivos.
Esquecemos até do aniversariante! Jesus quem é esse? Consciência cristica, o que é isso?
Ahhhhhhhhh sei! O menino deitado nas palhinhas, aquecido pelo burro e pela vaca, despojado de riquezas exteriores mas detentor de um coração de ouro. Aquele que veio ao mundo com o dom supremo de dar sem pedir em troca. Aquele que tudo tinha e que se sacrificou por aqueles que acreditam nunca ter o suficiente.

Ninguém sabe, mas... bom, agora todos vocês vão saber:
eu dou presentinhos feito de essência, de pó de estrelas, de pensamentos.
Todos os Natais eu prometo ser um melhor ser humano no ano seguinte.
E tenho cumprido ano após ano, subindo lentamente em direcção à consciência cristica.

Continuarei, publicando para partilhar meu amor, com vocês em 2012, porém, este será, meu último post para a Teia. Dou por terminada minha parte, nesta colectiva que acompanhei durante ano e meio. Afinal...não aconteceu bem assim. Mantenho-me alegremente na Teia (até ver!).

Todas as participações no blog da amiga Flora, criadora da iniciativa:
FloraDaSerra.blogspot.com em parceria com seu esposo,
AlmaMater.blogspot.com

29 comentários:

  1. Minha querida, Rute:
    Perfeitos os conceitos e os seus raros efeitos.
    Lastimo a sua saída da Teia, que sem sua trama se enfraquecerá. Um ano e meio foram bastante suficientes para que muitos se identificassem com os seus ideais preservacionistas.
    Percebi uma coisa interessante, na leitura da sua despedida. Eu nunca considerei a Teia uma blogagem coletiva, mas uma expressão mensal de sensações e revoltas, que se iam acumulando ao longo do mês, e que eram manifestadas, num dia predeterminado.
    E que, se nada houvesse a criticar ou elogiar, não havia nenhuma obrigação de postar um texto só para marcar o ponto.
    É assim que eu sinto. Até hoje, porém, nunca se deu o fato de não ter o que dizer. Mas, talvez eu esteja errado. A Teia pode criar, sim, certo dever de se fazer presente naquele dia, e eu é que não me dera conta disso.
    Sentiremos a sua falta na Teia, ainda que venha a manter suas tramas por fora.
    Abraços ecológicos.
    Gilberto.

    ResponderEliminar
  2. Olá, querida Rute, minha amiga do coração

    " Das alturas orvalhem os céus,
    E as nuvens que chovam justiça,
    Que a terra se abra ao amor
    E germine o Deus Salvador"...

    Sei que me permite chorar... já que meu coração chora internamente e agora... lágrimas rolam em minha face igualmente...
    Vc abordou pontos teológicos em seu post que me encantaram, amiga...
    DESCOMPARTIMENTAR todos os níveis do nosso ser é a essência da ESPIRITUALIDADE... o que tento fazer mas nem sempre consigo, claro!!! Só mesmo com o auxílio da Graça que nunca me falta... pra corrigir quando fujo e me compartimento...

    "Quem tem ouvidos para ouvir que ouça"... que neste Natal tenhamos ouvidos atentos pra fazer valer o AMOR pois Deus nada mais é do que AMOR... puríssimo... de qualidade extrema...

    Amei a forma de vc abordar a consciência Crística/crítica... Interessantíssimo, querida companheira de blogagem...

    Sem palavras, viu??? Obrigada de coração...
    Minha marca também é o AMOR... como vc mencionou muito bem...

    Fico tão sem palavra para agradecer o carinho imensurável com que me cumula ao longo do ano que só posso lhe dizer que te amo fraternalmente...
    Seja muito abençoada e feliz, amiga!!!
    Bjm de paz e FELIZ NATAL... apesar de qualquer vestígio de dor em seu coraçãozinho....

    "Quando eu estiver contigo no fim do dia, poderás ver as minhas cicatrizes,

    e então saberás que eu me feri e também me curei."

    Tagore

    ResponderEliminar
  3. Sem duvida minha querida, e aqui estou eu com um novo BLOG mais direcionado ao esoterismo e em Homenagem a Minha Cigana Maria Rosa. (é a Rita - Sun Flower)acredito que o simbolismo do Natal há muito se perdeu e hoje se resume em consumo, gastos, gulas mas a fraternidade e a caridade ficaram meio que de fora. Vamos trabalhar para a conscientização global quem sabe elevar o planeta e a consciência das pessoas.
    Beijokas Rute!!!

    ResponderEliminar
  4. Natal é um momento para instigar nossa alma à procura de seu propósito.
    O sentimento de que somos todos uma grande família e precisamos aprender e praticar a comunhão com tudo que existe.
    Gostei muito do seu texto.
    Grande abraço, em divina amizade.
    Sonia Guzzi

    ResponderEliminar
  5. Olá Rute, venho pela Blogagem coletiva!
    Parabéns pela excelente postagem!
    Amei cada pedacinho aqui! Um relato espontâneo e encantador! E, como te entendo! Você vive o Natal todos os dias! É isso que deveria ser para todos: o sentimento de fraternidade! E que bom saber que existe quem o faça!!! Essa é diferença que transforma! Parabèns!
    Um grande abraço e votos de um Santo e Feliz Natal a você e família!
    Helô Spitali

    PS: Como tenho vários blogs, participo também no Lembranças do Natal

    ResponderEliminar
  6. Admiro sua forma de se entregar qdo escreve.Seus relatos são muito familiares e verdadeiros.Já gostei menos de Natal,há um tempo me empolguei mais e apesar de valorizar muito mais o lado espiritual,também curto e aprecio a empolgação que nos criam boas vibrações para todo o planeta.Bjs amiga!!!

    ResponderEliminar
  7. Apesar da forma materialista do Natal, ele sempre foi para mim profundamente espiritual, no sentido de ver um amor universal surgindo nas pessoas e envolvendo as festas de dezembro.

    Consigo aceitar essa forma materialista dos outros, apenas querendo que eles entendam a minha maneira diferente de agir.
    Trocamos presentes, enfeito a casa, faço comidas especiais, e tudo isso pode - e é ! - feito de forma espiritualizada.
    Acho que aqui em casa conseguimos unir o útil ao agradável...

    Quanto à Teia Ambiental, ela não é uma blogagem coletiva, com tempo contado para começar e acabar.
    É simplesmente isso: escrever sobre o meio-ambiente no dia 7 de cada mês. E quando não quiser ou puder, não escreve.
    Muitas pessoas dizem que não tem assunto para escrever e eu repito que é só ler as notícias do dia, que ali encontrará farto material para uma ótima postagem !!!

    Ficarei feliz com sua participação - quando quiser ou puder - na nossa Teia Ambiental.

    Beijo

    ResponderEliminar
  8. Adorei seu texto querida Rutinha, realmente o Natal já não é como de antigamente, os valores hoje, são outros, lamentavelmente é isso que acontece.O Natal, para mim, representa celebração do nascimento de Cristo e renovação de todos os ensinamentos que Ele nos deixou, como paz, amor, união e caridade, dentre tantos outros. Creio que devemos vivenciar seu verdadeiro sentido e tentar fazer renascer dentro de nós a alegria e a gratidão por estarmos vivos. Parabéns por todas suas participações. Bjos querida amiga

    ResponderEliminar
  9. Rute,
    como é de sua legítima e positiva maneira, vc abriu o leque das visões acontecidas e das esquecidas na celebração da data.Apontou com luz e clareza as metamorfoses que foram aderindo ao Natal cristão, infelizmente tão comercializado e supérfluo.Há que se resgatar o verdadeiro sentido dele__ Natal/Natividade/ Vida Nova, que trouxe o Menino, para que todos a renovemos e dela tenhamos consciência, especialmente a crística.
    Paz e Bem, amiga, p/ ti e os teus, nesta data e ao longo dos próximos 365 dias natalícios que vc desfrutará ao longo de 2012.
    Um grande afetuoso abraço,
    Calu

    ResponderEliminar
  10. Olá, Rute!Vim cá na hora do almoço, mas não consegui publicar o meu comentário. O anjinho fofinho da 1ª foto és tu?Tenho quase a certeza que sim, aliás só um anjo escreve palavras assim...Fiquei comovida com as tuas palavras e elas não me saíram da cabeça o dia todo. Identifiquei-me contigo(pra variar!)em vários pontos do teu Além Natal. Como tu, gosto de dar agrados feitos por mim, mas o mais importante é a presença e as vibrações de esperança e amor que tento passar para as pessoas. Apesar de gostar do Natal(eu decoro a casa, faço as prendinhas e as comidas), este ano estou um pouco ansiosa, pois a família está a desagregar-se e no Natal isto será mais notório, mas eu não abandono o barco, principalmente por causa das pessoas mais velhas, infelizmente alguns preferem o conforto de outras paragens e outras situações mais comodas. Tenho fé e esperança que virão novas fases, que todos nos tornemos menos egoístas, materialistas e realistas, enfrentando a realidade bela e simples que o nosso planeta oferece. A teia ambiental continuará em frente, poderá ser em outros dias, mas os seus fios já se espalharam.
    Adorei muito, muito o teu texto e cada vez que venho aqui bendigo as voltas que este mundo virtual deu para nos ter aproximado.
    Mil beijinhos

    ResponderEliminar
  11. Minha gente tão querida,
    a cada dia que passa este blog enche-se de pessoas que realmente comentam com o coração, que lêem com atenção, dão sua opinião sem medos, mostram-se genuinas e cooperativas.

    Seja qual for a perspectiva, todas as perspectivas são válidas e bem vindas. Apesar de me expor e mostrar a maneira como ajo e penso, NÃO significa que considero este o caminho que os outros devem seguir.

    Ou seja, acho bem que as pessoas enfeitem as casas, que dêem presentes, melhor ainda se forem confeccionados por vocês, ou que tenham cariz ecológico.

    Tal e qual como a Flora falou, é possivel ter um Natal bem manifestado no fisico, mas também bem espiritualizado. Concordo.

    O Mestre Gilberto sempre fala, o ideal é o caminho do meio.

    Acredito que não se deve "viver" nas margens. Mas para optar pelo caminho do meio, há que visitar as margens, conhecer tanto o materialismo, como a espiritualidade, e só depois voltar ao caminho do meio, obtendo um Natal equilibrado.

    Eu já conheci a margem materialista do Natal, agora, recolho-me na margem espiritual, quem sabe, estarei perto de encontrar o caminho do meio num futuro próximo:

    Um Natal decorado, presenteado e também espiritualizado.

    Quanto à Teia Ambiental, de fato sempre olhei para a Teia Ambiental como uma blogagem colectiva, e nesses termos, uma obrigatoriedade a cumprir com data certa.
    Assim percebendo diferente, após explicação, é provavel que me inclua na teia 2012, sem assiduidade mensal, conforme meu tempo permitir.

    Por fim, termino agradecendo e confirmando que a pequenina da foto sou eu sim :)
    Beijinhos,
    Rute

    ResponderEliminar
  12. Que bom te ler e ver que fechamos nos nossos pensamentos...Adorei,Natal e simplicidade combinam como o dono da festa, o verdadeiro dono! beijos,tuuuuuuuuuuudo de bom,chica

    ResponderEliminar
  13. Rute,que beleza de texto!Puro espírito natalino, que deve ser assim: o ano inteiro e não apenas nessa época!Expandir esse amor a todas as pessoas e a natureza!Adorei sua maneira de pensar!Parabéns pela linda participação!bjs,

    ResponderEliminar
  14. Sentí como se fosse eu escrevendo, não enfeitei a casa, não comprei roupas novas e acho que o natal é bem outra coisa do que materialismos. bjss

    ResponderEliminar
  15. Profundo e reflexivo texto amiga Rute. Em muitos momentos acontece bem assim. Que possamos neste Natal, nos consciêntizar mais das necessidades básicas do planeta e do espírito e acolher Jesus no coração, com amor.Bjs.

    ResponderEliminar
  16. Oi, querida!

    Adorei o texto, concordo com tudo o que disse.

    E fico muito triste porque não irá mais participar da Teia Ambiental.

    Continuarei visitando o seu blog. Adoro as receitinhas!!

    Bjinhos

    Carol

    ResponderEliminar
  17. Querida Rute,

    embora a Páscoa seja para mim a época festiva que mais alegria me traz, por ser uma época de renovação, e embora o Natal esteja efectivamente e de mão dada com o materialismo,eu ainda me deixo envolver por uma certa magia que ele traz,ainda mais depois do nascimento da minha filha. Magia que apesar do trabalho acrescido que nos dá nas cozinhas, alguns nas compras desenfreadas e um bocadinho à toa, ainda se consegue sentir quando por haver férias, se torna possível reunir a família que se encontra distante, quando a Solidadriedade que deveria existir ao longo de todo o ano, ganha mais intensidade e se vê iniciativas lindíssimas e comoventes, quando estamos todos felizes e em família a decorar um pinheirinho ou construir um presépio (e este ano fiz um com objectos recicláveis que me deu imenso prazer, mãe e pai contribuiam com as suas ideias e a filhota ajudava nas tarefas mais básica) Sim... Os presentes... Uns são oferecidos por puro afecto, reconhecimento, gratidão. Outros para compensar faltas de tempo, de amor, por exibicionismo... Mas o desfile de presentes, embora seja um dos momentos altos para as crianças, não é o que embeleza o Natal. A verdadeira espiriritualidade do Natal está de facto no vivenciar o nascimento desse Grande Heroí Jesus, o que acaba por ficar esquecido para muitos (mas nem todos). Jesus, que veio para unificar-nos e lembrar-nos de que somos todos UM. Li certa vez que somos como a electricidade que é o todo e que cada um de nós é uma lâmpada para manifestar essa luz.
    :) Gostei muito desta tua contribuição e aguardo sempre as tuas publicações com entusiasmo porque nunca elas são palavras ocas. Enchem-nos alma e coração! Muito Obrigada!
    Beijinhos grandes.
    PS. o livro já se encontra nas minhas mãos.

    ResponderEliminar
  18. Rute, amei seu comentário. Me identifico muito com sua opinião. Natal para mim é alegria, amor, mesmo q seja no seio da família, mas é exatamente aí q temos obrigação de exercitá-lo. É alegria, não apenas no dia 25 de dezembro, mas todos os dias, lembrando q Jesus esteve aqui para ajudar-nos a sermos melhores. E ser melhor inclui as outras pessoas, os outros seres vivos, o mundo e o orbe. Somos co-participes da criação de Deus. Só por isso já devemos nos sentir felizes. Rute, um ótimo natal, com muito amor. Muita paz!

    ResponderEliminar
  19. Rute querida, como disse o Gilberto, sei que você continuará com sua trama por fora, lamento sua saída, acredito muito nessa blogagem coletiva, que para mim é sagrada, todo dia 7. Faz me pensar naquilo que me angustia, devidamente comprovado muitas vezes, faz me chamar a atenção dos meus leitores que não se vive só de presentes e temos que ter uma posição mais franca conosco mesmo e com o ambiente. Percebo que você presenteia a todos, durante todo o ano e que você faz do Natal algo inesquecível para quem pode perceber.

    Em minha religião costumamos dizer que a energia emanada por nós, em nossos pensamentos, gestos, intensões e palavras, reverbera no TODO! Pois tenho certeza que você vivencia o Natal em todos os dias do ano!

    Volte logo para Teia, precisamos dessa querida e sábia fiandeira.

    ResponderEliminar
  20. "Todos os Natais eu prometo ser um melhor ser humano no ano seguinte.
    E tenho cumprido ano após ano, subindo lentamente em direcção à consciência cristica." Querida Rute, sua consciência crística é latente em ti e te faz essa pessoa inquieta e pertinaz, buscando sempre a essência e se esvaindo das superficialidades. Tudo na mais perfeita ordem. Pessoas há que se desviam dessa conjuntura toda e caem nesse absurdo mercantilismo, esquecendo do verdadeiro aniversariante, exaltando um velhinho gorducho que enche horrores as burras do referido refrigerante. E desce do helicóptero com toda a pompa e circunstância, aclamado por centenas de crianças e pais que estimulam o imperialismo do gorducho.O Natal, infelizmente é do velhinho gorducho e isso é uma lástima. Temos mesmo que mergulhar para além do materialismo e reverenciarmos a quem de direito: Cristo. Grande abraço!

    ResponderEliminar
  21. Amiga, como sempre as tuas palavras transbordam a verdade!!A humanidade está desfeita de sentimentos, de amor pelo próximo de compaixão!!
    Um dia isto terá de mudar!!

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  22. Amigas do coração,
    gosto de temas polémicos e este é um deles.

    Debater um tema polémico é alargar os horizontes da nossa visão. Os meus e os vossos horizontes.

    Todo o feedback tem um impacto positivo em mim, e vice-versa, as minhas palavras/texto têm impacto reflexivo em vós.

    A riqueza de perspectivas incentiva-nos ao crescimento interior.
    Bem hajam por participarem na blogagem da Rô e por comentarem a participação PPP.
    Grande abraço a todas.
    Rute
    P.s.-Em relação à Teia Ambiental é muito possivel que venha a participar num ou outro mês de 2012, mas sem compromisso, ok.

    ResponderEliminar
  23. Rutinha minha irmã,

    Que texto nota 10, 100, 1.000........
    Dissestes de forma muito clara e objetiva no que se transformou o Natal.
    A humanidade hoje olha tanto para fora, que se esquece do seu interior, aliás ela está muito longe de sua verdadeira essência.
    Perfeitas palavras minha irmã, eu mesma não diria melhor.

    Que bom que não vais desistir de nossa Teia, deixe fluir de forma natural, e tenho certeza que tudo será Maravilhoso....como sempre foram suas postagens!

    Também estou vindo me despedir, pois estou entrando num período de férias.
    Mas não poderia deixar de vir para lhe agradecer por tudo que aprendi contigo.
    És uma mulher de grande Luz e Força, e sua amizade foi um grande presente do Universo.
    Sempre verdadeira e sincera em seus sentimentos, auxiliando a todos com suas palavras.
    Obrigada minha irmã, durante 2011 você fez parte da minha vida.
    Desejo á você e toda sua Linda família, um Natal muito Abençoado, e que em 2012 possamos estar juntas novamente, compartilhando de novos e grandes aprendizados.

    Um grande beijo em seu coração e até 2012!!!!


    p.s.=Deixei uma singela homenagem e um cartão para você que fez parte da minha vida este ano.
    Beijossssss

    ResponderEliminar
  24. Rute!

    Sim, um tema que puxa por muita reflexão! Como sempre nos teus posts da Fases da Vida e da Teia Ambiental.

    Eu que tinha começado a entrar na teia, este mês não participei, porque não deu, mas penso participar no mês que vem. Acho que puseste uma obrigatoriedade a ti própria de participares todos os meses a todos os dias 7, porque do que me passaste eu sempre entendi que a participação era sempre bem-vinda e a não participação ou não participar todos os meses também!

    Quanto aqui a este tema do Natal ia para dar também aqui a minha "contribuição para a polémica", mas ia ter que escrever muito, e como acabei de postar lá n'A Escola É Bela precisamente sobre este tema, olha, convido-te (e aos teus leitores! ;) ) a irem lá espreitar...

    Li todos estes comentários e gostei muito do que li, para além do conteúdo do teu post, claro. Mais até mais do que o conteúdo do post em si, gostei muito do teu primeiro comentário aos comentários quando dizes "Seja qual for a perspectiva, todas as perspectivas são válidas e bem vindas. Apesar de me expor e mostrar a maneira como ajo e penso, NÃO significa que considero este o caminho que os outros devem seguir". E também de todo o resto desse teu comentário, está muito bonito e muito lúcido.

    Muitos beijinhos, amiga e felizes Natais e outros momentos do ano para todos!

    ResponderEliminar
  25. Rute, o Natal tem muitos significados para mim também, apesar de não ser muito dada às comemorações. Na verdade, acho trabalho demais para uma causa que perante Deus, seria de bom grado apenas ir à missa do Galo e rezar com fé pedindo a união da humanidade. Enfim, temos as crianças que não deixam o Natal passar e por isso mesmo, tornamo-o alegres e coloridos.
    Gostamos dos rituais, dos agrados, do aconchego da casa arrumada, do cheiro gostoso da mesa posta, dos sorrisos e tilitar das taças, da alegria das crianças ao abrir os presentes e do afeto que aproxima a família.
    A miscelânea dos blogagens coletivas, você sabe que não sou capaz! Se faço confusão com uma, imagina com duas ou mais misturadas? ;)
    Boa semana! Beijus,

    ResponderEliminar
  26. Rutinha, saudades de vc minha amiga, vim agradecer a visita ao meu bloguito e os elogios recebidos. Obrigada querida, tenha um lindo final de semana...beijinhos

    ResponderEliminar
  27. Rute
    Adorei o revival da orvalho do Céu, hoje!
    Feliz 2012 e muito sucesso!
    bjs Sandra
    http://projetandopessoas.blogspot.com//

    ResponderEliminar
  28. Rute, obrigado por ter me convidado a ler este texto.
    Percebo que pensamos de modo muito parecido e, se leres os comentários que recebi simplesmente por não ter dado importância ao meu aniversário, verás que muitos reagiram como reagem com você a respeito de Natal. Falaram em tristeza, dor, drama... Quando eu apenas quero é ficar em paz neste dia, sem estardalhaços, sem hipócritas que mal me vêem e neste dia querem dar abraços e mimimi.
    Ninguém aceita o diferente, todos querem obrigar-nos a ser produtos feitos na mesma fábrica e acho isto triste. Para eles, não para nós. Pois como respondi no comentário que deixou, não é qualquer um que consegue estar BEM consigo mesmo e estar sozinho quando quer. Isto eu chamo de independência e liberdades verdadeiras que, infelizmente, poucos possuem.
    Eu tampouco dou importância ao Natal, Jesus Cristo nasceu em uma manjedoura, era pobre e penso que não ia gostar nada, nada do que transformaram o dia do seu nascimento.
    Abraços e volte ao meu blogue sempre que quiser, será muito bem vinda.

    PS: Não encontrei a gadget de seguidores aqui para poder lhe seguir. É só por e-mail?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Respondi lá no teu post. Obrigada. Vou voltar sim. Teu blog já está no meu blogroll.

      Eliminar