17 abril 2012

BCAP - 3ªFASE - ESPERANÇA - 15_MAI_2012

Eu já me perguntei se o tempo poderá, realizar meus sonhos e desejos.
Será que eu já não sei, por onde procurar, ou todos os caminhos dão no mesmo?
(...) Por tudo o que eu andei e o tanto que faltar, não dá para se prever nem o futuro.
O escuro que se vê, quem sabe pode iluminar, os corações perdidos sobre o muro.
E o certo que eu não sei, o que virá! Só posso te pedir que nunca se leve tão a sério,
nunca, se deixe levar...
que a vida é parte do mistério, é tanta coisa para se desvendar (cante connosco)


Existem momentos em nossa vida em que o desencanto se instala e nos sentimos impotentes diante do 'ter que recomeçar'. Nessas horas, o menor desestímulo, pode minar toda a nossa autoestima e coragem para prosseguir. Precisamos, por isso, reunir forças para renovar nossa confiança e, para que isso aconteça, temos que resgatar a esperança por dias melhores; a capacidade de projetar os sonhos e alimentar a mente com pensamentos animadores, que nos ajudará a retomar nossa caminhada desde o começo, refazendo nossa história.

"A vida é atividade, parar é morrer."

Assim disse Manuel de Oliveira, cineasta de 103 anos que em franca atividade, com oito décadas de carreira, ainda contribui em muito para a grandiosidade do cinema português, além de exercer a atividade como meio de melhora do social, alimentando o pensamento coletivo na tentativa de questionar o mal que assola Portugal e refletir sobre as sequelas da crise econômica no mundo - Para isso, acaba de finalizar o filme:"O Gebo e a Sombra" que trata desses assuntos. Recentemente recebeu uma cátedra em seu nome pela defesa da cultura e criatividade.

Manuel de Almeida é um homem que pensa positivamente, pois no auge dos seus 103 anos, ainda produz e muito!! Daí, eu lhes pergunto: Qual diferença existe no modo de condução da vida, entre esse senhor e Anastasia Khoreva, uma senhora de 105 anos, que no último dia 20 de Março se matou porque "cansou de esperar pela morte"? [saiba +]

Falando em cinema, outro dia revi o filme "Garota Interrompida", baseado na autobiografia de Susanna Kaysen. Em um diálogo ela dizia:

Não consegui enfrentá-la. Uma pessoa decente teria feito alguma coisa. Teria feito ela se calar.
(O que teria dito à ela?)

Que nunca saberia o que é ser ela, mas saberia dizer como é querer morrer. Como dói sorrir... Como você tenta se ajustar, mas não consegue, como você se fere por fora tentando matar o que está lá dentro.


Quando você não quer sentir nada, a morte pode parecer um sonho. Mas ver a morte, vê-la de verdade, mostra como é ridículo sonhar com ela.

Talvez haja um momento quando crescemos, quando saímos da casca, que percebemos a perda de alguma coisa. Talvez procuramos segredos por não acreditarmos na força que temos - Difícil é controlar o pensamento.

Talvez o mundo todo seja mentiroso o
u estúpido. Mesmo assim, eu prefiro estar nele.

Acho que a maioria conhece o livro/filme citado acima, que não irei comentar para não prolongar o texto. Diria apenas que Susanna estava no escuro e acendeu a luz! Saiu do Desencanto!!

O amor tudo rege! O amor que temos à vida é o mesmo amor facetado que temos a todo o resto e se acordamos na maioria dos dias animados, é porque sabemos que acontecerá algo bom, o que alimentará a nossa alma, que nos ajudará a superar as obrigações e responsabilidades do dia a dia. Mas como sabemos que coisas boas acontecerão no decorrer dos dias, das semanas... no decorrer dos anos?

Temos esperança! Temos amor à vida, um apego simples à nossa essência!

Portanto, a palavra tema para a 3ª Fase da Blogagem Coletiva "Amor aos pedaços" é "
Esperança" - A força que nos motiva!

