10 abril 2012

AMOR INJUSTO NA TEIA AMBIENTAL

imagem m/autoria
«Eis que de repente, pode vir uma bruxa malévola e quebrar o Encantamento como para surpreender-nos... desinstalar-nos... Recebemos até uma provável sugestão mascarada de feitiço: aceitar o novo que nos é oferecido... ou relutar?»

Tudo na vida acontece assim, inesperadamente. Porque até acontecer, é para nós desconhecido, inimaginável. E não é só, o menos bom que desinstala, é também o que não estamos habituados, o novo que se sobrepõe ao velho hábito enraizado.

O que aconteceria se, derrepente, o chocolate deixasse de fazer parte da nossa vida? Ou então, ficasse tão caro que passaria a ser considerado alimento de luxo?

Xiiii, não quero nem imaginar!! Páscoa sem ovinhos de chocolate, Dia dos Namorados sem caixinha de bombons, Natal sem sinos, estrelas, e outras figurinhas de chocolate. O padrão festivo seria alterado drasticamente. Tudo acinzentava, especialmente se o açúcar também sumisse.

Seria como se, na maravilhosa Terra de OZ, repleta de ovos, coelhos, lolly-pops, lacinhos e outros enfeites tais, uma bruxa montada em sua vassoura, colocasse um feitiço malévolo que durasse 100 anos, onde todos adormeceriam e apenas o beijo do verdadeiro AMOR universal, tivesse poderes para acordar os dormidores da vida e fazê-los enxergar as causas e efeitos de nossas ações.

Bom, parece conto de fadas, mas a realidade está mais perto do sonho do que se pensa. Há de fato uma doença chamada "vassoura-de-bruxa" que está atacando os cacaueiros. A doença se comporta como uma peste que desvitaliza o cacaueiro deixando tudo queimado, destruindo produções inteiras. Castigo divino? Talvez!

No tempo dos Astecas e Maias, o cacau era considerado dádiva dos Deuses à humanidade. De tão importante, virou até moeda de troca! Juntar grãos de cacau, era sinónimo de riqueza. Estes grãos permitiam comprar tudo o que se desejasse: Por exemplo, 1 escravo podia ser comprado com 100 sementes de cacau; 1 coelho com 10 sementes; 1 abóbora com 4 favas de cacau... e por aí adiante, vestuário, mulheres, tabaco, bebida.

Na época, as sementes eram torradas, moidas e misturadas com água quente em uma papa temperada com baunilha e pimenta, dando origem à bebida nutritiva, confortante, estimulante que produzia bem estar e bom humor. Porém, essas sensações de plenitude deixavam as pessoas viciadas no produto, assim como, a falta, conduzia-as a estados depressivos. Dai a importância como moeda de troca, pois a compulsividade do seu consumo, transformara a semente de Deus em pura ganância dos homens: busca de prazeres carnais e satisfação de necessidades dependentes.

Muita coisa mudou desde a época dos indios, mas sempre haverá reis e escravos, sempre haverá os que trabalham e pouco ganham, e os que pela esperteza enriquecem à custa dos outros. Um amor injusto pela humanidade em consequência de um comércio desequilibrado que marginaliza a origem na hora de distribuir os lucros.

Sabia que, para adoçarmos a boca de nossas crianças, sujeitamos indiretamente ao trabalho infantil, inúmeras crianças nos paises produtores de cacau? Sabia que, dos 60 bilhões de dolares/ano que o comércio de cacau gera, os produtores apenas ficam com 3,3% desse dinheiro? O resto vai para a industria transformadora, distribuidora, comissionistas, publicidade entre outros intermediários de venda.

Opções há? Há!
Não digo para deixarmos de comer chocolate, até porque é um alimento rico em anti-oxidantes, vitaminas e minerais. De preferência, chocolate negro, sem açúcar e sem leite. Mas há a possibilidade de apoiar o Comércio Justo. Cacau proveniente de culturas sustentáveis, cooperativas de produtores que dão condições dignas aos trabalhadores. Assim, quando você estiver ofertando chocolate a alguém, está sinceramente manifestando um amor que é justo para todos, inclusive para o planeta.

