27 março 2012

MIL FOLHAS DE (des)GOSTOS

«19-01-1990 (18 anos de idade)
Querido Diário:
como em toda a minha vida, estou confusa. Por vezes quero ser criança e não pensar em namoros.
Outras vezes tenho medo de perder o Ricardo.
Eu sei que ele não é o ideal para mim, mas dá a sensação que vou amá-lo por toda a minha vida.
Gostaria de ter melhor. Porém, será que alguma vez conseguirei o idealizado?
Deverei ficar com o que tenho?
Demasiada ambição pode ser perigoso...
Mas será que algum dia poderei casar com ele se a toxicodependência (leve) dele continuar.
Tenho esperança que a cura aconteça e como toda a gente fala, a esperança é última a morrer.
No entanto, não vou deixar ele me destruir, trabalhei muito para ser o que sou hoje.»

Isto de gostar de alguém nunca é fácil. Torna-se ainda mais dificil quando estamos em tenra idade, confusas que caminho tomar. Projetamos como todo o mundo, um futuro padronizado, familia, filhos, sucesso na profissão e até ao momento de nos decidirmos pelo SIM, aceito o (...) para meu legitimo esposo, escalamos a custo o nosso lugar na sociedade.
Será que devia ter botado tudo a perder e seguir cegamente a paixão? Não o fiz.
Agi em
consciência
. Este é um dos desabafos de 1001 noites de desgostos ruteanos. Escriturados entre dúvidas e lágrimas num diário salgado de mil folhas.

INGREDIENTES:

  • Azeite para o refogado;
  • Cebola em meias-luas (quarto-minguante);
  • Batatas novas laminadas;
  • Picadinho de alho;
  • Couve-flôr destroncada;
  • Soja texturizada fina;
  • Molho de soja;
  • Cominhos em pó;
  • Pitada de pimenta;
  • Sal fino;
  • Azeitonas verdes;
  • Amendoas laminadas;
  • Hortelã fresca picada;
  • Queijo de tremoço (ou outro);
  • 2 embalagens de massa folhada;
  • Alface para decorar.
CONFECÇÃO:

Muito fácil. Hidratar a proteina de soja. Aquecer o forno a 180º.
Refogar cebola e alho no azeite, juntar a batata laminada, os tronquinhos de couve-flôr, temperar de molho de soja.
Passado um pouco, juntar a soja fina, temperar de cominhos e pimenta. Adicionar as azeitonas sem caroço e cortadas aos pedacinhos. Mais a amêndoa laminada (usei amêndoa com pêle) e a hortelã fresca picadinha.
Conferir paladar, retificar sal.
Num tabuleiro de forno, colocar uma massa folhada por baixo, o recheio dentro, povilhado com queijo ralado, e por fim, a outra massa folhada por cima.
Levar ao forno. De inicio aumentar a temperatura para 200º para que a massa folhe bem. Mais tarde diminua a temperatura para não queimar.
E você? Também tem mil folhas rascunhadas de desgostos? Salgadas com lágrimas e apimentadas com quartos-minguantes de cebola?

Vem compartilhar com a gente uma folha da sua vida no dia 15 ABRIL.

26 comentários:

  1. Eu tenho vários diários, que comecei aos 13 anos, em 1958 !!!
    Amores, tristezas e sonhos fazem parte desse nosso caminhar romântico...

    Beijo

    ResponderEliminar
  2. Diários já foi tema de postagem, por eu amar escrever e colecionar... tenho meus queridos e guardo-os em uma caixa com bastante carinho!
    E essa receitinha, ameiii...
    Um semana repleta de paz e harmonia!
    Um beijo enorme.
    Lorena Viana
    pequena-prendiz.blogspot.com

    ResponderEliminar
  3. Meus diarios já foram meus grandes confidentes, já ficaram com algumas páginas molhadas por minhas lágrimas de tristeza, com o passar do tempo e com doses cavalares de experiência, lágrimas de alegria e emoção. Gostos e desgostos. Que seríamos nós sem os desgostos, decepções, tristezas né Rutinha, se não os tivessémos como aprenderíamos a dar valor aos gostos, aos pequeninos que sejam, mas que nos faziam tão felizes e mais fortes. Folhas salgadas,essa criatividade me surpreende cada dia mais, adorei a assossiação ao tema à receita. Porisso te admiro cada vez que "te leio" hehe
    Que belas mil folhas, caprichosamente bem recheada e com um aspecto tentador minha amiga. Gostei muito. Beijinhos