Você sabe de onde vem essa força? Existiu um momento crucial em sua vida, que você mais precisou ser mais positivo? Você consegue relacionar a esperança como fruto do seu amor-próprio? Existem outros fatores externos que nos motiva, mas estou dizendo do "seu amor", pois se não cuidarmos, "a alma enruga antes da pele."

Inspire-se em Clarice Lispector, se ainda não se motivou a escrever sobre o assunto. Ou quem sabe, Johnny Depp também não lhe dá uma forcinha?

Amor aos pedaçosVenha dividir com a gente seus pensamentos e experiências - Dividir para somar! E enriquecer a blogosfera com "Amor aos pedaços" - um cá, outro lá e quem sabe ao final, concluir que o amor verdadeiro ou inventado, existe por um único fim: unir corações!!
Até dia 15 de Maio!! Por favor, confirme sua presença no sistema de comentários.
Espiritual-idade
Luz de Luma, Yes Party!
Publicar Para Partilhar
NacoZinha Brasil (membro honorário)

NOTAS IMPORTANTES:
  • Os participantes não são obrigados a seguir todas as fases, podem participar apenas nas que desejarem;
  • É permitido trazer para o dia de publicação qualquer artigo já publicado que se adapte ao tema;
  • O artigo participante pode servir a mais do que uma blogagem, desde que não fuja à temática;
  • No dia 15, uma vez publicado seu post, deixe um comentário. Divulgaremos na lateral do blog que estão participando, para que todos possam ler.

15 abril 2012

DESENCANTO - No Reino de Espadas ♠

imagem m/autoria
BCAP - 2ªFASE - DESENCANTO

«O Amor é cego e vê, não sei porquê!» assim entoava o cantor Tomás Alcaide na longa metragem "Bocage", em 1936. Os amores, a poesia e o sofrimento, sempre de mãos dadas. Quanto maior a cegueira, maior a tragédia e a veia poética.

Comigo também não podia ser diferente. Vi-me constantemente às cegas, por ruas escuras, becos sem saída, usando o lirismo para aliviar o coração apunhalado (). "Cantigas de amor, de amigo, escárnio e maldizer" em trovadorismo medieval. Monólogos intermináveis, dramas romanescos, comédias sombrias que só mesmo eu entendia e sofria sem mais alguém perceber porquê!

(12-02-1989)
SENTIMENTO tão esquisito é este do amor
Ternura, prazer e alegria e ao mesmo tempo tanta dor

ABANDONADA a palavra que mais detesto e que tanto usei
Amada, respeitada, já o fui, mas de ti nunca o esperei

BELOS dias passados
que juntos apaixonados
juramos nos perdoar

TRISTONHAS as vidas
que não podem mais
se tolerar

PENSAMENTO tão horrendo é este da despedida
Por mais que tente não consigo, ver-te fora da minha vida.

Mas a barca do amor continuou ancorando no meu porto, marinheiros de água doce que quiseram aventurar-se em mar revolto. Eles não sabiam, mas estavam de passagem. Eu não sabia, mas desse modo fui ganhando experiência de desapego, amadurecendo o ego infantil, libertando-me de instintos que me dominavam.

Aos poucos o desencanto revelou seu lado positivo. Sai devagar da sombra, tornei-me algo fria e justiceira. Dente por dente, olho por olho. Fiz jus ao meu signo astrológico, coloquei na balança o amor que me davam, na medida exata do amor que eu poderia dar em troca. Talvez assim, o "comércio" fosse mais justo, sem amor que escraviza, sem mentiras, sem facas ao peito (). A justiça no fio da lâmina, a espada () que põe fim ao duelo amoroso entre dois egos inflexiveis.

É este o momento em que o desencanto com o padronizado acontece. A desilusão acontece quando nos sentimos fora de contexto. Os momentos preciosos perdem brilho, deixam de fazer sentido quando "tudo o vento levou"... Aí, sentamos nas cinzas e perguntamos: "Is that all there is to a fire?" Será que é só mesmo isto que resta de um grande fogo? Um fogo que se consumiu a sí mesmo e tudo o que existia em volta. Que quando não tinha mais por onde arder, se apagou como se nunca tivesse existido.

