30 julho 2012

BC CORPO DE MULHER »» A MULHER INVISIVEL

Iniciativa Blog DiárioDeBordo
A mulher invisível terá concerteza diversas interpretações possiveis. Poderá ser aquela que ninguém vê, de personalidade frágil, submissa. Aquela que a familia não valoriza porque se tornou habitual sua presença. A que ainda hoje não tem direito a voto ou que se acha uma mulher tão comum que não vislumbra hipotese de destaque das outras mulheres. Ela se sente invisível mesmo quando é volumosa. E quanto mais invisível se sentir, mais volumosa fica.
Para mim, a mulher invisível é o corpo energético que não se vê, mas sente-se! Horas e horas de academia, não trabalham esse corpo. Cirurgias sobre cirurgias, não aperfeiçoam esse corpo. Dietas e queimadores de gordura, não o tornam mais leve. E o mesmo acontece com os homens. O homem invisivel não se vê no corpo musculado, endeusado, adelgaçado.
Um dos corpos energéticos do humano invisível é o corpo emocional. Nele se acumulam toxinas energéticas, sentimentos dolorosos, emoções bloqueadas. Conforme a pessoa passa por experiências desagradáveis, vai endurecendo o seu sentir, ganhando calosidades protectoras, adquirindo máscaras  para lidar com a vida. É comum a mulher invisível vestir-se de roupas e atitudes que não são suas. Chega o momento que ela não sabe quem é. Enxerga-se no espelho nua e não se reconhece. Passou a ser o que os outros pensam dela, o que os outros vêem nela, o que os outros inventam e descortinam do que possa ser o seu interior. Chiuuuu, escuta!
É tudo inconsciente. A mulher não tem consciência que estados negativos do corpo emocional provocam doenças no corpo físico. Como é possivel o invisível dar lugar à doença visível? Uma essência vital que degenerou resulta em degeneração celular. O mesmo se conclui, em sentido inverso para a saúde. Por detrás da mulher fisicamente saudável está concerteza a mulher invisível equilibrada. A vitalidade do corpo energético em estado positivo emocional.
A mulher que trabalha sua invisibilidade emite vibração diferente. Seu jardim interior é o Éden, nele a paz interior ecoa na paz exterior. Harmonizadora por dentro e por fora. Ela se autoconhece, sabe quem é, o que a faz vibrar, qual seu nivel de  autodominio, que aperfeiçoamento profundo quer alcançar. Preocupações não tem. O corpo físico está envelhecendo, e daí? Também o emocional. Não é maravilhoso ser uma mulher invisível matura? Quanto tempo você perdeu na época da rigidez (inflexibilidade)? De quantas experiências prazerosas fugiu com medo de se magoar de novo? Quantas vezes masculinizou seus sentimentos para vencer?
Então? Vai se aprofundar ou continuar trabalhando apenas o superficial?

30 comentários:

  1. Excelente Rute, como sempre... nossa ainda existem tantas mulheres invisiveis por esse mundo fora... invisiveis aos olhos das pessoas com quem vivem quase uma vida... caras e rostos tapados, corpo escondido atras de uma mascara de silencio,vergonha,baixa auto-estima, tudo isso ainda existe, tudo isso ainda faz parte da nosso quotidiano... Mas acredito que um dia elas deixem de ser invisiveis, e tb acredito que muitas delas quando o tentaram encontraram a morte no seu caminho pois tem quem nao aceite que a mulher seja visivel... mas felizmente tb ha casos de sucesso e é nesses casos que temos de ter esperança!!!

    Beijocas

    ResponderEliminar
  2. Oi! Muito obrigada pela sua participação! Quem nunca se identificou um pouquinho com essa mulher invisível não é verdade? beijos!

    ResponderEliminar
  3. Rute

    Excelente participação. O mundo hoje cria essa mulher invisível e gostei quando coloca o homem também, pois a beleza pelo corpo é mútua.
    O que não faz a força da mente que pode levar a loucura.
    Tão recente esse caso dramático do Coringa invisível.

