07 junho 2012

AO FUNDO DO FUNDO NA TEIA AMBIENTAL

"Sai debaixo das pedras. E vai... vai... Descola a memória... flutua no vácuo... deixa-te ficar.
Sai debaixo das pedras. E vai. Vai. Vai mais longe e mais fundo. Não mudes de assunto, só porque é mais fácil.
Sai... vai mais longe vai. Vai ao fundo do fundo, não mudes de assunto...(música aqui)"
Hoje nos encontramos de novo para investigar as ações do ser humano, descer à raiz do problema, abandonar a superficialidade das aparências. Hoje é dia de perguntar se as pessoas de fato amam o ambiental, e dia 15, questionaremos se em verdade, nos amamos uns aos outros:
Sempre fui de ir ao fundo do fundo. Certa vez na escola primária, a professora chamou a minha mãe para uma conversa - A sua filha partiu os lápis dos colegas e desmembrou uma esferográfica de outra menina - quando interrogada, expliquei - Só queria ver o que tinha dentro :( Não foi por mal.
Junto da curiosidade "do ver por dentro" existia a curiosidade de perguntar. Martirizava minha mãe com questões. Por exemplo, numa ida à praia: - Mãe, quando lá chegarmos estará maré cheia? E porque é que há maré cheia e maré vazia? São os peixes que enchem a maré? Ou é uma baleia? E quando a maré vaza, eles vão para outra praia? Porquê?
Questionava incessantemente. Até que minha mãe respondia »»Porque sim!!
Aí eu ficava zangada - Eiiiiiiiiiiiiiiii. Porque sim não é resposta!!!
Esta situação era tão sistemática que me ofereceram o livro dos porquês.
Não sei se veio dai...
Só sei que não descanso, enquanto não entendo como funcionam as coisas (e as pessoas). E o hábito de ir ao fundo do fundo manifesta-se até nas mais pequenas ações. Por isso lembrei de vos falar do costume que tenho de abrir todas as embalagens antes de irem para o lixo. Em especial os cremes, ou detergentes, para aproveitar os restinhos.
A parte incrivel é que ainda se retira tanto produto dos restinhos que pouco a pouco obtém-se muito, e o ambiente agradece concerteza.
Outra situação que muito questionei foi, para onde ia tanto lixo!!
Muito antes de existir a reciclagem, eu ficava preocupadissima com o destino do lixo e novamente massacrava minha mãe com perguntas. 
Ela, coitada, explicava que existiam as lixeiras onde era enterrado o lixo. Que existia a incineração que era o processo de queimar o lixo. Meu Deus, mas depois eu lia os livros ou ouvia falar na poluição dos terrenos e do ar. A preocupação aumentava. O coração apertava. Eu achava que ia morrer já já, nem queria respirar! Cheguei a inventar (e acreditar) que era asmática só para as pessoas não fumarem perto de mim.
Não sei se veio dai... Mas talvez por isso prefira alimentos organicos. Talvez por isso gosto de colher produtos diretamente da horta pessoal. E talvez por isso, dou especial atenção ao lixo que produzo.
Assim continuo na estrada dos porquês, a toda a hora exclamando: Só sei que nada sei!!
A toda a hora me perguntando porque é que há pessoas que não questionam?
Falta de tempo? Falta de prática? Falta de curiosidade? Falta de interesse pela vida?
Hummm pode ser... Mas eu prefiro me manter criança, continuar a chegar atrasada porque fiquei pensando nos porquês. Dispersar porque sou viciada em criatividade e curiosidade. E jamais perder o interesse por viver, por proteger o planeta onde vivo e as pessoas e os animais que amo.
Estão vendo a interminável reflexão que surgiu só de contemplar um restinho de creme no fundo da embalagem?
Gente! faço longas viagens filosoficas nos pequenos nadas da vida e encontro felicidade debaixo de muitas pedras. Basta apenas questionar, levantar a pedra que encerrou o assunto antes de surgir a hipotese de o aprofundar.
E agora? Vai ficar se questionando ou...
Vamos conferir a inquiribilidade alheia?
Esta é uma iniciativa da Flora e do Gilberto.
Duas pessoas maravilhosas por quem me encantei desde há 2 anos atrás.
Deixo a lista de participações para poderem seguir a familia verde:
  1. Flora da Serra 
  2. Alma Mater 
  3. Fractais de Calu 
  4. Essência Estrelar Maia 
  5. Luz de Luma - Yes Party!!
  6. Espiritual-idade
  7. Pensando Em Familia
  8. Cozinhando Com Josy
  9. Lar Encantado
  10. Preservando o Verde 
  11. Debby Amo a minha Vida
  12. Jorge Vicente 