Confecção caseira de bombons. 1ªimagem - chocolate crú; 2ªimagem - chocolate tablete

O presente artigo faz parte da Teia Ambiental, uma iniciativa da Flora e do Gilberto.
Veja o emaranhado de fios deste mês de Abril, nos seguintes links:


PreservandoOverde.blogspot.com.br
EscolaÉbela.blogspot.pt
CozinhandoCom Josy.blogspot.com.br
FloraDaSerra.blogspot.com.br
JorgeVicente.blogspot.pt
AromaDeCafé.blogspot.pt
Brasilan.blogspot.com.br
wwwLarEncantado.blogspot.com.br
www.idade-espiritual.com.br

14 comentários:

  1. Iiiih, ficar sem chocolate! Ahhhh! :))))

    No entanto, o problema do comércio justo é que não está bem apoiado. Toda a gente devia conhecer, os meios de comunicação social deviam começar a se interessar, ser algo que o mundo (todo o mundo) apoiasse para que vivessemos realmente num mundo mais justo...

    Como fazer para mudar a situação?

    Muitos beijos!!!!
    Jorge

    ResponderEliminar
  2. A vida sem chocolate é possível sim ! É somente questão de hábito.

    Eu era louca por chocolate quando criança.
    Quando meu irmão mais novo nasceu de uma cesariana - coisa séria e preocupante há 60 anos atrás - eu dormi 1 dia no hospital com minha mãe, pois já tinha 7 anos.
    Meu pai, desnorteado com a situação assustadora desse parto estranho para quem já tinha 3 filhos nascidos de parto normal, em casa com parteira, levou para mim uma grande quantidade de chocolate que comi sem pensar muito !

    O fato foi que adquiri um enjôo por chocolate tão grande que durou até meus 12 ou 13 anos !!!

    Mas aos poucos o velho fascínio foi voltando e tornei a ser louca por chocolate ! Mas como sou uma senhora sensata, regulo minha gula...

    Ótima participação, para nos mostrar a dura realidade da vida em seus doces/amargos vícios, e no que o Homem transforma as "sementes de Deus".

    Beijo

    ResponderEliminar
  3. Olá, querida amiga Rute
    Estou aqui a chorar... pelo primeiro parágrafo que colocou e que escrevi com o coração...
    Estava justamente terminando de adornar o meu post do dia 15 com o Tema Desencanto...
    Lágrimas e mais lágrimas sem fim...
    Seu post está maravilhoso... dando uma vez mais a prova palpável da sua inteligência emocional inclusive... Parabéns, minha irmã do coração!!!
    A bruxa anda solta... pelo lado da natureza e do coração... rsrsrs...
    Vc sempre unindo o útil ao agradável... isso é Dom... agradeça ao Pai dos pais...
    Bjm em seu coração e ore por mim do seu jeitinho...
    Fico longe das bruxas pra não mexerem no meu encanto que não sai do meu coração (pois não o desejo)...
    A minha natureza agradece...
    E,quanto à descrita em seu rico post... vamos denunciando e a consciência vai sendo formada pelos cacaueiros mercenários...
    Em tempo: Tempo Pascal recheado de chocolate interno pra VC: ternura , carinho, compreensão e amor... sem fim!!!

    ResponderEliminar
  4. A amizade é eternizada por nós mesmos,
    portanto para ser eterna só depende do querer que há dentro de cada um,
    pois não importa a distância,
    já que é impossível viver independente desses obstáculos que o destino coloca na vida de todos,
    assim nos separando. Uma boa amizade deve ser guardada no peito,
    lembrada com muito carinho, pois amigos são pessoas raras,
    pessoas que muitas das vezes contribuem para a nossa felicidade,
    para o nosso crescimento, para a nossa vida, até mesmo sem percebermos.
    E o que vale a pena é saber que são amigos muito importantes,
    mesmo estando ou não perto de nós com freqüência.
    E sua amizade é uma das coisas mais importante na minha vida.
    Ser sua amiga é uma benção Divina.
    um previlegio que Deus me deu
    que me ajuda a ser feliz e ver o Mundo mais bonito.
    Beijos meu eterno carinho,Evanir.
    Eu abençoo com minhas duas mãos nossa amizade
    e que Deus transforne num hino de Amor.