    Sempre bom compartilhar esses momentos e aqui temos um aprendizado de vida.

    Beijos no seu coração

    ResponderEliminar
  4. .



    TEMPESTADE DE AMOR é uma
    doce maneira de falar de sexo.
    No Bar do Escritor eu descrevo
    um tipo assediado por quem traz
    consigo a beleza e o poder da
    sedução.

    Conto com você na segunda-
    feira, 23,
    como em todos os 23
    de cada mês.

    Deixa lá um alô, um salve e se
    se não for pedir muito, deixe
    um abraço.

    http://bardoescritor.blogspot.com

    silvioafonso







    .

    ResponderEliminar
  5. Olá, muito interessante essa abordagem sobre o tema. Quantas mulheres se sentem invisíveis mesmo quando tem volumosas qualidades? É para se pensar. Um abraço!

    ResponderEliminar
  6. Não há como não sofrer pela invisibilidade, pois o reconhecimento é algo que urge no ser humano, mas há como equilibrar certas invisibilidades (padrão de beleza), quando aos próprios olhos os valores pessoais são ressaltados.
    Bela temática e que dá "muito pano para mangas",rs,rs, bjs

    ResponderEliminar
  7. Olá a todos,
    lamento a demora no retorno aos vossos comentários. Estive ausente desde sábado até hoje. Só amanhã poderei visitar as participações.
    Beijos e obrigada pelo carinho.
    Rute

    ResponderEliminar
  8. Havia lido aqui e ali algumas referências sobre esta invisibilidade criada , enraizada pelas exigências da vida e dos males que advém com esta falsa impermeabilidade d'alma e nessa BC , você colocou o tema claramente, explicou, alertou e instigou a cada um(a)a se descobrir e agir.
    Bom demais, Rute.
    Bjkas calorosas,
    Calu

    ResponderEliminar
  9. Rute, minha querida amiguinha
    é sempre tão útil estar aqui.
    Hoje mesmo tive uma crise, destas provocadas pelo corpo emocional
    e garanto-lhe: gostaria de ter aprendido a ser mulher visível.
    A vida e certas experiências nos deixam frágeis, machucadas e é primordial reconhecermos nossas dificuldades e enfrentá-las para sair do anonimato, do não viver.

    grata pela maneira terna que aborda temas tão fortes....
    que a luz e a paz acompanhem você Rute, neste caminho importante para ser sempre uma mulher inteira.
    bjs.

    ResponderEliminar
  10. Essas pessoas que só trabalham o físico, acabam por serem vistas como objetos e muitas vezes desrespeitadas. As doenças psicossomáticas aparecem quando essa alma (ou parte invisível) se ressente. A falta de identidade social leva ao ressentimento psicológico.
    Adorei o modo como analisou a questão. Dizem que Marilyn Monroe era uma pessoa muito carente, um contrassenso!
    Boa semana!! Beijus,

    ResponderEliminar
  11. Amigas Calu, Liliane e Luma,
    grata pelo feedback e pelo enriquecimento ao texto trazido por vocês todas/os.
    Visitei apenas 3 participações mas amanhã adianto mais um pouco.
    Me aguardem no vosso blog.
    Beijos!
    Rute

    ResponderEliminar
  12. Um tesouro reflexivo achei este texto! Esta frase" Quanto mais invisível se sentir, mais volumosa fica". Na verdade, por não trabalhar o "eu" invisível a mulher se avoluma, por entrar em estados ansiosos, por querer ser aquilo que os outros esperam e não aquilo que quer. Os tais calos causados por sentimentos hostis, que não deixam que o eu invisível floresça e comande. Quanto mais exigimos e esperamos dos outros, menos olhamos para o nosso interior. Sabes que travo muitos diálogos comigo mesma? Em diversas situações, principalmente as mais críticas, ponho-me a enviar mensagens de incentivo para mim mesma, será isto a auto-motivação? Mas é preciso muito mais, para vivermos em sociedade e não nos deixarmos levar por estereótipos e por sentimentos negativos!
    Sinto-me sempre banhada de luz quando leio seus textos,pelas reflexões benéficas que me conduzem.Tu contribuis para o fortalecimento da mulher invisível que existe em mim e acho que ela está ficando mais forte!
    Beijinhos mil