39 comentários:

  1. Oi Rute querida, amei seu mensagem! Aprendi com meus ancestrais (sim, desde o bisavô português) a utilizar todos os restinhos. E nunca deixar comida no prato (sempre se servir várias vezes de pequenas porções e não montanhas de alimentos). Em casa até hoje e ensino meu filho, restos dos frascos ainda é produto! Adorei. Gosto de saber que não sou maluca kkkkkkk

    Paz e bem!

    ResponderEliminar
  2. Continuando, provavelmente vou participar da blogagem do dia 15. Estou me questionando. Um dia direi porque tanta resistência em participar da blogagem Amor aos Pedaços.
    Acredito que a maioria das pessoas estão anestesiadas, em todo o planeta pelo que vejo, mas tenho uma esperança grande no ser humano (tenho que ter né?)

    ResponderEliminar
  3. Querida Elaine,
    que bom que não sou só eu que vou ao fundo do fundo das embalagens :)
    Também pensava que era a única "louca".
    Depois de escrever o post até surgiu o seguinte pensamento: - as pessoas vão pensar que não tenho nada para fazer na vida. Vão pensar que levo vida folgada que até dá tempo para abrir embalagem e retirar o restinho (rsssss).

    Quanto à BC Amor aos Pedaços, aí está um bom questionamento com que participar: Qual o porquê da resistência :)? - quero saber!!
    Beijinhos carinhosos.
    Rute
    (em breve visito sua participação, agora vou ter de me ausentar do micro).

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Acho que quem faz muito, entenderá o seu modo de agir, pois quem faz, sabe quanto custa o tempo e as coisas. Em casa, os meninos nunca espremem o creme dental como devem. Adorava quando eram em bastões, mas sumiram daqui. Logo quando está acabando, vou lá e passo a régua! isso mesmo, não tem nada melhor para espremer creme dental. Apoio na pia e passo a régua. Mas chega uma hora que tudo se espalha novamente. Daí, pego todos aqueles tubos e levo para o meu banheiro. Isso não é mesquinharia, é pensar no que não devo colocar no lixo. A mesma coisa acontece com shampoos, sabonetes e cremes. Eu também sou normal!!

      Eliminar
    2. Luma essa técnica de passar a régua é SUPER!
      Eu costumo espremer com o cabo da escova-de-dentes, mas a partir de agora vou passar a régua também!! Boa dica, menina!
      Beijo!

      Eliminar
  4. Gostava tanto de ter a vossa capacidade de saber escrever assim...bjokitas

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ó Belinha, mas tu tens querida. Publicas ótimos posts e impulsionas iniciativas lindas.
      Só precisas de praticar mais. Junta-te a nós. Participa na Teia ou na BC Amor aos Pedaços.
      Vá! Vai ao fundo de ti mesmo buscar aquilo que já possuis.
      Beijinhos.
      Rute

      Eliminar
  5. Querida Rute:
    Pelo que vejo, a lista de louquinhas é maior do que pensava, pois eu também corto os frascos e os tubos de dentifrício para ir ao fundo e aproveitar tudinho !!!

    E lembro sempre de uma tia do Gilberto, a querida tia Irene, já falecida, que era econômica por necessidade e por vocação e que tinha o hábito de passar o dedo dentro da casca dos ovos para retirar o restinho de clara que lá ficava preso. E também punha um pouquinho de água na embalagem de leite já vazia para aproveitar o finalzinho que lá ainda existia ! Seu marido criticava, chamando-a de miserável...

    Pois eu faço exatamente isso, e lembro sempre da tia Irene !!!

    Veja a postagem que fiz sobre economia naminha família, em 2008, quando ainda não a conhecia, Rute:
    http://floradaserra.blogspot.com.br/2008/10/retratos-de-uma-poca-de-crise.html#comment-form

    Como sempre, sua postagem é um primor, Rute !!!