If that´s all there is my friends, then let´s keep dancing
Let´s break out the booze and have a ball
If that´s all there is

Se isto é só o que existe meus amigos, então vamos continuar dançando
Vamos abrir as garrafas, beber e fazer uma festa
Já que é só isto que existe

Vamos viver o dia-a-dia, sem nos encantarmos com promessas futuras e nem nos desencantarmos com tristezas passadas. Viver em festa aproveitando os prazeres da vida. Foi assim que decidi viver na 2ªfase da minha vida, embora atualmente me encontre em fase diferente. Não devemos confundir quem fomos com o que somos. Todos nós no presente somos o efeito de causas passadas. Resta saber se aprendemos bem a lição e se foi proveitosa a experiência. Se sim, não há hipotese de voltar a repetir erros.
Deixo-vos o Pesto Roxo, a minha participação na Blogagem da Cor
que para mim resultou em desencanto visual.
A expectativa ficou aquém do resultado, ainda que saboroso.

E AGORA OS VOSSOS PEDAÇOS DE AMOR:
2-www.idade-espiritual.com.br; 3-LuzDeLuma.blogspot.com.br
4-AsasDosVersosEreversos.blogspot.com.br; 5-ContosOuFatosSurreais.blogspot.com.br
6-MariaLuizaSaes.blogspot.com.br; 7-TachosVspanelas.blogspot.pt
8-6feira.blogspot.com.br; 9-NãoSeiOqueSeEstavaAfim.blogspot.com.br
10-AromaDeCafé.blogspot.pt; 11-Su-TheBest.blogspot.com
12-CasaCoisasEoutros.blogspot.com.br; 13-InsanidadeTemporariaByGe.blogspot.com.br
14-SaoBanza.blogspot.com.br; 15-ProjetandoPessoas.blogspot.com.br
16-PensandoEmFamilia.com.br; 17-ChicaEscrevePorAí.blogspot.com.br
18-UmaCertaLuz.blogspot.com.br; 19-www.CozinhandoComJosy.com
20-LuluOnTheSky.blogspot.com.br; 21-VozAtiva2.blogspot.com.br
22-OgatoPorLebre.blogspot.com.br; 23-BelRech.blogspot.com.br
24-PensamentosDeUmaMoca.blogspot.com.br; 25-www.Jubiart.com
26-www.PontoLivro.com; 27-LichiaDoce.blogspot.com.br
28-MilaResendes.blogspot.com.br; 29-BlogSimplesEclara.blogspot.com.br
30-Misturao.blogspot.com.br; 31-EvaSabbado.blogspot.com.br
32-ConversasComXunandinha.blogspot.com.br; 33-OculosDoMundo.blogspot.com.br
34-Adsisimplesmente.blogspot.com.br; 35-ConversasCartomânticas.blogspot.com
36-CasaCoisasSabores.blogspot.com.br; 37-FractaisDeCalu.blogspot.com.br
38-AescolaÉbela.wordpress.com; 39-PequenoQuiproquo.blogspot.com.br
40-AhDoQueEuGosto.blogspot.com.br; 41-DemocratizaçãoDaModa.blogspot.com.br
42-MamyRene.blogspot.com.br; 43-007conexãoblogs.blogspot.com.br
44-AvaliandoVida.blogspot.pt; 45-AdaoBraga.wordpress.com
46-EsplendorDaCriação.blogspot.com; 47-LuluExperiência.blogspot.com
48-CrioAminhaVida.blogspot.pt; 49-ArtePensando.blogspot.com.br
50-BlogandoComAvida.blogspot.com; 51-PreservandoOverde.blogspot.com.br
52-JorgeVicente.blogspot.pt; 53-AnjoAzul.blogspot.com.br
54-MsocorroM.blogspot.com.br; 55-SonhosMelodias.blogspot.com.br
56-DiárioDaCrisnane.blogspot.com.br; 57-Gothicbox.blogspot.com.br
58-ParaGarotasQueQueremSeCasar.blogspot.com.br; 59-AlémDosFragmentos24x7.blogspot.com.br
60-Eu-euza.blogspot.com.br; 61-DebbyEuAmoVida.blogspot.com.br
62-MãosDeManteiga.blogspot.pt; 63-ArteLivreVimaje.blogspot.com.br
64-ZildaSantiago.blogspot.com.br; 65-www.sonharEser.com.br
66-FloraDaSerra.blogspot.com.br