    ResponderEliminar
  5. Olá, maninha!Deixaste-me apavorada agora, quase corri para o supermercado mais próximo para me abastecer de barras de chocolate!Anda uma bruxa(praga)a atacar o chocolate??!Bem, este cenário está a modificar-se, agora já não como tanto chocolate como comia há uns meses. Penso que se comprarmos pouco, mas bom chocolate, não comemos tanto, porque um quadradinho sacia bastante e não tem tanto açúcar. Pena que comprar chocolate de comércio justo não seja muito fácil, com o café já resolvi essa questão com a marca DELTA, mas chocolate é mais difícil. Talvez se começássemos a consumir mais desses produtos havia mais oferta...e seríamos todos mais felizes! Um alimento encantador como o chocolate perde quase todo o seu encanto com a sujeira que descobrimos por trás...a ganância humana estraga tudo!Mais um texto sensacional saído dessa criativa cabecinha, fico encantada e enfeitiçada com a tua escrita, é um dom maravilhoso que tens!
    Beijinhos de chocolate amargo(do bom!)

    ResponderEliminar
  6. Minha querida Rute:
    Dá-me água na boca a tua postagem da Teia.
    A idéia da Teia era denunciar e gerar indignação, e eis-me com água na boca.
    Sim, é claro, há o protesto inserido no texto. Mas, quem se importa de protestar, diante de tanta e tão deliciosas informações sobre o chocolate.
    Chocolate é aquele tipo de gostosura que depois de começar é difícil parar.
    A vassoura-de-bruxa foi muita falada por aqui, por ocasião da novela Renascer, que foi um dos maiores sucessos novelescos, na década de 90, e que se passava em ambientes de fazendas de cacau.
    Brincadeiras à parte, como sempre ótimo texto, alertas valiosos, e com um doce sabor de reprimendas adocicadas, daquelas que costumamos dar aos filhos. Chama-se atenção contra o que não é bom, mas não se despreza o sabor que se pode extrair da vida.
    Abraços ecológicos, minha sábia amiga.
    Gilberto.

    ResponderEliminar
  7. Olá querida, obrigada por ter me despertado! Ando com pouco tempo para ver meu blog e visitar os meus queridos amigos e leitores. Tomara que seja somente uma fase que passará. Seu tema ficou lindo! Interessante, atual, alerta! Precisamos sempre considerar a origem do trabalho, se é escravo, ou injusto! Gostei bastante, parabéns! Tomara que os pesquisadores descubram logo a cura para a vassoura de bruxa (a minha vassoura é da paz não anda por ai, machucando plantas ;)

    ResponderEliminar
  8. Rute,
    simbologia, realidade e possibilidades muito ternamente misturadas neste tacho aromático do cacau.
    Pensar nas etapas do produto é favorecer sua produção justa e ecológica.
    Perfeita confecção, amiga,destes irresistíveis sabores.
    Bjkas,
    Calu

    ResponderEliminar
  9. Nossa que post lindo amiga Rute!
    Encantador, meigo, forte, esclarecedor!
    Passei para te desejar bom final de semana que já esta chegando por ai...
    Deus a abençoe cada dia mais e mais, em nome de Jesus!
    Com carinho
    Marly

    ResponderEliminar
  10. Olá amigos,
    grata pelos comentários e simpática visita.
    Que bom que o texto agradou a vocês. Tem todo esse intuito que mencionaram, ser um docinho com alertas pertinentes.

    Ando sem tempo, mas dia 15 reencontraremo-nos na BC Amor aos Pedaços para nova reunião e troca energética.
    Beijinhos justos.
    Rute

    ResponderEliminar
  11. Rutinha, acabei de agendar a minha participação para a BCAP para amanhã às 11h, espero que funcione. :)
    bjs, até amanhã

    ResponderEliminar
  12. Gostei deste texto, informativo e reflexivo. Soube entrelaçar os fios e nos trazer a "bola da bea" chocolate com questão ambientais.
    bjs
    Amanhã estaremos juntas na BC.

    ResponderEliminar
  13. A Teia Ambiental surgiu há tanto tempo e minha intenção de participar não passou de intenção até hoje.
    Tenho em mente alguns temas interessantes, mas, por diversos motivos, acabam não saindo da intenção.
    Gostaria demais de conhecer plantações e toda história que envolve o plantio, num trabalho jornalístico. Acho que me daria uma grande realização, mostrar todos os lados envolvidos.
    Você sempre muito pontual nas considerações.
    Bjs.

    ResponderEliminar