    Beijo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Flora!!!
      Que ótima maluqueira a nossa, não?
      Ri imenso com seu comentário sobre a Tia Irene. A mim em vez de me chamarem miserável, chamam-me "pobre"!! Meu ex-marido estáva sempre falando: Aiiiiiii és tão pobre! Só tens pensamentos de pobre! Até parece que não tens dinheiro para comprar chinelos de praia novos. Esses que usas já têm meio século. - Ao que eu respondo: - Mas estão bons! Para quê trocar????

      Assim que possivel visitarei seu post de 2008.
      Beijinhos.
      Rute

      Eliminar
  6. Rute,
    é esta tua veia questionadora que acende a chama do interesse pela vida, o que faz toda diferença nas escolhas que fazemos, desde produtos no mercado a práticas conscientes sobre nossos usos e desusos no ambiente.
    Pois, eu tbém sou tachada de pão-dura quando reclamo dos desleixos com as coisas que ainda podem ser reaproveitadas, mas nem ligo(rsrss).
    Gostei demais dos questionamentos aproveitados.
    Bjkas,
    Calu
    OBS: estou na Teia tbém.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi amiga,
      não sabia que você tinha postado dia 6 para conseguir juntar 2 BC´s!
      Mas já rectifiquei a lista, colocando você no inicio. Inclusive descobri que a Lú também postei dia 6.
      Pão-dura também é um bom nome! No aproveitar é que está o ganho. E não no trabalhar muito para ficar rico!
      Beijinhos.
      Rute

      Eliminar
  7. Você mistura e tece os fios de forma exempla nos presenteando com textos criativos e instigantes.
    Nem todos têm o hábito de questionar e de ir a fundo. Apesar de ser uma atitude da criança e a forma como os adultos procedem neste sentido é fundamental para a manutenção desta atitude no fguturo adulto.
    bjs

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Querida Norma,
      tento ter visão holistica e enxergar os fios da teia da vida. Dai ser inevitável o questionamento. Cada pergunta leva-nos a várias respostas.
      Engraçado que até no livro dos porquês, são 500 perguntas...1000 respostas :)
      Mas há mais que o dobro!! Dificil, dificil é gerir todas as respostas. E não interrogar as situações :)
      Beijinhos e até dia 12!!!
      Rute

      Eliminar
  8. Complementando, eu também tenho o hábito de usar os produtos até se extiguirem totalmente. Pão dura???

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Esqueci de dizer que já enviei minha frase do dia dos namorados (Br) para você por mail. Mas concerteza, já viu, não já?

      Eliminar
  9. Rute, que maravilha... tenho pena de nao ter participado... mas pensei que nao ia ter tempo e afinal acabei por ter!!!

    Mas dia 15 pois claro so se ficar doente é que eu nao participo!!!

    E quanto a pensares que és louca??? nada disso, era bom que fossemos assim loucos... Tenho a certeza que o planeta, este unico que temos e onde vivemos, que alugamos e deixamos como legado para as geraçoes vindouras iria agradecer essa preocupaçao!!

    Beijocas

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Margarida,
      também tenho pena que não tenhas participado na Teia. Mas dia 15 JUN reeencontramo-nos novamente e dia 21 também estaremos juntinhas na BC Cores do Arco-iris.
      Ainda bem que há tanta gente a compreender esta "loucura" de ir ao fundo do fundo das embalagens.
      Beijinhos.
      Rute

      Eliminar
  10. Rute minha querida como sempre sua participação excelente, e não é uma louquinha não, tenho o costume até hoje adquirido com minha mãe, de cortar as caixas, espremer tubos, e aproveitamentos hoje em dia principalmente é uma obrigação para conosco e com o meio ambiente.Os detergentes por ex, quando estão no finalzinho, junto-lhe água, dá pra usar muito ainda. E desejo que vc continue assim Rute, com essa eterna sede de aprender,questionar, admiro seu jeito de ser, uma pessoa que creio que acha as expressões neutras e as ausências de respostas intoleráveis. Bjos minha amiga.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Josy querida,
      você passou por cá num dia em que estive muito atarefada e não deu para lhe responder particularmente. Mas hoje acordei pensando na minha falta e vim lhe responder.
      Também faço como você, coloco água nos detergentes, principalmente aqueles mais concentrados que custam a escorrer da embalagem. E viro eles de pernas para o ar, para escorrer o produto até ao fim!!
      Fiquei muito feliz de encontrar tanta gente poupadinha. Afinal há uma razão para estarmos unidas nesta teia ambiental »» temos hábitos semelhantes.
      Beijinhos além-mar.
      Rute

