22 dezembro 2012

DIETA DE NEGATIVIDADE NA TEIA AMBIENTAL

imagem m/criação power point
Por vezes pode parecer que me afasto do âmbito desta Teia que nos une mês a mês, mas não, afinal ambiente é tudo o que nos rodeia, é o conjunto de substâncias e circunstâncias em que determinado organismo vivo, objeto ou ação existe e se desenvolve. As trocas constantes com o meio interferem, influênciam, condicionam. É inevitável concluirmos que somos fruto da árvore cósmica da vida, resultado do ambiente em que vivemos.
No mês passado, falei-vos da poluição vibracional relativa à electrónica envolvente, hoje dedico-me a outro tipo de toxicidade oculta, a negatividade circundante. Desde já aconselho a mudarem a dieta. isto porque pessimismo em excesso, engorda! E mesmo que não engorde, danifica-nos por dentro. É corrosivo. A negatividade é também ela um tipo de vibração invisivel, densa, ácida, sugadora de energia vital conduzindo-nos à depressão e ao medo.
Só um "cego" é que não vê, o constante bombardear dos mass media espalhando pânico, raiva, desorientação: jornais, revistas, televisão, filmes apocalíticos, jogos violentos, canalizam mensagens dos planos inferiores, instigando-nos à irracionalidade. Assim seguimos nossos instintos primários, reagimos ao minimo sinal de alarme, sofremos por antecipação entrando, de imediato, em modo de sobrevivência.
Se puderes olhar, vê. Se puderes ver, repara. Não ensaies para ti uma cegueira branca, ilusória que te dá acesso à inconsciência. Pega nas sementes, polariza-as com positividade e semeia-as no coração dos homens. Não sejas também tu um canal da emissora do desalento. Se tens "voz", se gostas de discursar, porque gastas o teu tempo lamentando-te da vida que levas? Porque continuas tocando o mesmo fado repetitivo de há décadas atrás?
Sim, eu sei que o desabafo alivia. O choro também, o grito... Porém não podemos direccionar essa poeira negro-ativa para os outros. Quando nos lamentamos para alguém, direccionamos a fulizem interior para essa pessoa. Pensemos antes de libertar a voz: -Posso fazer algo para mudar a minha situação? Alguém me pode ajudar a mudar, a iluminar? - Então depois, mediante a conclusão que o amigo X pode ajudar, vamos falar com ele. Agora, se apenas queremos alimentar nosso pessimismo, sede de vingança, autopiedade, ódio, revolta... e qualquer esforço de optimismo da outra parte encontra terreno estéril no nosso interior, por favor, amem quem vos ama, poupem quem vos quer bem.
As pessoas têm de estar conscientes e serem responsáveis por tudo o que criam e auxiliam a criar. Podereis afirmar: mas não fui eu que semeei o grão de dor! - Verdade. Mas quem regou? Quem dedicou seu tempo a proliferar os espinhos? Quem se empatizou com a enxurrada, jorro de sujidades em que inocentes mergulhamos de cabeça? Não interessa quem ou como se fez até aqui. Este é um post de reflexão, vamos pensar no agora, momento a momento, alterando hábitos de vida nocivos. Daqui a alguns dias, "pese-se" e vai ver que está mais leve :)
Sintonize-se com a pureza da natureza, ar puro do campo, o canto dos passarinhos. Passeie descalço à beira mar, o sal é ótimo neutralizador de polaridades, neutraliza stress, descarrega negatividade. Se não puder ir à praia, tome banho de imersão na banheira com 500 gr de sal de cozinha. Asseguro-lhe, vai se sentir desintoxicado.
O/Participações que vale a pena conferir:

20 comentários:

  1. Olá, Rute
    Cheguei do Norte do Brasil e da fronteira boliviana com o coração completamente desintoxicado... porém o que vi por lá agride um pouco (para não dizer em muito) ao que chamamos a cada mês de Teia Ambiental... Isso me preocupa... depois de 6 anos que não ia por lá, vi que tivemos progresso... mas continuamos a errar redondamente com a natureza e com à nossa também de acordo como seu belo post...