    ResponderEliminar
  13. A maioria se esconde, tentam ser invisíveis.Talvez consigam por algum tempo, mas não dá para esconder muito tempo o que vai dentro do coração.As máscaras caem, como a masa muscular,pior ainda é a massa cinzenta.
    Paz e bem

    ResponderEliminar
  14. Olá, Rute
    O corpo da mulher deve sempre surpreender:
    "Ser bonito por dentro e por fora"...
    Já me senti invisível mas hoje me sinto feliz e integrada dentro do meu corpo...
    Seja feliz e abençoada!!!
    Bjs de paz

    ResponderEliminar
  15. Amiga Rute, saudades de você e de comentar aqui, ás vezes o tempo não chega para tanto que queremos
    fazer e assim algumas coisas ficam pra depois.
    Para a mulher...mãe, vó, dona de casa e secretária do marido isso é um fato...plagiando a Lina, ás vezes me pego a pensar em tudo isso e me envio palavras de incentivo e encorajamento, pois sei que se não fosse assim, esmoreceria na primeira dificuldade. Então, tenho de ser forte e guardar a sete chaves esse invisível eu...a minha maior riqueza!
    Um grande abraço!!!

    ResponderEliminar
  16. Rute querida demorei mas cheguei. Linda sua participação, de fato existem por ai muitas mulheres invisiveis, muitas nem lhe dão valor, atenção como de fato merecem, e tantas se escondem por trás de um véu de invisibilidade pra se proteger dos que as vêem e não as respeitam. É um grande alerta para nós mulheres. Adorei. Bjocas

    ResponderEliminar
  17. Rute, fiquei afastadinha e quando chego em sua casa me deparo um uma nova blogagem e fiquei perdida! :)

    Lembrei-me muito de você ontem quando entrou a Delegação de Portugal na Abertura dos Jogos de Londres. Fiquei com saudades de todos amigos de Portugal e resolvi aparecer.

    Abraços

    ResponderEliminar
  18. Rute, eu me considero uma mulher invisível... acho que não muito, mas já me senti invisível sim.
    No fundo tudo o que queremos é ser valorizadas, o que nem sempre isso acontece. Muitas vezes só aparecemos qdo deixamos de fazer algo costumeiro, alguma rotina que ninguém enxerga.. coisas da vida...

    Rute, queria agradecer seu carinhoso comentário no meu post...
    obrigada por tudo, tá bom?

    Beijos

    ResponderEliminar
  19. Rute,
    Muito bo teu texto. Lendo fiquei pensando como tantos saberes convergem, apenas dizem a mesma coisa com outras palavras. Ao inves de cada um querer ser a "mae da criança" podia haver uma grande forma holistica de trabalhar em prol do bem-estar da humanidade. Fico pensando o quanto esse trabalho energico seria benefico para pessoas com sofrimento mental, assim doenças mentais, no dizer psiquiatrico. Muito bom fazer essa experiencia.
    E muito interessante sua forma de escrever- clara e cristalina.
    Parabens. Bjos,
    Pauline Herbach

    ResponderEliminar
  20. Hoje meu blog Conheça o Espiritismo comemora 2 anos. Estão convidados para a festa. Venha nos prestigiar. Muita paz!

    ResponderEliminar
  21. Rute,
    Você sempre trazendo uma abordagem diferente, mas muito adequada. A escravidão da beleza ou o mascarar dos sentimentos deixam suas marcas profundas no corpo etéreo.
    Saudade das nossas trocas mais amiúde, mas tanto você quanto eu estamos tentando administrar de maneira saudável nosso tempo, não é verdade?
    Na sexta publico meu encontro com a Norma!! Espero que um dia seja a nossa vez...
    Bjs.

    ResponderEliminar
  22. Trabalhar o "recheio" é preciso e muito mais importante que só a casca... Lindo post e participação!beijos,chica ,de volta!

    ResponderEliminar
  23. Talvez todas nos em alguma fase de nossas vidas tenhamos vestido as varias capas da invisibilidade, porem a propria vida impulsiona para que haja a libertação, força, muita força para primeiro vencer a si mesma depois o wue há pela frente e fé. Adorei seu comentário no post sobre o sal, acredite estou pesquisando muito sobre o sal e as diversas cultura e é fascinante. Não postei muito mais porque senão meus posts ficam longos mas ainda colocl algo mais sobre este elemento tão vital. Feliz em te ver Rutinha beijokas a vc a tds do blog.

    ResponderEliminar
  24. Oi Rute,
    Adoreiii o post!
    Essa coisa de ligar pro que os outros querem,de ter um corpo atraente porque o mundo vai olhar,de ser reconhecido por ser "a gostosona,a sarada,ou a magra de passarela" não me agrada nem um pouco.
    Ultimamente venho trabalhando o meu corpo e a minha mente para que ambos possam funcionar bem,pra que eu esteja numa boa com os dois,pra que eu possa me enxergar por completo.
    Confesso,já pensei em mudar para me encaixar em outro padrão,mas quando você tenta algo assim acaba se perdendo,sofrendo,desejando ser o que não é.
    Não é fácil viver sem dar atenção as pressões externas,mas pra mim neste momento,parece ser o melhor caminho.
    abraço,=)

    ResponderEliminar
  25. OI RUTE!
    ESTA INVISIBILIDADE MUITAS VEZES É PROVOCADA, MULHERES QUE AINDA SÃO ANULADAS SEM SE DAREM CONTA, QUE TEM ALGO MUITO MAIOR QUE O EXTERIOR E QUE ESTE NINGUÉM ALCANÇA SÓ ELAS MESMAS...
    ABRÇS


    zilanicelia.blogspot.com.br/
    Click AQUI

    ResponderEliminar
  26. Oi Rute
    Hoje a maioria das mulheres só dão importancia ao seu exterior, aí elas abusam dos mais variados artifícios em nome da tirania da estética.É triste! No contraponto mulheres vivem anuladas no seu papel de mulher e vivem ou o papel de esposa ou de mãe, deixam de ser elas mesmas e aí acho que me enquadro.rss
    Excelente esta sua reflexão sobre um tema tão pertinente.
    Quanto ao meu conto, são só 2 partes, a outra posto amanhã, sexta-feira, te espero lá.rss
    Beijinhos!

    ResponderEliminar
  27. Oi Rute,
    passando pra saber de vcs e do Tao.Tudo bem por aí?
    Esta semana estou com muito movimento em casa.Mudança do filho/nora/crianças e pra aumentar a correria, meu cachorrão arrumou um cisto sanguíneo na borda da orelha, que foi retirado anteontem.Ele está ótimo fazendo o que não deve com aquela orelha enfaixada.Haja pique!!!
    Fiquem bem.
    Bjos animados,
    Calu

    ResponderEliminar
  28. Oi Rute
    Maravilhoso o texto eu me programei para participar mas tive um imprevisto.
    Fica para a próxima.
    Mas seu texto está perfeito.
    Bjs
    Debby :)

    ResponderEliminar
  29. Oi Rutinha estou na teia já...
    Bjs
    Debby :)

    ResponderEliminar
  30. Rute, estou escrevendo aqui, pois só vc divulga a lista de participantes da teia ambiental. Procurei nos outros blogs organizadores, mas não encontrei. Postei minha participação na teia ambiental pelo blog Eco-nciencia e adoro ler as postagens dos outro participantes. Peço q vc, mesmo que não participe da Teia, publique a lista de participantes. Obrigada. Muita paz!

    ResponderEliminar