      Eliminar
  11. Olá amigas,
    que bom que somos todas pão-duras!!
    Muito me surpreendeu os vossos comentários.
    Obrigada pela visita e comentário.
    Hoje estou numa empresa-cliente por isso não posso demorar-me na blogosfera.
    Brevemente termino de visitar as participações.
    Beijinhos verdes.
    Rute

    ResponderEliminar
  12. Rutinha minha irmã,

    Uma mente tão ativa e expandida, só pode ser assim!!!!.......não se conformar com respostas tão simples, se o que enxergamos não é tão simples assim, não é mesmo?
    Concordo quando dizes que se abrirmos as embalagens, conseguimos muito mais do produto....também faço isto e fico sempre impressionada!

    A questão do lixo minha irmã, se começo a pensar muito, vou entrando em pânico.....porque sinceramente a situação se agrava cada vez mais.
    Aqui em Goiânia é um terror........lixos e mais lixos que são despejados de forma irresponsável em terrenos, contaminando o solo....fora os esgotos que são despejados á céu aberto, pois aqui muitos bairros ainda não tem canalização de rede de esgoto, usam fossas.....e muitas transbordam pelas ruas......olha, é impressionante!!!....acho que vou até fazer uma postagem na Teia comentando aqui da cidade......a TV da região, está fazendo um trabalho Maravilhoso com os bairros, mostrando todos os problemas, e chamando as autoridade “ao vivo” para responder para a comunidade, cobrando prazos e datas.....acho que vou comentar deste trabalho da TV também.

    Sobre sua pergunta, porque é que há pessoas que não questionam? Minha querida, isto é o que eu e meu marido mais falamos aqui também!!!!
    No caso da região em que moramos, é porque são pessoas muito acomodadas e que não tem interesse nenhum em questionar, mudar conceitos e mudar atitudes.....cada vez nos espantamos mais.
    Mas vamos arrumando Forças para lidar com pessoas e situações difíceis não é minha irmã?
    Afinal, aguá mole em pedra dura, tanto bate até que fura!!!!
    E aqui eu vou dando uma indireta ali, uma direta aqui, dando umas bronquinhas ali, chamando a atenção aqui, e assim quem sabe há de dar uma luz na mente de alguém......

    Minha irmã, como sempre MARAVILHOSA PARTICIPAÇÃO!!!!
    Compartilhamos dos mesmos pensamentos, pois me questiono sobre tudo.....ás vezes preciso até me controlar porque senão piro!!!

    Um grande beijo em seu coração!!!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Lú querida,
      sabe sobre que mais, me questiono?
      Quem mais sofre, os questionadores ou os acomodados?
      Será que buscar respostas ajuda a serenar nosso espirito?
      Ou é mais sossegado viver uma vida adormecida, anestesiada?
      Enquanto a anestesia faz efeito, a pessoa não sente, não pensa, não sai da mesmice, fica só esperando o dia do juizo final... enquanto isso, se prejudica a si mesmo e aos outros :(
      Beijinhos no seu coração.
      Rute

      Eliminar
    2. Rutinha minha irmã,

      Podemos sofrer mais, mas mil vezes sermos questionadores á acomodados.
      Pessoas acomodadas apenas "passam" pela vida: sem pensar, sem aprender, sem crescer, amadurecer, enfim.....que vida é esta?
      Não vou nem falar que vivem vegetando, porque até os vegetais tem sua função específica no planeta.
      Sei lá......prefiro entrar em parafusos, me revoltar, ficar nervosa.....isto prova que estou muito VIVA!!!! e interagindo com o Universo.
      E somos assim......

      Beijos em seu coração minha flor!!!!