    "Seja na grama molhada pelo orvalho
    O lugar não importa
    Estou a tua espera".
    (Selma)
    Abraços ecológicos de paz

    ResponderEliminar
  2. Olá Rute, belo post! Não podia estar mais de acordo, esta onda de negatividade é pegajosa e contagiosa, há que mudar de atitude e caminhar no outro sentido. ‘He who is contented is rich.’ , dizia Lao Tzu.

    ResponderEliminar
  3. Amiga Rute:
    Coincidentemente, passei a manhã - enquanto fazia o almoço - conversando com minha filha sobre essa "política do medo", e ela lembrava o livro "Mensageiros do Amanhecer", da Bárbara Marciniak, que conta dos planos sinistros para manter a humanidade presa pelo medo.

    Perfeita a sua colocação ! Estamos envolvidos pela "negatividade circundante" e só nos resta libertarmo-nos desses grilhões ! A Natureza ajuda muito, como v. bem disse. Sentir a Mãe-Terra faz-nos ter a sensação de aconchego, proteção e amor, diante dessa dieta de negatividade !!!
    Então, vamos mudar nossa dieta ! E bom apetite!!!

    Beijos.

    ResponderEliminar
  4. Pois é Rute, existe sim esse bombardeio de negatividade circundante e pela mídia massificante como a onda de vampirismo, filmes altamente malucos, sem pé nem cabeça, ruídos excessivos e tudo vai se acostumando. Eu tenho horror a tudo isso! Quando será um novo despertar? Uma nova postura diante do planeta, diante da vida? Grande abraço, Rute!Lindo post!

    ResponderEliminar
  5. Rute, vc abordou uma questão muito importante, a poluição dos fluidos de nosso planeta. Somos energia. Absorvemos e emitimos energia. Quando todos vibram negativamente, recebemos essa vibração negativa, por tabela. Isso influencia nossa vida, sem sabermos.
    Minha participação na Teia Ambiental já está postada, no blog Eco-nciência. Muita paz!

    ResponderEliminar
  6. Rute querida, saudades de vc. Achei excelente seu texto, muito bem colocado, procuro sempre praticar minha mente de uma tal forma a evitar poluir minha mente com pensamentos ou situações que não fazem parte do meu dia a dia. Conviver com pessoas negativas, que só colocam problemas em evidência, me rouba as energias. Sempre procuro exercitar o pensamento positivo começando com pequenas atitudes, afinal toda atitude reflete em ação não é? Creio que as pessoas deveriam prestar mais atenção a natureza como vc disse. Vivemos num manancial de riquezas, e com tanto sentido!. A sensação que sinto é como se estivesse voltando ao seio de nossa existência, nós seres humanos devemos observar sempre a Natureza, nos reitegrarmos,pois somos parte dela também. É, amiga, nada de negativismo, vamos evitar a fracassofobia e seguirmos felizes como devemos ser. Um gde beijo com carinho, um excelente finalzinho de domigo e uma semana positiva.

    ResponderEliminar
  7. Oi, Rute...

    Acho que espinhos vamos ter por toda a vida, mas o segredo é arrancá-los e depois apanhar outra rosa perfumada, sem ficar lamentando o sangue jorrado daquele espinho que já se foi....
    Pessimismo é péssimo e influencia toda a vida negativamente.
    Olhar pra frente, aprendendo como passado, desejando o bem, com bom humor, com alegria... isso sim, vale muito a pena.

    Beijos, querida! Saudades!

    ResponderEliminar
  8. Oi Rute!
    É verdade! Estamos em constante contato com as agruras da vida, mas não podemos nos deixar levar por elas, precisamos olhar e ver o que de melhor há e dar graças à dádiva de viver que podemos vivenciar nas pequenas coisas que finalmente dão sentido á vida.
    beijinhos euma linda semana!