    ResponderEliminar
  4. Diários nunca tive...mas tenho um livro de recordações da minha adolescência em que os amigos escreviam versos ou textos. Neste livro tenho lá o meu primeiro desencanto(e alívio também!)... Gosto muito mais destas tuas mil folhas saudáveis, esta cebola em quarto minguante não me fará chorar, só se for de tristeza por não comer esta delícia, mas sobra sempre a esperança de poder repeti-la por aqui!
    Ótimo texto e maravilhosa receita(como sempre!). Tu nunca me desencantas!
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  5. Boa tarde amore
    liberei post da minha nova parceria
    e nós vamos fazer um sorteio tbm
    venha conhecer a loja e
    alguns dos modelos ok
    fico feliz com sua participação
    ótima semana
    bjinhosઇઉ
    www.coisasdeladdy.com
    participe tbm do sorteio By geo
    dia 30 dou o resultado
    e vc pode escolher entre 3 brincos
    http://www.coisasdeladdy.com/2012/02/sorteio-by-geo.html

    ResponderEliminar
  6. Adorei a metáfora do mil folhas para o diário...
    Que vontade de ir vasculhar nos meus diários antigos...
    Beijinhos*

    ResponderEliminar
  7. Que lindo post e receita bem elaborada!beijos,chica

    ResponderEliminar
  8. Rutinha,
    neste precioso diário as mil lágrimas salgadas como a iguaria consolam a alma e o paladar das muitas idas e vindas dos nosso sonhos românticos.
    Deliciosa analogia.Romântica degustação.
    Iniciei um diário mas não dei prosseguimento.Hoje lamento tê-lo perdido pelos caminhos.
    Bjkas apimentadas,
    Calu

    ResponderEliminar
  9. Ai, Rute, se não fosse o tema do desgosto quase ri com sua associação das folhas do diário com as folhas da massa folhada, rs. Também já tive o hábito de escrever diários, mas parei há alguns anos, culpa da correria da vida, pois me faziam muito bem e gostava de ler minhas "agruras" de anos atrás, muitas vezes rindo delas, rs. Tão feminino seu diário! Bem se vê que é de moça de sensibilidade :) Beijos!

    ResponderEliminar
  10. Rute, menina! Isto é que é campanha!!! Estou impressionada contigo!
    Adoro folhados salgados, vou ter que experimentar este!!! Folhadinhos com um cafezinho muito leve (aqueles de mistura e feitos na cafeteira, como a minha avó fazia e que deixavam um cheirinho pela casa... hhhhummmmm!!!!) e para mim não há nada que os relacione ao desgosto! ;) Adorei estas ligações que fazes e esta tua determinação em... angariar participações para a blogagem do momento!!! :)
    Beijinhos
    Isabel

    ResponderEliminar
  11. Olá amigas,

    FLORA, tenho 2 diários. Este do post é o segundo. O primeiro diário comecei a escrever aos 11 anos (em 1983). É interessante olhá-los agora, de outra perpectiva mais matura.

    LORENA, já tenho visto por aí postagens sobre diários. Mas só agora é que consegui relacionar com a culinária. Aqui no PPP é sempre mais dificil de colocar todos os temas que vêm à cabeça.

    JOSY, também sinto isso, a maturidade e experiência resgata-nos das lamúrias e do estado de vitima. Com o tempo a gente entende que há males que vêm por bem e que a culpa não morre solteira.

    LINA, fiquei curiosa com esse teu desencanto que se tornou alivio :) Depois de cortar muita cebola e de deixar rolar muita lágrima, concerteza o alivio vem e o sol volta a nascer noutro encantamento próximo.

    ELLY, obrigada. Assim que possivel, passo no seu espaço.