      Eliminar
  13. A nossa sobrevivência está ligada ao amor. Se amamos verdadeiramente, somos construtores, não destruímos. Sem amor ou teto, quem sobrevive? Daí penso que a preservação ambiental está ligada ao amor que carregamos dentro de nós. Não podemos destruir aquilo que dependemos para viver. Mas as pessoas confundem tudo por causa do imediatismo. Bom fim de semana! Beijus,

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi Luma,
      sem duvida que o Amor é tudo! Não basta amar a si mesmo, ao nosso companheiro, nossos filhos, familia, amigos... Tem que amar tudo mesmo! Amar em equilibrio saudável. Amar os diversos reinos como falou a Lú: os animais, as plantas, o ar que respiramos, a água que hidrata, a terra que nutre, o fogo que aquece...
      Precisamos de amor em todos os setores da vida. Tudo o que é feito com amor e por amor, enriquece e faz evoluir. E o perdão é a maior prova de amor que o ser humano pode manifestar. Quem é incapaz de perdoar, é porque não sabe amar.
      Beijinhos e bom fim de semana.
      Rute

      Eliminar
  14. Oi, querida!!!

    Eu tb sou super curiosa, questiono tudo e nem sempre fico convensida com as respostas ... rs ...

    Tb abro as embalagens e uso tudo até o final ... muito porque as embalagens têm que estarem vazias para irem para a reciclagem e temos que dar valor ao nosso dinheiro ... se gastamos com algum produto, temos que usá-lo até o fim ... ou dar para alguém que irá usá-lo ...

    Adorei a ilustração!!!
    Bjss

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi linda Carol,
      isso que você falou de "dar para alguém que irá usá-lo" me recordou quando estive em Marrocos pela 1ªvez. Simplesmente visitei Agadir que é uma cidade turistica já com algum desenvolvimento.

      Ora, quando andávamos nas compras pelas lojas, tinhamos um guia, um jovem que nos acompanhava e recomendava os melhores pontos de venda. Nos últimos dias de estadia, o rapaz falou para nós: -posso pedir um favor para vcs? - E a gente: -claro!

      Ai ele pediu que a gente deixasse as embalagens de shampo, creme, dentifrico e tudo o que estivesse quase no fim. Ou seja, ele pediu que a gente deixasse os "restos" para ele. Aí Carol, me deu uma dor no peito nessa altura! É claro que eu deixei os produtos todos com ele, o que estáva cheio e o que estáva quase terminando, mas custa pensar que há pessoas que desperdiçam, não custa!?
      Beijinhos.
      Rute

      Eliminar
  15. Essa mania dos porquês ainda é uma mania minha :) E uma mania que adoro, que amo e que me faz sentir uma criança feliz. Infelizmente, os meus pais ainda dizem, a mim já com 37 anos: com 37 anos ainda perguntas porquê???

    Eu não me importo. Encontro pessoas como tu que ainda questionam e que me fazem sentir feliz. Adoro que existam pessoas como tu: conscientes, ternas, carinhosas, eternas crianças!!!!!!

    Abraço-te com muito carinho!
    Jorge

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Meu querido e doce Jorge Vicente,
      também adoro que existam pessoas como tu. És um ponto de luz, sem dúvida!
      Que bom que continuas connosco na Teia Ambiental. Faz muito sentido pertenceres a esta Teia porque juntos fortalecemo-nos mutuamente.
      Agradeço e retribuo o teu abraço carinhoso.
      Rute

      Eliminar
  16. Vim pedir desculpas por ter dito que participaria da blogagem e não ter participado,não havia preparado nada, e marido quis ir viajar.
    perdi uma postagem super especial, mas a próxima não perco.
    Beijos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi Mary,
      não precisa pedir desculpa. Nenhum mal vem ao mundo por isso. Ninguém se deve sentir obrigado ou pressionado a participar. Noutro mês que lhe dê mais jeito, você participa.
      Grande beijo. Dia 15 na BC Amor aos Pedaços nos reencontramos.
      Rute