10 abril 2012

AMOR INJUSTO NA TEIA AMBIENTAL

imagem m/autoria
«Eis que de repente, pode vir uma bruxa malévola e quebrar o Encantamento como para surpreender-nos... desinstalar-nos... Recebemos até uma provável sugestão mascarada de feitiço: aceitar o novo que nos é oferecido... ou relutar?»

Tudo na vida acontece assim, inesperadamente. Porque até acontecer, é para nós desconhecido, inimaginável. E não é só, o menos bom que desinstala, é também o que não estamos habituados, o novo que se sobrepõe ao velho hábito enraizado.

O que aconteceria se, derrepente, o chocolate deixasse de fazer parte da nossa vida? Ou então, ficasse tão caro que passaria a ser considerado alimento de luxo?

Xiiii, não quero nem imaginar!! Páscoa sem ovinhos de chocolate, Dia dos Namorados sem caixinha de bombons, Natal sem sinos, estrelas, e outras figurinhas de chocolate. O padrão festivo seria alterado drasticamente. Tudo acinzentava, especialmente se o açúcar também sumisse.

Seria como se, na maravilhosa Terra de OZ, repleta de ovos, coelhos, lolly-pops, lacinhos e outros enfeites tais, uma bruxa montada em sua vassoura, colocasse um feitiço malévolo que durasse 100 anos, onde todos adormeceriam e apenas o beijo do verdadeiro AMOR universal, tivesse poderes para acordar os dormidores da vida e fazê-los enxergar as causas e efeitos de nossas ações.

Bom, parece conto de fadas, mas a realidade está mais perto do sonho do que se pensa. Há de fato uma doença chamada "vassoura-de-bruxa" que está atacando os cacaueiros. A doença se comporta como uma peste que desvitaliza o cacaueiro deixando tudo queimado, destruindo produções inteiras. Castigo divino? Talvez!

No tempo dos Astecas e Maias, o cacau era considerado dádiva dos Deuses à humanidade. De tão importante, virou até moeda de troca! Juntar grãos de cacau, era sinónimo de riqueza. Estes grãos permitiam comprar tudo o que se desejasse: Por exemplo, 1 escravo podia ser comprado com 100 sementes de cacau; 1 coelho com 10 sementes; 1 abóbora com 4 favas de cacau... e por aí adiante, vestuário, mulheres, tabaco, bebida.

Na época, as sementes eram torradas, moidas e misturadas com água quente em uma papa temperada com baunilha e pimenta, dando origem à bebida nutritiva, confortante, estimulante que produzia bem estar e bom humor. Porém, essas sensações de plenitude deixavam as pessoas viciadas no produto, assim como, a falta, conduzia-as a estados depressivos. Dai a importância como moeda de troca, pois a compulsividade do seu consumo, transformara a semente de Deus em pura ganância dos homens: busca de prazeres carnais e satisfação de necessidades dependentes.

Muita coisa mudou desde a época dos indios, mas sempre haverá reis e escravos, sempre haverá os que trabalham e pouco ganham, e os que pela esperteza enriquecem à custa dos outros. Um amor injusto pela humanidade em consequência de um comércio desequilibrado que marginaliza a origem na hora de distribuir os lucros.

Sabia que, para adoçarmos a boca de nossas crianças, sujeitamos indiretamente ao trabalho infantil, inúmeras crianças nos paises produtores de cacau? Sabia que, dos 60 bilhões de dolares/ano que o comércio de cacau gera, os produtores apenas ficam com 3,3% desse dinheiro? O resto vai para a industria transformadora, distribuidora, comissionistas, publicidade entre outros intermediários de venda.