    ANOUSKA, graças ao mil folhas salgado aproveitei para recordar algumas páginas. Soube duplamente bem, comer e ler.

    CHICA, obrigada amiga. Beijinho.

    CALÚ, tenho dúvidas... não sei se as mil lágrimas consolam, se alimentam ainda mais a tristeza. Era tão chorona que quando mudei a maneira de reagir, costumava afirmar: chorei tudo antes, sequei as lágrimas, agora não tenho mais. E fazia força para chorar e não conseguia.

    ADRI, gostou? isso é que é preciso. Em parte, nós continuamos a escrever "diários" porque o blog, na sua essência é um diário virtual. Apenas o secretismo dos diários em papel, esbateu as fronteiras e expandiu-se pelo mundo.

    ISABEL de matos, acho que os amores e desamores estão-me nas veias. Cada criação culinária durante a BC estará sob influência do tema dominante. Quanto a reproduzires o mil folhas, vale a pena! A massa folhada retangular encontras no lidl.

    Beijinhos e obrigada pela visita.
    Boa semana a todas.
    Rute

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu sei! Costumo usar sempre a massa folhada retangular do Lidl!!!! É das únicas que não tem açúcar na composição... ;)
      Beijoquinhas!
      Isabel

      Eliminar
  12. Já leste o comentário que eu deixei à Lina lá no post dela da regueifa? ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Agora já li :) Ontem tive um dia muito atarefado.

      Eliminar
  13. Rute... Diarios... Diarios e folhas soltas é o que para lá ha mais em casa, pensamentos, textos, poemas, tantos deles com lagrimas derramadas... Algumas paginas deles vao sair cá para fora agora no dia 15!!!!

    Desculpa por ontem nao ter comentado o teu cantinho, inclusive eu estive cá antes de ires ao meu e na altura ja nao me lembro porque nao deixei o comentario, depois á noite entre ir regar os legumes e chegar a casa fazer o jantar eis que o tempo passa e olha nao consigo fazer tudo o que quero!!!!!!

    Mas esse teu folhado deixou-me KO muito bom mesmo!!!!

    Vou Lançar um desafio lá no meu blog... Acho que vai ser daqueles que vais gostar... pode ser com gelatinas ou agar-agar... eu tb lhe chamei blogagem colectiva...Desculpa se foi um pouco plagiado o nome blogagem, mas nao consegui encontrar outro termo... depois passa lá!!!!

    Beijocas

    ResponderEliminar
  14. Ah pois não é nada fácil, não! :)
    É isso e ter net è disposição, cá para os meus lados tb tem estado difícil. Vim dar uma espreitadela, e vou pensando nos desencantos, o que até não é difícil... :)

    Será que no dia 15 já estou on line? Se não estiver, vou à biblioteca, como fiz da outra vez.

    beijinhos com mil folhas

    ResponderEliminar
  15. Oi, Rute!

    Quando faço minhas escolhas, procuro não olhar para trás, e até hoje, tenho me resignado ao que não posso mudar, e mudado o que posso, e procurado aceitar e conviver com a minha realidade. Isto não significa que não tenha minhas folhas de desgosto, rsrs

    Adorei a página do seu Diário.

    Beijos
    Socorro Melo

    ResponderEliminar
  16. Oi querida Rute
    É dificil não olhar para trás e como a Socorro diz, nem tudo podemos mudar, assim o melhor é conviver com a realidade e seguir sem desgostos.Já rasquei alguns diários.
    Vc e sua criatividade!!! bjs,

    ResponderEliminar
  17. Rute minha querida, como é bom ler-te! Belas palavras... pessoas como você, dotada de luz e sabedoria engrandecem meu ser. A blogosfera nos traz tantas dádivas em forma de palavras, carinho.
    Você é um delas. Me traz muita felicidade.
    Um lindo dia!
    Beijo pesado de carinho.
    Lorena Viana
    pequena-prendiz.blogspot.com

    ResponderEliminar
  18. Amiga Rute, hoje estou passando só para deixar um abraço de agradecimento por conta do carinho e atenção recebido. Gosto muito de você, sabe disso, né!
    Um abraço bem forte e um beijo no seu coração!
    Bjuss!!!