      Eliminar
  17. Rute, maninha!
    Voltei... e vim ler os posts da teia da qual não participei este mês como já tinha avisado. Bom, estive no descanso e a usufruir de uma linda paisagem, vale a experiência pelo post! Participarei no próximo mês.
    Bem, mais uma louquinha para juntares à lista, também corto as bisnagas com uma tesourinha para rapar tudinho lá de dentro e também junto água ao final dos frascos dos detergentes para extrair tudinho. Às tantas é geracional... as minhas filhotas, mesmo com o exemplo da mãe, recusam-se a usar o restinho dos produtos, têm uma qualquer ideia de que algo menos bom sedimenta no fundo e é maléfico usar o restinho!!! :D Verdade, já tentei explicar o porquê da minha poupança, pois para mim se resume a não gostar nadinha do desperdício e esbanjamento, mas ainda não me entenderam... entendem vocês, está visto!
    Também tinha esse livro dos Porquês, uma vez falei dele e coloquei a foto num post lá do meu blog que anda paradinho, o "Diz-me o que lês...". Depois dei-o a uma prima e quando nasceu a minha mais velha comprei-o e passou dela para a do meio e agora para o Alexandre. Esse então, passa a vida a ir ver à net com as perguntas mais mirabolantes. Já decidimos que vamos fazer um caderno só com essas suas grandes questões!
    Muitos beijinhos
    Isabel

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Minha querida Maninha,
      que alegria ver-te de novo. Temos de agendar o almocinho para relatares as peripécias das férias :)
      Com que então és outra louca dos restinhos. Bom, francamente não pensava que existissem tantas mulheres poupadinhas. Será que somos apenas uma pequena amostra da sociedade, ou somos uma minoria que se encontrou por acaso na Teia? Dizem que acasos não existem... nada é por acaso. Possivelmente a Teia Ambiental também não será um acaso. Mas sim um sincronismo de pensamentos com vibração semelhante ;)
      Somos poucos? ou somos muitos a pensar assim?
      Beijinhos de boas vindas.
      Rute

      Eliminar
  18. Minha querida Rute:
    Quem é ambientalista de verdade já nasce feita.
    Não se estuda ecologia, nem dá para se formar em ambientalismo.
    Quem precisa estudar, não sabe. E existem conhecimentos que ou trazemos conosco de outras vidas ou não os adquiriremos nesta. Quem te ensinou a querer saber mais? Não foi ninguém além da tua alma. Certamente, curiosa e pesquisadora noutras vidas, que chegou para esta vida com a intenção de confirmar seus aprendizados.
    Eu sou testemunha do quanto trouxeste na tua bagagem espiritual. E o que ainda não havias conquistado, estás a buscar a todo instante, e sem descanso.
    O desperdício, um dos males maior da humanidade, é sinal de decadência moral, muito mais do que crime ambiental. Ser econômica não pode ser confundida com ser mesquinha.
    Zelar pelo bom uso e reaproveitar são atitudes responsáveis de quem é mais evoluído e bem mais espiritualizado do que a maioria dos perdulários, que são os materialistas.
    Trocar o antigo pelo novo só por capricho e vaidade é um lamentável ato de futilidade, e que agride o bom senso e o meio-ambiente.
    Viva as suas econômicas atitudes e suas simpáticas maluquices.
    Somos loucos, sim, mas não somos burros.
    Zelar pela natureza é um ato de enorme inteligência.
    Abraços ecológicos, minha amiga.
    Gilberto.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Querido mestre,
      aos poucos todas as peças vão se encaixando e o discernimento surge sem esforço.
      Afinal está tudo relacionado mesmo: evolução espiritual, ecologia, vegetarianismo, veganismo, alquimia pessoal, alquimia vegetal, alquimia mineral...
      De fato já nasceu tudo comigo e redescobrir minha essência é muito prazeroso.
      O questionamento guia os meus passos para a plenitude.
      Grata por me iluminar.
      Abraços.
      Rute

      Eliminar
  19. Rute,sensacional sua participação!Um texto que envolve nossas dúvidas de criança até a fase adulta especialmente sobre o meio ambiente!Bjs e boa semana!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi Anne Lieri.
      Obrigada pelo comentário e visita. Que bom que você gostou. Fiquei feliz com seu feedback.
      Beijinhos de boa semana.
      Rute

      Eliminar
  20. Tem namorado?
    feliz dia para você com sua companhia,
    não tem? felicidades assim mesmo, afinal mais
    um dia dado por Deus para ser vivido.
    Beijos
    Mary

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oiiiiiiiiiii Mary!
      Feliz dia dos namorados também para você, querida.
      De momento estou aguardando a vinda. Já encomendei "um companheiro divino" lá do alto mas me falaram que estão com falta de estoque.
      Enquanto isso vou namorando comigo mesma e com a vida :)
      Beijos.
      Rute

      Eliminar