    ResponderEliminar

  9. Olá Rute
    Seu texto é excelente. Me trouxe um alerta, pois estou vivendo um tanto isolada, só com a companhia de meu marido. Os filhos moram longe
    e eu não sou de muitos amigos. Vou refletir muito neste texto e vou ver se consigo modificar um pouco minha vida e sair desta solidão.
    Vou conviver mais com a natureza.
    Beijos
    Maria Luiza (Lulú)

    ResponderEliminar
  10. Olá a todas as que passaram por aqui.
    Não estou respondendo aqui, mas sim, retribuindo o carinho no vosso blog.
    Beijinhos de agradecimento.
    Rute

    ResponderEliminar
  11. Rutinha,
    demorei , mas cheguei a tempo de sintonizar
    com esta reflexão preciosa que vc nos traz mais uma vez.Levei bom tempo para aprender a me conectar com a positividade cósmica e terrena, mas assim que aprendi, nunca mais quis me deixar contaminar pela negatividade e quando pressinto que ela pode se aproximar, tomo as providências de limpeza e renovação imediatas.
    Gratidão, reconhecimento, renovação depuram a alma e o ambiente interno e externo.Ser e espalhar luz ilumina a vida!
    Linda, linda, linda participação.
    Bjkas ultra-marinas e ótimo fim de semana.
    Calu

    ResponderEliminar
  12. Oi, Rute!!
    Mesmo que não sejamos negativos e que os nossos pensamentos estejam elevados, acabamos por atrair para nós pessoas negativas. Dá a impressão que essa é a lei natural, assim como o bordão "Quanto mais rezo, mais assombração aparece". Assim somos testados o tempo todo de nossos propósitos ou assim enxergamos, pois quando estamos mal, não vemos o mal no outro. Já quando estamos bem, parece que querem nos desviar do caminho.
    Bom fim de semana!! Beijus,

    ResponderEliminar
  13. Oi, Rute. Precisamos treinar nossos pontos de vista para que enxerguem o bem, e não o mal. Ganhamos nós, ganha quem está à nossa volta. Ótimo texto, um abraço!

    ResponderEliminar
  14. Olá Rute
    Este é um post de reflexão, sem dúvida. Falas nos mass media, realmente uma das coisas mais deprimentes que podemos fazer hoje em dia é ver um noticiário: uma hora ou 1h30 de uma sucessão de desgraças que nos deixa quase de rastos... tudo bem que não podemos ignorar o que se passa à nossa volta, mas as coisas são-nos passadas de uma maneira, que se sente mesmo a negatividade a contagiar-nos.
    Como sabes, eu própria tenho que lutar contra o meu pessimismo, mas se somos bombardeados a toda a hora com mais carga negativa, isso não ajuda nada. Quando ligo a TV para saber o que se anda a passar, o que muitas vezes acontece é que passado algum tempo não aguento. É que não é só o teor das notícias, é tb aquela sucessão rápida, quase um bombardeamento, que chega a deixar-me atordoada.
    O melhor mesmo é não ligar o aparelho, carregar no botãozinho chega a ser uma auto-flagelação.
    Outra coisa para eu reflectir: tenho que tentar não deitar a minha "fuligem interior" para cima de ninguém... sacudi-la de mim diretamente para o lixo... ;)
    Bjs

    ResponderEliminar
  15. Ah, e preciso experimentar o banho com sal! :)

    ResponderEliminar
  16. Oi Rute,
    passei pra deixar um abraço p/ti e os pequenos.
    Bjos,
    Calu

    ResponderEliminar
  17. Olá minhas queridas,
    está tudo bem sim. Simplesmente ando muito ativa fora do blog, em cursos de lazer e formações da profissão, mais as habituais obrigações familiares. Tentando manter o constante equilibrio.
    Advirto que este post é sim reflexivo, inclusive e principalmente para mim, mas não pretende criticar ninguém. Acredito que por vezes não temos noção de certos comportamentos enraizados e não nos lamentamos por mal. Quem me dera ter vitalidade suficiente para poder ajudar toda a gente.
    Mil beijinhos.
    Rute

    ResponderEliminar
  18. Olá Rute, gostei muito que você abordou a parte da nossa Teia ambiental interna. Existe e já percebi a indústria do medo, da negatividade e já olhei isto em mim, também. Sempre mantenho meus pensamentos e meus sentimentos para cima, de forma positiva para tudo que faço.

    Abraços

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi Elaine,
      é isso aí, ecologia interna. Super necessário. Aliás está na base de tudo. As pessoas que não cuidam da ecologia interna acabam também por não cuidar da externa. Está intimamente interligada. Obrigada por dar sua opinião.
      Abraços.

      Eliminar