    ResponderEliminar
  19. Amiga, nunca consegui escrever um único diário, eram sempre apanhados pelos meus irmãos que gozavam comigo à força toda...eh eh... acabei por desistir, com muita pena pois muitas coisas agora eu gostava de recordar... Mas sim com certeza que haveriam também muitas folhas rascunhadas de desgostos com lágrimas à mistura e tudo o que faz parte! ;)
    Adorei este teu folhado!
    Beijinhos doces.

    ResponderEliminar
  20. Olá amigas,
    esta semana foi mais dificil responder a vocês e visitar blogs. O tempo disponivel foi curto.
    Agradeço a todas o carinho e a visita.

    MARGARIDA, também tenho folhas "folhadas" soltas :) Já versei muuuuuuuuito. Agora não me tem dado para poetisa. Depois vou lá espreitar o teu desafio.

    CLAUDIA, então essa internet não estabiliza!? Vou torcer para que dia 15 consigas publicar sem stresses.

    SOCORRO MELO, é mesmo, decidir em consciência é evitar ficar lamentando o passado. Também não costumo olhar para trás, nem chorar sobre leite derramado durante muito tempo. Este relacionamento que publiquei já está mais do que morto e enterrado. Até parece que foi noutra vida :)

    NORMA, xii isso nunca fiz, rasgar diários. Gosto tanto dos meus. São pedacinhos de mim, da minha evolução.

    LORENA, que docinho que você é. Obrigada pelas palavras, querida.

    RACHEL, então amiga, recuperando devagarinho? Eu sei que você tem grande estima por mim. E eu por você. Obrigada de coração.

    PITECA, que pena os teus irmãos terem apagado os diários. Sabe tão bem ler os escritos ao fim de muitos anos e notar como eramos e como não somos mais. Eu consigo ver lá nos meus diários a Rute insegura e confusa que mudou da noite para o dia apartir dos 30 anos.

    Beijinhos a todas.
    Continuação de bom final-de-semana.
    Rute

    ResponderEliminar
  21. Oi Rute!
    Que prazer ler suas palavras lá no meu cantinho!
    Adorei tudo por aqui!
    Li seu " Como começou " e " Como me defino", simplesmente amei e me identifiquei minha querida!
    Adorei sua receita, estou em uma fase "natureba", já consegui emagrecer seis quilos, acho que já estou em meu peso normal, graças a Deus e muito esforço pessoal como fechar a boca e fazer caminhadas...
    Ah! Quantos diários escrevi, mas sempre desistia, pois era sempre "deescoberta" pelos meus muitos irmãos rsrsrsrs
    Amei te conhecer melhor e gostei de você!
    bju
    com carinho.
    Mrly

    ResponderEliminar
  22. Rute, passando pra te deixar beijuzinhos...
    Não tive diários, mas certamente teria muitos desencantos registrados. Amadurecer pode ser triste, quando você se conscientiza que tudo aquilo que você sonhou criança, não é passível de realização na vida adulta. Para não dar tudo como perdido, você vai substituindo por sonhos possíveis.
    Vim avisar que o meu email do ovi está com problemas e assim que liberar te dou um retorno.
    Bom fim de semana!! Beijus,

    ResponderEliminar
  23. OLÁ, querida Rute
    Estive ausente pela Quaresma...
    E como tenho, amiga!!!

    Páscoa é:

    "Coragem é a resistência ao medo,
    domínio do medo,
    e não a ausência do medo."
    (Mark Twain )

    SAIR DO PRÓPRIO TÚMULO

    Jesus libertou-me... enviou-me anjos para me soltar das amarras que me prendiam...

    Apóstolo Pedro: “precisamos dar razões que justifiquem a nossa Esperança” (1Ps 3,15).

    FELIZ PÁSCOA PARA TODOS NÓS!!!
    Abraços fraternos de paz

    ResponderEliminar
  24. Oiee Rute!!
    Realmente é um dom falar do passado com doçura e leveza, dom para poucos.
    Te gosto por isto, sabia??
    Hummm receita sempre apetitosa....bjs e boa semana pra ti!!

    ResponderEliminar