Opções há? Há!
Não digo para deixarmos de comer chocolate, até porque é um alimento rico em anti-oxidantes, vitaminas e minerais. De preferência, chocolate negro, sem açúcar e sem leite. Mas há a possibilidade de apoiar o Comércio Justo. Cacau proveniente de culturas sustentáveis, cooperativas de produtores que dão condições dignas aos trabalhadores. Assim, quando você estiver ofertando chocolate a alguém, está sinceramente manifestando um amor que é justo para todos, inclusive para o planeta.

Confecção caseira de bombons. 1ªimagem - chocolate crú; 2ªimagem - chocolate tablete

O presente artigo faz parte da Teia Ambiental, uma iniciativa da Flora e do Gilberto.
Veja o emaranhado de fios deste mês de Abril, nos seguintes links:


PreservandoOverde.blogspot.com.br
EscolaÉbela.blogspot.pt
CozinhandoCom Josy.blogspot.com.br
FloraDaSerra.blogspot.com.br
JorgeVicente.blogspot.pt
AromaDeCafé.blogspot.pt
Brasilan.blogspot.com.br
wwwLarEncantado.blogspot.com.br
www.idade-espiritual.com.br

01 abril 2012

SENTIMENTOS (in)SUFLÊ

Há idades em que se torna mais dificil gerir sentimentos. Corações jovens, tenros, machucam-se com facilidade. São frágeis, estiveram sempre acondicionados em vidros familiares, abraçados em "líquido amniótico" que os protegeu de choques mecanicos e térmicos.

Um dia, quando menos esperavam, "as águas romperam-se" e os corações quiseram conhecer o mundo, conhecer a expansão do amor. Engatinhando em encantamento, desencantaram em abraços que prometiam segurança mas que foram aqueles que mais dor lhes causaram.

Partidos em pedacinhos, lá foram os corações de palmito, aipo e alcachofa, envolverem-se em molho branco, taparem-se com gemas batidas e subirem em castelos de claras. Depois...

Depois, foi amor à primeira dentada! Assim que os sentimentos experiênciaram suflar, viveram felizes para sempre :)

INGREDIENTES:
  • 500 ml de leite soja (sem açúcar e sem sal);
  • 2 colheres sopa farinha Maizena;
  • 1 cubo caldo vegetais;
  • Noz moscada em pó;
  • Pimenta em pó;
  • Azeite;
  • 1 cebola picada;
  • Soja texturizada (usei fina);
  • 1 coração palmito;
  • 1 coração alcachofra;
  • 1 coração aipo;
  • 4 azeitonas verdes;
  • 3 ovos;
  • Sementes de gergelim.
CONFECÇÃO:
Hidratar a proteina de soja com água.
Preparar um molho branco (bechamel) com o leite, cubo caldo, farinha maizena, noz moscada e pimenta. Reservar deixando arrefecer.
Em uma frigideira refogar a cebola no azeite. Espremer a soja e juntar ao refogado. Cortar os corações e azeitonas aos pedacinhos. Anexar. Temperar de pimenta.
Separar os ovos, gemas das claras. Bater as claras em neve. Juntar as gemas ao bechamel de forma enérgica (manual) para que não fiquem fios, uma vez que o bechamel pode ainda estar quente.
Unte um tabuleiro com azeite. Eu prefiro fazer suflê em tabuleiro porque gosto da parte tostadinha de cima. Se fizer em recipiente mais fundo, obtém-se menos área tostada. Misturar o molho com as claras nevadas. Levar ao forno a 180º. Quase no final povilhar de sementes de gergelim (sêsamo). Desligar o forno. Deixar as sementes abrirem aroma no quentinho final.

Gostou do romance (in)suflê? Aproveita a inspiração e vem relatar sua história de tenros corações (desencantados) no dia 15 Abril: