31 maio 2011

SOFT DRINK DE MORANGO, MELÂNCIA E SALSÃO

Dizem que vermelho é AÇÃO! Cor ideal para o 1ºchakra, chakra base ou raiz, aquele que nos liga à terra, a âncora do espirito ao plano material.
Hoje estáva precisando mesmo disso, de algo que não deixasse minha mente voar, que me transmitisse energia ativa, me transformasse numa guerreira vinda de Marte, com poder de fogo!!

Tudo isso, simplesmente para cumprir os prazos fiscais da profissão. Sendo hoje um deadline, dei o duro, suei muito...
Mas esta Soft Drink salvou-me! Quase parece alcoolica, mas não é...
Foi bom imaginar-me numa praia tropical por segundos... negar a triste visão de papeis mais papeis ao meu redor... trocar a realidade por outra, criada por mim :) E no fim, regressar ao trabalho, PODEROSA!


INGREDIENTES:
  • 6 Morangos orgânicos (biologicos);
  • Açúcar mascavado claro;
  • 15 cm talo de Salsão (Aipo);
  • 1 fatia de miolo de Melância sem pevides;
  • Água tónica (usei caseira);
  • Haste de Hortelã;
  • 1 Morango para decorar;
  • 1 bolinha de Melância para decorar.
CONFECÇÃO:
Convém estar tudo muito fresquinho. Colocar no frigorifico no dia anterior.
Higienizar os morangos antes de retirar a coroa. Partir em 4 cada um e povilhar com açúcar.
Descascar o talo de salsão, retirando de seguida, os fios em volta. Cá em Portugal chama-se Aipo.
Retirar casca e pevides a 1 fatia de melância. Partir em cubos.
Preparar a haste de hortelã, deixando apenas as folhas superiores. Usar a haste para servir como espeto. Furar um morango e uma bolinha de melância. Decorar o "espeto" de hortelã.

Depois de tudo preparado, deitar os morangos, o salsão e a melância, num liquidificador. Triturar até reduzir a liquido. Deitar no copo a 3/4, juntar água tónica, misturar e servir com "espeto" de hortelã.

Atenção que este espetinho é mais importante do que se pensa!! Ele não só alegra o olhar, como proporcionará uma sensação olfativa agradabilissima! No momento em que você for trincar o morango e "mergulhar" o nariz na hortelã...vai viajar! Ah se vai!

29 maio 2011

BOLO DE ABOBRINHA, LIMÃO VERDE E GENGIBRE

Divinalmente aromático. Um festim para o olfato e para o paladar.
Textura fofinha mas ao mesmo tempo, húmida. Viciante!

INGREDIENTES:
  • 250 gr Abobrinha Orgânica c/casca (Courgette biológica);
  • Casca de 1 Limão verde Orgânico (biológico);
  • 1 polegar de gengibre fresco;
  • 3 ovos M;
  • 1 xicara Açúcar;
  • 3/4 xicara óleo Milho;
  • pitada de sal fino;
  • 1 + 1/2 xicara farinha Trigo (usei semi-integral T80);
  • 1/2 xicara farinha Maizena (fécula de milho);
  • 1 colher (sopa) fermento Royal.
CONFECÇÃO:
Num liquidificador coloque a abóbrinha com casca, partida aos cubos. As cascas do limão verde retiradas com a faca (sem parte branca). E o gengibre descascado. Triture tudo em potência alta durante uns segundos. Na Bimby use o turbo (2 ou 3 toques).

Adicione os ovos, açúcar, óleo e sal. Programe a liquidificadora por 4 minutos, velocidade média. Na bimby, 4 min, vel. 4.

Enquanto espera, unte uma forma com óleo de milho e aqueça o forno a 150º.
Quanto faltar 1 minuto para a liquidificadora terminar, adicione as farinhas.
Quando faltar 20 segundos para terminar, adicione o fermento.
Deite na forma, aumenta a temperatura do forno para 200º, leve ao forno tapado, durante 30/40 min.
A meio da cozedura baixe o forno para 150º novamente.
Espete com um palito para verificar que está todo cozido quando terminar o tempo.

24 maio 2011

AI QUE RICA, A FAVA FRITA !!

O céu é o limite! Sigam-me!
Muito se tem falado por aqui, de fava.
Ela tem sido musa de inspiração e de descoberta para novos caminhos de sucesso :)

Desta feita, a fava frita não foge à regra. É o acompanhamento ideal para um drink e uma boa conversa.
Interessante mesmo, foi, mais uma vez experimentar os diferentes estados dum mesmo alimento. A desidratação é uma técnica antiquissima e ecológica, uma vez que foram secas ao sol, em tabuleiros de rede.
Posso conservá-las assim, anos! Ou simplesmente, até à próxima sementeira em Nov.2011...
Mas como a curiosidade é incontrolável, hidratei-as logo de seguida, só para perceber se são saborosas como o feijão demolhado (foto 3).
E são! São!

INGREDIENTES:
  • Favas hidratadas;
  • 1 a 2 colheres (sopa) óleo milho;
  • Sal fino.
PREPARAÇÃO:
Depois de hidratadas, retira-se a pele exterior.
Frita-se na Actifry, com as 2 colheres de óleo, durante 30 minutos.
Povilha-se de sal quando terminar de fritar.

Quem não tem Actifry, frita em fritadeira normal como se fossem batatas fritas. Mas como dessa forma leva mais óleo, terá de escorrer em cima de papel absorvente.

22 maio 2011

TALASSA FRUTADA DE AVEIA INTEGRAL, CANELA E ANIS

ARTIGOS RELACIONADOS:
Talassas salgadas de Repolho-roxo e alho
Waffles de Chocolate e Kéfir
Panquecas com Amoras geleia de Milho

Um lanche-ajantarado digno duma rainha! EU!
Bem vindos ao meu reinado :)
Sei que muitas pessoas não terão paciência de confeccionarem esta maravilha só para vocês.
Mas para mim é bem mais fácil dar-me a criatividades quando estou só, do que quando acompanhada. Um dos meus entretenimentos favoritos é andar "à solta" na cozinha :)
Faço a festa, lanço os foguetes e apanho as canas, tipo como quando brincava sozinha :) Na época em que as bonecas tinham vida, em que vestia o meu gato com roupa de bébé, em que o helicóptero que passava por cima do meu prédio fazia-me parar e pensar: -Como é que ele consegue voar!!!???
Só eu e meus botões... descodificando as vibrações...

INGREDIENTES:
  • 1 xicara Flocos de Aveia (fiz flocos no FLOCKER apartir de grão inteiro);
  • 1 xicara Leite de Soja;
  • 2 ovos M;
  • 3 colh. (sopa) Açúcar Mascavado Claro;
  • Pitada de sal fino;
  • 2 colh. (sopa) Manteiga Vegetal derretida;
  • 2 colh. (sopa) Côco ralado;
  • 1 colh. (sopa) Canela em pó;
  • 1 gota de essência de Anis;
  • Fruta diversa (usei Meloa, Uvas e Alperces);
  • Iogurte natural de Soja;
  • Pluma de Funcho fresco para decorar.
CONFECÇÃO:
Primeiro, transformei grãos de aveia em flocos finissimos. Passei os grãos 4 vezes no Flocker.
De seguida, rega-se os flocos com o leite de soja e reseva-se durante 1 hora. Se forem flocos de compra, deixe mais um tempo.
No fim desse tempo, deite numa tijela grande, os ovos, açúcar e sal. Triture com a liquidificadora de mão. Junte a pasta de aveia. Volte a triturar. Junte a manteiga derretida. Triture. Adicione o côco ralado (fresco ou desidratado). Triture. Canela e anis. Triture.
Aqueça o ferro até ficar bem quente. Deite 1 concha de massa, feche a máquina das talassas. Deixe cozer bem por dentro.
Prepare a fruta. Bata o iogurte de soja com uma colher. Se quiser adicione açúcar ao iogurte (eu por acaso gosto SEM). Construa o prato e delicie-se.
Aveia é muito nutritiva, dai servir como jantar. Se vc comer isto ao lanche e depois jantar normalmente, estará ingerindo calorias a mais para hora tão tardia.

19 maio 2011

SALADA METAMORFOSE VEGETAL

A carta de Tarot que vos apresento hoje, é "A Roda da Fortuna" do baralho de Thoth. Um baralho muito lindo que descobri recentemente e que pelo qual estou apaixonada desde então. As imagens foram pensadas pelo ocultista britanico Aleister Crowley, pintadas à mão pela sua colaboradora artistica, Lady Frieda Harris, entre 1938 e 1942.

A Roda da Fortuna simboliza o ciclo da vida e está suspensa sobre os quatro elementos: Fogo, Água, Terra e Ar. No topo da roda está sentada a Esfinge, tipificando inteligência e equilibrio. De lado, o Macaco, representando a inquietação da razão brilhante e movediça. No fundo da roda, o Réptil, simbolo da preguiça e da ignorância.

Na minha cozinha encontro muitos paralelos entre o ocultismo e o dia a dia. Aqui por exemplo, temos as várias fases da vida vegetal: uma semente, depois o rebento, mais tarde a plântula, até chegar ao fruto... esse tradicionalmente comido à nossa mesa. São metamorfoses seguidas... fases sucessivas... a semente como gravidez, o rebento como criança, a plântula como adolescente...

Também os 4 elementos entram no processo. Quando coloquei as sementinhas de repolho-roxo no germinador, dei-lhes água e ar. Se tivesse plantado o rebento, estaria dando-lhe terra. E se o cozinhasse, fogo!

É engraçado relacionar tudo com tudo. Esta minha inquietude de Macaco, para fugir à ignorância do Réptil e atingir a sabedoria da Esfinge, conduz-me a descobertas surpreendentes no contexto gastronómico. Assim se fez a saladinha metamorfose vegetal com rebentos de repolho roxo.

INGREDIENTES:
  • Alface verde;
  • Cenoura ralada;
  • Milho enlatado;
  • Azeitonas descaroçadas;
  • Arroz branco;
  • Rebentos de Repolho roxo;
  • Queijo fresco formatado com cortante "flor";
  • Salmão fumado (para os "vegetarianos" q comem peixe);
  • Molho rosa (maionese sem ovos, ketchup e mostarda).
CONFECÇÃO:
Nem precisa dizer né! Montar o prato conforme a foto. Os rebentos de repolho-roxo são crús.

17 maio 2011

BCFV - 4ª FASE - JUVENTUDE - 15_JUN_2011


Esse PROJETO surgiu em Fevereiro, quando eu, a Rosélia e a Gina, lançamos o convite a todos para falarem sobre as fases da vida. Desde então, tivemos NASCIMENTO, INFÂNCIA e ADOLESCÊNCIA.


Estamos ainda sob o impacto das contribuições sobre a adolescência, que para alguns foi a pior fase da vida, para outros, a melhor. Tivemos rebeldia, independência, romantismo, filosofia, insegurança, repressão, tabus, fast food, crise de identidade... Lembraram dos tempos de escola, dos recreios, das artes e a música foi também uma tônica muito presente.
ImageChef.com

Agora é a vez do tema JUVENTUDE, uma palavra por si só bem controversa.
Quando começa e quando termina a JUVENTUDE?

É impressão minha ou o tempo está passando muito depressa…rs?
Para você, juventude é tempo de quê?
Independência, paz e amor, liberdade, paixão, decisões, engajamento político, sonhos e utopias, responsabilidades?
Nesse período, decidimos nossa atividade profissional, planejamos nossa carreira, valorizamos nossos amores, constituímos família, nos engajamos num grupo com o qual temos afinidades.
Quanta coisa boa se vive nessa fase! O primeiro emprego, os amores, casamento, filhos! Em contrapartida, estão os jovens bebendo mais do que no passado?

O padrão de beleza do corpo gera comportamentos por vezes exagerados. Malhar, emagrecer, anorexia, fazer cirurgias plásticas cada vez mais cedo.
O que anda fazendo a juventude, o que tem lhe preocupado?
Você já descobriu a fonte da eterna juventude?
Não tenho a resposta, mas me recuso a deixar que minha alma envelheça.
O corpo pode até dizer o contrário, mas o espírito deseja manter-se saudável.

Com a palavra, o (a) jovem, que eu fui ou sou! Conte pra gente como vive (viveu) a sua juventude ou algum fato que tenha presenciado nessa fase.
Relembre os sonhos realizados ou não... e partilhe connosco.
Então, não esqueça, dia 15 de Junho é a vez da 4ª fase, JUVENTUDE.

Notas importantes:
Os participantes não são obrigados a seguir todas as fases, podem participar apenas na que desejarem.
É permitido trazer para o dia de publicação qualquer artigo já publicado que se adapte ao tema.
A postagem participante pode servir mais do que uma blogagem coletiva, desde que não fuja à temática.
No dia 15, uma vez publicado seu post, deixe um comentário a avisar.
Divulgaremos para que todos possam ler!

ATENÇÃO:
Alguns contribuiram para a fase da Adolescência já depois de dia 16, pelo que não deixe de ler as participações que ainda vieram enriquecer a BCFV.

Obrigada por todo o carinho e empenho. Vocês estão de parabéns!!!!

15 maio 2011

ADOLESCÊNCIA - ENTENDER O CONFLITO DE GERAÇÕES

BCFV - 3ªFASE - ADOLESCÊNCIA

Maior de idade queria ser, maior de idade queria parecer...
Desde os 17 anos que dizia ao meu namorado: quando fizer 18, já sou maior e a minha mãe vai ter de mudar de atitude!
Os 18 passaram e nada se alterou significativamente! "Será que minha mãe (2ªfoto) pensava que a maioridade era aos 21?"

Sempre fui de me insurgir contra incoerências e não entendia porque me era cobrada tanta responsabilidade, enquanto que, no meu ponto de vista, a liberdade não andava a par. Desde cedo que a limpeza da casa era feita por mim, assim que comecei a trabalhar comparticipei nas despesas de telefone, água e luz... Então porque tinha de ter horas marcadas para voltar para casa, porque tinha de pedir autorização para tudo, porque porque porque... Aí nos chocavamos, eu e minha mãe.

A 1ªfoto que aparece na postagem sou eu, em Marbella (Espanha), telefonando para casa (Portugal). Reparem na cara séria:
-Mãe, é só para dizer que está tudo bem. Eu e a Bê chegamos bem, estamos no parque campismo de Marbella.
-Ai Rute, ainda bem que telefonaste filha. Estáva tão preocupada. Aquilo que a mãe disse quando saiste, não é verdade. Não ligues. Podes voltar para casa quando terminarem as férias (...)

E isto porquê? Porque eu queria ir de férias para Espanha com a minha melhor amiga e minha mãe não deixava. Quando eu estáva quase saindo de casa, antes da viagem, ela afirmou: -Se sais por essa porta, não voltas a entrar! (e eu sai).

O que é facto é que muitos anos passaram e agora que sou mãe sei dar o valor! Essa é que é essa!
A adolescência é uma fase muito especial, de busca de identidade, de afirmação pessoal e social. Os adultos impõe-nos os seus conceitos, medos, maneira de viver, valores morais, espirituais... como se estivessem a moldar um boneco em barro. Com todo o carinho como é evidente. Querem que nós, adolescentes, sejamos a obra perfeita, construidos à semelhança de quem nos gerou...

Por seu turno, os adolescentes querem experimentar o mundo. Aprender através dos seus próprios erros, contestar conceitos rigidos e desatualizados, questionar o inquestionável, arriscar e conquistar. Bom, não sei se são todos assim, mas eu fui e continuo a ser, a instigadora de atos de libertação, a desconstrutora de preconceitos, uma rebelde ainda que parcialmente obediente :)

Por falar nisso...recordei-me agora dum grupo de bairro que tive aos 14/15 anos, de nome: Os Indomáveis (ah ah ah). E eramos mesmo, indomáveis, irreverentes, autenticos membros da resistência!! Estavamos ali para abalar as estruturas. Tal e qual como todos os adolescentes, independentemente da geração a que pretencem.

Com meu pai também tive alguns conflitos. Embora menos, porque eles eram separados e eu só via meu pai, de 15 em 15 dias + 2 semanas seguidas nas férias. Precisamente numas férias de Verão, entrei em greve de fome. Meu pai não me deixava ir para rua depois do jantar, nem queria que eu estivesse perto de rapazes! Então reivindiquei. Como não sai vitoriosa da "discussão", entrei em greve de fome e de fala. Sorte que tinha cumplices que me davam de comer :) Pestinha!...

Ainda com quem eu me dava melhor, era com minha avó materna. Sempre foi uma mulher muito moderna e avançada para a sua geração. Foi ela que me levou à 1ªdiscoteca... motivado talvez por ela gostar tanto de dançar. Ainda hoje, minha avó vai nos bailes da 3ªidade (mas sobre ela falarei noutra fase da vida).

Enfim, no meio de toda a rebeldia, eu possuia muitos talentos latentes querendo darem-se a conhecer ao mundo: versava, escrevia livros, dançava, cantava, pintava, lançava modas na escola, desenhava e fazia alguma roupa... são testemunhas disso, meus 2 diários que guardo religiosamente. O baú das emoções dessa época inquietante, sensivel e conquistadora do meu lugar na sociedade :)

Minhas heroinas de adolescência: Madonna e Cynder Lauper! Ai meus Deuses! Girls just want to have fun!!!!

Resumindo:
Então porque não se lembram nossos pais e avós que também eles confrontaram os seus ascendentes diretos?
Lembrar, todos nós nos lembramos, mas conforme o tempo vai passando trocamos de lugar, ou por outras palavras, de perspetiva. Conforme nossa maturidade vai crescendo, percebemos que afinal, nós não estavamos assim tão CERTOS e nossos pais não estavam assim tão ERRADOS. Embora o fosso entre gerações perdure... porque entretanto, temos filhos... porque entretanto, os nossos pais já são avós.... nascem então outros "conflitos", outras incompreensões. Não conseguimos colocar-nos no lugar deles, nem eles no nosso... fica dificil o entendimento da forma como cada geração vive a vida... e se calhar bastava simplesmente um pouco mais de tolerância e respeito de parte a parte. Sim, porque nós também temos de respeitar os mais novos, e vice-versa.
A receitinha é vegetariana concerteza e da preferência dos adolescentes mais conscientes:
Hamburguer Vegetariano Bio-Express (neste link)

PARTICIPAÇÕES (conforme vão chegando):

2-Espiritual-idade.blogspot.com; 3-FelinoDaMadrugada.blogspot.com
4-CronicasDaChica.blogspot.com; 5-AromaDeCafe.blogspot.com
6-Verseiro.blogspot.com; 7-NacoZinhaBrasil-gina.blogspot.com
8-BlogDaRegina.blogspot.com; 9-AnaCristinap.blogspot.com
10-Clima65.blogspot.com; 11-MariaLuizaSaes.blogspot.com
12-SonhoDoceSonho.blogspot.com; 13-ContosOufatosSurreais.blogspot.com
14-LucinhasDreamGarden.blogspot.com; 15-AescolaÉbela.blogspot.com
16-ConversasCartomanticas.blogspot.com; 17-Misturao.blogspot.com
18-PereiraPequeno.blogspot.com; 19-PartilhandoAmesa.blogspot.com
20-Nabiroskinha.blogspot.com; 21-AprenderSemEscola.blogspot.com
22-MsocorroM.blogspot.com; 23-EsplendorDaCriação.blogspot.com
24-ConhecerKardec.blogspot.com; 25-DiarioDumaPsicologa.blogspot.com
26-EternosPrazeres.blogspot.com; 27-RumosLibertadores.blogspot.com
28-CasaCoisasEsabores.blogspot.com; 29-EnsinoRegular.blogspot.com
30-FractaisDeCalu.blogspot.com; 31-EuEosTachos.blogspot.com
32-CriandoCoresDaVida.blogspot.com; 33-FloraDaSerra.blogspot.com
34-Belrech.blogspot.com; 35-Soporagora.wordpress.com
36-ApenasMulheresDeVerdade.com.br; 37-Renneris.blogspot.com
38-AcolherComAmor.blogspot.com; 39-Mariazinha.blogspot.com
40-Mamyrene.blogspot.com; 41-ArteLivreVimaje.blogspot.com
42-DeCozinhaEmCozinha.blogspot.com; 43-CrioMinhaVida.blogspot.com
44-FazendoMeuCaminho.blogspot.com; 45-CronicasDeUmaMeninaFeliz.blogspot.com
46-LarEncantado.blogspot.com; 47-LuluExperiência.blogspot.com
48-PensandoEmFamilia.com.br; 49-AlgunsVersinhos.blogspot.com
50-LuzDeLuma.blogspot.com; 51-DomingosIrio.blogspot.com

Artigo relacionado: CHICLÉ na Teia Ambiental (outra blogagem)

11 maio 2011

RISOTTO DE FAVA, MOSTARDA E ALCACHOFRA

Pois bem, meninas(os), estamos de volta às favas. Desta vez coloquei aqui a imagem da fava-feijão descascada, sem vagem, para que as amigas brasileiras consigam perceber do que se trata, realmente.

A faveira é uma planta de multiplas utilizações, que não requer cuidados. É muito resistente a baixas temperaturas, suporta até geada. Basta semear na época das chuvas e esperar que cresca sozinha, ao natural. Quando começa a brotar da terra e antes de dar flôr e fruto, suas folhas podem ser comidas em sopa. De seguida, suas flores, antes de dar "fruto", podem ser comidas junto na salada. O fruto é a vagem. E essa vagem, antes de dar semente, pode ser comida ainda tenra, cozinhada. Quando desenvolve a semente (dentro da vagem), ou por outras palavras a fava-feijão, já a vagem é dura e peluda, dai que debulha-se conforme está na foto.

O risoto apresentado, leva fava-feijão, mas ainda assim, esta é desnudada. Pois a pele da fava-feijão é semi-dura, e demora a cozer. Retira-se a pele para cozinhar rápido. Entenderam agora?

Ah, mas tem mais! Caso queiram conservar a fava-feijão por muito tempo têm de desidratá-la. A fava seca, é uma leguminosa que quando se quer usar, coloca-se de molho 1 noite em água, para depois cozer, tal e qual o feijão seco. Fava fresca é verdinha, enquanto que fava seca é castanha.

INGREDIENTES:
  • 1 xicara Arroz cozido simples;
  • 1 cubo concentrado vegetais organicos;
  • 300 ml de água;
  • Azeite;
  • 1 cebola pequena;
  • 10 Favas sem pele;
  • 1/2 Abobrinha (courgette) organica;
  • 1 coração Alcachofra enlatada;
  • 1 colher (café) pasta de Mostarda caseira;
  • Pimenta em pó;
  • Salsa fresca picada em cima;
  • Pode ainda povilhar queijo parmesão ou levedura de cerveja.
CONFECÇÃO:
Este é o chamado arroz de frigideira. Rápido e delicioso.
Tenho sempre em casa arroz branco cozido. Simples, nem sequer coloco sal. Na Bimby basta: 800 gr de água no copo, 1/2 cesto de arroz carolino e programar 20 minutos, 100º, velocidade 4. No fim é só soltar com um garfo para uma caixa e guardar no frigorifico.
Quanto ao risoto da postagem, numa frigideira refogue cebola picada em azeite, junte as favas sem pele. De seguida a abóbrinha organica, com casca, partida aos pedacinhos.
À parte, prepare 1 cubo de vegetais com 300 ml de água fervente. Dissolva o cubo e jogue o liquido na frigideira. Adicione o arroz cozido, tempere com a mostarda caseira e pimenta. Não usei sal porque o cubo tempera.
Atenção aqui, a mostarda que usei é a pasta bruta e não mostarda já com o molho branco. Confira este post para entender(última foto). Se não tiver mostarda caseira, use mostarda de Dijon.
Quando o caldo tiver praticamente sumido, junte o coração de alcachofra cortado. Como é de conserva tem um saborzinho acido muito bom. Lembra palmito.
Apague o lume, pique salsa por cima do risoto e povilhe a gosto com levedura de cerveja ou com queijo parmesão ralado (um é a alternativa saudável do outro).

10 maio 2011

BOLO ALQUIMIA DE EREMITA

Tenho momentos assim... de Eremita.
São momentos bons, de introspeção, de solidão desejada. Retiros da agitação, isolamento das relações humanas. Só eu, dentro da minha caverna, com meus livros, minhas pesquisas, experiências, expressividade criativa...

Para mim é muito fácil ficar um par de dias sem sair de casa... trabalho por conta própria... saltito entre o escritorio e a cozinha, rego a horta de varanda, faço um bocadinho de exercicio na bicicleta fixa, leio, oiço música, vejo filmes que chegam por correio através do Cineteka...

Num desses dias, tive "desejos doces" ao lanche... pensei ir à pastelaria aqui perto. Mas como não apetecia trocar energia com ninguém, optei por confeccionar um bolo em casa (rapidinho).

Já que seria só para mim (pois nessa semana, nem filha, nem marido) dei largas à imaginação resultando num bolinho fantástico, super macio, fofo, divinal. Tudo para dentro da liquidificadora que é a versão moderna de: tudo para dentro do caldeirão! Toda a cozinheira...é uma feiticeira :)

CONFECÇÃO:
  • 2 mãos* de folhas secas de Urtiga;
  • 1 mão* de miolo de Noz;
  • 1 xicara farinha Trigo semi-integral T80;
  • 1/2 xicara fécula de Milho (Maizena);
  • 1 colher (chá) Poejo desidratado;
  • 1/2 colher (café) Erva-doce em pó;
  • 1 colher (chá) Canela em pó;
  • 1 xicara Açúcar Mascavado Claro;
  • 4 ovos M;
  • 3/4 óleo de Milho;
  • 1 iogurte de soja natural;
  • 1 colher (sopa) fermento Royal.
PARA O MOLHO:
  • 1 Abacate;
  • Sumo de 1 Laranja;
  • Açúcar q.b.
CONFECÇÃO:
Aquecer o forno a 180º.
Na liquidificadora, triturar as folhas de Urtiga (Bimby progressão 5-7-9). Juntar o miolo de noz, triturar (5-7-9). Adicionar a farinha trigo e maizena + as especiarias (5-7-9). Anexar o açúcar (5-7-9). E por fim, os ovos inteiros, o óleo e o iogurte. Programar 4 minutos, velocidade média (4).
Quando faltar apenas 15 segundos, juntar o fermento e deixar liquidificar até ao fim.
Enquanto isto, unte uma forma de bolo com óleo de milho.
Leve a massa ao forno, na forma tapada com folha de aluminio. Eu costumo usar uma tampa de vidro que permite espreitar para dentro da forma. A meio da cozedura baixe o forno para 150º. Ao fim de 40 minutos espete com um palito para ver se está cozido por dentro.
O molho é muito fácil e saboroso: Com a liquidificadora de mão triture a polpa do abacate com o sumo de laranja e o açúcar.

NOTA:
A progressão 5-7-9 não deve ser demasiado rápida. Aumente a velocidade por fases. Primeiro vel.5, deixe triturar um pouco, aumenta p/ vel.7, tritura mais um pouco, por fim vel.9 ou 10, mais uns segundos e desliga.
No máximo, o bolo demora 10 minutos a preparar. Se calhar nem tanto.

Pensei que o bolo ficasse verde à semelhança deste que fiz com ESPINAFRE, mas não! Talvez fosse por causa da noz e do açúcar mascavado.
*mão pequena

07 maio 2011

CHICLÉ NA TEIA AMBIENTAL


«E como tudo
o que é coisa que promete
A gente vê
como uma chiclete
Que se prova,
mastiga e deita fora,
SEM DEMORA
Como esta música que é
produto acabado
Da sociedade
DE CONSUMO IMEDIATO
Como tudo o que se promete nesta vida,
CHICLETE!
aua aua aua aua aua ah!
Chiclete (prova)
Chiclete (mastiga)
Chiclete (deita fora)
Chiclete (sem demora) (x...) »


Continuando no seguimento dos temas da BCFV, entramos na ADOLESCÊNCIA, desta vez dentro do contexto Teia Ambiental. A abrir a postagem de hoje, pop-rock português, da década de 80, ou seja, da minha adolescência!

O tema tem raizes em várias décadas, não é exclusivo de nenhuma em especial. A chiclete e a sociedade de consumo imediato são um gravissimo problema ambiental. Mascar uma chiclé não é, apenas, dar aquele ar de irreverente, tipico dos adolescentes. Alargou-se de tal modo o uso que muitos adultos, por exemplo, comem pastilhas para lavar os dentes quando estão fora de casa, para diminuir stress e ansiedade, para deixar de fumar, combater mau hálito,...

E pasme-se! A chiclé tem beneficios! Mastigar, fortalece os músculos da face, evita rugas, é indicado como exercicio em terapia da fala, estimula produção de saliva, combate placa dentária e! e e e e e... ajuda a perder peso!!!!

Por tudo isso e por tudo mais que sirva de pretexto ao consumo de pastilhas elásticas (importante, sem açúcar), alimenta-se uma industria poluidora, que produz um produto à base de borracha e corantes, com dupla e tripla embalagem, que se prova, mastiga, deita fora, sem demora. Como todo produto acabado, supérfluo, de consumo imediato!

Credo!! Cantei tanto esta música dos Taxi e nunca refleti sobre a mensagem implicita!!! Comi tanta chiclé, concorri a tantos balões perfeitos de liberdade para o ar, joguei tanta pastilha mastigada fora (nunca no chão!) e só agora é que me questiono??

Em Portugal não se ouve falar do problema das Bubble Gums. Mas na América e no Reino Unido dizem que são uma praga, séria e preocupante. Daí que surgiu a reciclagem de pastilhas elásticas, começando pela colocação de Bubble Gum Bins pelas cidades. O objetivo é aliciar as pessoas a depositarem as pastilhas usadas no contentor. Desta forma, dizem os governos, poupar dinheiro dos impostos que antes era gasto na remoção das pastilhas em passeios, estradas, paredes de edificios e mobiliário urbano! Mais ainda, evita a desinfeção desses locais com produtos quimicos altamente abrasivos, prejudiciais ao ambiente.

A Bubble Gum Recycling, anda na boca do povo. A consciência das consequências, do inocente mascar de chiclé, alarga-se... ninguém antes pensou que uma pastilha mastigada contém saliva... através da saliva transmitem-se "n" doenças. É comum ver cães ou outros animais citadinos, inclusive os microscopicos que ninguém vê, serem atraidos pelo cheiro a morango, pelo doce ainda latente após mastigação, coladas nos bancos de jardim, ou pisada por um sapato e trazidas para casa...

Mas a arte de consciêncializar não passa só pela música, pelos versos, pela propaganda. Há também quem aproveite a onda bubble gum para se expressar através da arte plástica contemporânea. Simone Decker em 1999 fez de Veneza uma galeria de exposições, ver mais fotos deste trabalho CHEWING VENICE (aqui).

Gostaria de continuar a dissertar sobre o tema, mas o post já vai longo e este tem também de ser um produto de consumo imediato, caso contrário ninguém lê! Portanto termino assim a corte de foice, com a produção caseira de sugus de morango. Chicletes, ainda não fiz cá em casa. Gomas sim, mas não publiquei. Os sugus caseiros são muito simples, basta desidratar colheradas de iogurte de morango (ou de outro sabor). Depois de seco o iogurte espalmado pode ser enrolado ou dobrado. É muito saboroso e não contém borracha!!!


RESTANTES CONSPIRADORES PERSERVACIONISTAS DA TEIA:
AromaDeCafé
EssênciaEstrelarMaia
BlogDoHermes
DivinaProfissão
CozinhandoComJosy
ConversasCartomanticas
Espiritual-Idade
Espiritual-Poesia
Lar Encantado
ConhecerKardec
FloraDaSerra
AlmaMater
DocesTentaçõesDaHannah
AlgunsVersinhos
GotinhasDeLuz
HistorinhasDaVozinha
CocoCrú
Natureza...Lindaaaaaa!!!!

05 maio 2011

SALAME DE LEITE DE SOJA EM PÓ

ARTIGOS RELACIONADOS:
Salame de Soyppuccino
Salame de Alfarroba

Comprei esta lata para experimentar confeccionar o já publicado Latte Express con Essenza di Anice mas desta vez, com bebida de soja em pó. Infelizmente com a soja, o expresso não deu resultado :(
Quando julgava que ia deixar estragar a lata de pó, surgiu a ideia genial do salame branco. Palmas para mim! É uma delicia NÃO láctea.

INGREDIENTES:
  • 170 gr bolacha de canela;
  • 1 ovo M;
  • 50 gr açúcar branco;
  • 130 gr manteiga vegetal PLANTA;
  • 50 gr leite soja em pó;
  • 15 bolinhas de Pasta de Amêndoa.
CONFECÇÃO:
Triturar a bolacha em pedaços médios. Retirar do copo do liquidificador e reservar.
Deitar os restantes ingredientes no copo da Bimby exceto as bolinhas de pasta amêndoa. Programar temperatura 70º, 3 minutos, velocidade 1. Findo o tempo, adicionar a bolacha na velocidade 1 a 2. Deixar arrefecer.
Formar o rolo com o SUSHEZI.

03 maio 2011

SALTEADO DE MARYLINI COM AMIZADEIAS

Endoidei de vez, eu sei!
Vamos começar por desmistificar o título?
Não há mistério nenhum. A situação é a seguinte:
Ontem a Lina, nos comentários das Favas de Sequeiro deu-me uma ideia maravilhosa para confeccioná-las. Às ideias da Lina, juntei as dicas da Cláudia, que também nos comentários dizia-me que o pai dela enquanto descasca favas, gostava de comê-las cruas.
Vai dai, quando fui à despensa escolher a massa apropriada, encontrei meio pacote duma massa oferecida pela minha "antiquissima" amiga Mary (não é que a rapariga seja velha, simplesmente já a conheço de outros carnavais). E foi assim que surgiram as AMIZADEIAS (amizade ideias).
Como não sabia o nome da pasta... pesquisei, nada encontrei... chamei-lhes MARYLINIS, prenda da Mary, inspiração da Lina.

INGREDIENTES:
  • Marylinis cozidos;
  • Azeite;
  • 2 dentes de alho laminados;
  • 1 alho-porro (parte branca);
  • 15 a 20 feijões de Fava (sem pele);
  • 3 hastes de Poejo fresco;
  • Sementes de Gergelim (sêsamo);
  • Sal fino;
  • Suco de Gengibre ralado;
  • Raspa de Laranja biológica;
  • Hortelã fresca picada.
CONFECÇÃO:
Cozer os Marylinis :) Reservar.
Numa frigideira ou wok, deitar azeite, laminas de alho, aquecer.
Juntar as favas sem pele e o alho-porro às rodelas. Atenção que quando digo pele é mesmo aquela pelicula do feijão de fava. Não me refiro à vagem. Essa é a casca, não a pele.
Retira-se a pele para facilitar o cozinhar da fava.
E é aqui que entra a ideia da Claudia, pois em vez de escaldar as favas como fez a Lina, eu simplesmente juntei as favas em crú ao azeite e alho. Prefiro assim para não perder nutrientes na água quente. Mesmo que as favas fiquem meio cruas não há problema, embora tenham cozinhado completamente.
De seguida num almofariz, trabalhe gergelim e sal, para povilhar o preparado. Reserve.
Raspe casca de laranja biológica e à parte, raspe raiz de gengibre fresco. Reserve.
Junte mais azeite ao wok, inclua a massa, misture com as favas e o alho-porro. Povilhe com o sal de gergelim, tempere com suco do gengibre ralado, termine com raspa de laranja.
Já no prato, decore com hortelã fresca picada. Coloquei imensa, pois adoro hortelã.

MUUUITO OBRIGADA ÀS MINHAS DOCES AMIGAS. Gostei muito de "almoçar com vocês" hoje.
MARYZITA, MAIS UMA VEZ, THANK YOU PELOS MARYLINIS (que vieram acompanhados duns fantásticos chocolatinhos de casca de laranja).

01 maio 2011

SEMEAR, COLHER E COZINHAR - FAVAS DE SEQUEIRO

Assim é a sutentabilidade pessoal: semear, colher e consumir o que se produz a baixo custo.

O útero materno da Terra foi fecundado pela semente em finais de Nov do ano passado (2010). Germinou, alimentou-se dos nutrientes resultantes da decomposição natural do solo, das chuvas, do sol, fixou o azoto no chão que servirá de fertilizante à futura cultura da batata de sequeiro, e cresceu em completa liberdade, sem intervenção humana.

Ao fim de 5 meses, a Mãe Terra deu à luz, 50 kilos de vagem com fava. E como toda a época de colheita é um festival de cor e sabor, nada melhor que dedicar o Dia da Mãe a todas as Mães, inclusive aquela que mais filhos tem, independentemente de pertencerem ao reino animal, vegetal ou mineral. Parabéns por este dia, MÃE TERRA! Obrigada por me criares, educares, alimentares, protegeres... Fico-te muito grata. Estimar-te-ei para sempre. Prometo!

Almoço do Dia da Mãe: FAVAS GUISADAS

Outra opção: FALAFEL DE FAVA E GRÃO

Ou então: SOPA DE FAVA SEM BATATA